Avançar para o conteúdo principal

Mais um caso...

Desta vez, um pai ainda jovem atirou-se para um poço, levando para a morte, junto a si, o bebé de quatro anos. Mais uma vez, fortes dificuldades financeiras parecem ser o motivo da tragédia.

Maldita crise.

Comentários

  1. Rai´s parta isto!
    Tempos atribulados estes que se vivem...

    ResponderEliminar
  2. Infelizmente estes casos somem-se e vão continuar a somar... É triste...

    ResponderEliminar
  3. meu deus, está crise está literalmente a dar cabo de nós.

    ResponderEliminar
  4. Não me cabe na cabeça, juro. Eu compreendo os problemas financeiros... a sério q sim. Mas tirar a vida ao meu filho é uma coisa q me ultrapassa!! Nunca. Mas nunca mesmo. Passava fome, roubava, pedia, tudo o q fosse preciso para lhe pôr comida na boca. Mas era incapaz de lhe tirar a vida.

    ResponderEliminar
  5. Dificilmente se considera alguém com 4 anos um bebé.

    De resto, muito triste mesmo.

    ResponderEliminar
  6. Nem duvides... mata relações, mata pessoas... já tinha morto a esperança...

    :(

    Fuck this life!

    ResponderEliminar
  7. Devia estar mesmo desesperado! que horror....

    ResponderEliminar
  8. Anónimo, alguns falam em criança de 2 anos, outros em criança de 4 anos. Ser bebé ou não é irrelevante, é um menino.

    ResponderEliminar
  9. Fogo, a sério? Anda cada vez pior isto :/

    ResponderEliminar
  10. Maldita crise, mas mais malditos governantes foda-se.

    ResponderEliminar
  11. Antes da crise estas coisas aconteciam, não tinham era tanta visibilidade. Ainda há pouco aqui na Irlanda um matou a filha de 5 anos e matou se a seguir porque a mulher lhe disse que o ia deixar. Caramba, a minha avó teve 18 filhos e criou-os no tempo da miséria.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Cor do sol, tenho um certo medo de generalizações mas acho que as pessoas de hoje em dia são mais... Fracas. Gome sempre houve, problemas sempre existiram. Os problemas mentais afectam cada vez mais pessoas... Isso assusta-me.

      Eliminar
  12. Que medo... Acho que nestes casos não pode ser "só" a crise a culpada.
    Certamente a pessoa em questão já tem de ter problemas psicológicos, que se agravaram com as dificuldades.

    ResponderEliminar
  13. Claro que a crise também ajuda, mas não é a única culpada... são as eternas fragilidades humanas...
    Muito triste!
    Abraços

    ResponderEliminar
  14. mesmo assim não consigo entender esta atitude, ou melhor, entendo que num acto de puro desespero isso aconteça.. mas fico realmente triste :/

    ResponderEliminar
  15. R: Exatamente :) E acrescento Croácia

    ResponderEliminar
  16. Eu continui fincada na minha: isso não são problemas financeiros, isso é egoismo puro. Querem mantar-se que se matem,mas deixem as outras vidas sossegadas!

    ResponderEliminar
  17. As pessoas hoje em dia são mais fracas da cabeça, é isso?

    ResponderEliminar
  18. A crise, Austeridade serve para alguém cometar tamanha barbaridade???
    Tudo é justificado para matar e abandonar filhos, animais e idosos.
    Eu vejo isso e analiso essas pessoas de Cruéis , Más, pessoas sem amor e sem bondade e pior não tem amor aos Filhos.
    Como disse e bem o Dr. Quintino, existe sim Pais que nao amam os seus filhos e vendo estas atitudes que nao tem explicação nenhuma e dou razão as palavras de Psicólogos.

    ResponderEliminar
  19. Penso que estes atos partem de pessoas que para além do desespero da situação que possam estar a atravessar...teriam já potencialmente tendências depressivas graves e desiquilíbrios latentes...só assim se entende (mesmo assim custa-me muito), que consigam levar ao fim os seus intentos arrastando os filhos consigo para a morte...! Não julgo...não julgo nada...mas estes casos horrorizam-me...até pela impotência com que ficamos perante eles...Infelizmente concordo no que diz respeito a que estes casos tendem a aumentar...!
    Maria

    ResponderEliminar
  20. Infelizmente à pessoas que a única solução que veêm é a morte, de tão difíceis que são as situações por que passam em tempo de crise. E a tendência é para que estas situações se agravem ainda mais.

    http://deverasoriginal.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  21. Desespero!

    http://omundodepucca.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  22. Não vejo suicídio como solução para nada, além do que a criança poderia ter tido outra sorte. Poderia ter sido adotada.

    ResponderEliminar
  23. Acho que o menino tinha 2 anos....e há sempre uma desculpa,para o que não é desculpável. Ele que se matasse apenas a ele.

    ResponderEliminar
  24. Sinto uma dor imensa dentro de mim quando ouço tragédias destas. Claro que a crise não explica tudo, mas este pai tinha de certeza uma "crise" dentro dele, que a nós nem nos passa pela cabeça. Eu nunca censuro estas pessoas porque para elas a vida deixou totalmente de fazer sentido, e eu só espero que isso nunca me aconteça.
    Uma coisa é certa, quem desiste de viver e leva os filhos consigo é porque na verdade os ama muito, embora pareça contraditório aos nossos olhos.
    Nós próprios por vezes,devíamos olhar não tanto para nós , mas muito mais para o que nos rodeia...Quem sabe se casos destes, que sempre acontecerão, não teriam tendência a acontecer menos frequentemente?...
    Não sei. Só sei que estes casos me deixam muito triste.

