sexta-feira, 11 de dezembro de 2015

Ah, o Natal, época de paz... amor... ou não!

Acabo de chegar a casa, arrumo umas coisas e levo o Pirata à rua.

Cruzo-me com um conhecido e com um menino, o Pirata brinca, corre, diverte-se. Trocamos umas palavras quando uma velhota começa a andar mais ou menos na nossa direcção. O Pirata com a trela extensível, entusiasmado, anda às voltas. Começo a puxar a trela e, mesmo antes de o meu cão tocar na senhora (esteve a uns 20 centímetros dela, no máximo), começo o ouvir:

"Recolha a trela, que merda! Nojo!"

Fiquei escandalizada. Lembrei-me de imediato da minha avó, optei por nem responder. Mas acham que se calou?

Ao passar por mim e pelas outras pessoas (menino de 5 anos incluído!), continua:

"Quer vir-me limpar o muco ao casaco! (oi???) Merda de cães, que merda!"

Infelizmente, estas coisas só me acontecem quando estou sozinha. Felizmente, sou demasiado bem educada. Se tivesse dito o que me apeteceu, tinha ouvido um "sua badalhoca mal educada... o rabo do meu cão é mais limpo que a sua boca".

56 comentários:

  1. Era bem merecido... que gente mal disposta e mal educada. Eu quando não gosto de uma coisa desvio me e vou na minha vida, não preciso de fazer publicidade disso.

    ResponderEliminar
  2. Dá vontade de empurrar essas pessoas para o meio da rua quando vai a passar um camião.
    Ao menos que saibam calar a ignorância...

    ResponderEliminar
  3. Podia até nem gostar, mas ser mal educada não. Há maneiras e maneiras de se dizer as coisas.

    ResponderEliminar
  4. Eu tenho medo de cães e nunca faria isto, credo!

    ResponderEliminar
  5. Enfim há gente que não tem nada no cérebro.

    beijinhos

    ResponderEliminar
  6. Desculpa lá mas de facto ninguém é obrigado a ter de conviver com cães. Se não gosta não tem de estar perto deles e não tens razão nenhuma em pensar em dizer-lhe tal coisa (tão rude e mal educada que eu nem sei)
    É como alguém que não gosta de bichos, eu tenho fobia e se alguém me aparecesse com um e ficasse ofendido por eu dizer "que nojo", denotaria uma falta de civismo e saber estar enorme.
    Tu podes gostar de cães e q eles te lambam e tudo mais mas há quem não goste e não podes impor a nng essa tua mania

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo, você não deve ter lido bem o texto. Só pode. Uma senhora foi ordinária, grosseira, parva, só porque sim. À frente de uma criança... Sem o meu cão lhe ter tocado UM MILÉSIMO DE SEGUNDO. Eu não impus o meu cão a ninguém. E ninguém tem de me impor a sua tremenda falta de educação.

      Eliminar
    2. Por alguma coisa responde em anonimo, nem sei porque ainda responde a este genero de pessoas. Se as pessoas lessem bem os textos estas respostas nem existiriam.Eu tb nao gosto sequer de estar perto sequer de certas pessoas e nao é por isso k sou mal educada ou digo k nojoooo 😒
      Pessoas desse genero merecem mesmo uma resposta curta e grossa como se diz!

      Eliminar
  7. Não vale a pena responder a alminhas ressabiadas...acredita...

    ResponderEliminar
  8. Respondias: "Feliz Natal!" :P Enfim...

    ResponderEliminar
  9. WTF?! O mal é mesmo só para ela. A vida dela é que deve ser mesmo uma merda.

    ResponderEliminar
  10. Uma coisa é não gostar de cães, acontece nem toda a gente nasce com isso , agora a reacção da senhora não se faz. Muito mal criada. Especialmente porque o pirata só estava à procura de alguem que quisesse brincar com ele e que quisesse receber mimos dele...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O Pirata não estava interessado nela, estava só mesmo a passar ao lado dela. ;)

      Eliminar
  11. Merecia ser mandada à merca. Pessoas assim tiram- me do sério.

    ResponderEliminar
  12. Eu penso logo que são loucas. Acho que sou um bocado ingénua nisso. Fico tão estupefacta que só me ocorre que sejam umas malucas fugidas de um hospício qualquer. Verdade.

    ResponderEliminar
  13. Eu não nutro a mesmo paixão pelos animais que tu e, acho que por isso, muitas vezes não consigo concordar ou perceber certos episódios que aqui partilhas, mas isto... :/ Um exagero de reacção e, mais que não fosse pela presença de uma criança, tinha feito uma linda figura calada!

