terça-feira, 14 de maio de 2013

Mulher com M grande

"Angelina Jolie surpreendeu hoje o mundo ao revelar que, por opção, decidiu submeter-se a uma dupla mastectomia (remoção dos dois seios) para prevenir o risco de contrair cancro da mama. Num artigo escrito pela própria e publicado no 'New York Times', a atriz, de 37 anos , recorda que a sua mãe morreu de cancro nos ovários."


Felizmente, na minha família não existe essa tendência, digamos assim. Mas é algo que me assusta muito.

Espero, em caso de necessidade, ter a mesma coragem que a Angelina. Espero que o exemplo dela ajude outras mulheres que passam pelo mesmo. Espero que interiorizem que não ter peito não nos rouba a feminilidade (embora, obviamente, ninguém deseje tal coisa). O mais importante é a vida, o resto acabam por ser detalhes, se estivermos rodeados de amor e de carinho. 

Tudo de bom, para ela. Não a admiro propriamente enquanto actriz, mas aprendi a respeitá-la enquanto ser humano, enquanto lutadora, enquanto Mulher.

67 comentários:

  1. Mas atenção que ela não ficou sem peito, pôs silicone, como é obvio.,

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Isso ninguém poderá saber, a não ser ela e quem lhe é próximo. Mas parece-me óbvio que deve ter reconstruído o peito, sim.

      Eliminar
    2. Ela declarou publicamente que fez reconstrução mamária... Logo toda a gente poderá saber.

      Eliminar
    3. Sim, ela colocou implantes!
      Não ficou sem peito. :)
      Anyway, foi um acto de grande coragem...

      Eliminar
    4. S* se leu bem a noticia SABE! Visto que ela assumiu que fez reconstrução mamária!!!!
      Logo...só não sabe, quem não lê, ou quem não sabe ler :)

      Eliminar
  2. Claro que não será a mesma coisa, como é óbvio, mas poderá fazer uma reconstrução mamária e ao menos sabe que cancro de mama já era....nestes casos a atitude radical é sempre o melhor, mas deve ser tão difícil!

    ResponderEliminar
  3. Difícil seria para nós, que não temos a conta bancária dela.
    Foi o melhor a fazer, duvido que esteja a chorar por causa disso. No fundo é só escolher o que queremos, ela escolheu viver.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tirar o peito é difícil para qualquer mulher, rica ou pobre.

      Eliminar
    2. Concordo que não deva ter sido uma decisão fácil mas, de facto, ter dinheiro é uma grande ajuda, nestas situações. Pôde fazer uma reconstrução, bem feita. Há muita gente que não o poderá fazer e, aí sim, acho que poderá a afectar a feminilidade e a auto-estima. Mas mesmo assim acho que foi uma decisão bem corajosa.

      Eliminar
    3. A mastectomia preventiva faz-se há muito tempo, em Portugal, através do SNS. Fica a informação. Pelo menos cá essa decisão mais dificilmente terá a ver com dinheiro... Eu conheço uma pessoa que fez e, francamente, entendo bem as motivações, quando o risco é grande mais vale prevenir que arriscar o ter de remediar; e aplaudo a coragem, porque de facto submeter-se a uma grande cirurgia (ou melhor, várias) e passar por uma adaptação estética a uma realidade totalmente diferente é coisinha para nos mexer com a cabeça, e tremendamente mais corajoso do que empurrar a vida com a barriga e esperar que corra bem. :)

      Eliminar
  4. Sou da mesma opinião :)
    Beijinhos :)

    ResponderEliminar
  5. bem nao sei se tinha coragem de fazer o mesmo como medida de prevencao. mas q e algo que assusta e, por isso tiro-lhe o chapeu

    ResponderEliminar
  6. Eu sinceramente não percebo... ela simplesmente tirou porque tinha muitas possibilidades de ter cancro... mas não o tinha... quer dizer, acho que, NA MINHA OPINIÃO, era preferível apenas tirar caso o cancro aparecesse, e como ela já sabia as probabilidades, podia apenas estar mais atenta (exames com mais regularidade), e quando realmente aparecesse, aí fazia a mastectomia... mas pronto, é a minha opinião. acho demasiado radical... apesar das probabilidades serem grandes, quem nos garante que realmente ela chegaria a ter cancro de mama?

