Obrigada!


Diz que hoje é Dia Internacional do "Obrigado".

Ouvi na rádio, esta manhã, e fiz logo uma lista mental das pessoas a quem posso diariamente dizer obrigada.

Primeiro, obrigada ao meu ratinho Rafael. Obrigada por gostar sempre de mim, apesar do meu mau humor, da minha impaciência... Apesar de ralhar com ele sem motivos, só porque estou cansada e stressada. Obrigada por me brindar sempre com sorrisos apaixonados e olhares brilhantes.

Obrigada, meu amor. Meu companheiro há oito anos e meio. Meu melhor amigo, meu cúmplice, meu pilar. Obrigada por teres continuado a amar-me apesar de eu ter passado de uma menina porreira e sorridente (pela qual te apaixonaste) a uma mulher mandona, irritadiça e não tão sorridente. Ontem estava a olhar para ti, enquanto marcávamos a hora do baptizado do nosso filho, e a pensar que sou uma sortuda do caraças. Fazes-me sentir protegida a toda a hora e provocas-me ataques de riso dentro de uma igreja. Que mais podia eu pedir?

Obrigada, família minha. Por serem unidos e coesos. Por não deixarem a vida e as ocupações de cada um separar-nos. Somos poucos (mas cada vez mais!), mas muito bons.

Obrigada, colegas. Por me terem recebido de braços abertos e me fazerem gostar de vir trabalhar dia após dia.

Obrigada, amigas ex-colegas de mestrado. por me perdoarem o facto de estar convosco apenas três vezes no ano. Vejo-vos tão pouco e gosto cada vez mais de vocês. 

Obrigada. 

Comentários

  1. Respostas
    1. Se você só tem esse comentário a fazer, fica bem sem resposta.

      Eliminar
    2. Não ficou sem resposta. Tu respondeste ahahahah

      Eliminar
    3. Mas agora também há um número mínimo de amigos?

      Eliminar
    4. Então, 10 ex colegas de mestrado e 20 colegas de trabalho. Chega-lhe?

      Eliminar
    5. O que me diria a mim, que não tenho nem um 😂

      Eliminar
    6. Anónimo das 15:02, um abraço.

      Eliminar
    7. a pergunta faz sentido neste contexto na medida em que a S apenas se encontra com os amigos raramente e colegas de trabalho, pelo menos para já, não contariam como amigos. Por isso, fora da família, penso que a S não tem ninguém que se possa classificar como presença constante com partilha de intimidade.

      Eliminar
    8. Não preciso, S*, foram escolhas. E sou feliz :)

      Eliminar
    9. Somos dois sem amigos e não morro por isso.

      Eliminar
    10. Os amigos fazem-nos falta, sem dúvida alguma... Mas também não morremos sem eles. O meu grupo de amigos vianense e o grupo de amigos portuense não se reúne assim com tanta frequência. Com as amigas de Viana, costumo estar 1 vez por mês, 2 no máximo... com os amigos do Porto estou umas 3 ou 4 vezes por ano. Se gostava de estar mais vezes? Claro. Mas tenho um filho pequeno, um casal amigo vianense também tem filha pequena... a semana é uma correria e os fins-de-semana nem sempre se conciliam. Não deixamos de gostar uns dos outros por causa da "distância", o que é o mais importante.

      Quanto aos anónimos sem amigos... eu acredito que se tivermos uma boa família, temos sempre com quem estar e falar!

      Eliminar
    11. Acho que o ponto crucial aqui é que não temos todos a mesma necessidade de sociabilidade. E há quem goste de pessoas mas prefira fazer planos sozinho, porque se sente mais feliz assim. O que é mau é querer amigos e não os ter, mas para isso há sempre solução :)

      Eliminar
    12. qual a solução para quem quer ter amigos e nao tem?

      eu so tenho a familia, e os coelgas de trabalho (mas q so convivo dentro das horas de trabalho e festas da empresa). as pessoas que tinha emigraram, foram trabalhar para Lisboa, e como eu costumo dizer ao marido, ficamos so nós na terrinha... fazer novos amigos aos 40 anos é muito dificil

      Eliminar
    13. Anónimo das 17:57, não sou nenhum dos anónimos que já comentou mas também não tenho amigos, por opção. Já tive muitos colegas, amigos por conveniência, companheiros de copos... E livrar-me de todos (há 8 anos) foi o melhor que fiz!
      Mas o não falta é gente só e, acredite, a maioria das pessoas gosta de companhia e esforça-se muito para a ter.
      Se tiver possibilidades, frequente um curso de línguas: somos "obrigados" a interagir com os colegas e a contar coisas do nosso quotidiano, o que nos vai permitindo conhecê-los melhor (há sempre alguém que vai sugerindo jantares e convívio fora das aulas e os outros, mesmo com variadíssimos afazares e compromissos familiares, costumam alinhar... Seja esse alguém e garanta logo uma série de contactos!).
      Também há workshops (fotografia, culinária, costura...) onde também pode começar uma amizade tendo, como ponto de partida, um interesse comum. Experimente, tente, não se feche... Os outros também têm medo de arriscar e também se sentem sozinhos!
      Apesar de eu não ter amigos nem os querer ter, seria simpática e correcta se me abordasse... Vá em frente! :)

      Eliminar
  2. Obrigado pela tua simpatia e simplicidade!

    ResponderEliminar
  3. "Fazes-me sentir protegida a toda a hora e provocas-me ataques de riso dentro de uma igreja. Que mais podia eu pedir?"

    ahah gostei bjs

    ResponderEliminar
  4. Sabes... Acho que o melhor de nós está nas pessoas que escolhem fazer parte da nossa vida. São o melhor de ti, logo tu também serás o melhor delas. Nós é que temos tendência a estar hiper-conscientes dos nossos defeitos e a ser sempre muito mais duros connosco do que com quem amamos. Não sejas injusta contigo, S*. :)

    Mira

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares