terça-feira, 29 de outubro de 2013

Os animais e a proposta ridícula do Governo

Hoje soube-se que o Governo, que nitidamente não deve ter muito que fazer, está preocupado com o número de bichos que as pessoas têm em casa. Poderiam preocupar-se em ajeitar as nossas finanças, em deixar de sufocar as pessoas com cortes e mais cortes, mas não. Preocupam-se antes em limitar o número de animais que temos no recanto do nosso lar. O Governo quer um limite de dois cães ou quatro gatos por apartamento. Enfim. 

Mas não pensem que sou radical. Até entendo que não deva ser permitido ter uma exorbitância de bichos em casa, por uma questão de higiene, de saúde dos bichos e dos humanos, e por causa do possível ruído. 

No entanto, tudo isto é muito incoerente. Eu até admitiria que se preocupassem com o número de animais que cada pessoa tem no seu lar se, antes disso, se preocupassem em saber se todos os animais são bem tratados, bem alimentados, bem amados. Enquanto tivermos animais abandonados, animais enxotados em plena auto-estrada, animais que passam fome, frio, que levam porrada, que são violados por homens, animais que são torturados, animais que sofrem atrocidades inimagináveis, animais que vivem em canis e gatis nojentos, enfiados no meio dos próprios dejectos...Bom, enquanto tudo isso se passar, não me parece prioritário andar a ver quantos animais cada pessoa tem em casa.


PS: Os meus tios têm dois cães e 14 gatos. Têm uma casa grande, com quintal grande, os animais estão todos gorduchos, bem tratados e felizes. E então? O Governo acha exagerado? Temos pena.

100 comentários:

  1. Tanta coisa, bem mais importante, com que se importar!

    ResponderEliminar
  2. Eu acho que para um apartamento, a proposta do governo é bastante razoável. Não concordo que se possam ter inúmeros animais dentro de um apartamento, onde ficam enclausurados o dia inteiro. No caso de quem tem quintal, jardim, etc, onde possam andar livremente, aí já acho que não há problema, agora dentro de 4 paredes acho que tem que haver limites para o bem estar dos próprios animais.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Existem apartamentos e apartamentos, casas e casas. Isto não pode ser feito com régua e esquadro.

      Eliminar
    2. Ter um animal dentro de 4 paredes, por maior que seja um apartamento, é mau para o animal.

      Eliminar
    3. A ditadura a chegar... ao ponto que este país está a chegar...

      Eliminar
  3. Concordo plenamente contigo.
    Até parece q não existem problemas muito maiores...

    Continuam a preocupar-se mais com a quantidade do q com a qualidade.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Acho que esse argumento do "há coisas piores" um bocatido foleiro. Há sempre coisas piores. Não é razão para não cuidar dos males menores. Talvez se tivesse um vizinho com 6 cães a ladrar dia e noite, perturbando o seu descanso e sanidade, não fosse um mal assim tão pequeno ;)

      Eliminar
  4. Agora é que disseste tudo " Enquanto tivermos animais abandonados, animais enxotados em plena auto-estrada, animais que passam fome, frio, que levam porrada, que são violados por homens, animais que são torturados, animais que sofrem atrocidades inimagináveis, animais que vivem em canis e gatis nojentos, enfiados no meio dos próprios dejectos…"

    ResponderEliminar
  5. Ouvi dizer que isso se referia a animais em apartamentos, o que até acho bem. No meu prédio há mais animais do que pessoas. Só no andar de cima a mulher tem 3 cães, que nunca vão há rua....e depois há os que têm cães, gatos, cães e gatos. O cheiro nas escadas mesmo que lavadas 2 vezes por semana, é sempre a cão. Não é bom!
    Já numa vivenda acho que se está melhor, mas mesmo assim ter um bando de bichos, só se for para estarem bem tratados.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo, o meu cão não cheira a cão. Ou, pelo menos, nada que cheire a dois metros de distância. Tudo tem a ver com o cuidado que se tem com o animal...

      Eliminar
  6. Subscrevo inteiramente o que escreveste, vi há pouco a notícia e esta coisa de quererem mandar no que se passa dentro de nossa casa faz-me muita comichão. Claro que não concordo com as situações de "hoarding". Conheço uma pessoa que tem 7 gatos num apartamento, estão bem cuidados, têm espaço e a casa em si está sempre limpa.
    Igualmente mau é o facto de quererem a eutanásia dos bichos que tiverem doenças transmissíveis aos humanos, mesmo que estas sejam tratáveis!
    Mas, o mais grave de tudo para mim, foi uma notícia que li no Verão (e deixo-te aqui o link), duma proposta que foi chumbada, e que tinha como objectivo a esterilização de animais de rua para controlo da sua população... Todos sabemos como os gatos são necessários, cidades como Veneza, Roma vêem como necessária a presença dos gatos para precaver a presença de ratos e dos problemas que este trazem. Pois bem, o PSD achou que o abate dos animais errantes/vadios é a melhor solução. Sem palavras...
    http://www.dnoticias.pt/actualidade/politica/390101-psd-chumba-programa-de-controlo-de-animais-errantes

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ao JoanaS, nem me fale nessa parte da eutanásia... que arrepio... :(

      O PSD devia era lançar uma campanha de esterilização massiva de animais errantes. Isso sim.

      Eliminar
  7. Realmente, este governo cada vez está pior -.- é com cada medida mais ridícula .

    ResponderEliminar
  8. Subscrevo na integra!

    Porque aprovar - finalmente e com anos de atraso! - uma lei dos direitos e de protecção dos animais, 'tá quieto! Assim seremos sempre a cauda da Europa!

    ResponderEliminar
  9. Lá está: os teus tios têm uma casa grande. Para ter esses bichos todos é bom que tenham ;)

    Eu adoro bichos, particularmente cães e gatos. No entanto, nem todos gostam. Viver num apartamento implica necessariamente partilhar espaços com outrem. É preciso acautelar que essa convivência seja pacifica. Compreendo o que diz em relação a todo o mundo de preocupações quanto a animais, mas tem que se começar por algum lado! Conheço quem tenha muitos gatos e/ou em casas (vivendas) e tudo corre bem, porque têm um quintal para que os bichos corram, brinquem, façam xixis e cocós! Depois, curiosamente, quanto aos casos que conheço de pessoas que têm mais do que 10 animais numa casa, oiço falar de falta de higiene, barulho, mau cheiro. Num apartamento é difícil ter 5 caixas de areia sempre limpas, é dificil andar sempre a levar os caes à rua...

    Em suma, apesar de achar que é preciso acautelar muita coisa relativamente aos animais - para quando deixarem de ser equiparados a objectos para a nossa lei?! -, também acho que é preciso e importante acautelar a boa relação de vizinhança quando aqueles existem. Até porque nem todos os amantes de animais são razoáveis ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mel, eu não acho que ter três cães num apartamento, por exemplo, seja exagerado. Tudo depende da disponibilidade dos donos para os passear e para limpar a casa. A minha irmã tem dois cães e três gatos e não vive no meio do lixo. :/

      Eliminar
    2. Pois eu percebo, aliás acho que é preciso ver o tipo de animais, o porte - o meu namorado tem um cão adulto que tem pouco um palmo de altura e pouco mais de comprimento! - e o tipo de casa - ter 3 cães num T5 parece-me menos mau do que 4 gatos num T0!!

      Eliminar
    3. Mel, lá está, a lógica é mesmo essa. Se eu tiver um apartamento com um terraço enooooooooooorme e tiver disponibilidade para passear os meus cães quando quiser, não estou a ver qual seria o problema de ter três ou quatro cães no apartamento. Cada caso é um caso.

      Eliminar
    4. E já agora, que penso na situação da sua irmã, só espero que se acautelem as situações já existentes. Não me parece menos do que monstruoso exigirem que quem tem mais do que os número legal de cães e gatos, "se livre" dos bichinhos que tem "a mais".

      Eliminar
    5. Mel, ui, têm mesmo de acautelar... :/

      Eliminar
    6. S. mas as leis não podem ser específicas para cada caso. Têm de ser gerais e abstractas. E por uns incumpridores, pagam todos, mesmo os cumpridores.

      Eliminar
    7. Tem toda a razão, Chicca Maria: nem todos os donos de animais são bons donos e bons cidadãos. É preciso acautelar as situações em que, nesses tais apartamentos, não mora o bom senso!

      Eliminar
  10. Acho que isso tem mais a ver com as pessoas que têm animais nos apartamentos e não têm condições para os terem do que propriamente quem tem uma vivenda ou assim e espaço com fartura, digo eu na minha inocência, porque vindo do governo só espero o pior!

    ResponderEliminar
  11. Desta vez não concordo contigo.
    Obviamente que neste país há muita coisa mal que tem de ser corrigida. Mas isso não significa que o governo não possa legislar sobre outros assuntos menos prioritários.
    Quanto aos animais, há muitos bichos a viver em péssimas condições dentro de casa.
    Não acho digno para um cão estar a sua vida inteira confinado a um apartamento. Sem ter a liberdade que deveria ter.
    Eu tenho um gato em casa, que todos os dias, várias vezes até, se não chover, vai dar a sua voltinha na rua. Porque tenho uma vivenda. E é ver a alergia dele na rua, a apanhar lagartixas e bicharocos que vai encontrando.
    Como as pessoas não têm bom senso sobre este assunto, acho importante existir legislação. E como em tudo na vida em sociedade, por uns, pagam todos.
    E neste momento há limite de 6 cães numa vivenda, mas podem ser mais se existirem condições consideradas adequadas.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Chicca, não entendi muito bem a lógica do teu comentário, tenho de admitir. As péssimas condições de alguns animais nada têm a ver com viverem em casas ou apartamentos. A liberdade de um animal não é decidida por viverem em casa ou apartamento. O meu cão, por exemplo, vive numa casa com quintal, mas vai passar SEMPRE duas vezes por dia, no mínimo. Qualquer cão precisa de passear, viva ele numa casa ou num apartamento. Qualquer cão precisa de boas condições de alimentação e higiene, independentemente do sítio onde vive.

      Obviamente que não estamos a falar de loucuras como meter 20 cães num apartamento... mas cada caso é um caso, cada casa é uma casa, cada apartamento é um apartamento. E cada dono é um dono - e isso é o mais importante.

      Eliminar
    2. As péssimas condições a que me refiro é ao facto de estarem dentro de um apartamento. Cães enormes que passam os dias numa varanda minúscula, como cheguei a ver num prédio ao lado do meu quando vivi num apartamento.
      Infelizmente a tua realidade com os teus bichos não é a realidade de toda a gente.
      A liberdade que um animal tem num quintal é sempre maior do que um que viva num apartamento.
      Por mais limpa que uma pessoa possa ser, ter num apartamento 2 cães e 4 gatos, é difícil a casa estar sempre limpa. E a questão da limpeza é prejudicial tanto para os animais como para os donos.

      Eliminar
    3. Chicca, e gente com quintal que tem os cães acorrentados a casotas todo o santo dia? Pois. O problema não é das casas, é mesmo das pessoas.

      Eliminar
    4. Eu vivia numa moradia. Tenho um cão. Tive de sair e ir para um apartamento onde não tenho terraço, pelo que o meu animal passa o dia em casa.
      O cheiro incomodou-me ao início. Não estava habituada a entrar em casa e a sentir o cheiro. Passei a dar-lhe banho de 15 em 15 dias. Burrice! Piora de forma exponencial o odor a cão. Recomendação do Vet: 3 em 3 meses, se possível ainda mais espaçado pois com os banhos o odor intensifica.
      Passeio-o duas vezes ao dia: de manhã e à noite. E prefiro a um terraço: não acumula porcaria e cheiros (pois há sempre a desculpa de limpar no dia seguinte).
      É suficiente? Talvez não porque sendo um animal de uma raça potencialmente perigosa, não o posso deixar sem trela. As pessoas vêem muito mais perigo no animal do que na realidade ele pode trazer.
      Se o meu cão é feliz? Digo que sim. Viveu dois anos numa boxe com cerca de 1m2, num canil. A alegria quando chego a casa, o deitar o focinho no meu colo em busca do meu contacto, do meu carinho é a prova disso. Nota-se no olhar dos animais.
      Não há condições e donos perfeitos, mas há consciência e amor.

      Eliminar
    5. Exactamente, S*, tocaste num ponto muito importante: há quem tenha um só animal e mesmo tendo espaço o tenha em muito piores condições do que quem tenha meia dúzia de gatos num apartamento espaçoso. Os gatos castrados têm uma necessidade territorial pouco vasta.
      O governo que criminalize os maus tratos, porque os animais são seres vivos e na lei estão equiparados a objectos. E que se preocupe em esterilizar/castrar, esta questão é tão, mas tão importante!
      E porque é que a comida para os animais tem 23% de iva mas uma feira erótica 65%? E porque é que, querendo que as pessoas dêem o melhor aos animais e os registem nas juntas e nos vets, não concedem benefícios fiscais a quem se preocupa com a saúde deles?
      A Mel disse lá acima que vai haver sempre coisas piores para tratar. Pois vai, já se sabe que sim. A questão é que no que diz respeito aos animais ainda muito temos de caminhar para o seu bem-estar, antes de estar com limitações e leis mesquinhas. E já agora, se eu tiver hamsters, já posso ter 10 ou 20?

      Eliminar
    6. Para mim, grave é não podermos meter no IRS as despesas com os nossos animais. Grave, como disseste, é a comida dos animais pagar taxa máxima de IVA, quando é um bem ESSENCIAL. Grave é os animais de rua não serem esterilizados. Grave é termos canis e gatis nojentos, sem condições algumas.

      Eliminar
    7. Gralha minha ali em cima, era 6 e não 65%, mas acho que se percebeu :)

      Eliminar
    8. JoanaS, claro que se percebeu. ;)

      Eliminar
  12. nao sabia disto, mas é mesmo ridículo.

    Paulinha

    ResponderEliminar
  13. Não percebem que isto é só para nos distrair? Enquanto pensamos no Carrilho e na Bárbara e contamos os cães, os gatos e as iguanas que vivem cá em casa, eles continuam a foder-nos com o milagrezinho económico deles... E os jornalistas embarcam nesta merda!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obviamente que é uma manobra para nos distrair do Orçamento para 2014. Mas revolta.

      Eliminar
  14. Para mim, tudo passa pela consciência de cada dono. Há que ter em conta o espaço disponivel da casa, o porte do animal, a disponibilidade e paciência para os levarem à rua ... Há pessoas que têm muitos animais e tratam bem, outras que têm um cão e o desgraçado não sai da varanda - porque um cão suja e estraga as coisas e não há paciência para sairem com eles! E aposto que um cão infeliz "incomoda" muito mais os vizinhos (com o choro) que cinco cães feliz e sossegados enfiados em casa. Como dizes, a lei não pode ser chapa 5.

    Bjokas.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Cinderela, e quando os donos são inconscientes? Dizemos o que? Que o Governo não faz nada ou que não lei que nos proteja? Pois... ;)

      Eliminar
  15. E lá vem uma medida de tamanha estupidez, com o propósito de criar um tacho para um amigo do vizinho, numa posição de diretor de uma associação qualquer, cujos membros andam de casa em casa a contar quantos animais vivem naquele espaço... E o que acontece aos bichinhos que estão 'a mais'? Vão para o canil, para, no fim de tudo, serem abatidos?

    Sem querer ser extremista, mas com toda esta má-rés desmedida, eu sei bem quem começava a abater.