    E sim, ela diz que fez reconstrução mamária, aliás o processo só acabou aí, na reconstrução.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Margarida, 87% de probabilidade é assustador... Mas entendo esse ponto de vista.

      Eliminar
    2. Sim, mas caso o cancro de facto aparecesse teria de se sujeitar a outros tratamentos,para além da mastectomia, bem difíceis e desgastantes. Por isso a opção foi radical, mas compreensível. Eu não sei se teria coragem.

      Eliminar
    3. Margariga, entravas num avião com 87% probabilidade de cair? Eu não...
      e neste caso, quando já se viu alguém sofrer de cancro e falecer (como ela viu a mãe) não me surpreende nada a sua atitude.

      Eliminar
    4. Concordo com o ponto de vista da Margarida e custa-me a crer que a história esteja bem contada. Ao público chegam as meias verdades.

      Eliminar
    5. Margarida, desculpa, mas 87% de possibilidades são possibilidades a mais para se arriscar. Sobretudo porque ter cancro não é propriamente ter uma constipação, nem tirar apenas as mamas. A quimioterapia é horrível (pode dizer que não sei do que estou a a falar, mas a verdade é que até sei: desde Novembro que a pessoa mais especial da minha vida luta contra um cancro), o olhar de pena dos outros é dilacerante,os efeitos secundários são tenebrosos etc, etc. Ela teve a possibilidade, e a oportunidade, de fazer alguma coisa que lhe permitisse não desenvolver cancro. Nem toda a gente tem essa sorte. Mas a verdade é que se me dissessem que tinha a possibilidade (séria e real) de vir a ter cancro e eu pudesse fazer alguma coisa para a evitar, de certeza que faria. Não me fingiria de morta à espera que o cancro me consumisse o ser. Por mais que pareça algo banal, tirar as mamas, substituí-las por próteses e vir contar ao mundo, é um acto de coragem.

      Eliminar
    6. Margarida, o problema é que quando o cancro surgisse, não bastaria tirar a mama para se curar. Seria necessário todo um processo de terapias e haveria sempre a possibilidade de não se curar e falecer. Assim, jogou pelo seguro: não reduziu para 0 a probabilidade de ter o cancro mas, diminui-a consideravelmente. Foi um acto de coragem e um exemplo para outras mulheres com o mesmo problema!

      Eliminar
    7. A meu ver, tudo foi muito facil para ela...não a faz sentir menos mulher e bla bla bla....precisamente porque teve dinheiro suficiente para colocar implantes! É obvio que não deixou de ser a mulher que era.... agora, se não tivesse dinheiro e a possibilidade de "por tudo no sitio", duvido que não ponderasse primeiro outras opções...mas pronto, tem o dinheiro que tem e as facilidades que tem.... e obvio que assim é tudo muito mais fácil, muito mais bonitinho! Uma mulher normal, sem dinheiro, sem fama , sem tudo isso... iria sofrer horrores só com a possibilidade de ter de fazer uma dupla mastectomia... e ter de ficar com o "vazio" no lugar das mamas! ...

      Eliminar
    8. Really?! se tivesse 87% de probabilidade de ter cancro ficava à espera?!

      Eliminar
    9. À espera do que ? do comboio?! 3Picuinhas....87% de probabilidade de ter e 13% de não ter...
      Portanto, nada como fazer exames, como estar atenta... como cuidar-se. Não é? As pessoas quando "estão" atentas, fazem exames e se preocupam....podem perfeitamente resolver as situações ao mais pequeno sinal de alarme, Correcto? Assim como 87% é um valor, um numero...13% também é! E ninguem sabe de que lado está a sorte.
      Para mim 13% é algo, logo, estaria atenta e não tomaria uma decisão assim tão radical.
      Ou acha que não se deve pensar o negativo mas também o positivo?????
      A ser assim, tudo ao "bota abaixo" não tardava nada e andavamos todos a cortar-nos aos pedaços...
      Really ?????!!!!!!!

