sábado, 25 de outubro de 2014

Sobre aquilo das portuguesas que se juntaram aos Jihadistas e que agora querem voltar...


Obrigadinha, mas não.

Não voltem mais. Perderam esse direito quando se juntaram a uma cambada de assassinos. Se estão realmente arrependidas, tenho pena, mas o país não pode arriscar. Infelizmente, sabemos bem que provavelmente não estão arrependidas.

49 comentários:

  1. Nem mais! Ah e tal são miúdas, muito novas, não sabem o que andam a fazer e bla bla bla! Se tiveram capacidade para tomar a decisão de juntar a esses grupos também têm capacidade para aceitar essa escolha e nunca mais voltar!

    ResponderEliminar
  2. Verdade! Concordo! E não venham com histórias de arrependimento. Até porque devem ter levado uma lavagem cerebral tão grande que não dá lugar a arrependimentos.

    Kiss. Bom fim de semana

    ResponderEliminar
  3. Ui ando completamente desatualizada deste assunto :o

    ResponderEliminar
  4. Subscrevo. Portugal já tem tanto em que pensar.

    ResponderEliminar
  5. Sou obrigada a concordar contigo!
    Não venham cá falar em discriminação...
    Só me faltava neste portugalito agora um bando de assassinos...
    CREDO!

    ResponderEliminar
  6. Vamos pressupor que sim senhor, estão arrependidas e querem voltar, chegavam cá e eram condenadas, elas não vinham para aqui como se regressassem de férias, isso não...

    ResponderEliminar
  7. Concordo a 100%. Terroristas não têm direito a uma segunda oportunidade. É tão simples quanto isso.

    ResponderEliminar
  8. Não podia concordar mais... Ah e tal acharam que aquela merda não era assim uma cena glamourosa e agora vem para ca para as mamãs lavarem a roupa que sujaram la no meio daqueles animais?
    Espero mesmo que o país não as receba!
    Mas conhecendo eu este sensacionalismo bacoco do nosso cantinho a beira mar plantado, já imagino a cm tv etc etc a recebê-las no aeroporto!

    ResponderEliminar
  9. também não acredito no arrependimento delas...

    ResponderEliminar
  10. Concordo totalmente, insensível? talvez mas é NOOO!

    ResponderEliminar
  11. :/ acho que esse "arrependimento" traz água no bico, como se costuma dizer :S

    ResponderEliminar
  12. Não sei, às tantas até poderão estar arrependidas...?! Às vezes as lavagens cerebrais resultam em pessoas frágeis de cabeça... Ou então fazem-se arrependidas para que não lhes dêem "caça"...
    Realmente, o que é que poderá passar-se na cabeça de alguém para juntar-se a um grupo de assassinos?...
    xx

    ResponderEliminar
  13. Peço desculpa por ser aqui a voz discordante, mas de facto não concordo. Quem nunca errou gravemente no passado que atire a primeira pedra. Sei lá, são miúdas de dezoito anos. O facto de se terem envolvido neste género de situações só revela que têm graves traços patológicos da personalidade, mas isso não é razão para as abandonarmos - afinal, não deixam de ser portuguesas. Foram para o ISIS, podiam ter ficado toxicodependentes, podiam ter decidido roubar bancos - são doentes, e devem ser tratadas como tal. Para isso é que se inventaram as prisões e os hospitais, afinal.

    Na verdade este mundo islâmico consegue atrair muito determinadas mulheres com os seus ideais. Creio ter acontecido isso: foram com uma ideia romantizada do que se passaria e agora estão arrependidas e querem voltar. E toda a gente tem o direito de se arrepender, até os terroristas. Todas as religiões defendem isso, e mesmo que estejamos a falar de uma forma laica o nosso governo (e todos os governos de países desenvolvidos) prevêm a hipótese do arrependimento - senão ainda usávamos a pena de morte e outras ideias arcaicas do género.

    Não querendo contrariar aqui ninguém, é a minha opinião ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Percebo o seu ponto de vista, mas juntar-se a um grupo de fanáticos que mata pessoas por prazer é mais do que um simples erro. Eu acredito em segundas oportunidades, a sério que sim, mas com exceções e uma delas são os terroristas. Juntarem-se àqueles monstros é algo absolutamente imperdoável. E há outra questão: como podemos saber se o arrependimento é verdadeiro e não um truque para voltarem ao país?
      Tenho muito pena das famílias destas jovens, a sério que sim. Não deve ser nada fácil saber que uma filha compactuou com terroristas. Mas tenho ainda mais pena das pessoas que foram mortas por este grupo. Lamento, mas elas não merecem voltar a este país. E espero que não as deixem.

      Eliminar
    2. Joana querida, juntarem-se a um grupo de assassinos não é um erro. É imoral e absolutamente criticável. E não podemos correr o risco de voltarem ao país e ajudarem a promover um ataque aqui. Só se voltarem e forem para a prisão.

      Eliminar
    3. Anónimo, percebo perfeitamente o que quer dizer. Mas isto não se trata de merecer ou não voltar. Elas são portuguesas, se quiserem voltar é o direito delas. E é o dever do nosso país julgá-las se cometeram crimes (eu não estive lá para ver nem tenho provas que sejam) e prendê-las se forem culpadas.

      Mesmo que seja um truque para voltar cá, sinceramente duvido muito que os serviços secretos portugueses não andem com elas debaixo de olho.

      Enfim, é uma questão muito complicada. Mas ninguém as pode impedir de voltar - afinal, elas são portuguesas.

      Concordo que isto não é um simples erro, e daí ter dito que era um erro grave e que elas têm muito provavelmente graves questões psicológicas. Mas isso não tira a ninguém o direito de merecer um tratamento justo - afinal, não é isso que nos diferencia dos terroristas?

      Eliminar
    4. Mesmo que errem e se arrependam..
      São pessoas que já acreditaram que o caminho era o terrorismo, que vale a pena matar e perder vidas para defender no que acredita..

      Mesmo com 18 anos tiveram cabeça para agendrar um plano.. e sair de um continente para o outro, cheias de esquemas.. não é fácil, é muito pensado..

      Eu cá não acredito nestes arrependimentos..
      Religiões que coisas que cegam a cabeça das pessoas são muito complicadas de "apagar"..

      Eliminar
    5. Joana, por que é que achas que terão problemas psicológicos? Não podem apenas ter aquelas convicções e pronto? Nem toda a gente que tem estes ideais tem necessariamente alguma patologia. Podem ser tão normais quanto nós, simplesmente têm convicções religiosas diferentes.

      Eliminar
    6. De facto é uma óptima questão. Acho que estará relacionado com o facto de ter lido uma entrevista de um pai de uma das miúdas e me ter parecido tudo esquisito, como se a alguém muito susceptível (a miúda, neste caso) tivesse sido aplicada uma espécie de peer pressure acentuada a que ela cedeu - e na altura aquilo cheirou-me muito a determinados traços patológicos da personalidade, como perturbação anti-social (vulgarmente designado como ser psicopata).

      Lá está, é a diferença entre ser saudável ou não do ponto de vista mental. Eu movo-me no meio de pessoas saudáveis e inteligentes e tenho vários amigos muito defensores da religião (malta ferrenha mesmo) que nunca embarcaria em algo deste género porque lá está, é esse género de atitudes que diferencia as pessoas sãs das doentes. Tenho amigos que não usam preservativo, que não têm relações antes do casamento, que vão à missa três vezes por semana e fazem voluntariado e nunca embarcariam numa guerra santa porque têm discernimento para, acima de tudo, perceber o que está certo e o que está errado.

      Quando eu digo que elas têm problemas psicológicos não é tanto na onda do 'coitadinhas' mas na onda do 'podem ou não ser psicopatas mas têm todo o direito a ser tratadas no país delas'.

