quinta-feira, 7 de julho de 2016

Ah, maravilha de país...


Em que os pedófilos condenados (portanto, provou-se a culpa, só para que não restem dúvidas) podem sair em liberdade condicional. Que justiça será esta, que condena alguém a apenas seis anos de prisão por abusar sexualmente de dois menores (foi por isto que o Carlos Cruz foi condenado - dois crimes...) e ainda deixa esse ser inqualificável sair cá para fora pelo meio?

Que nojo.

47 comentários:

  1. Respostas
    1. Se quiser acreditar que um dos apresentadores de tv mais populares e poderosos foi para a prisão sem prova, acredite. :)

      Eliminar
    2. Ou se calhar alguém mais poderoso que ele... se os pequenos se safam facilmente em Portugal...

      Eliminar
    3. Anónimo das 20h02, pelos vistos, para muito boa gente só o Bibi era culpado...

      Eliminar
    4. Acredito que outros mais poderosos se tenham escapado, mas isso não inocenta o Carlos Cruz!

      Eliminar
    5. Claro. Um jovem político irmão de um juiz foi um deles. Até pediu indemnização.

      Eliminar
    6. Irmão de um juiz? Ó S, essa é totalmente falsa. O tal jovem político não é irmão de nenhum juiz. Informe-se antes de mandar atoardas.

      Eliminar
    7. Anónimo, tem razão. O irmão é só advogado e ex-professor universitário.

      Eliminar
  2. Revoltante! Por isso sou da opinião que quem tiver seus filhos, sobrinhos ou irmãos pequenos ou adolescentes que os cuide, sempre alerta, porque se forem contar com certas "justiças" estarão em maus lençóis.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Por isso há gente que opta pela justiça popular...

      Eliminar
  3. Tens toda a razão. Só me apetece gritar "escondam as criancinhas"...
    É uma vergonha.

    ResponderEliminar
  4. Liberdade condicional significa que poderá voltar de nv à prisão.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E que entretanto pode andar atrás de crianças e a fazer-lhes o que bem lhe apetecer. E obviamente que terá a criança que ter coragem para o acusar e ficará com o resto da vida arruinada.

      Sou contra a libertação de qualquer pedófilo e contra a sua vida em sociedade. Não há nada que os faça deixar de sentir desejo e vontade sexual perante crianças.

      Eu tenho nojo também. Muito.

      Eliminar
  5. Sou forçada a concordar com o anônimo das 20:02. Havia mais pessoas envolvidas e culpadas, com toda a certeza. Mais "poderosas", também. Alguém tinha que "pagar"! E quem melhor do que uma cara conhecida e próxima dos portugueses para encerrar com todas as suspeitas levantadas?! Foi tudo demasiado óbvio. Meses a atirarem se nomes para cima da mesa e, de repente, prende se o Carlos Cruz e termina o assunto. No mínimo, estranho!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não se terminou nada o assunto. Ainda veio um médico, um advogado, um político... Independentemente disso, concordo que muitos mais culpados foram abafados.

      Eliminar
    2. E continuam a ser abafados... e não por pessoas adultas. Este processo foi completamente mal conduzido. Não houve efetivamente provas e muitos escaparam... se lerem o acórdão que anda por ai lol... a mim choca-me mais os pedófilos anónimos que esses escapam à justiça de uma forma nojentinha.

      Eliminar
    3. Portanto ainda há pessoas que acreditam seriamente que ele é inocente só porque o achavam simpático e o viam várias vezes na tv?
      Que há provavelmente pessoas mais poderosas por trás? Acredito. Que ele é inocente? Não acredito.

      Eliminar
    4. Eu não sei se ele é inocente ou não. Preferia que se tivessem sido todos apanhados. Não é por ele ser conhecido, é por não haver provas.

      Eliminar
  6. Já eu, tenho muitas dúvidas que se tenha provado o que quer que seja. Mas isto sou eu...

    ResponderEliminar
  7. As nossas penas são uma vergonha. Não é só por se tratar de um verme famoso. Mesmo sem o serem, escapam com penas ridículas como essa.
    É sempre bonito ver como a nossa justiça se esquece de pensar nas vidas que esses seres estragaram. Porque essas coisas não se esquecem, ficam para sempre.

    ResponderEliminar
  8. Não há verdades absolutas, e todos os sistemas são falíveis. Mas para mim ao contrário de muita gente, também o acho culpado (mas eu não sou justiça, nem "Deus"). Mas uma coisa é certa, muitos ficaram por condenar...e ficaram livres que nem passarinhos!

    Para mim as penas haviam de ser cumpridas até ao fim, e a ter só agravantes, nunca benefícios. Seja que crime for. Desde os de colarinho branco aos homicídios.