      Eliminar
  7. Qualquer probabilidade é assustadora. Acho que tomou a decisão correta.
    Mas, sinceramente, já não posso ouvir falar nisto. :/

    ResponderEliminar
  8. Foi muita coragem ter decidido antecipar-se. Não sei se conseguia...! Quanto à reconstrução, a minha vizinha teve cancro de mama e o tratamento dela só acabou com a dita (reconstrução). Não sei em que casos é que a reconstrução é incluída...ou um extra.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A reconstrução é incluida, pelo menos no IPO, tenho uma familiar que foi lá seguida.
      Na altura da mastectomia os cirurgiões(caso a doente queira fazer a reconstrução, pode optar por não a fazer) aplicam logo um expansor para após a recuperação seguir com a cirurgia estética.

      Eliminar
    2. Obrigada pela resposta. Pareceu-me que era incluído no caso dela, mas não perguntei tantos pormenores. Admiro-a muito, passou a trabalhar em part time para poder recuperar das sessões de quimio e sempre com muita força de espírito! :) Hoje está recuperada!

      Eliminar
  9. É preciso muita coragem. Existem cada vez mais mulheres a tomar a opção que ela tomou. É uma prática de possível prevenção defendida por alguns líderes de opinião. A mim faz-me todo o sentido (enquanto farmacêutica com especial interesse na área da oncologia e genética), mas cada um pensará por si.

    ResponderEliminar
  10. Bem, eu não sei se seria capaz de submeter-me a uma mastectomia :( Sou tão mariquinhas!

    ResponderEliminar
  11. É uma grande mulher sim senhor. Eu não sei se conseguia.
    Um beijinho minha querida S* que tantas saudades tive tuas :D

    ResponderEliminar
  12. Esta notícia tocou-me particularmente. Entendo tão bem por que razão o fez.
    A minha mãe morreu quando eu tinha 13 anos, após uma luta de vários anos contra um cancro da mama. Ela também fez a mastectomia, após o diagnóstico, mas isso não a salvou. Já lá vão quase 15 anos, os tratamentos eram outros e a esperança de vida muito menor, mas tenho a certeza que se ela soubesse que iria ter um cancro fatal e ser enterrada pelos filhos pré-adolescentes e lhe fosse dada essa hipótese, teria feito a mastectomia de prevenção, tal como a Angelina fez.
    E eu, como filha que cresceu sem mãe, sei muito bem o que é viver com a sombra do cancro. Hoje tenho 28 anos e há 10 que sou presença habitual em médicos, sempre a fazer análises e exames "para prevenir". Não sei se tenho o tal gene, nunca fiz o teste, nem nunca tal me foi sugerido, mas há muitos anos que a mastectomia preventiva é uma realidade e hipótese para mim. Durante muitos anos disse que não queria filhos, pelo simples motivo de não querer que passassem pelo mesmo que eu. Hoje já começo a ponderar, muito devagarinho, a hipótese de um dia vir a ter filhos, mas o medo persiste. E aí entra a mastectomia preventiva. Radical? Talvez, mas se isso evitar que os meus futuros filhos vejam a mãe morrer aos poucos e cresçam sem ela,fá-lo-ei.
    Tendo em conta a quantidade de pessoas que tenho visto contra esta atitude da Angelina, talvez a hipótese de uma masectomia preventiva faça parte do ponto de vista de quem tem consciência maior (devido às suas vivências) de que não somos imortais e que a vida pode mudar completamente em segundos. Todos sabemos que somos mortais, atenção (não digo o contrário), mas ainda vivemos muito agarrados à ideia do "só acontece aos outros".
    Joana

    ResponderEliminar
  13. Eu acho que não o faria, mas tb percebo que viver aterrorizada com isso não é bom! Se ela o fez, é porque foi o melhor para ela!

    ResponderEliminar
  14. é preciso muita coragem para tomar uma decisão dessas, e principalmente uma grande sede de viver e um amor incondicional pelos filhos, pela família...

    ResponderEliminar
  15. Decisão radical, contudo certamente correcta.

    ResponderEliminar
  16. Foi a decisao correta,sem duvida.
    O que eu nao sabia é que ela ja tinha reconstruido...

    ResponderEliminar
  17. não deixo de admirar a atitude dela, mas acho que, para o bem da verdade, deve ser referido que ela pôs implantes.
    não deixa de ser uma boa atitude em relação à noticia que ela recebeu. Se bem que as probabilidades de ela vir a ter cancro eram entre 5 e 87%.

    ResponderEliminar
  18. Ela tinha 87% de hipóteses de vir a ter cancro da mama e 50% d hipóteses de cancro dos ovários.