    ResponderEliminar
  14. Que tristeza de gente... Sem comentários!

    http://cucasandcookies.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  15. Tirando os comentários de extremo mau gosto, eu tenho uma cadela, e também detesto quando cães grandes, como labradores por exemplo, vem meter o nariz nas minhas calças!!! Tem um nariz taoooo húmido que fica logo uma mancha. Mas sacudo e está feito :) é como um beijinho mais repenicado :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O meu cão não tocou na senhora. E que tivesse tocado... palavrões assim, alto e bom som, com uma criança ao meu lado?

      Eliminar
    2. Uma criança com 5 anos ouvir a palavra "merda" não a vai traumatizar.
      Enquanto existir adultos a explicar que há coisas que não se dizem ele não vai passar a dizer só porque sim.

      Eliminar
  16. Há sempre 2 lados de cada história.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Se quiser, apresente a sua teoria para uma ordinarice destas.

      Eliminar
    2. Eu não estou a dizer que a senhora não foi mal educada. Falta é saber o que o Pirata efectivamente lhe fez e o que é que tu o deixaste fazer ou não para que a senhora reagisse dessa forma.

      Muitas pessoas esquecem-se que a via pública é de todos. Eu, p.ex, já tive que meter um miúdo em cima de um muro (miúdo que não conhecia) porque um palerma decidiu que era giro deixar o seu cão "inofensivo" andar sem coleira e sem açaime. Cãozinho esse daquelas raças perigosas...ai enganei-me...daqueles mansinhos e dizia que não fazia mal a ninguém mas pronto, o cão achou que não, que naquele dia era melhor tentar atacar quem por lá andava...rosnava, punha-se em posição de ataque... estás a ver o filme? Só o tipo de besta que poderia matar qualquer um a qualquer momento, principalmente uma criança. Eu quando me apercebi daquilo e me apercebi que o miúdo estava com o avô (que mal podia com ele próprio) icei o miúdo para cima do muro.
      A sorte foi que um senhor, com o triplo do tamanho do dono do cão lhe fez ver que, ou metia a coleira, ou o mandava para o hospital.

      Não duvido que aos olhos do dono do cão, todos os presentes são umas bestas e uns ordinários. A meu ver, quem não controla os seus animais é quem deveria ser vedado o acesso à via publica (e quem são as bestas).

      Por isso é que eu digo... eu também não costumo chamar nomes a muita gente mas naquele dia chamei tudo menos santo... e garanto que também achei que aquele tipo de pessoa jamais deveria ser dono de um cão, principalmente de um tão visivelmente perigoso.

      Ora, se tu admites que o teu cão se atire para cima de alguém não me admira que as pessoas te mandem bocas ou te chamem nomes. Já dizeres que o cu do teu cão é mais limpo que a boca da senhora...demonstra bem o tipo de respeito que deves ter pelos outros.

      Eliminar
    3. Anónimo, o meu cão não se atira para cima de ninguém que não conheça. Nunca tal aconteceu. Não invente que o meu cão nem lhe tocou. Respeite se quer ser respeitada/o. O meu cão não tocou em ninguém, pelo que ninguém tem o direito de me (e de o) maltratar.

      Eliminar
  17. De facto, a reacção foi exagerada e grosseira. Mas a senhora pode ter muito medo de cães e não ter gostado da aproximação do Pirata, por mais que ele até seja um cão manso ou que não estivesse minimamente interessado nela. A senhora não adivinha isso. Eu gosto de cães, mas não gosto que um cão que não conheço se aproxime de mim, porque não sei que tipo de animal é (se é manso ou agressivo, se me vai saltar para as calças ou ignorar-me). E quando me cruzo com um dono a passear o seu cão, acho que é obrigação dele controlar o seu animal e não deixar que ele se aproxime demasiado de mim ou das restantes pessoas. Trata-se de respeitar o espaço dos outros. Os donos acham sempre que o seu cão "não faz mal nenhum" e que toda a gente tem obrigação de gostar dos bichos, mas isso não é verdade. Há gente que tem mesmo medo/nojo e isso tem de ser respeitado, por mais que nos custe a entender. Resumindo, ela foi mal-educada, mas percebo a motivação dela (ou seja, percebo que lhe tenha apetecido protestar, mas não da forma como fez). Posto isto, feliz Natal! :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mary, ai eu também respeitaria perfeitamente um "por favor, não deixe o cão aproximar-se de mim". Não respeito são os palavrões e a grosseria. ;)