    ResponderEliminar
  9. É revoltante sim. Uma tristeza, mas o que ainda condeno mais, foi uma mãe há dias, em que o pai dos filhos dela os violou e ela perdoo-lhe e aceitou-o, a não ser que fosse para lhe cortar o......... que não acredito, mas se fosse até a ajudava.
    Mas é p país que temos, vai-se preso por roubar um champô, mas esses e outros andam aí.
    Realmente quem tem crianças que as vigie bem.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Às vezes, nem assim estão livres de que aconteça. Basta ter confiança na pessoa errada. E, essas, até na família podem estar.

      Eliminar
    2. Por isso mesmo não se deve confiar crianças a ninguém, só ao pai e olhe, olhe lá. Não deixo os meus com nenhum parente ou amigo. O seguro morreu de velho.

      Eliminar
    3. E o pior é que há tantas mulheres como homens a cometer estes crimes... e disso ninguém fala. No caso de ser uma mulher torna tudo muuuuuito mais difícil de provar. Nem nunca se ouve falar de mulheres pedofilas... e que há, há. :X

      Eliminar
  10. Isto não é mãe, é uma chocadeira. Ela é pior que o demônio do marido. Se alguém, ainda mais o pai, faz isso à um filho meu despedaço-o vivo.

    ResponderEliminar
  11. S* correndo o risco de ser apedrejada por este comentário, só mesmo quem não conhece os meandros da justiça em PT é que parte do principio que alguém é culpado pq o Tribunal o considrou culpado...é que são muitos anos a virar frangos...E o fato deles nunca terem mostrado as provas nem ao visado faz-me bastante "comixão"...mas pronto, é só a opinião de quem andou nestes meios...Numa da sultimas vezes a vistima dizia que o moço estava a dormir, o primo do moço dizia que ele estava a dormir e não viu nada e que tinha sido este que tinha esfaqueado o taxista, o moço dizia que não se lembrava de nada...mas não, o Coletivo achou que tinha sido dado por provado e o moço foi dentro por algo que não fez nem viu fazer...irreal quando a propria vitima disse que não tinha sido ele...mas cala-te boca...só quem lá anda ...só quem lá anda... :( Por isso é que já não ando...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E há uma coisa estranha... a liberdade condicional é normalmente dada quando se mostram arrependidos. Ora o carlos cruz sempre se considerou inocente. Portanto, ele não se arrepende de uma coisa que não fez... porque razão foi dada liberdade condicional?


      Concordo consigo. Não é a questão de ele ser ou não inocente. É que não se provou nada... só ele sabe se é culpado ou não.

      Eliminar
    2. Concordo inteiramente com o seu comentário. Também conheço bem os meandros de que fala.
      Não se provou nada e só quem conhece de perto a falta de competência de alguns (cada vez mais) juízes é que sabe o quão fácil hoje é condenar alguém, independentemente de prova. Alguém que ficará para sempre com um rótulo e um estigma de uma opinião pública acrítica, que nem sequer se deu ao trabalho de ler uma única frase do acórdão.
      E sim, se é ou não culpado só ele sabe. Só ele.

      Eliminar
    3. Lamento mas para mim neste caso não há muitas dúvidas tendo em conta várias coisas que se souberam. E ele é tão inocente que procurou fugir e tudo do país.
      Querem desculpá-lo? Força, podem deixar os vossos filhos a pernoitar em casa dele à vontade, certo? Ou será que só não há problema se for uma criança pobre e marginal?

      É por estas e por outras que tantas vítimas nunca dizem abertamente o que lhes aconteceu.

      Eliminar
    4. Ele é inocente. O tribunal não aceitou portagens que provava que ele não esteve em Elvas, o tribunal não aceitou listagens de tlm que mostravam que naqueles dias, estava noutro sítio,o tribunal não aceitou testemunhos de pessoas que jantavam com ele em Lx num dos dias de Elvas. Está inocente sim e se tivesse assumido culpa já estava cá fora há pelos menos dois anos.
      Mas ele ainda provará a sua inocência!

      Eliminar
  12. Respostas
    1. Se não fossem famosos, a Sarah nem sabia se saiam ou não.

      Eliminar
  13. A ignorância para aqui vai! Se não estudaram direito, ao menos não falem do que não sabem, sim?

