quinta-feira, 30 de janeiro de 2014

Da insensibilidade

Hugo Soares: "Todos os direitos das pessoas podem ser referendados"

"O deputado do PSD que encabeça a proposta de referendo à coadoção e adoção por casais do mesmo sexo, Hugo Soares, referiu ontem no programa ‘Política Mesmo’, na TV24, que “todos os direitos das pessoas podem ser referendados”, comparando o referendo que está em cima da mesa com o da interrupção voluntária da gravidez. Palavras que deixaram a deputada do PS, Isabel Moreira, em choque." Aqui.

Isabel Moreira, deputada socialista, ficou em choque. E eu também fiquei.

Alguém deve dizer a este rapazinho que os direitos são das pessoas. Existem direitos que são direitos simplesmente porque o são. Os direitos fundamentais são isso mesmo, fundamentais, são praticamente inatos. Ninguém lhes deve mexer. Ninguém deve ser ousar mexer-lhes.

Alguém deve dizer a este rapazinho que a insensibilidade dele é uma coisa muito feia. Quando os deputados se julgam no direito de interferir na vida das outras pessoas a este nível, como se fossem nossos donos e senhores, só revelam que não têm a mínima vocação para defender um país.

24 comentários:

  1. O pior é que corremos o risco deste rapazinho vir a ser primeiro-ministro num futuro próximo como se pode perceber pela situação presente.

    P.S. - obrigada pelo teu comentário.

    ResponderEliminar
  2. Ai que bonito! Já agora termine com todos os direitos humanos, porque não fazem o mínimo de sentido...

    ResponderEliminar
  3. têm um cargozeco qualquer no Governo ou num partido e já se acham no direito de opinar e ainda decidir sobre tudo e mais alguma coisa. Ridículo como direitos fundamentais têm que ser referendados ou aprovados por quem quer que seja. Ser humano é condição necessária e suficiente para ter direito à liberdade e à igualdade, ponto final. Quem sou eu para decidir se uma outra pessoa como eu pode ou não pode casar, ter filhos, adotar, ... só porque aos olhos da sociedade é diferente em algum aspeto... triste mundo. Faz-me lembrar os tempos em que um negro não podia casar com um branco... ou quando um branco se achava no direito de mandar ou decidir o que quer que fosse em relação a um negro, como se não fossemos todos, primeiramente, pessoas.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ele que vá trabalhar e que receba o salário mínimo, para saber o que é a vida.

      Eliminar
  4. Esse rapazinho se calhar anda aos meninos no Parque Eduardo VII.

    ResponderEliminar
  5. Esses seres não têm a noção de nada. Essa é que é essa. Quando ouvi no outro dia um outro dizer que o melhor era baixar o salário mínimo nacional porque era o melhor para as pessoas, quer dizer... talvez se baixassem o ordenado a todos os deputados, também seria melhor para eles, davam o exemplo ao país.

    ResponderEliminar
  6. De facto!! Qualquer dia decidimos tudo uns pelos outros, mandamos todos ... seria a fim do mundo! Triste mundo este em que nós ( sem qualquer sentido) é q temos de decidir se folano tal pode ter ou n uma crianca! Faz falta uma mae e um pai..? Faz pois, mas faz muito e acima de tudo mais falta o amor, carinho, bem estar, educacao.. tendo isso interessa lá agr o resto!

    ResponderEliminar
  7. Por isso temos que ter cuidado com quem
    colocamos lá no governo , eles
    são nossos representantes.
    bjs
    http://eueminhasplantinhas.blogspot.com.br/

    ResponderEliminar
  8. Qual é o choque, S*?
    A direita sempre teve associada a essas falhas de direitos. Desde de mulheres a não poderem votar até a pessoas que não podem estudar por serem pobres.Não há novidade.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Falhas nos direitos é uma coisa. Esta lata e esta atitude de "nós podemos fazer tudo o que nos apetecer" é outra.

      Eliminar
    2. Por acaso não foi só a direita... basta ver o que se passou nas perfeitas ditaduras de esquerda que nunca se criticam porque... lá está, são de esquerda. Direitas e esquerdas sempre desrespeitaram as pessoas, o problema é mesmo dos políticos, não da ideologia. (só para esclarecer, identifico-me mais com a esquerda do que com a direita)

      Eliminar
  9. Haverá portanto um referendo quando lhe quiser dar com uma cadeira no trombil?

    ResponderEliminar
  10. A Troika e os alemães entraram à vontadinha e ainda lhe seguramos a porta...agora isto é claro que é preciso um referendo!!

    ResponderEliminar
  11. Ainda que eu desconfie dos politicos, de uma forma geral, em abono da verdade há que referir que a frase acima mencionada está desvirtualizada, porque retirada do seu contexto. Da mesma forma que podemos ficar consternados com tal afirmação, também nos poderiamos congratular com Hugo Soares quando posteriormente concluiu: "quis que todos os portugueses pudessem discutir, de forma aberta, protegendo aquela que seria a reação da sociedade a um diploma aprovado, sem mais, na Assembleia da República”.

    ResponderEliminar
  12. O lugarzinho do Hugo Soares é que devia ser referendado

    ResponderEliminar
  13. “todos os direitos das pessoas podem ser referendados” !!!
    Essa frase, só por si é contraditória. Se são DIREITOS das pessoas, ninguém tem que referenciar os meus/teus/nossos direitos !!!!
    Estará este país a caminhar (pra trás) em direção ao tempo em que tudo era sensurado?
    Neste caso, referenciado?

    Enfim ... gente pequenina pensa pequenino !!!

    ResponderEliminar
  14. Revela acima de tudo uma ideologia fascista que me assusta e me faz lembrar um certo passado ainda tão recente que durou 48 anos no nosso país.

    ResponderEliminar
  15. Esse tipo porque não merece ser chamado senhor tem certamente laços parentescos com o Hitler, Salazar e até com o Franco, enfim um comentário infeliz tal como ele.

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  16. Infelizmente ainda vivemos numa sociedade maioritariamente retrógrada sob o jugo da igreja conservadora e de uma ditadura fascista que perdura há demasiado tempo... Existiu um 25 de abril que revolucionou comportamentos mas que não mudou mentalidades de forma suficientemente profunda... Esta atitude dos deputados do governo reflecte exactamente essa mentalidade pequenina de uma boa parte da nossa população.

    ResponderEliminar
  17. Se calhar devíamos referendar o direito à vida por parte dos idiotas. O problema é que se ganhasse o "NÃO", ficávamos sem deputados. eheheheh

    ResponderEliminar