      Eliminar
    2. Comentário sensato! na verdade 20cm é muito pouco
      Eu tenho medo de cães e se um cão se aproximasse essa distância tanto podia começar a gritar como dizer um palavrão (apesar de não os dizer habituamente). O medo pode gerar uma reação irracional ou desadequada, de certeza é que um "por favor, não deixe o cão aproximar-se de mim" nunca me passaria pela cabeça
      E a obrigação do dono é sempre evitar que cão incomode os outros

      Eliminar
    3. Anónimo das 11:49, gritar porque um cão se aproximou de si? O que mais existe por aí, infelizmente, são cães de rua... não sei o que faz quando se cruza com eles. :) Grita, foge, insulta os cães?

      Eliminar
  18. Infelizmente, vão haver sempre pessoas assim... resta-nos ser pacientes! Bom fim-de-semana*

    ResponderEliminar
  19. Eu também tenho medo de muitos humanos mal formados e eles andam a menos 20 cm de mim em muitos locais, que nojo..., essa mulher é uma besta mal educada, tem muito que aprender, é uma pedra em bruto e ainda por cima "educa", devia viver em alguns países em que podemos visitar um museu acompanhados pelo nosso amigo quatro patas, mas, ainda bem que as mentalidades estão a mudar, por cá já conheço alguns restaurantes onde posso jantar acompanhada pelo meu amigo quatro patas e até têm ração e água para ele. Por isso aviso todas as bestas que por aí andam que os tempos são de mudança.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Humanos mal formados: para mim são os meus vizinhos que têm gatos, que deixam andar livremente pelo jardins dos outros, defecar no meu jardim onde nem posso deixar os meus filhos andar à vontade, que só à noite chegam a casa e recolhem os "seus" animais adorados.

      Sim, sim, quem tem animais é que é muito bem formado e têm todos muito respeito pelos outros.

      Não me interprete mal, eu gosto muito de animais, cães então adoro. Tenho um e desde que o tenho ele já arranjou forma de os gatos não mais colocarem as patas no meu jardim. Mas eu educo o meu cão, não o deixo à solta e quando vou à rua coloco-lhe uma coleira e faço com que ande perto das minhas pernas e não "à vontade" mesmo com trela...

      Acha mesmo que gostar de animais é levá-los para restaurantes? Obrigá-los a estar parados em locais fechados, horas seguidas? Olhe o meu cão prefere andar à solta, a passear e se o prenderem ele fica mas detesta e nota-se que fica bem triste.

      É a tal coisa de acharem que os animais precisam do mesmo que os humanos, humanizá-los não lhes faz bem - diz qualquer pediatra competente.

      Já agora, os meus vizinhos "muito bem formados" ignoram completamente o facto de existirem vários vizinhos a queixar-se das fezes largadas pelos seus gatos nos jardins alheios, ignoram completamente as queixas dos estragos provocados... mas suponho que se levarem os gatos ao restaurante com eles é porque são gente moderna e bem formada.

      Eliminar
    2. Anónio das 00:01, já falaram com os vizinhos? Entendo perfeitamente a sua situação...

      Eliminar
    3. Anónimo das 00.01,o que afirmei, não exclui pessoas que têm animais e não cuidam deles, como o caso das pessoas que têm gatos ou cães e não os têm em casa. Gostar de animais não é levá-los ao restaurante, dei isso como exemplo da abertura de mentalidades, quem diz restaurantes diz hotéis, também já os há em Portugal, é uma opção do dono fazer acompanhar-se do seu animal de estimação, claro que deve ter os seus animais tratados, vacinados, limpos e limpar o que porventura sujem em espaço fora da sua casa. Quanto ás horas seguidas que o cão possa estar num restaurante, cada dono conhece o seu animal, se achar que determinado local ou situação não é a mais adequada para o animal, com certeza não o leva, o meu adora poder acompanhar-nos, um dia levei-o com trela ao centro comercial freeport no Montijo, é um espaço ao ar livre, fui abordada por um segurança que me informou que não podia passear ali com o meu cão, eu nem queria acreditar, fiquei muito revoltada com a situação. E já agora, gente moderna não é a mesma coisa que gente bem formada, e se me permite corrijo-a, pediatra para veterinário.

      Eliminar
    4. Onde diz pediatra era obviamente veterinário.

      Sim S* já se falou com eles. Mas eles são pessoas muito bem formadas, tão bem formadas que se estão nas tintas para qualquer queixa.