    ResponderEliminar
  16. Acho muito bem que se limite o número de animais nos apartamentos. Obviamente se forem mal tratados, pior, mas mesmo bem tratados, muitos tornam-se um incómodo para os outros moradores quando na maioria dos casos até já é proibido ter animais em apartamentos pelos próprios estatutos dos condomínios dos prédios.
    Os nossos prédios infelizmente não são bem construídos e ouve-se TUDO de cima para baixo, de baixo para cima e dos lados e a maioria das pessoas está-se a lixar para o próximo. Toda a vida vivi em apartamentos, toda a minha família mora em apartamentos e tudo o que se fala de que acontece nos prédios (barulhos, cheiros, etc) eu ou alguém perto de mim já viveu.
    É desesperante ouvir cães a ladrar o dia e a noite inteira ou sentir o mau cheiro (para não falar dos dejectos) que deixam pelos prédios.
    Eu li a notícia da esquerda.net e um dos exemplos que dão é que se tiverem um casal de cães num apartamento não os podem reproduzir. Mas isto é um exemplo CONTRA esta lei? Para mim é mais a favor, sinceramente. Alguém no seu perfeito juízo vai ter ninhadas de cães num apartamento? Durante um ano estive fora de Portugal e morei numa casa ENORME e onde havia um cachorro que nos primeiros dias ganiu a noite TODA e que se ouvia de um andar para o outro da casa e com todas as portas fechadas pelo caminho. Imaginam uma ninhada num prédio?
    Por último, se a casa tiver quintal ou terraço a lei não se aplica, pelo que percebi. O que pode ajudar em termos de espaço mas não ajuda quanto ao incómodo do barulho para as outras pessoas.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Branca de neve, quem é que falou de ninhadas em apartamentos? Quem é que falou em cães a ganir toda a noite? Isso é sinal de falta de bom senso dos donos. Um animal não passa a noite a ganir - o meu tem apenas 4 meses e meio e nunca gane, muito menos ladra durante a noite.

      Eliminar
    2. S* se leu o meu comentário viu que foi a notícia da esquerda.net que parafraseei, mas fui à procura e na notícia do Público "o presidente da Associação Portuguesa de Médicos Veterinários Especialistas em Animais de Companhia, Jorge Cid" diz: "Imagine que possuo um casal de cães e que gostava de ter um filho deles. Tenho de matar o pai ou a mãe para poder ter um cachorro?".
      O que a notícia da esquerda.net diz é´: "Na prática, a lei proíbe que quem tenha um casal de cães os reproduza, já que mesmo que a cadela tivesse apenas um filhote, já excederia o número permitido. Ninhadas de quatro ou cinco cachorrinhos, então, seriam uma violação total da lei." (desta vez sem parafrasear)
      E eu falei de cães a ganir toda a noite porque já passei por isso. E de cães a ladrar noite e dia. Sorte a sua que o seu cão não o faz e que não vive num prédio onde outro animal o faça.
      Entenda é que: nem todos os animais são iguais; nem todos os donos são iguais e que quem vive em apartamentos tem que conviver com isto quando nunca 'se inscreveu' para tal. E volto a dizer, ter animais é proibido em muitos (se não na maioria) dos prédios pelas suas leis internas.
      Consegue imaginar um prédio normal, com 3 casas por andar, um cão a ladrar na casa do meio vai incomodar os 2 vizinhos do lado, os 3 de cima e os 3 de baixo.
      As leis são gerais e servem uma maioria. E esta, seja mais urgente ou não, serve uma maioria que não tem animais em apartamentos, não quer ter e não quer ser incomodado por outros que querem.
      Sempre me regi por um dizer muito simples: a minha liberdade termina quando começa a do outro. E desculpe que lhe diga que a liberdade dos donos de animais em prédios vai bem para além daquela dos que não os têm.
      Ficam os links das duas notícias:
      http://www.publico.pt/portugal/jornal/assuncao-cristas-nao-quer-portugueses-com-mais-de-dois-caes-por-apartamento-27319425
      http://www.esquerda.net/artigo/governo-quer-proibir-mais-de-dois-c%C3%A3es-por-apartamento/30025

      Eliminar
    3. Branca de neve, não querendo comparar pessoas e cães, eu também já tive de levar durante anos com o chiqueiro dos meus vizinhos, que tinham imeeeensa filharada. Era barulho todo o dia, toda a noite, e isso ninguém controlava. A existência de cães não é sinónimo de barulho causado pelos bichos... Por isso não posso concordar com uma lei tão... básica... que nem avalia caso a caso.

      Eliminar
    4. Como disse lá em baixo, se existisse bom senso não eram precisas leis e nenhuma lei é avaliada caso a caso a não ser nos tribunais, em último caso.
      E eu também oiço os meus vizinhos constantemente. Como eu disse, as pessoas não têm o minímo de consideração pelos outros e nuns casos são os animas, noutros serão pessoas.
      Obviamente a existência de um cão ou gato (ou mais ou outros animais) não é sinónimo de barulho. Não é mas pode ser. Não é sinónimo de mau cheiro mas pode ser. Não é sinónimo de porcaria no prédio mas pode ser.
      E sim, como se disse também aí em baixo, não é sinómino de problemas para a saúde pública mas pode ser.
      Pegando (mal mas serve o exemplo) no que alguém disse (qualquer coisa como) "não têm que controlar o que se passa em minha casa", as coisas não são bem assim. Por isso é que a violência doméstica (também tão falada ultimamente) é um crime público.

      Eliminar
    5. Branca, não sou fã de leis feitas com régua e esquadro. Resumindo, é isso.

