Avançar para o conteúdo principal

(podia chorar, mas dá para rir um bocado)

Esta noite invadiram o meu carro para roubar qualquer coisa que estivesse lá dentro. Graças a Deus o carro ficou no sítio e os documentos também resistiram. Apenas um encaixe de plástico da porta partiu. Pensamento seguinte?

Fodei-vos. Ainda bem que não o mandei lavar na sexta-feira, como estava previsto. Só tinha lixo, pó, pêlo e o maravilhoso 'eau de chien' do meu cão. Espero que tenham apreciado a visita.

Comentários

  1. Uma vez estava uma senhora na paragem de autocarro, vêm uns marmanjos e roubam-lhe um saquinho que ela tinha...A senhora sem mais nem menos desata a rir as gargalhadas e nós ficámos a olhar para ela.O saco tinha um frasquinho com urina pq a senhora ía fazer análises :) Não tem nada a ver mas pronto, lembrei-me!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Chorei de rir! ahah
      Realmente, foi uma péssima altura para roubar! ;)

      Eliminar
    2. Pensava que fosse um mito urbano...

      Eliminar
    3. Não sei Barcelence...isto aconteceu comigo há uns bons 20 anos, quando apanhava o autocarro das 6 e tal da manhã para ir para Carcavelos apanhar o comboio ... (In)felizmente a minha vida está cheia de histórias caricatas, não preciso de inventar fatos! :D

      Eliminar
    4. Por isso disse que pensava, não disse que era. Digo-lhe já que essa peripécia navegou até ao Norte e quem contava nunca sabia dizer onde e quando tinha acontecido por isso está descoberto o mistério!

      Eliminar
    5. A sérioooo? OMG...será que houve mais situações destas?!Tenho muita família no Norte e eramos sempre muitos na paragem...mas daí até se propagar! Querem lá ver que aconteceu mais vezes?! :D Logo vou contar á minha mãe ;)

      Eliminar
  2. Dentro da tragédia, ainda me consegui rir com a tua "vingança"!
    E também me ri com a história da Framboesa!

    ResponderEliminar
  3. A trabalheira que tiveram para nada. Bem feita! :))

    ResponderEliminar
  4. É para aprenderem a não fazer merda :D adorei a história da Framboesa, ahahahah XD muito bom!

    ResponderEliminar
  5. Que cena! Não vejo a razão de esses marmanjos fazerem essas cenas! enfim...

    beijinhoss

    ResponderEliminar
  6. Ladrõezecos... outro dia foram ao carro da "gaja" e gamaram uns tampões de roda de 3€ que "ela" tinha feito o favor de esmurrar contra o passeio no dia em que lhos comprei. xD

    ResponderEliminar
  7. eles pensam que as pessoas deixam coisas de valor nos carros?! Bem... acredito que tenha sido um grande susto

    ResponderEliminar
  8. Rindo para não chorar é uma dadiva.

    Abraço afetuoso.

    ResponderEliminar

Publicar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Para dormir - solução, procura-se!

É uma pessoa desesperada que vos escreve, esta manhã.

Conhecem soluções naturais para dormir bem de noite? Algo que me faça ferrar o galho e só acordar no dia seguinte?

Estou farta de noites mal dormidas. Estou farta de ficar até às 5 ou 6 da manhã sem conseguir dormir. Chego ao desespero, com vontade de chorar. De dia, sinto-me cansada, porque o descanso é uma porcaria.

Não sou grande adepta de medicamentos mas, se tem de ser, é. Alguém conhece um remédio, uma erva, o que seja?

O que é nacional é bom

Anda Portugal a usar cestas desde sempre e esta vossa S* a usá-las há sete ou oito anos... e vem agora a Carolina Herrera descobrir a pólvora (imagens acima).
Por favor, acho isto verdadeiramente errado. A desfaçatez que é pegar em algo tradicional de um país e de o apresentar como uma "criação"... Ainda por cima chamar-lhe "Aveiro"... E em nenhum sítio dizer que tem inspiração portuguesa.
E a pechincha que está? Quase 500 euros por uma cesta. Não tinha nada contra o preço... se efectivamente fosse um produto de original.
É só googlar "cesta portuguesa" e encontram-se imensos exemplares realmente nossos... E sem custarem quase um salário mínimo.
Querem cestas de classe? Então comprem das nossas. Das verdadeiras. Cópias descaradas? Não, obrigada.
Sugiro a Victoria Handmade. Não são caras, são dispendiosas e têm o preço do que é realmente bom. São feitas à mão, são portuguesas e assentam na nossa tradição. 

Voltar ao início

Depois de quase 9 anos e meio de relação, não vamos fingir que são tudo rosas. Ultimamente, temos até de admitir que têm sido mais os dias maus do que os dias bons. As chatices do dia-a-dia, os remorsos, os ressentimentos, os problemas a que somos alheios mas que nos afectam... Não é fácil de gerir e mentiria se não admitisse que já pensamos "será que vale a pena?".
Da minha parte, apesar dos momentos menos bons, continuo com a nítida percepção de que é um bom homem, com bons princípios, e que dificilmente encontraria companheiro que encaixasse tão bem em mim (que eu sou osso duro de roer, no que toca ao convívio caseiro).
Vale sempre a pena, porque não perdemos esta capacidade de nos reencontrar e voltar ao início. Enquanto soubermos olhar um para o outro e reconhecer o valor um do outro, vale mesmo muito a pena.