quinta-feira, 18 de julho de 2013

Envelhecer

Eu sei que não devemos perder tempo a pensar nas coisas menos boas... Mas é meio inevitável.

Ontem a minha avó fez anos. 81 anos. Está fresca que nem uma alface, depois de uns meses nada fáceis. Eu bem sei que o envelhecimento é natural, mas custa-me saber que um dia ficarei sem os meus familiares mais próximos. A vida é bonita é com a família perto de nós.

E depois temos a Sara. A Sarocas é uma pastor-alemão de quase 11 anos (faz anos no próximo mês). Tem vindo a definhar aos poucos. Ainda corre bastante, come bem, continua a ser uma cadela de guarda. Mas já tem o focinho todo branco e agora deu-lhe para andar a fazer peladas em si própria, arrancando pêlo até sangrar. De cada vez que a vejo tento enchê-la de mimos, porque infelizmente sei que os pastores alemães dificilmente passam dos 11/12 anos. O meu coração anda assim, apertadinho, já a adivinhar a partida inevitável da nossa cadela tola.

38 comentários:

  1. Que linda :D Quando eu nasci os meus pais tinham um, teve de ser abatido um ano depois por causa de um tumor no rabo, mas apesar de não me lembrar dele, pelo que vejo nas fotos era um otimo companheiro :D

    ResponderEliminar
  2. É linda a Sara. E parabéns à tua avó!

    ResponderEliminar
  3. A vida é mesmo assim, como eu te compreendo
    Beijinhos :)

    ResponderEliminar
  4. A minha Nina tem 13 anos e depois de 3 operações já se nota a velhice a chegar.
    Continua a ter momentos de alegria e loucura, mas dorme mais profundamente, passa mais tempo deitada e por vezes só acorda depois de duas ou três festas.
    Cansa-se a ela e a mim, que tenho de a levar à rua ao colo, por causa da operação ao joelho.
    Fico triste só de pensar que um dia vou ficar sem ela. Ou ela sem mim... :(

    ResponderEliminar
  5. Envelhecer é triste mas, cabe-nos a nós aproveitar cada segundo da melhor maneira :) Quanto à Sarocas, tem atenção se essas peladas não são fruto de stress ou até de fungos na pele! Não percebo nada de cães mas, quando os gatos fazem isso pode ser devido a estes dois factores :x

    ResponderEliminar
  6. Para mim, este é um tema muito sensível... é que se começo a pensar nisto entro numa espiral meio depressiva e vou-me mesmo abaixo :(
    O importante é tentarmos aproveitar ao máximo todo o tempo que temos junto aos que mais amamos. Amar a vida enquanto a temos!

    ResponderEliminar
  7. Às vezes também me dou a pensar nessas coisas, mas acho que o melhor é mesmo não pensarmos nisso e aproveitarmos ao máximo o tempo com quem mis gostamos ;)
    O meu pastor alemão já vai nos 16 anos!

    ResponderEliminar
  8. Por mais que saibamos certas coisas ...nunca estamos preparados para elas...não mesmo!!!
    Bjs
    Maria

    ResponderEliminar
  9. Confesso que quando vi o título deste post fiquei meia intrigada...pois imaginei que falasses de rugas e essas coisas, e não imaginava que escrevesses sobre isso. Parece que não me enganei, o envelhecer de que falas é outro, é natural, é a vida...
    Compreendo-te perfeitamente!

    ResponderEliminar
  10. Sei bem o que é isto, nos meus 51 anos já vi partirem avós, pais, tios, primos e amigos amados e cães e gatos queridíssimos... mas a vida é assim... só uma passagem....então vamos ser pouco exigentes e aproveitar esta passagem com muita satisfação e alegria.
    Coloca fotos de sua avó, ela deve ser linda, beijos para ela.
    Maria do Brasil

    Maria do Brasil

    ResponderEliminar
  11. é sempre tão complicado perder os nossos, temos de aproveitar enquanto estão por cá..

    Dá um miminho apertado à Saroca..

    kisses***

    ResponderEliminar
  12. Quando os meus canitos chegarem a essa fase vou ter de aguentar bastante os apertos no coração :(

    ResponderEliminar
  13. Quantas vezes vai ser preciso explicar-te que não se usa o nomes das raças no feminino?