      Eliminar
    6. É certo que eu não sou jurista nem legisladora, mas há leis feitas de outra maneira?
      Então também não concorda que a lei limite os gramas de álcool no sangue em 0.5 porque cada caso é um caso e uma pessoa com 0.51 ainda pode estar perfeitamente bem para pegar num carro?

      Eliminar
  17. É no minimo ridículo. A proposta e devia ao estado em que está este país. É mesmo o mais importante para se decidir. E mal, vá. Como tudo o que têm feito. Enfim...

    ResponderEliminar
  18. Eu tenho 4 animais num apartamento. A areia dos gatos é limpa todas as manhãs antes de eu tomar o pequeno-almoço e por volta das 19h de novo quando chego a casa. A minha cadela passeia de manhã bem cedo, ao final da tarde e à noite. A minha cadela é feliz e mais amada que muita gente. Os meus gatos não miam (só para pedir biscoitinhos Catisfactions) e vivem felizes. Moro num T2 + 1 gigante com duas varandas + marquise e pago um balúrdio para os meus animais viverem felizes e com espaço. Os meus animais ficam soltos na casa toda quando não estamos em casa, excepto o meu quarto. O quarto dos hóspedes é geralmente o que eles fazem de quarto deles, onde têm duas camas para pessoas e um arranhador gigante e 37 brinquedos espalhados pelo chão.

    A minha casa está limpa e não cheira a mijo nem caca. Quanto muito tem pêlo, mas com o pêlo posso eu bem... Há gente com animais mais porca e que cheira pior do que eles. :)

    O importante é ter-se bom senso e consciência. Nunca meteria 3 ou 4 cães no meu apartamento, não o faria porque não tenho condições nem espaço para isso. Não porque seja proibido, não por causa dos vizinhos mas porque EU sei que eles não teriam espaço. Agora mandar no que está dentro da minha casa? Não me parece que tenha grande cabimento quando os meus animais não interferem com os vizinhos, as suas casas ou fazem barulho.

    Lamento mas acho que isto tem tanto cabimento como limitar nº de habitantes por apartamento. E nós já vivemos com um casal + 6 ou 7 filhos por cima (num T3). Aquilo era uma fartazana todos os dias de barulhos e gritos... e coisas a partir e a caírem papéis para a nossa varanda... coisas assim.

    Animais não são pessoas mas se estamos a falar de incómodos, 10 pessoas num apartamento a viver todos os dias por cima do nosso também incomodam. Se me falarem em higiene e segurança, é situação diferente. Mas a higiene e segurança cabe-nos a nós manter, aos donos dos animais.

    ResponderEliminar
  19. Deviam era preocupar-se com o número de animais que nos sugam o dinheiro na Assembleia da República!
    Ass.: Hugo

    ResponderEliminar
  20. São as prioridades do governo... e decerto já estão a contratar fiscais para inspeccionar as casas das pessoas,...:-)
    Eu acho que depende do apartamento, cada caso é um caso.
    xx

    ResponderEliminar
  21. Qualquer estão a dizer-nos quantas vezes posso ir à casa de banho, ou quantas vezes posso comer e com tantas coisas neste Portugal para serem mudadas.
    Não faz sentido nenhum isto, as pessoas têm os animais que entendem independentemente de terem um apartamento ou uma vivenda, o que importa é terem carinho e condições para tal, há pessoas que infelizmente vivem em condições péssimas e não é por isso que não andam limpas e em condições, não importa onde está importa sim com quem estás e como estás.
    Eu por exemplo tenho um quintal e um jardim que dava para ter dezenas de animais mas simplesmente tenho um gato e um cão, não tenho mais porque não temos tempo e para mim isso é um factor importante, mas posso afirmar que o meu gato é mais mimado que uma criança que todos os dias tem "festinhas", está proibido de sair depois das 18 horas para não dormir na rua e todos os dias è escovado, portanto não importa o espaço importa sim o carinho e dedicação que se tem com os animais.
    Para terminar tenho uma amiga de familia que vive numa casa mas não tem jardim nem quintal e a senhora tem uns três gatos e um cão, pois os animais são tão bem tratados que ela os considera como filhos, e quando vai de férias vão com ela ou então ficam num "hotel" para animais.

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  22. Bom, a verdade é que já existe número máximo, a legislação já existe ... querem é apertá-la.
    Na minha opinião, depende dos cães e depende das casas (eu tenho dois cães pequenos, mas de certeza que nesta casa não caberia sequer um são bernardo de forma a viver com qualidade). Creio que isto é um incentivo velado ao abandono e é uma estupidez atroz. Acho que os filhos dela devem ter querido um cãozinho e ela arranjou forma de lhos negar...

    ResponderEliminar
  23. Eu não diria melhor. Aplaudo de pé...

    ResponderEliminar
  24. Ora nem mais! Estes gajos só fazem m@rda....

    ResponderEliminar
  25. Eu não percebo é o que é que o Governo tem a ver com isso????

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não sabe? Sabe o que é saúde pública?

      Eliminar
    2. Chicca, achas mesmo que é só isso? Praticamente nunca se houve falar de problemas de saúde pública causados por animais. Já gente porca que faz da casa pardieiros, infelizmente todos conhecemos...

      Eliminar
    3. Eu acho que se estão a meter na vida pessoal das pessoas, o que têm a ver com o que tenho em casa? E 10 pessoas a viver num apartamento T2 acham bem? Vão pôr na rua excedente? Os gatos são animais extremamente limpos, em nada interferem com a saúde pública. Até lhe digo mais, ainda bem para a saúde pública que há gatos na rua, senão ia adorar a invasão de ratos e ratazanas.