    A liberdade condicional não é dada a quem se mostra arrependido como alguém falou num dos comentários, nem é um direito só dos famosos. Todos os cidadãos condenados a mais de 6 anos de prisão efectiva quando cumprem cinco sextos da pena. Antes disso à avaliação da possibilidade do recluso ter liberdade condicional primeiro quando cumprir metade da pena e depois quando cumprir dois terços da pena. No caso do Carlos Cruz, apesar da liberdade condicional (avaliada a dois terços da pena) ter sido recusada pelo Tribunal, o seu advogado recorreu desta decisão e foi-lhe dada razão. Contudo, se não fosse esse o caso, independentemente da avaliação do Tribunal, o CC teria liberdade condicional ao cumprir cinco sextos da penal, tal como qualquer outra pessoa neste país. Tudo isto resulta do artigo 61º do Código Penal.
    Ninguém tem de saber direito, e claro que poderiamos entrar aqui numa discussão se a lei está ou não correta mas, à parte disso, não houve aqui nenhum privilégio concedido especialmente ao Carlos Cruz!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu acho que a Lei de Portugal é uma anedota pegada. Um autêntico incentivo ao assalto, ao homicio e ao abuso sexual de menores.
      Não sou de leis mas sou mãe. Acho que, no caso de um pai de uma criança abusada sexualmente, fará quase mais sentido matar o mesmo logo, garantindo a segurança da criança e depois passado poucos anos estar cá fora, isto se chegar sequer a ser condenado uma vez que se for o primeiro acto criminoso e tal... Pelo menos garante-se à criança que aquela pessoa nunca mais lhe fará mal, nem ele nem a ninguém.

      Eu tenho nojo deste sistema de "justiça" ignorante e ignóbil incapaz de compreender que a pedofilia não tem cura e que todos os pedófilos são bombas prestes a explodir a qualquer momento. E se há os pedófilos que tem uma parafilia e toda a vida se esforçam por evitar crianças e estar longe delas, temos aqueles que as abusam sem dó nem piedade... mas pior de todos são os abusadores sexuais de menores sem qualquer parafilia, estes abusam sexualmente de crianças, muitas vezes magoam-nas propositadamente sem sequer terem desejo sexual. Isto para mim não são pessoas, nem valem nada. Por muito que racionalmente saiba que se deve apresentar estas pessoas à justiça, se a situação acontecesse na minha familia próxima eu tenho sérias dúvidas que não fizesse justiça pelas próprias mãos. Não confio no sistema de "justiça" e cada vez menos.

      Eliminar
  14. Eu não ponho as mãos no fogo por ninguém - muito menos por uma pessoa que não conheço, que não me é nada, e por um caso que só conheço por alto e pelo que vou ouvindo na comunicação social -, mas tenho tantas dúvidas sobre este processo todo que nem consigo tecer comentários...

    ResponderEliminar
  15. Independentemente se é culpado ou não, este processo foi muito mal gerido.

    Se realmente for culpado é de facto um nojo sair da prisão.

    ResponderEliminar
  16. E matas, esfolas e tudo mais e sais na boa.

    ResponderEliminar
  17. Adoro anonimos q tentam fazer acreditar q são advogados,juizes etc etc lololol

    Só mesmo quem é muito estúpido é consegue tentar inocentar alguem q no minimo é suspeito..as provas existiram como é logico e o estupor foi preso pq é culpado.. espero q esta gente n tenha filhos..pq eu só basta suspeitar q nem me chego perto de pessoas dessas, quanto mais jurar pela inocencia de alguem... mete-me nojo e medo muito medo de gente q defende suspeitos ou culpados de pedofilia

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mais "nojo" (vou usar os seus termos, para ver se me compreende melhor) mete-me gente que fala assim levianamente dos outros.
      Sou um dos anónimos que referiu conhecer o acórdão e os meandros da Justiça e sinto-me absolutamente ofendida pela forma como, pelos vistos, também se referiu a mim.
      Primeiro porque sem me conhecer, a senhora diz que me faço passar por advogado/juíz,ou seja,que menti; segundo, porque se refere a terceiros como "esta gente"; terceiro, porque diz que espera/deseja que "esta gente" não tenha filhos; quarto, porque afirma que "esta gente" lhe mete medo, sem sequer a conhecer; quinto, porque afirma que "esta gente" defende pedófilos quando não leu isso em nenhum comentário. Nenhum!! Aprenda a interpretar.
      É leviana no que diz. E deixe-me que lhe diga, muito mais desconfiança tenho eu de pessoas que deturpam as palavras dos outros, acusam outros sem saber ou sem conhecer as suas realidades,e refere-se a terceiros nesses termos. Que faz juizos de valor abusivos. Além de não se questionar sobre nada (que foi isso que alguma "desta gente" fez, sem no entanto, defender a pedofilia. COMO É ÓBVIO).
      Antes de ser uma mãe babada - e já que a senhora se permite ter a liberdade de falar dessa forma sobre os filhos de pessoas que não conhece - seja antes alguém que respeite as pessoas. Talvez assim consiga transmitir melhores valores aos seus rebentos. Valores de tolerância pela opinião alheia, de respeito e de e humildade. Que foi tudo o que não demonstrou ter com seu comentário.
      Passe bem, um bom fim de semana.

      Eliminar
  18. Eu por acaso sou advogada já há uma porrada de anos.E por acaso sei do que falo.Mas como sou bem educada fico-me por aqui.