    ResponderEliminar
  25. Anónimo, olhe, você, por exemplo, tem o sério problema de tentar ver sempre o mal de tudo o que escrevo.

    Em Portugal, o número de depressões e de doenças mentais tem aumentado consideravelmente. Isso torna-nos mais vulneráveis, fracos, como queira chamar-lhe.

    ResponderEliminar
  26. Há anónimos do caralho, foda-se! Chegam aqui e de uma notícia triste conseguem esmiuçar ao máximo só para distorcerem tudo o que tu escreves.

    A vontade que tenho de dar uma marretada na cabeça do idiota de merda que fez os comentários desnecessários!

    Vai arranjar o que fazer da vida em vez de gozares com as desgraças alheias ou em vez de tentares rebaixar a autora do blog!

    O que importa ela ter escrito "um bebé"?? Hã? Tenha a criança 2 ou 4 anos a palavra bebé pode ser usada em sentido figurativo. Mas não, tu tens de por veneno em tudo! O que importa ela ter escrito que as pessoas actualmente são mais fracas? Qualquer um percebe perfeitamente que os portugueses gastaram demais, viveram com dinheiro que não tinham e habituaram-se mal. Por isso é que agora não sabem lidar com a crise, com o desemprego, com a falta de dinheiro e tomam atitudes como a que este homem tomou.

    Fraco és tu, parvalhão, que só sai merda dessa cabeça!

    PS: Desculpa a linguagem S., mas há pessoas que merecem ser colocadas no lugar delas de uma vez por todas!

    ResponderEliminar
  27. Há qualquer coisa de estranho nesta história, porque pelo que vi nas noticias, o homem ainda deixa a mulher e um filho adolescente. A crise era só para ele e para o miúdo? Então e a mulher e o outro filho, agora sem eles os dois já vão viver melhor?
    Continuo a achar que a crise não pode ser desculpa para tudo. As pessoas já lá têm qualquer coisa dentro que não está bem. De qualquer maneira, são duas mortes a lamentar e se é mesmo o caso de mais um pai que mata um filho, é mais um acto que não compreendo.

    ResponderEliminar
  28. É preciso estar num estado de desespero total e com graves problemas psicológicos. É triste e chocante.
    Beijinhos grandes.

    ResponderEliminar
  29. hoje soube logo esta notícia de manhã, que mau :/

    ResponderEliminar
  30. É horrivel... e é preciso estar muito mal mesmo para ter um acto destes :(

    ResponderEliminar
  31. Quando existem suicidios, há a tendência a lamentar o infeliz e de certa maneira a desculpabilizá-lo ou pelo menos a tentar explicar a sua acção. Pois os que se suícidam também podem ser pessoas fracas, egoistas, megalómanas... tanta coisa. Tem problemas de dinheiro? e tentar fazer pela vida, ir trabalhar, ir para fora, qualquer coisa... Levar para a morte uma bebé que todos consideravam muito apegado a ele, não será indício de um certo sentido extrapolado de propriedade? É que há pais que consideram os filhos propriedade sua. Assim como há outros que dariam a vida para que os filhos pudessem viver. Que o universo proteja este anjinho sem culpa da loucura dos homens!

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Para dormir - solução, procura-se!

É uma pessoa desesperada que vos escreve, esta manhã. Conhecem soluções naturais para dormir bem de noite? Algo que me faça ferrar o galho e só acordar no dia seguinte? Estou farta de noites mal dormidas. Estou farta de ficar até às 5 ou 6 da manhã sem conseguir dormir. Chego ao desespero, com vontade de chorar. De dia, sinto-me cansada, porque o descanso é uma porcaria. Não sou grande adepta de medicamentos mas, se tem de ser, é. Alguém conhece um remédio, uma erva, o que seja?

I wish

 Faço anos daqui a um mês e, este ano, vou querer prendas muito práticas e objectivas. Algumas coisas preciso comprar, outras substituir, mas acho que vou deixar um pouco as vaidades de lado e optar por poupança real - porque são coisas que teria de comprar. Alisador de Cabelo a vapor BELLISSIMA My Pro (Titânio - 170 °C - 230 °C ) Este ou outro qualquer, desde que seja bom e não me estrague (demasiado) o cabelo. Uns auscultadores. Preferencialmente giros. Preferencialmente sem fios. Estes ainda por cima dobram-se, o que é muito prático para colocar na mala. Um candeeiro de tecto novo para o meu quarto, que o que tenho é antigo e tapa imenso a luz. A minha irmã comprou este candeeiro de mesa para o quarto do meu pequeno (em preto) e amei de paixão. Queria assim em tom cobre para o meu quarto. :) Todos os candeeiros da Leroy Merlin / AKI.

Work in progress

Aprender a lidar com a solidão não é um processo mesmo nada fácil. Ando a diversificar as minhas formas de entretenimento, mas, convenhamos... A COVID não é muito minha amiga. A chuva rouba-me as caminhadas. Valham-me as amigas que me telefonam para ir apanhar pinhas ao monte e as colegas sempre presentes.  Comecei a dançar às segundas-feiras à noite - com a vantagem de achar a professora uma simpatia. A amiga Netflix tem-me feito muita companhia. Estou a ver a primeira temporada de Outlander e sei que tenho série para umas semanas. Os livros também prometem ser grandes amigos, mas sinto-me sempre com tanto sono e com tanto cansaço que tenho evitado a palavra escrita. Estou bem, mas estou a adaptar-me. Com dias melhores e dias menos bons. Obrigada a todos os que, de uma forma ou de outra, demonstraram caminho.