      Eliminar
  26. Ainda agora li sobre essa nova "lei" e fiquei parva... que coisa mais tonta, Meu Deus! Que importa se tenho 20 caes e 10 gatos? São menos esses a passar fome, não? Pensem mas é em tratar das condições para que as pessoas tenham casa e não passem elas fome!

    ResponderEliminar
  27. Me parece que quanto aos animais teriam medidas mais importantes a serem feitas do que esta. E em se falar de economia então, prefiro nem comentar.

    ResponderEliminar
  28. Esta lei já existia, mas o limite de cães por apartamento era de três. Não é nada novo. Quem já tem mais de três animais pode obviamente ficar com eles na mesma, desde que os tais estejam devidamente registados. Essa parte é importante e seria bom que fizesses uma chamada de atenção a isso S*, porque agora é mesmo importante que quem tem animais (principalmente quem tem mais de dois cães ou quatro gatos) os registe devidamente. Além disso esta lei é só aplicável a apartamentos, pelo que eu li.

    Sobre a lei em si, concordo com alguns argumentos e discordo de outros. Não me parece que alguém que queira ter dez cães em casa vá deixar de o fazer por causa da lei, até porque duvido que haja um grande esforço para que a mesma seja cumprida - ou alguém acha que vai haver uma espécie de brigada do governo a entrar em casa das pessoas para contar os cães? :)

    Por outro lado penso que é bom se estivermos a falar de cidades cheias de pessoas, com apartamentos minúsculos onde as pessoas insistem em encafuar 3 e 4 cães de grande porte. Alguém contra-argumentou que quem tem um quintal também pode ter um cão acorrentado, mas isso é como argumentar que se prendermos os ladrões todos ainda vão existir os assassinos - não podendo actuar ao mesmo tempo a todos os níveis, vai-se legislando o que é possível para melhorar a situação.

    É verdade que isto pode parecer um tema de menor importância, mas recordo-me nitidamente de ter havido esse argumento quando se aprovou o casamento homossexual e o facto é que isso mudou a vida de muita gente. É uma questão de perspectiva :)

    De resto não me parece que o governo pretenda nada de maquiavélico com isto. A própria associação dos veterinários é a favor da aprovação da lei :)

    Beijinhos!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É isso mesmo Joana.
      Não há dinheiro para os hospitais e agora iam fazer "censos" aos animais...

      Eliminar
    2. Joana, quem falou do cão acorrentado fui eu, depois de ler pessoas a dizerem praticamente que ter um cão num apartamento é errado. Um quintal, infelizmente, não garante boas condições. E um apartamento não garante uma má vida para o bicho. Se os donos o passearem, se se preocuparem, tudo se consegue.

      Eliminar
    3. S* concordo contigo, mas infelizmente não podemos deixar este tipo de decisões à mercê da sensatez das pessoas - para protecção dos próprios animais. É claro que podemos argumentar que cada um tem os animais que quer e que cada um sabe de si, mas as leis existem precisamente para evitar que as pessoas desonestas que não conseguem 'saber de si' façam o que lhes apetece. Senão seria o mesmo do que dizer que não faz sentido haver leis contra o homicídio, porque somos todos pessoas sensatas que não vão matar ninguém. Para protecção dos animais é mesmo preciso legislar estas coisas.

      Eu acho que o que as pessoas não percebem é que esta lei está proteger os animais de serem vistos como uns meros objectos, que podem ser adquiridos aos magotes e depois vê-se. Um animal não é uma caneca que se colecciona, e acho que está na altura de começarmos a legislar isso. Sinceramente a mim parece-me um avanço, e não um retrocesso.

      Sinceramente só não concordo com um detalhe: eu acho que na lei deveria ser diferente o tamanho dos apartamentos. Ter dois cães num T0 é egoísta, ter três cães pequenos num T5 duplex com 500 metros quadrados não me parece mau.

      Eliminar
    4. Joana, entendo que seja preciso impor limites mas acho que DOIS cães é pouco. Não se pode decidir assim. Ter dois cães São Bernardo ou ter dois mini-cães é completamente diferente. Não se pode decidir sem ter em conta a realidade de cada caso.

      Eliminar
    5. Concordo, mas acho que também será difícil legislar a esse ponto - acho que iria parecer um preciosismo. Mas isso seria o ideal - ou seja, contar com a área do apartamento e com o tamanho dos animais. Também não entendo o porquê da mudança da lei de três cães para dois, mas certamente que deverá ter alguma razão. Eu acho é que as pessoas deviam pensar duas vezes e informarem-se antes de virem logo com sete pedras na mão (não estou a falar de ti, mas de outros comentários que li neste e noutros blogs). Eu não gosto do governo, não gosto da Assunção Cristas como ministra e acho que o ministério da agricultura e pescas está a fazer um trabalho um bocado vergonhoso, mas isso não quer dizer que TUDO o que eles fazem esteja mal feito. Hoje li inclusivamente críticas ao facto de ela ter três filhos, como se isso fosse chamado para o caso. Enfim esta última parte foi só um desabafo, desculpa ;)

      Eliminar
    6. Joana, podíamos decidir, por exemplo, tal como referiste, o número de animais por metro quadrado. Parece-me mais justo. E, mesmo assim, não é totalmente justo. Tudo depende dos donos e da forma como estes tratam os seus animais. Não me parece necessário diminuir o limite de 3 para 2 cães. Por obra de quem? Faz assim uma diferença tão grande? Qual a urgência, de momento?

