Avançar para o conteúdo principal

Só te faz falta aquilo que já tiveste...


É sempre assim. Com tudo na vida. Não sentes falta daquilo que nunca tiveste.

O meu anel de noivado foi para apertar há duas semanas e eu passo o dia a tocar no dedo que já sente a falta da sua presença.

Comentários

  1. Minha querida S* não posso estar de acordo contigo... nada mesmo! Faz-me muita falta aquilo que nunca tive e que pelos visto não terei... pais que exercessem o seu papel de pai e mãe, nem um pilar que os pudesse substituir enquanto laço afetivo que nos constrói... e todos os dias sinto mais falta disso!
    bjs doces

    ResponderEliminar
  2. Verdade! Só quando já não temos é que damos conta da importância.

    Beijinhos
    PadaandLuda * Página * BlogLovin

    ResponderEliminar
  3. Não podia concordar mais. Se tiro a aliança do dedo, faz logo diferença.
    Um beijinho grande*
    Vinte e Muitos

    ResponderEliminar
  4. Acredita querida S* que se pode sentir falta do que nunca se teve. Numa dimensão completamente diferente da que descreves, mas sim, pode-se.

    ResponderEliminar
  5. Concordo e Discordo, porque sinto imensa falta de pessoas que já tive na minha vida e não tenho mas também sinto falta de ter uns milhões na conta e não ter que me preocupar com o futuro do meu filho e o meu ;)

    ResponderEliminar
  6. Percebo o que quer dizer em relação ao anel, mas acho que é possível sentir falta de algo que nunca se teve... Eu sinto falta de várias coisas que nunca experimentei, como estar apaixonada, ter um namorado ou ter um emprego pago e digno que me satisfaça minimamente. Dizem-me que ainda sou nova, que tenho tempo, mas a verdade é que daqui a uns meses estarei nos 24. Por isso, sim, percebo o anel mas é mesmo possível sentir falta de algo que nunca se teve :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E é nova, acredite, isto dito por quem tem mais 10 anos. :) Aos 24 anos ainda tem uma vida pela frente e está numa idade em que num ano podem acontecer várias coisas que nos mudam a vida. :) Tenho uma amiga que nunca se tinha apaixonado até aos 30 anos, nem sequer sabia o que isso era. Um dia, olhou de uma maneira diferente para um colega de trabalho de há anos, apaixonaram-se os dois, hoje vivem juntos e pensam criar família. À minha volta vejo tantos casos destes. :) Eu sei que provavelmente isto não lhe mudará o sentimento, eu também sei como era aos 20 e poucos anos, a achar que a minha vida não estava feita para me surpreender, que era tudo muito linear, que estas coisas só acontecem aos outros...E afinal, nem lhe digo as voltas que a vida já deu desde os 20. :P Acredite que é nova e que tem de facto tempo. :) Sabe lá como estará daqui a um ano. :)

      Eliminar

Publicar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Para dormir - solução, procura-se!

É uma pessoa desesperada que vos escreve, esta manhã.

Conhecem soluções naturais para dormir bem de noite? Algo que me faça ferrar o galho e só acordar no dia seguinte?

Estou farta de noites mal dormidas. Estou farta de ficar até às 5 ou 6 da manhã sem conseguir dormir. Chego ao desespero, com vontade de chorar. De dia, sinto-me cansada, porque o descanso é uma porcaria.

Não sou grande adepta de medicamentos mas, se tem de ser, é. Alguém conhece um remédio, uma erva, o que seja?

O que é nacional é bom

Anda Portugal a usar cestas desde sempre e esta vossa S* a usá-las há sete ou oito anos... e vem agora a Carolina Herrera descobrir a pólvora (imagens acima).
Por favor, acho isto verdadeiramente errado. A desfaçatez que é pegar em algo tradicional de um país e de o apresentar como uma "criação"... Ainda por cima chamar-lhe "Aveiro"... E em nenhum sítio dizer que tem inspiração portuguesa.
E a pechincha que está? Quase 500 euros por uma cesta. Não tinha nada contra o preço... se efectivamente fosse um produto de original.
É só googlar "cesta portuguesa" e encontram-se imensos exemplares realmente nossos... E sem custarem quase um salário mínimo.
Querem cestas de classe? Então comprem das nossas. Das verdadeiras. Cópias descaradas? Não, obrigada.
Sugiro a Victoria Handmade. Não são caras, são dispendiosas e têm o preço do que é realmente bom. São feitas à mão, são portuguesas e assentam na nossa tradição. 

Voltar ao início

Depois de quase 9 anos e meio de relação, não vamos fingir que são tudo rosas. Ultimamente, temos até de admitir que têm sido mais os dias maus do que os dias bons. As chatices do dia-a-dia, os remorsos, os ressentimentos, os problemas a que somos alheios mas que nos afectam... Não é fácil de gerir e mentiria se não admitisse que já pensamos "será que vale a pena?".
Da minha parte, apesar dos momentos menos bons, continuo com a nítida percepção de que é um bom homem, com bons princípios, e que dificilmente encontraria companheiro que encaixasse tão bem em mim (que eu sou osso duro de roer, no que toca ao convívio caseiro).
Vale sempre a pena, porque não perdemos esta capacidade de nos reencontrar e voltar ao início. Enquanto soubermos olhar um para o outro e reconhecer o valor um do outro, vale mesmo muito a pena.