    ResponderEliminar
  14. Oh que fofinha! Vais ver que ela ainda dura mais uns anos!

    ResponderEliminar
  15. Devemos sempre viver no agora, e aproveitar, porque o tempo esse não perdoa...e assusta ,às vezes!! *

    ResponderEliminar
  16. Custa sempre e eu nem gosto de pensar, mas a verdade é que perdi a minha avó paterna já ela tinha 89 anos e passados estes anos ainda penso todos dias nela e a falta que sinto, mas o tempo já apagou algumas memorias.

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  17. É tão bonita!
    Envelhecer é natural. Os anos passam, mas o espírito deve continuar sempre jovem!

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  18. A minha avó morreu fez um ano, na semana passada. A última vez, que a vi foi nas férias de Verão do ano anterior (há quase dois anos)e, lembro-me de me ter despedido dela em lágrimas, como que a pressentir o seu último abraço. Infelizmente, foi! É por isso que entendi, exactamente, o teu receio. Mas, a tua avó e a cadelinha Sara vão durar muitos aninhos e ainda nos vais contar um montão de histórias a respeito de ambas. E serão essas histórias e essas vivências, que vais guardar no teu coração e delas te recordarás, no futuro, com um sorriso nos lábios.

    ResponderEliminar
  19. É linda :) E custa sempre a partida de quem amamos! E quem ama mesmo os seus animais sofre como se de uma pessoa se tratasse.
    beijinho*

    ResponderEliminar
  20. Oi...estava passando por alguns blogs, e resolvi parar pra ler o seu. Fique comovida, até porque temos coisas parecidas. Também não gosto de pensar nas coisas menos boas, e desejo que meus avós vivessem pra sempre...e tbm tenho cachorro da raça pastor alemão...alias, tenho dois, a Hanna e o Marley, e tem a Tuca também, que é pastor belga! Eu sou completamente apaixonada por eles, mas vivo longe =/ Hoje eu moro no Mato Grosso do Sul, e meus cachorros vivem na casa dos meus pais em Barretos/SP...Imagina a falta que essas pestinhas me fazem!?! Pois é....por isso sempre que vou pra lá aproveito muitooo eles. Então faça isso, aproveite o tempo que você tem!! Beijos e adorei seu blog!

    ResponderEliminar
  21. De facto custa muito perder alguém de quem gostamos muito, seja familiar ou não. Nascemos sabendo que este pedaço de tempo precioso é curto e mesmo assim quase acreditamos que somos super herois e que vamos viver para sempre. Quando perdemos um companheiro assim de longa data a dor fica e levamos tempo a recuperar mas o tempo (e os nossos neurónios) é o nosso melhor amigo tudo acalma e suaviza, e permite que encontremos outros para ocupar esse lugar, mesmo havendo espaços que nunca mais poderão ser preenchidos. Curte a tua amiga de 4 patas e a tua avó o máximo tempo que possas pois nunca se sabe o dia de amanhã, o delas ou o seu. Bjs Isa

    ResponderEliminar
  22. Uma amiga minha vinha passando pela mesma situação com a cadela dela. Deve ser mesmo uma preocupação dolorida. Eu perdi a minha cadelinha ainda pequena em uma fatalidade e fiquei sentida. Mas ando aqui torcendo para que a tua continue por um bom tempo viva!!!

    Beijos S*

    ResponderEliminar
  23. Tens de ir preparando o coração...
    Atenção às peladas que ela faz nela própria; são sinal de stress. Leva-a ao vet.

    ResponderEliminar
  24. É linda a Sara, além disso tem o nome da minha filha... querida S*, eu compreendo tão bem esse coração apertado, mas é a lei da vida.... Imagina eu que aos 21 anos perdi a minha avó num mês de Dezembro, e a minha mãe no Verão seguinte com apenas 43 anos de idade, e pelo meio ainda um amigo próximo...A morte dói sempre mesmo que nas alturas "naturais", mas perder a vida antes do tempo certo, dói muito mais. O tempo ajuda muito, mas a mágoa está sempre cá.
    Começa a pensar que é a lei natural da vida e ama sempre muito aqueles que te rodeiam. Aproveita todos os segundos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Laura, infelizmente eu tenho muito medo de tudo isso... foste tão forte!!