      Quanto às ofensas à Cristas, é coisa de gente que não sabe separar as águas. Eu até simpatizo com a senhora mas critico o trabalho que tem feito - ou ausência de trabalho.

      Eliminar
  29. Cada vez mais parva com o que eles "inventam"... infelizmente, o nosso país anda de mal a pior :(

    ResponderEliminar
  30. Devo esclarecer que pelo que percebi a legislação será para apartamentos; habitações em propriedade horizontal e não para habitações individuais. Sou uma "amante" de animais, em especiais cães... tenho 2 cadelas que são como familia. No entanto, e não deixando de concordar com o post, que o Estado deveria tratar de legislar também no sentido de deixar de tratar os animais como coisas, mas como seres vivos, esta também é uma legislação de deverá ser feita...limitação de animais em apartamentos.
    Vivo num apartamento e muitas pessoas têm animais de estimação, o que acho muito bem. Contudo, se há pessoas conscientes que têm 1 ou 2, que tratam bem, com banhos regulares e vacinas, há outras que têm 4 ou 5, em más condições de higiene, que quando saem à rua, "contaminam" os elevadores, os corredores... isto também não é vida para os animais. Não consigo perceber como têm 5 gatos; ou 1 boxer e 2 outros cães num T2...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Maria, lá está, é tudo uma questão de bom senso e de saber quantos animais podemos cuidar devidamente.

      Eliminar
  31. Concordo!
    O Governo devia começar a preocupar-se mais com a economia, o desemprego, com tanta coisa!
    Bjs

    ResponderEliminar
  32. bem, eu estou muito longe de todoas estas noticias e se não tivesses comentado provavelmente nem saberia. Acho um absurdo, quererem limitar o numero de animais que as pessoas podem cuidar. Se os animais tiverem todas as condições necessárias para viverem não vejo nenhum problema. Se as pessoas tem disponibilidade para dar amor e abrigo, é melhor que abandonar e mal tratar.
    Vão só criar desculpas para quem abandona e mal trata, porque vão dizer que abandonam porque não podem ter tantos. Acho mal. acho que se deviam preocupar com coisas bem mais importantes, se lhes faz confusao, que fiscalizem, que obriguem os donos a ter determinados cuidados, como leva-los a rua.
    Fiquei chateada, sou apaixonada por animais, e nem nas piores condiçoes economicas deixei de dar abrigo e comida aos que precisavam

    ResponderEliminar
  33. Eu concordo com a medida. Mas concordaria mais se os recibos do veterinário contassem para efeitos de IRS...

    ResponderEliminar
  34. Eeu moro num apartamento. Passeio a minha cadela 3x ao dia, no mínimo, em locais de não habitação e apanho os dejectos que ela deixa, depositando-os em contentor de lixo. Em casa, tenho dois gatos, que fazem as suas necessidades em caixa com areia própria, que também limpo diariamente. Já tive mais uma cadela, e procedia da mesma forma. Podem visitar a minha casa sem qualquer problema algum, que nem maus cheiros tem, porque eu vivo lá e gosto de me sentir confortável no local onde moro. Conheço pessoas que habitam em moradias e têm somente 1 cão e os dejectos ficam ao ar livre, à espera que chova. Acham mesmo que esta situação se deve ao local onde as pessoas residem, ou à educação e bom senso de cada um, ao escolher adoptar um ou mais animais?
    Deviam de se preocupar era em diminuir o número de deputados na Assembleia da República, que aí sim, estariam a tratar do verdadeiro problema deste país, que é a dívida pública!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anita, desde que as pessoas tenham bom senso, não há necessidade desta lei.

      Eliminar
    2. S* desculpe estar a responder a um comentário que nem é meu mas se existisse bom senso não eram precisas NENHUMAS leis...

      Eliminar
    3. Infelizmente é um facto, Branca.

      Eliminar
    4. S*, sem querer ser uma grande chata e banida deste blog (:P) se as pessoas tivessem bom senso simplesmente não havia necessidade do Direito, da Justiça e de qualquer lei (e eu teria de encontrar outra vocação!!)....

      Eliminar
    5. Mel, ahahah. Mas, resumidamente, eu não vejo mal nenhum em ter dois cães ou três num apartamento. Se os animais forem cuidados, se passearem, não vejo mal. Então quatro gatos, nem se fala... os gatos são super limpinhos e não precisam de muito espaço.

      Eliminar
  35. Obrigada a todos, tenho de admitir que adoro estas discussões saudáveis. :)

    ResponderEliminar
  36. Neste momento existem coisas muito, mas muito mais importantes para legislar, do que o "código civil dos animais e dos donos". Sinceramente, isto foi a anedota do dia. A seguir vão fazer o quê? Criar uma "ASAE dos animais", para fiscalizar a autuar quem tem mais do que o permitido?
    Sinceramente, isto é uma perca de tempo e de dinheiro.

    ResponderEliminar
  37. Mas que grande confusão para aqui vai!

    Bem eu tenho de concordar com a lei, e só concordo por se tratar de apartamentos. Pois, vivendo num sei como, quando as pessoas não têm cuidado, o cheiro passa para o prédio todo, os bicho ladram e miam que se fartam e é a confusão.