    Não é brincadeira nenhuma. Ela tem 6 filhos para criar e deve saber o falta que faz uma mãe.

    Acho hilariante pessoas dizerem que acham a história mal contada, só passados meses é que ficámos a saber disto e só e apenas porque ela quis, com o intuito de ajudar as outras pessoas. Ao contrário de muitos zé ninguém que escarrapacha fotos no Twitter a mostrar que estão a soro e tretas do género.

    1 mês depois estava em África a fazer trabalho de solidariedade como habitualmente.
    Há gente que gosta de implicar com tudo...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Plenamente de acordo.

      hipóteses de cancro de 87% e 50%, gente!

      Muita gente antes disto não sabia que no nosso SNS trata destas situações já há vários anos!!! Se ela não tivesse vindo a público, muita gente continuaria na ignorância. Alertou e muito bem.

      Felizmente não estamos nos USA onde não existe SNS, falamos muito mal do que temos sem muitas vezes saber do que falamos.

      Eliminar
  19. Para quem diz que a história está mal contada ou que diz que ela tem dinheiro:
    Informem-se antes de mandar bitaites.

    Em Portugal isto faz-se há anos no serviço nacional de saúde. Um risco de 87% e elevadissimo e esta contemplado no nosso sistema de saúde.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Creio que quando se fala em ela ter dinheiro, tem mais que ver com o facto de ela dizer que não se sente menos mulher... e isso é facil de entender... não se sente menos mulher, porque teve dinheiro para colocar implantes! Para reconstruir as mamas. Da melhor forma possivel e imaginária. E com certeza teve essa facilidade e esse tratamento tão...perfeito.... precisamente porque TEM dinheiro. Pois quem não tem e não faz nenhum desses procedimentos...de certeza que se sente menos mulher, ou pelo menos, se sente muito mais abalada e revoltada com toda a situação.

      Eliminar
    2. A reconstrução mamária é feita pelo SNS.

      Acho que estamos a ver as coisas em partes muito distintas.

      Eliminar
    3. Sim, é. A questão aqui não é se as maminhas dela ficam ou não + bonitas que as das mulheres que não têm a mesma conta bancária!

      Ela alertou, e isso é que é importante.
      Ela já disse que pretende retirar os ovários + tarde na vida, também vai falar em dinheiro e reconstrução???

      Por favor.

      Eliminar
    4. Há gente que se lhes oferecessem 1 bilião de euros mesmo assim reclamaria que podiam ter dado 2 biliões... Safa!

      Eliminar
  20. É uma mulher admirável sem dúvida! :)

    ResponderEliminar
  21. Actualmente que tem cancro da mama, ao ser feita a remoção é logo perguntado ao paciente se quer fazer a reconstrução, que é paga pelo SNS, não o digo por experiência própria mas pela experiência de pessoas bem próximas. É uma pena que não seja possível retirar e viver sem outros órgãos porque eu seria a primeira a retirar os intestinos (o meu pai não morreu mas é 1 entre centenas) e eu seio que é passar por todos os tratamentos pois vivi-os de bem perto, inclusive tive uma gravidez molar em 2011.

    ResponderEliminar
  22. Eu li que ela se sujeitou a várias cirurgias nos ultimos meses, tendo culminado com a reconstrução total das duas mamas. Só no final de todo o processo é que a noticia foi divulgada.
    É verdade que no nosso SNS já há casos de mastectomias preventivas, mas duvido que a reconstrução seja imediata, e estar nem que seja ppoucos meses sem seios, a ver cicatrizes no seu lugar deve requerer muita mais coragem.
    De qualquer maneira, votos de longa vida saudavel para a Angelina, e muitos beijinhos de coragem para todas as mulheres do mundo que passam por estas tormentas.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Haja alguém que entenda o que eu e mais algumas pessoas , estamos a dizer!
      Mas pronto, há pessoas que preferem ver/entender só o que lhes apetece.
      :)

      Eliminar
    2. A reconstrução mamária na grande maioria dos casos faz-se simultaneamente com a mastectomia.

      Eliminar
  23. Nunca pensei que alguém um dia fosse condenar a Angelina por se prevenir de ter um cancro tirando os dois seios! Juro! Quando li a notícia fiquei super sensibilizada pela sua coragem, independentemente de poder vir a ter cancro ou não as probabilidades eram de 87% logo eu sinceramente não pensava duas vezes em fazer o mesmo que ela. Porque deixar o cancro a aparecer já podendo ser tarde de mais? Dou-lhe mérito pela coragem. :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. 100% de acordo.