      Eliminar
  20. Eu cá acho que,sendo como descrito, o único problema foi mesmo o tipo de linguagem utilizado pela senhora e principalmente à frente de uma criança . De resto, eu também sinto nojo quando vou na rua na minha vidinha e os cães dos outros se aproximam demasiado de mim. Já diz o ditado que a nossa liberdade termina onde começa a dos outros... a via pública é de todos mas acima de tudo das pessoas! Quem não gosta de animais / animais alheios não deve ter de estar perto deles só por falta de consciência dos donos (não estou a dizer que é o caso pois não faço ideia do comportamento da S*). É como aquele pessoal que vai para festas e romarias com os cães! Acho ridículo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo, o meu cão não é um cão que adoooore toda a gente. Não se atira a ninguém, não pula, a não ser que a pessoa tente brincar com ele. Aí sim, é uma alegria. ;)

      Eliminar
  21. Talvez a sra já tenha tido uma má experiência.
    Eu até gosto que os cães se metam comigo e até incentivo o meu filhote a interagir com eles. Mas se há coisa que não suporto, principalmente desde que o meu filho anda, são os cocós na rua. Na minha zona é uma miséria! Nem o relvado ao pé do parque infantil escapa e com um terreno abandonado ao lado! Nem jogar futebol podemos.
    É triste, deviam proibir os porcos de adotar cães.
    Desculpem o desabafo. :)
    Bom Natal!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo das 00:37, concordo plenamente. Ando sempre com "stock" de sacos nas minhas malas e sou incapaz de deixar o que o meu cão faz para os outros... infelizmente, aqui na zona há muita gente que deixa os cães passearem soltos. Os donos falam ao telemóvel, os cães passeiam... e naturalmente os dejectos ficam na relva.

      Eliminar
    2. Todos os donos de cães apanham os presentes dos seus cães...todinhos sem excepção. No entanto, as ruas estão como se vê... devem ser só dos cães vadios, com certeza.

      Eliminar
  22. Nao sou a anónima das 11:49 mas, quando vejo um cão de rua fujo sim, passo a estrada ou, até, nem saio de casa se tenho os cães na minha rua. Se for preciso gritar, também grito e peço ajuda quando não consigo fugir. Tenho muito medo de cães...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo, mas acho que isso não justifica insultar alguém. :)

      Eliminar
    2. e ela insultou-te onde mesmo?

      Eliminar
  23. Se calhar devias ter dito, a parte final (a seguir às reticências), podia sair dali a saber que as pessoas não têm de ouvir tudo e calar.

    ResponderEliminar
  24. Com gente assim mal educada, mais vale nem responder...

    ResponderEliminar
  25. Eu tenho pavor de cães, por causa de uma má experiência em miúda. Quando algum se aproxima de mim, reajo como calha... Não consigo sequer pensar no que digo ou faço. Ora fujo, ora grito, ora insulto o dono por deixar o cão andar solto num sítio onde andam outras pessoas. O medo irracional faz com quem eu não me consiga controlar. Não sou mal educada, nem admito que alguém diga que sou. Para mim, mal educados são aqueles que têm cães e os passeiam sem trela, ou que andam com eles bem "à larga" e que esperam que ninguém se importe quando eles se aproximam! Isso sim, é falta de educação e falta de respeito pelo espaço dos outros. Respeito todo e qualquer tipo de animal, mas prefiro distância.
    Que mania que os donos de cães têm de achar que toda a gente os deve aceitar e tolerar quando se aproximam e que mania têm de criticar logo quem não gosta disso, sem sequer saber que razões terão...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Peço desculpa em nome dos donos que,como eu, não conseguem entender como é que alguém pode ter medo de uma coisa tão linda e com um ar tão brincalhão como o meu menino!! O meu marido é mais sensível e não o deixa aproximar-se das pessoas... eu também vou tentar ter mais atenção ☺

      Eliminar
  26. Quem tem cão tem que saber respeitar o espaço dos outros. 20 cm é demasiado, uma pessoa tem direito a andar na rua sossegado. A meu ver, a velhota foi malcriadona, mas como no norte é só alhos e bugalhos, nem me admira.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu sou do norte e vivi em Lisboa...entre ambos os locais ainda estou para perceber onde ouvi mais asneiras. É tudo igual.

      Eliminar
  27. Por mim, até deviam multar quem passeia o cão e não apanha os "presentes" dos seus amigos, e multar também quem deita beatas e outras porcarias para os passeios e praias, também ninguém deita e as ruas estão cheias de beatas, então na praia é demais, onde as crianças brincam na areia, pois é...porcos há muitos por aí...

    ResponderEliminar