Avançar para o conteúdo principal

Uma questão de laços

Com o passar dos anos tenho ficado cada vez mais convicta desta verdade (que é uma verdade): quando se tem uma família de ouro, tem-se tudo. Não há problema que não se resolva nem dor que não se cure. 

Uma boa família não resolve os problemas, claro que não, mas ajuda (oh se ajuda...) a amenizá-los.

Comentários

  1. Verdade verdadinha... e dá gosto saber que tens um clã à prova de bala ;)

    ResponderEliminar
  2. Concordo contigo. Uma família onde existe apoio é logo meio caminho andado.

    http://garotaembonecada.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  3. Uma família assim vale mais que todo o dinheiro do mundo!

    ResponderEliminar
  4. Sem duvida S* uma família unida pode ajudar nos em muita coisa, até naqueles problemas que nao se consegue logo resolver, mas basta uma palavra para tudo correr bem.
    Infelizmente não sei o que é isso
    beijocas

    ResponderEliminar
  5. Mas é mesmo :)
    Beijinhos e boa semana ;)

    ResponderEliminar
  6. A família é um importante sistema, se ele estiver desestruturado abala todos os seus membros.

    ResponderEliminar
  7. Textinho mais confuso: uma verdade que é uma verdade, não há problema que não se resolva mas não resolve problemas? Que nó?

    ResponderEliminar
  8. verdade, sem margem para dúvidas os 'se'.

    ResponderEliminar
  9. Deixa-me levantar o rabo do sofá, pôr-me em pé e dar-te uma grande salva de palmas, querida S*! Partilho exactamente da mesma opinião. Sem tirar nem pôr. Não me consigo arrepender nem por um segundo de ter voltado do Brasil quando me lembro das incontáveis noites a que cheguei a um apartamento vazio, a 8 mil km da minha família, sem nada que fosse verdadeiro à minha volta. Hoje estou aqui de regresso já há mais de três meses e apesar de não conseguir trabalho por nada na vida, de pouco ou nenhuns amigos ter e muito menos namorado... Olho para a minha família e penso: tenho o essencial e tudo o resto virá, aos poucos. Tenho a base. E sem base eu não era nada, nem em pé manter-me-ia... Não sou nada sem a minha família!

    ResponderEliminar
  10. mary, és uma mulher como deve ser. :)

    ResponderEliminar
  11. Ora aqui está uma boa verdade: cá em casa temos os dois exemplos (um de nós traz uma daquelas famílias espectaculares, que apesar de estarem sempre a falar alto uns com os outros, no final do dia "esfolam" e "matam" para proteger os seus; o outro, infelizmente, vem de uma daquelas famílias em que é cada um por si, um "salve-se quem puder")! :-(

    ResponderEliminar
  12. Concordo, mas acrescentava também a "família" dos amigos, que ás vezes ajudam tão ou mais que a família.

    ResponderEliminar
  13. Concordo, mas acrescentava também a "família" dos amigos, que ás vezes ajudam tão ou mais que a família.

    ResponderEliminar
  14. Essa para mim é a grande verdade! Acho que quem não tem uma familia com quem contar está muito mais sozinho que qualquer pessoa que tem uma verdadeira familia. Sem dúvida as pessoas mais importantes da minha vida, e que eu sei que nunca me vão deixar em falta!

    ResponderEliminar
  15. Completamente de acordo, S*
    Espero que esteja tudo bem por aí,
    Beijinhos e boa semana :))

    ResponderEliminar
  16. Sem sombras de duvidas!!

    ResponderEliminar
  17. Sem sombras de duvidas!!

    ResponderEliminar
  18. Pois é, isso é mesmo o "bocado" que me falta... bjinho

    ResponderEliminar
  19. Ajuda sim... eu que o diga, que não posso contar com ninguém da minha família, minha querida.
    Tens muita sorte! :)

    ResponderEliminar
  20. É bem verdade, a família é tudo, a minha é bem grande e eu ADORO :P

    ResponderEliminar
  21. Concordo plenamente. Uma família unida é mais valiosa que ouro.