      E hoje os jornais mundiais estão a falar no assunto que ela tornou público de forma a ajudar e informar outras mulheres.

      As pessoas querendo criticar, nada as faz parar

      Eliminar
  24. "Respeito como ser humano, enquanto lutadora, enquanto mulher..." sem dúvida :)

    ResponderEliminar
  25. As pessoas por vezes estão tão mal informadas...no nosso pais já se faz á ANOSSSS.

    Bjos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mas agora ficaram melhor informadas, ou não???

      Eliminar
  26. Admiro a coragem dela, na posição dela não sei o que faria... e espero nunca me ver numa situação destas.

    Bjs*

    ResponderEliminar
  27. É uma decisão que aplaudo. Existia uma alta probabilidade de ter cancro na mama e uma probabilidade moderada de ter cancro nos ovários. Ainda por cima viu a mãe morrer muito nova com cancro.

    Há muito que considero que é um exemplo por tudo aquilo que faz. Agora, ainda mais. Enalteço o facto de ter usado uma crónica num dos jornais mais prestigiados do mundo para servir de exemplo para o mundo quando poderia esconder o que fez. Aliás, o processo durou três meses, ficou concluído em finais de Abril e ninguém soube de nada.

    Parabéns Angelina.

    homem sem blogue
    homemsemblogue.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  28. Cada vez admiro mais esta mulher!

    ResponderEliminar
  29. Mulher com M grande sim. Mais uma vez os filhos são sempre nossa prioridade.
    Obrigada pela partilha.
    Bjs

    ResponderEliminar
  30. Honestamente, fico parva com grande parte dos comentários que já li na internet em relação a este assunto. Então a mulher é portadora de um dos genes cuja associação com cancro está mais que bem estabelecida, faz o aconselhamento genético e atribuem-lhe uma probabilidade de quase 90% de vir a ter cancro, e o que a maioria vê é uma mulher rica e famosa que pode pagar implantes?! Por amor de Deus, informem-se um bocado. Se há mulheres que conseguem viver tranquilamente sabendo que podem vir a ter cancro com uma grande probabilidade, contentando-se com rastreio apertado que, mesmo assim, não é eficaz porque os cancros BRCA tendem a ser mais agressivos, com mau prognostico mesmo com detecção precoce, então tudo bem. Agora ficam a saber que a TODAS as mulheres com história de carcinoma da mama e/ou ovário em parentes de primeiro grau (ou segundo, dps varia com o numero de familiares afectados e idade da detecção) é oferecido teste de rastreio genético, e perante a positividade são dados opções, incluindo a mastectomia profilática e até a remoção dos ovários (que tem o problema da menopausa precoce e da infertilidade, mas isso já era fugir do tema), e não é preciso ser milionária ou famosa. Teve grande coragem, sim. E podia guardar para si, mas partilhou para dar o exemplo. Pena que grande parte das pessoas seja demasiado pequena para o perceber.

    Catarina

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Catarina, muito bem escrito.
      Não acrescento nada.

      Eliminar
    2. Aplausos, Catarina. Uma mente sã!

      Ninguém fala no pânico que ela deve sentir por pensar que as 2 filhas daqui a vários anos tenham que passar pelo mesmo.

      Não, só se fala de dinheiro...

      Eliminar
  31. porquê correr riscos quando a probabilidade está a sentir-se...??
    o "bicho tabu" não cura, mas a coragem de o combater, sim...!!

    concordo, mulher com "M" bem grande...!! um exemplo que talvez abra os olhos a muitos... mulheres e homens. é uma dúvida que fica...!!

    até

    ResponderEliminar
  32. Aplaudo a decisão e coragem dela. Não é fácil decidir uma coisa destas. Tem que se ter uma capacidade e discernimento mental bem grande.
    Só não entendo o puritanismo do jornal. São mamas, não são seios.

    ResponderEliminar
  33. É preciso muita coragem. Eu, acho, que se estivesse na situação dela: 37 anos, já com vários filhos, e 87% de possibilidades, também fazia o mesmo! (ah se tivesse o dinheiro dela também :P)

    ResponderEliminar