Avançar para o conteúdo principal

Reforço de malas (abençoadas pelo Natal)



Ambas da Misako.

A Misako apareceu fantástica em Portugal, há uns bons anos atrás, e eu sempre fui fã. Começou com todas as malas a 18 euros, depois 21, depois 25 euros... Entretanto deixou-se disso e passou a ter peças mais caras e outras mais baratas. Durante uns tempos acho que andou algo chata e sem graça... Mas voltou em força e esta nova colecção é de babar. :)


Comentários

  1. Acho mesmo piada como os gostos são tão subjectivos.
    Eu olhei para elas e pensei "nem dadas!" e tu a dizeres que são de babar :P
    Por isso é que os gostos não se discutem!

    Se gostas, toca a usá-las em força ;)

    ResponderEliminar
  2. sinceramente, não gosto dessas malas.

    ResponderEliminar
  3. Acho que em relação a malas/bolsas, o meu lado gaja tem vindo ao de cima, ultimamente. Ainda ontem fui comprar uma (mais uma lol) bolsa pequena, depois de ter gasto dinheiro em duas bolsas minúsculas (daquelas com um cordão para pendurar ao pescoço) que não me serviam nem para levar a carteira e o telemóvel.
    Detesto andar com coisas nos bolsos. Nem as chaves meto nos bolsos...

    ResponderEliminar
  4. Não são o meu estilo mas são bem giras!

    ResponderEliminar
  5. Gosto muito da primeira! =) Mas já gostei mais da Misako!


    www.anafernandes.ch

    ResponderEliminar
  6. A Misako já foi boa. Nos últimos anos deixa muito a desejar em relação à qualidade e atendimento.
    E nem vale a pena ir lá tentar saber o que fazer em relação a uma mala de homem que não é usada todos os dias, e que ao fim de um mês da compra apresenta desgaste por material de pouca qualidade (custou cerca de 30 euros). A empregada da loja só soube responder: pois é do uso. 1 mês? Nem uma mala de mulher a ser usada todos os dias ficaria naquele estado.
    Acabou mais uma vez riscada da minha lista e agora em definitivo.

    Ana

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ana, isso é inadmissível. As minhas malas da Parfois, ao mesmo tempo, têm resistência satisfatória, um ou dois anos. Já não comprava na Misako há dois ou três anos... vamos ver!!

      Eliminar
  7. Coloridas como são, diria que têm de facto a tua cara =)!

    ResponderEliminar
  8. Nao percebo o porquê de se comprar duas malas com padrões parecidos e difíceis de conjugar, ainda para mais quando a maioria da tua roupa tem padrão. Não me parece uma boa compra muito sinceramente.

    ResponderEliminar
  9. Não fazem minimamente o meu estilo. Mas gostos não se discutem :)

    ResponderEliminar

Publicar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Para dormir - solução, procura-se!

É uma pessoa desesperada que vos escreve, esta manhã.

Conhecem soluções naturais para dormir bem de noite? Algo que me faça ferrar o galho e só acordar no dia seguinte?

Estou farta de noites mal dormidas. Estou farta de ficar até às 5 ou 6 da manhã sem conseguir dormir. Chego ao desespero, com vontade de chorar. De dia, sinto-me cansada, porque o descanso é uma porcaria.

Não sou grande adepta de medicamentos mas, se tem de ser, é. Alguém conhece um remédio, uma erva, o que seja?

O que é nacional é bom

Anda Portugal a usar cestas desde sempre e esta vossa S* a usá-las há sete ou oito anos... e vem agora a Carolina Herrera descobrir a pólvora (imagens acima).
Por favor, acho isto verdadeiramente errado. A desfaçatez que é pegar em algo tradicional de um país e de o apresentar como uma "criação"... Ainda por cima chamar-lhe "Aveiro"... E em nenhum sítio dizer que tem inspiração portuguesa.
E a pechincha que está? Quase 500 euros por uma cesta. Não tinha nada contra o preço... se efectivamente fosse um produto de original.
É só googlar "cesta portuguesa" e encontram-se imensos exemplares realmente nossos... E sem custarem quase um salário mínimo.
Querem cestas de classe? Então comprem das nossas. Das verdadeiras. Cópias descaradas? Não, obrigada.
Sugiro a Victoria Handmade. Não são caras, são dispendiosas e têm o preço do que é realmente bom. São feitas à mão, são portuguesas e assentam na nossa tradição. 

Voltar ao início

Depois de quase 9 anos e meio de relação, não vamos fingir que são tudo rosas. Ultimamente, temos até de admitir que têm sido mais os dias maus do que os dias bons. As chatices do dia-a-dia, os remorsos, os ressentimentos, os problemas a que somos alheios mas que nos afectam... Não é fácil de gerir e mentiria se não admitisse que já pensamos "será que vale a pena?".
Da minha parte, apesar dos momentos menos bons, continuo com a nítida percepção de que é um bom homem, com bons princípios, e que dificilmente encontraria companheiro que encaixasse tão bem em mim (que eu sou osso duro de roer, no que toca ao convívio caseiro).
Vale sempre a pena, porque não perdemos esta capacidade de nos reencontrar e voltar ao início. Enquanto soubermos olhar um para o outro e reconhecer o valor um do outro, vale mesmo muito a pena.