    ResponderEliminar
  19. De facto, na prática Carlos Cruz é um pedófilo condenado, no entanto não consigo esquecer em momento nenhum que este processo foi um dos mais vergonhosos processos que a justiça portuguesa teve que lidar.
    Para a história fica a acusação que as alegadas vítimas fizeram a Herman José. Uma dessas vitimas disse em alto e bom som que havia sido abusada por Herman José, deu pormenores, nomeadamente locais e datas. O que aconteceu depois? Herman José conseguiu provar sem qualquer margem para dúvidas que nessas datas cuja vítima alegava ter todas as certezas que havia sido abusada estava do outro lado do atlântico. Havia testemunhas oculares, bilhetes de avião, facturas de hotéis. Ou seja, a alegada vítima mentiu com quantos dentes lhe haviam nascido na boca de tão tenra idade. Porquê?

    Ora esta situação seria e será suficiente para me fazer sempre ter dúvidas que quantas mais mentiras foram ditas ao longo do processo. E se o Herman tivesse naquela data em específico ficado sozinho na sua casa de Azeitão, a dar festas aos cães e a beber até cair enquanto gozava a sua solidão? Sem testemunhas, sem facturas, sem provas irrefutáveis que não estivera a abusar daquele menor?!... Estaria preso e a tentar sair em condicional por esta altura também?

    Não sei se se tratou de interesses políticos, económicos ou sociais, o que é certo é que este caso foi muito mais que um caso de polícia.
    Diz quem leu o acordão que se trata de um dos mais infelizes documentos produzidos pelo sistema legal nacional. Não sei se o é ou não, mas reservo-me no direito de manter céptica apenas por aquilo que fui lendo a ajuizando por minha iniciativa.

    Não seria a primeira vez ou, infelizmente, a última que um inocente é condenado e é esse o meu grande medo no meio de tudo isto: que alguém que possa simplesmente ter tido a infelicidade de não conseguir provar a sua inocência seja dado como culpado.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E como é que uma criança poderia afirmar convictamente uma data? E se foi obrigado a tal? A pressão da defesa foi horrível, extremamente execrável para com as vitimas. O que aliás é para mim um dos actos mais infelizes em tribunal e muitas vezes perpetrado pelos advogados: a atribuição da culpa aos menores. Coisas do género "ele estava nú a dançar, isso não era a provocar?" - coisas "infelizes" ditas em tribunal por um anormal que considerou que uma criança de 4 anos poderia estar nua a provocar o adulto e cuja lógica deveria ser "a criança certamente estava a pedi-las para ser sexualmente abusado por um adulto, que por acaso era o responsável legal por ele".

      Eu não sei quantos adolescentes/crianças conhece mas eu, que tive momentos bastante importantes na minha vida e os consigo relembrar com bastante nitidez sou completamente incapaz de falar em horas e dias exactos.
      Não estou a ver crianças a recordarem pormenores das datas em que determinadas coisas aconteceram, a menos que acontecessem no dia de anos, natal, etc por serem datas que associamos sempre.

      Eu fui abusada sexualmente em criança por um familiar e nunca contei a ninguém, nem vou contar. Quando era criança morria de medo porque pensava que tinha feito alguma coisa errada, actualmente não conto porque por um lado prescreveu o crime, por outro será sempre a minha palavra contra a dele. E lembro-me de tudo o que a pessoa em questão me fez e sou completamente incapaz de precisar datas. Consigo dizer que idade tinha mais ou menos e em que fase da minha vida aconteceu mas não consigo dizer aconteceu na hora X e na data Y. E não é porque o que me aconteceu seja mentira ou invenção minha.

      Eu acredito que todos eles sejam culpados e tenha existido talvez um ou outro apanhado pelo meio das acusações mas acredito acima de tudo que os que muita coisa foi abafada porque não dava jeito, precisamente por questões politicas e porque certas pessoas são "intocáveis".

      Para mim o cúmulo da infelicidade de acórdãos portugueses encontra-se entre aqueles que referiam a violação de 2 turistas como quem se meteu na "coutada no macho ibérico" e da senhora grávida violada pelo médico que "não ofereceu" a resistência necessária.

      Em relação aos culpados, tendo em conta quem ele é, eu duvido seriamente que ele fosse alguma vez preso inocentemente. Mais depressa acredito na inocência do Bibi que na dele.

      Eliminar
    2. Há uma pequena série, Making a Murder, que remete exatamente para essas confissões de crianças e pela pressão que sofrem ou pela forma como são interrogadas. Uma série que deve ser vista por toda a gente. Aconteceu nos EUA mas acontece em todo o mundo.

      Eliminar
  20. E o outro desgraçado, o que fornecia os meninos aos figurões, apanhou 15 anos. Claro, não tinha dinheiro para pagar a um advogado que o safasse, ou lhe conseguisse uma pena menor...

    ResponderEliminar