      No fundo isto é muito difícil de explicar porque para mim (médica) um psicopata/terrorista/assassino é um doente mental e pertence aos sítios que lhe compete: a prisão ou o hospital. Para as outras pessoas a mesma pessoa deve é ficar abandonada, morrer (e preferencialmente da pior forma possível) e o problema resolve-se. Não é um ponto de vista errado, é simplesmente diferente do meu e ainda bem que todos temos ideias diferentes :)

      Eliminar
    7. Joana

      ERRAR não é assassinar pessoas, não seja injenua.
      Não volte a insinuar e a comparar pessoas que nunca mataram ninguem com monstros , que é o que a malta da jihad é.
      Tenha vergonha na cara em comparar errar num curso, no nome de uma rua, na escolha de um namorado com o assassinato, Aqui o "Quem nunca errou gravemente no passado que atire a primeira pedra"nao se aplica, nem nunca deveria ser sequer mensionado.

      Voce dá poder ás pessoas que nunca deveriam ter poder, se isso implicasse só a sua morte, tudo bem, é sua responsabilidade, mas a sua escolha poe em risco a vida de todos nós. E isso eu não admito, não ponha a minha vida e a de milhares de portugueses em risco só por causa de uma opiniao pessoal. Isso torna-a tao monstruosa quanto eles.

      Eliminar
    8. Anónimo das 23:39, vamos lá a ter calma que a Joana foi bem educada.

      Eliminar
    9. Bem, é a minha deixa. Agora que sou ingénua (pelo menos acho que foi isso que me chamou) e monstruosa vou-me abster de enriquecer a discussão com um ponto de vista diferente. Passem todos bem e uma óptima semana :)

      Eliminar
    10. Joana, se elas voltarem e forem viver para a porta ao lado da sua e se cruzarem consigo e com a sua família no elevador todos os dias, nada a opor, agora minhas vizinhas é que não. Lamento!

      Eliminar
    11. Tratamento justo?? Esta é para rir!! E que tal dar-lhes o mesmo tratamento justo que elas deram àqueles jornalistas estrangeiros que foram lá apanhados e decapitados em direto? Isso para mim é que era um tratamento justo.

      Maria

      Eliminar
  14. ''tenho pena, mas o país não pode arriscar'', não sabia que já mandavas no país. Sim senhora, as coisas que se aprende aqui.

    ResponderEliminar
  15. Pena de morte, ideia arcaica? No dia em que um bandido vagabundo que acha que roubar é mais fácil do que trabalhar matar um filho seu, por exemplo, duvido que ainda achará a pena de morte arcaica. 18 anos é mesmo tempo de fazer m****, de ser imaturo, infantil, mas pessoas dessa idade, que já não são crianças e decidem ir atrás de assassinos, que estupram e decapitam inocentes, inclusive crianças, não erram, isto não é um erro. Foram de plena consciência e SABENDO quem estes monstros eram. Provavelmente não foram recebidas com flores e mimos, além de serem postas para trabalhar e só por isso querem voltar, não porque enxerguem de fato a sujeira da atitude delas. Agora que aguentem.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo, alguém que de forma voluntária se junta a um grupo destes nitidamente não pode ser boa pessoa. Psicopatas.

      Eliminar
  16. quando vi essa notícia até fiquei de boca aberta! como é que raio uma mulher quer ficar tapada da cabeça aos pés? num país de assassinos!

    beijinhoss

    ResponderEliminar
  17. E se voltarem, que sejam condenadas a ouvir Anselmo Ralph para o resto da vida. eheheheh

    ResponderEliminar
  18. Como mãe que zela pela integridade dos meus filhos eu diria NÃO. Mas se aquela fosse uma filha minha eu imploraria que sim... Acho que devemos calçar os sapatos do outro antes de tomar qualquer decisão... Eu acho que devem voltar mas ser presas durante algum tempo e quando soltas, serem proibidas de utilizar internet, tlm e ter pulseira eletrónica durante uns valentes anos... Se estão arrependidas, é um pequeno preço a pagar face a uma asneira tão grande... Entendam que elas podem estar mesmo arrependidas e têm uma familia a sofrer... Voltar sim, mas presas...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Por pensarmos nos outros, é que nunca podemos deixar entrar no nosso pais pessoas que o querem destruir.

      Mais vale a familia dela sofrer viva, do que morta.
      Se essas pessoas entrarem cá em massa, morremos todos, eu eles, e os seus filhos.

