terça-feira, 18 de agosto de 2015

Até gostava, mas não sei ser diferente

Não sei ser reservada, não sei fechar o livro e guardar para mim aquilo que é muito meu. Sempre fui assim, um livro demasiado aberto, demasiado franca e fácil de ler.

É uma chatice, que isto de ser pura de alma já é chão que deu uvas. Já não se usa. Hoje em dia, temos de guardar muito de nós. Dizem que é melhor assim, que é mais seguro, que é para nos sentirmos mais protegidos.

E eu tento, juro que tento. Mas depois começo a falar, entusiasmo-me, acabo a contar este mundo e o outro sobre mim. 

Os que gostam de mim aconselham-me, dizem-me para ser mais ponderada. E eu pondero, volto a tentar, mas volto a falhar.

Até gostava, mas não sei ser diferente. E talvez por não ser diferente é que acabo por ser diferente dos demais. Penso pouco, sinto mais. 

38 comentários:

  1. És o que és e muito bem! Genuína!

    Beijos, S*zinha. :)

    ResponderEliminar
  2. Acaba por ser essa diferença que te caracteriza :)
    É nas pessoas espontâneas que podemos confiar.

    Já acompanho o blogue à imenso tempo.
    Hoje decidi comentar!!!

    ResponderEliminar
  3. Tem que ser igual a ti própria, como os jogadores de futebol. eheheh

    ResponderEliminar
  4. É a primeira vez que comento, apesar de vir aqui há muito tempo. Se me permites um conselho, continua sempre assim!

    ResponderEliminar
  5. Cada um tem a sua forma de ser. Somos todos diferentes e pensamos de forma diferente. Cabe-nos respeitar isso sem fazer qualquer juízo de valor.
    Nunca deixes de ser quem és, nunca tentes mudar, pois, como já percebeste, não irás conseguir.
    Um beijinho :-)
    Www.pensamentoseepalavras.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  6. É engraçado porque li o teu post (e sobretudo o fim) e lembrei-me dos posts em que dizias que não eras muito de expressar sentimentos com o teu mais-que-tudo. Mas suponho que as situações que te levaram a escrever "penso pouco, sinto mais" seja outras. :)

    Não acho que devas mudar a maneira de ser. Acho sim que deves saber lidar com as consequências (boas e más) que isso te traz. É isso que tens de aprender. Assim, podes continuar a ser um livro aberto mas já preparada para reagir da forma certa quando isso te traz resultado menos bons. :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tété, e confirma-se: não sou de expressar sentimentos. Sou é faladora e conto tudo da minha vida. Mas não sou de beijinhos e tiradas românticas...

      Eliminar
    2. A última parte do comentário, não comentou... Curioso!

      Eliminar
  7. Na maior parte das vezes não vale a pena mudar pelos outros, só por nós mesmos. Gostei da expressão "já é chão que deu uvas" :)

    *

    ResponderEliminar
  8. quanto mais espontâneo, mais real, mais palpável.
    nunca te sintas culpada por seres tu mesma: é o melhor que podemos fazer todos, não usar máscaras.
    beijinhos :))

    ResponderEliminar
  9. Não mudes...deves continuar a ser como és, mas se te prejudicar..tenta moderar!

    beijinhos

    ResponderEliminar
  10. Ui que eu sei bem o que dizes...sou assim, ou melhor, já fui mais, mas com a vida vamos aprendendo a não ser...não quer dizer no entanto que deixemos de ser puros, mas o que nos rodeia muitas vezes não é o que gostaríamos que fosse e começamos a ter algumas defesas, e tu com o tempo também te moldarás. Mas muita gente reservada é boa de verdade, outras pessoas que se abrem demasiado nem tanto.
    Podemos tentar, mas depois lá no fundo seremos sempre tótós (a parte da tótó sou eu ;)), mas como eu digo, eu gosto muito de ser assim, e se também gostas de ser assim, olha...temos pena! :)

    ResponderEliminar
  11. Quase 37 anos de idade e aidna estou a aprender essa lição. Confio demasiado nas pessoas, quero ver sempre o melhor delas e isso facilita a transparência que sou. Nem sempre corre bem...como digo, 37 anos de idade e ainda a aprender a lição, porque ir contra a nossa essência não é tarefa fácil.

    ResponderEliminar
  12. Percebo perfeitamente o que dizes porque "sofro" do mesmo mal.
    A verdade é que penso o melhor das pessoas e sou transparente com elas... mas nem sempre são assim tão boas e o que contamos nem sempre é usado para bons fins...
    Enfim, apesar de tudo acho que não há melhor que sermos fiéis a nós mesmos.

    ResponderEliminar
  13. Sou assim e digo-te que me tem trazido mais coisas más do que boas. Em especial no trabalho, evita a todo o custo contar coisas da tua vida. Eu também prefiro ser assim como sou, e como tu és, mas a verdade é que não é assim muito bom para nós.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Confirmo. Traz mais desvantagens que vantagens...