    Para mim se querem ter mais bichos que a lei permita, arranjem uma casa com condições para isso. Se não têm dinheiro limitem-se a ter o número de animais permitido para o bem do prédio todo.

    ResponderEliminar
  38. Com esta passei-me! Gota de água! Vou começar a falar mal destes senhores! Se se lembrarem de limitar as idas o WC? Ou outra coisa ridicula do género?

    ResponderEliminar
  39. Por mim, mais importante que o nº de animais, é a educação e bom senso dos seus donos. Já tive vizinhos que tinham um cão pequenito e ele gania tanto qd estava sozinho que incomodava imenso. Era desde que os donos saiam, por volta das 7 da manhã. Nessas situações deveria poder-se chamar as autoridades. Se alguém tiver mais cães em casa e não incomodarem , quero lá saber. (desde que bem tratados, claro). E tb se deveia punir severamente quem anda pelas ruas a deixar o cão fazer as suas necessidades, sem apanharem o "presente". São essas coisas que incomodam os outros e que se tem que se regularizar.

    ResponderEliminar
  40. Em vez de se preocuparem tanto com quem lhes dá um lar, que se preocupem em como podem contornar o abandono, como podem ajudar os canis para que não tenham que matar. E que paguem às farmácias para que a minha avó não tenha que deixar de ter os seus medicamentos. Acho que hoje fiquei descrente :(

    ResponderEliminar
  41. e se se lembram de limitar o nr. de filhos? (JÀ LIMITA de forma airosa!) - é abatê-los, está visto! Ou paga-se multa.... porque afinal o que se quer mesmo é aumentar receitas para o estado... Estes gjos têm a faca e o queijo na mão....é só lembrarem-se e ...pimba! E a malta estrabucha mas come, que remédio tem senão comer! Pode não calar...mas come na mesma! E esta medida ou lei ou lá o que é, é só um exemplo....

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mas devia-se mesmo limitar o nº de filhos. E se querem saber até acho mais natural do que limitar-se o ~º de animais. Sim, parece chocante, mas se certas pessoas tiverem filhos muito para além das possibilidades, o que pode acontecer em termos sociais? deliquencia, adultos problemáticos? não estou a ver acontecer isso em animais.

      Eliminar
  42. Maqs n tem mais nada com q se preocupar, tendo em conta o estado em que está o nosso pais???? Tudo depende do bom senso das pessoas, eu por exemplo tenho uma vizinha do lado, que mora numa moradia, tem um cãozinho apenas mas deixa-o ladrar debaixo da janela do meu quarto por vezes a noite toda...
    Bjs

    ResponderEliminar
  43. Pág de FB: "Contra a pretensão de limitar o nr de animais domésticos em apartamentos"
    Façam gosto pelos animais. Obrigado.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Há páginas para tudo! Hei-de criar uma página contra os croissants secos aqui da pastelaria da esquina. DE-TES-TO!

      Eliminar
  44. "O governo não aprovou nem vai aprovar" esta lei - palavras da jornalista da TVI. A Ministra disse ainda que não é um tema prioritário (ou algo semelhante).

    ;)

    ResponderEliminar
  45. Na minha humilde opinião, sou a favor da medida, mas não na forma como está a ser feita. Era a favor, como já foi dito, se fosse estabelecido um número máximo de animais por metro quadrado e não por 'apartamento'. É algo muito vago. Há apartamentos e apartamentos. Por outro lado, ter 3 caniches é diferente de ter 3 cães da raça pastor alemão, por exemplo. Outro aspecto que não é especificado (penso eu) na famosa lei. Algo que eu também penso ser importante é: caso seja detectada alguma infracção, verificar primeiro se os animais estão bem tratados e felizes. Porque se estiverem não há razões para os pôr num canil por uma mera questão matemática.
    Um pequeno aparte é que, na minha opinião, antes de se preocuparem com estas questões, deviam primeiro preocupar-se com o bem estar deles, quer num apartamento quer numa vivenda, pois existe por aí muito dono que deixa o cão uma vida inteira preso a uma corrente sem nunca ter ido dar com ele uma volta à rua.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Miscelânea, a tua ideia seria bem mais sensata. Não podemos criar leis meramente quantitativas, baseadas apenas em números.

      Eliminar
  46. Tenho aqui várias famílias vizinhas em que há 8 crianças e seus 2 pais numa casa de 90m2. Atenção, os 8 filhos ainda não vão ficar por aqui, chegarão aos 15 facilmente. Não devia ser isso proibido também? :)

    ResponderEliminar
  47. Eu e os filhos adoravamos ter um cão. O marido nem pensar. Mas por outro lado faz-me confusão deixar os bichos fechados no apartamento. Estive num que era pequeno e havia mais de dez e dois deles eram enormes. Não me pareceu bem apesar de estarem bem tratados.

    ResponderEliminar
  48. Não é por mal mas se limitassem a cambada de animais que está no governo é que eu achava bem!

    Mas não se pense que isto saiu ups por sair... Não me parece que esta lei pela aplicada tão cedo. Isto pareceu me t golpezinho para as pessoas desviarem um bocado as atenções daquilo que neste momento é mais importante então toca a pôr os animais ao barulho.

    E eu se tivesse espaço e tempo para ter mais de 2 cães, tinha!!!

    ResponderEliminar