      Eliminar
  19. Ora vamos lá a ver... uma coisa é estares arrependida porque voltaste pró trambolho do teu ex e não devias. Isso é arrependimento. Agora atravessar fronteiras pra ir matar pessoas e só depois de umas 4 ou 5 gargantas degoladas notar o peso na consciencia... lamento, mas não!

    ResponderEliminar
  20. Respostas
    1. Já eu tenho pena dos que perdem os filhos nas mãos desta escumalha.

      Eliminar
    2. Iza, se te dói por elas, leva-as para tua casa, simples.

      Eliminar
    3. Isa

      A sua afirmação quer dizer que concorda com a vinda de pessoas que afirmaram e afirmam que querem invadir Portugal para que volte a ser territorio mouro, querem bombardear e conquistar o nosso pais e estabelecer aqui o califado.
      Eu não quero !!!! e não quero que essas pessoas tenham a oportunidade sequer de iniciar o processo.


      Isa, NUNCA mas NUNCA se responsabilize pela vinda de pessoas que a querem matar a si e aos que a rodeiam.

      Eliminar
  21. Eu sou muito crente na humanidade, e creio que existe remorso e arrependimento sim! Atenção não todas...como é óbvio, existem pessoas pura e simplesmente MÁS! Mas se vierem e forem presas e alvo de atenção por especialistas e o seu comportamento for devidamente analisado, porque não? Temos de ter em conta que eles apenas se aproveitam (tentam recrutar) de muitas pessoas frágeis, ao pregar algo que dizem perfeito. Se umas são fortes e sabem bem para o que vão, outras tantas são enganadas por uma vida que julgam que irá ser a ideal.
    Para mim é um Nim...acredito que exista arrependimento sincero de algumas das pessoas (só lá estando e vendo as atrocidades é que se cai na realidade). Porque depois sair de lá não acredito que seja fácil, e isso não é igual a gostar de lá estar.
    Mas isto claro...devem pagar na mesma pelo que fizeram (se fizeram algo). E é a minha opinião! :)

    ResponderEliminar
  22. Eu sou um bocadinho radical nesse aspeto e para mim essas pessoas que se juntam ao EI não deviam voltar a ter autorização para entrar no seu país de origem. Eles foram porque quiseram, sejam adolescentes ou adultos... Ninguém foi a Portugal buscá-las e obrigá-las a ir para lá!

    ResponderEliminar
  23. "Errar Humanun est"- quem nunca errou que atire a primeira pedra, esta afirmação não tem nada de EI.
    No entanto, a adesão voluntária (se assim foi) a movimentos radicais que cometem atos que atentam a vida humana deve ser punida e a maior punição é que sofram,no local onde estão, as consequências da sua própria vontade. Sei que se o arrependimento matasse a população estaria inevitavelmente reduzida.
    A dar segunda oportunidade a essas pessoas , as mesmas devem permanecer em constante vigilância para evitar qualquer ligação ao passado e não se esqueçam que tudo isto tem uma origem: a culpa é dos pais que não souberam ou não quiseram incutir nos seus filhos princípios e valores que respeitassem o ser humano.
    Para concluir " a vida não oferece promessas nem garantias apenas possibilidades e oportunidades", infelizmente há quem faça opções erradas.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A culpa é da má índole delas. Quando a pessoa tem má índole, não há educação no mundo que dê jeito. Má índole, você nasce com ela e morre com ela.

      Eliminar
  24. Concordo. Perderam os seus direitos.

    ResponderEliminar
  25. Este assunto tem muito que se lhe diga...

    ResponderEliminar
  26. Este assunto passou-me completamente ao lado :O Mas ando a dormir ou quê?

    ResponderEliminar
  27. Concordo contigo. ;)
    Apesar da sugestão da Morango Azul também ser aceitável... xD

    ResponderEliminar
  28. Eu espero que elas consigam voltar daquele inferno, mas não sei que ventinho lhes passou pela cabeça!

    ResponderEliminar
  29. Olha S*. eu pessoalmente concordo contigo!

    ResponderEliminar
  30. Eu também concordo contigo. Já têm idade suficiente para saber arcar com as consequências dos seus atos. Além de que não acho este arrependimento inocente.

    Beijinhos

    ResponderEliminar