      Eliminar
    2. Já tinha percebido que eras igual a mim, só lendo o blog, acreditas? E tendo mais 15 anos do que tu tive vontade várias vezes de te "avisar" mas parece completamente descabido pôr-me com conselhos a uma pessoa que nem sequer conheço pessoalmente. Mas já que introduziste o tema, digo-te agora para fazeres um esforço para pensar antes de falar. Põe um travão "à língua" e não sejas impulsiva. Vais ver que acabas por ganhar com isso. Na maior parte das vezes falar da nossa vida só nos traz dissabores. Repara nos comentários que recebes aqui no blog a coisas da tua vida privada. Aqui as pessoas dizem-te tudo o que pensam porque estão atrás de um monitor e sob anonimato. Na tua vida do dia a dia muitas das pessoas que te rodeiam pensam exactamente as mesmas coisas mas não to dizem porque claro que não têm coragem. Mas pensam...e mais tarde ou mais cedo comentam com outras esse tipo de situações. Não tenhas dúvidas disso...as pessoas más, mesquinhas e invejosas estão à nossa volta na vida real...são as mesmas (se calhar muitas vezes literalmente as mesmas) que vêm aqui fazer comentários desagradáveis (e muito desagradáveis) no blog. Sei...assusta pensar nisso, dá uma tremenda angustia, mas é a realidade!

      (Sou a mesma anónima do comentário anterior, das 9:53. Não levo a mal se não publicares este comentário).

      Eliminar
    3. Eu já disse aqui algumas coisas à S* no sentido de a alertar e não de ofender. Exatamente o que faço aos meus amigos e não, não costumo comentar a vida de quem me rodeia nas costas dos outros.
      Costumo até achar piada às pessoas que pressupõe isso dos outros, por norma, são as primeiras a falar mal de tudo e de todos, principalmente nas costas pois são aquelas incapazes de dizerem seja o que for directamente a alguém.

      Eliminar
  14. Eu adoro que sejas assim, eu nunca pude ser muito assim, a vida nunca me deixou. Sempre tive de ter muitas defesas, apesar de ser uma inocentezinha e acreditar sempre no bom das pessoas. Mas não mudes quem és. É isso quem te torna única. Protege-te mais, isso sim.

    ResponderEliminar
  15. Falar muito de nós não tem nada a ver com ser puro ou genuino, tem simplesmente a ver com a necessidade de falar, de contar aquilo que nos vai na alma... Como já foi dito, há muita gente reservada que é pura e boa de verdade, simplesmente opta por guardar para si e para quem realmente merece, apoia, entende, ouve e sabe respeitar aquilo que é seu...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Petra, desculpa mas não leste bem o que eu escrevi. Eu não acho que ser faladora seja sinónimo de pureza ou bom fundo. Eu é que não vejo maldade em partilhar e tramo-me por isso. :)

      Eliminar
  16. Mais vale sermos assim, genuínas. Não tenhas a menor duvida!!

    ResponderEliminar
  17. Gosto de gente assim S.
    Sei que sempre "perdi" como dizem, por dizer aquilo que penso e fazer aquilo que para uns seria o certo. Mas não faz mal, ganhamos leveza. Ganhamos uma vida nossa, autêntica sem fachadas.
    Continua assim S. que só assim podemos continuar a cruzar pessoas que valem a pena.
    Um grande beijinho

    ResponderEliminar
  18. Eu sou muito sentimento. Sentida. De sentir. Muito mesmo e como te entendo...

    ResponderEliminar
  19. E depois??? É certo que podes ficar mais desprotegida porque há gente má, maldosa, maldicente, invejosa, mas é quem tu és e mais nada. Quem gosta, gosta, quem não gostam, paciência. Tem é cuidado e tenta, sempre que possível, guardar o melhor para ti e para os teus ;)

    ResponderEliminar
  20. Eu sou contida no blog, mas na "vida real" conto way too much sobre mim mesma, sou demasiado transparente. E sinto, como dizes, que "isso não se usa". Mas vamos vivendo e aprendendo.

    ResponderEliminar
  21. Não há nada como guardar detalhes da nossa vida para nós. Eu sou um pouco como tu, tenho tendência para falar... mas tento contrariar essa tendência, porque não é bom! Podemos lixar-nos ;)

    ResponderEliminar
  22. Mas depois já se inibe em dizer que carro comprou! Coerência!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Cuscuvilheira. Não sei quanto à S* , mas quando sinto a febre da cuscuvelhice, subitamente torno-me muitos discreta :D

      Eliminar
  23. Eu não sou de guardar nada, desde que seja franca e honesta estou de consciência tranquila.

    Beijinhos primaveris,

    Menina Primavera

    ResponderEliminar
  24. Podes ter o coração na boca, mas ao menos és genuína e não tentas parecer o que não és. Valorizo cada vez mais isso, na vida e aqui na blogolândia.

    ResponderEliminar
  25. A pessoas assim chama-se "boca grande" :)
    O meu marido é assim. Eu sou mais reservada.

    ResponderEliminar
  26. Também sou assim, mas às vezes arrependo-me! Especialmente no trabalho...

    ResponderEliminar
  27. Há aspectos em nós que não conseguimos mudar. Outros que nem devíamos tentar.

    ResponderEliminar
  28. Fazes bem! Afinal, quem não te compreende / aceita também não fará parte da tua vida.

    ResponderEliminar