    Beijinhos grandes.

    ResponderEliminar
  22. Familia e os amigos que consideramos familia.

    ResponderEliminar
  23. Completamente verdade. Há um conforto muito maior quando temos que encarar coisas mais duras e uma felicidade muito mais alegre quando se compartilham coisas boas.

    ResponderEliminar
  24. Eu também sei disso. Mas aprendi pela carência.

    ResponderEliminar
  25. Hoje mesmo, de madrugada, reflecti sobre isso ao ver a fase de audições do American Idol (SIC RADICAL). Antes de prestar provas, a mãe de uma miúda de 13 anos pela forma de falar, pela forma como apoiava a filha a seguir o seu sonho, ela e o marido - ambos a apoiar a miuda, eu disse: "Grandes pais"!

    E já sabia que a miuda ia fazer bem. Porque tem pais que mesmo que algo corra menos bem, a saberiam orientar.

    E vai a miuda, entra no palco, escolhe uma música difilicíssima de Nina Simone e simplesmente mete o júri a aplaudir de pé.

    Digo já: não seria possível se não tivesse os pais que tem.

    Podes ver aqui:
    https://www.youtube.com/watch?v=8ytnrKmUtpc

    e os pais aqui:
    https://www.youtube.com/watch?v=nU_dBDccruI

    ResponderEliminar
  26. Sem dúvida que são um pilar fundamental. E se aliarmos isso a um grupo de amigos também extraordinário, realmente mesmo aquilo que à partida é mau, com o apoio deles as coisas encaram-se de outra forma*

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Para dormir - solução, procura-se!

É uma pessoa desesperada que vos escreve, esta manhã. Conhecem soluções naturais para dormir bem de noite? Algo que me faça ferrar o galho e só acordar no dia seguinte? Estou farta de noites mal dormidas. Estou farta de ficar até às 5 ou 6 da manhã sem conseguir dormir. Chego ao desespero, com vontade de chorar. De dia, sinto-me cansada, porque o descanso é uma porcaria. Não sou grande adepta de medicamentos mas, se tem de ser, é. Alguém conhece um remédio, uma erva, o que seja?

I wish

 Faço anos daqui a um mês e, este ano, vou querer prendas muito práticas e objectivas. Algumas coisas preciso comprar, outras substituir, mas acho que vou deixar um pouco as vaidades de lado e optar por poupança real - porque são coisas que teria de comprar. Alisador de Cabelo a vapor BELLISSIMA My Pro (Titânio - 170 °C - 230 °C ) Este ou outro qualquer, desde que seja bom e não me estrague (demasiado) o cabelo. Uns auscultadores. Preferencialmente giros. Preferencialmente sem fios. Estes ainda por cima dobram-se, o que é muito prático para colocar na mala. Um candeeiro de tecto novo para o meu quarto, que o que tenho é antigo e tapa imenso a luz. A minha irmã comprou este candeeiro de mesa para o quarto do meu pequeno (em preto) e amei de paixão. Queria assim em tom cobre para o meu quarto. :) Todos os candeeiros da Leroy Merlin / AKI.

Work in progress

Aprender a lidar com a solidão não é um processo mesmo nada fácil. Ando a diversificar as minhas formas de entretenimento, mas, convenhamos... A COVID não é muito minha amiga. A chuva rouba-me as caminhadas. Valham-me as amigas que me telefonam para ir apanhar pinhas ao monte e as colegas sempre presentes.  Comecei a dançar às segundas-feiras à noite - com a vantagem de achar a professora uma simpatia. A amiga Netflix tem-me feito muita companhia. Estou a ver a primeira temporada de Outlander e sei que tenho série para umas semanas. Os livros também prometem ser grandes amigos, mas sinto-me sempre com tanto sono e com tanto cansaço que tenho evitado a palavra escrita. Estou bem, mas estou a adaptar-me. Com dias melhores e dias menos bons. Obrigada a todos os que, de uma forma ou de outra, demonstraram caminho.