      Eliminar
    2. Nós acabamos por ser sempre mais fortes do o que pensamos ser...:-)

      Eliminar
  25. Eu para alem dos teus medos,tenho medo de me ver a envelhecer,quer dizer,como irei reagir quando tiver 80 anos e tiver passado uma vida toda?

    ResponderEliminar
  26. Eu lido muito mal com o envelhecimento, então se acompanhado de doença... pior. Já perdi muito na vida e não pense que isso torna a coisa mais fácil, antes pelo contrário, cada vez me custa mais...

    ResponderEliminar
  27. Sabemos que a vida é assim mas custa-nos a entender que um dia chegamos a velhos e tambrem aqueles que nos rodeiam e nada podemos fazer..
    Agori vi como estou velha, lol. o meu pai tem mais idade que a tua avó, a minha mãe 79.

    ResponderEliminar
  28. Como eu compreendo. A minha gatinha mais velha tem 11 anos e pela 1ª vez esteve doente fiquei arrasada, mas felizmente ela já está bem até ver. Por vezes os animais duram mais do que as previsões. Soube do caso de gatos que viveram mais de 20 anos e cães também. As melhoras.
    Beijinhos grandes.

    ResponderEliminar
  29. É um tema bastante complicado. Até ao ano passado (em que a minha madrinha morreu, de repente, não estava nada à espera) nunca tinha pensado nisso, pois nunca tinha morrida alguém que me fosse tão próximo, e ainda não estou a lidar bem com a situação, estou sempre a tentar não encarar o assunto de frente...
    Nas semanas que se seguiram, estava tão nervosa, sempre a tremer, sempre a ligar para a minha família a saber se estavam vivos, se estavam bem (comecei a ter muitos pesadelos em que... desapareciam... para não dizer a outra palavra... Acordava toda a tremer e ligava-lhes fosse que horas fossem...

    Ainda hoje quando o meu pai ou a minha mãe me ligam sem eu estar à espera, ainda fico toda a tremer, "QUE SE PASSA?! O QUE ACONTECEU?!!" e eles ficam, tipo: "O que se passa pergunto eu! Só queria saber como funciona isto do computador..."...

    Os meus cães (que estão na Espanha com os meus pais), que foram a grande companhia da minha vida estão a envelhecer longe de mim...

    Aliás... Toda a minha família está! Só os vejo alguns dias por ano... Estamos separados por fronteiras, ou km... Cada um tem a sua vida e vive na sua "terrinha"... Vivo num medo constante que não me larga... O que eu tento fazer é viver com dignidade e não pensar nestas coisas...

    ResponderEliminar
  30. olá fiquei muito comovida com o teu post. Ponho-me no teu lugar...e doi-me também pensar em estas coisas.
    Queria dizer-te que a questão da cadelinha é stress porque a minha faz isso. Podes usar o floral do Dr. Bach que se chama RESCUE. Acredita que ajuda animais,adultos,crianças.É um remedio que qualquer pessoa deve ter sempre consigo. Quando a minha cadelinha anda assim dou-lhe 4 gotas 4 vezes ao dia até concluir o frasquinho. Vais ver que a tua princesa vai ficar melhor.
    Dixo aqui um link sobre o floral: http://www.bachflower.com/rescue-remedy-information/

    uma abraço Mari

    ResponderEliminar
  31. Espero que o meu Eros dure muitos e muitos anos.
    Neste momento tenho uma avó no hospital em estado critico e tenho-me sentido... nem sei como! Olho-a e tenho medo.

    ResponderEliminar
  32. Aproveitar todos os dias como se fossem o último, com quem mais amamos, é algo que aprendi de forma perfeita no último mês. A minha filhota ensinou-me. De uma maneira dolorosa que nunca esquecerei... Mas deixou-em essa lição.

    ResponderEliminar
  33. pois, às vezes tenho medo de me apegar às pessoas/animais por saber que as vou perder.

    ResponderEliminar