sexta-feira, 29 de março de 2013

Leiam. Aprendam. Divulguem.

«Achava eu, na minha modesta opinião, que neste mercado onde se movem as marcas de cosméticos existiam as que assumiam os testes em animais (L’Oréal, esta é para ti), as marcas “cruelty-free” e, por fim, as outras, as que trabalhavam para deixar de os fazer, a curto ou médio prazo. Ou pelo menos assim se dividiam, segundo a lista da PETA.

Mas depois disto veio a China, que promulgou uma lei que proíbe a venda de cosméticos no seu reino sem que antes tenham sido testados em animais.

E quase como meretrizes de beira de estrada (sem ofensa para a profissão), marcas como a Caudalie, Yves Rocher, L 'Occitane, Avon, Estée Lauder e Mary Kay, após décadas de “no animal testing”, decidiram trocar príncipios por yuans.

A francesa L’Occitane, por exemplo, começa por explicar a sua posição de forma clara: “A L'Occitane nunca testou os seus produtos em animais”.

Mas a inocência que já não me caracteriza quis que eu lesse o comunicado até ao fim. E a meio, lá estava, a verdadeira posição: “A L'Occitane considera contraproducente privar o país mais populoso do mundo de produtos que não foram testados em animais”. Já no caso da Caudalie, continua a ler-se no site “We are against
 animal testing”. Esqueceram-se de actualizar a informação, pobres incautos.

Entre os procedimentos mais conhecidos de testes em animais está o Draize, um teste de toxicidade aguda, que envolve a aplicação de uma substância na pele do animal. Com a finalidade de aferir a acção nociva de produtos químicos, os técnicos raspam a pele das cobaias - ou arrancam com recurso a fita adesiva em gestos repetidos - até que fique em carne viva.

Já no teste da irritação dos olhos, o animal é preso pelo pescoço, de forma a imobilizar-se, e não raras vezes são colocados clipes de metal nas pálpebras para evitar que os olhos se cerrem enquanto se gotejam as substâncias. Aqui o coelho albino é o preferido. Dizem que é mais barato e facilmente manuseável.

E podia continuar por aqui, a discorrer sobre uma sucessão infindável de actos ignóbeis que atentam contra a vida de um animal. Mas não vou fazê-lo.

Da Vinci - perdoem-me o cliché, mas a minha literacia não me permite mais - já havia dito: "Haverá um dia em que o homem conhecerá o íntimo dos animais. Nesse dia, um crime contra um animal será considerado um crime contra a própria humanidade". 

E agora ide em paz. Os que puderdes.»


Escrito por Ana Chaves, para o Público: 

37 comentários:

  1. Nem consegui ler até ao fim...que horror...

    Boa Páscoa para ti e para a tua familia
    bjs

    ResponderEliminar
  2. Eles que usem chineses, que são muitos. ahah

    ResponderEliminar
  3. Infelizmente, isso nunca irá acabar por completo :(

    ResponderEliminar
  4. Eu estou de boca aberta! Triste mesmo! Que País atrasado mental.

    ResponderEliminar
  5. Fiquei enjoada...porta para os chineses

    ResponderEliminar
  6. OMG. a sério?? Isto é tão... nem sei. Como é possível ainda estarmos com estas coisas em pleno sec.XXI? Que vergonha. Realmente hoje em dia só importa o dinheiro.

    ResponderEliminar
  7. Estou tão chocada....que raio terão eles contra os animais?

    ResponderEliminar
  8. Não é especificamente por isto que não uso cosméticos, mas nestas alturas fico muito contente por não o fazer.

    ResponderEliminar
  9. Isto é demasiado cruel. Ainda para mais a reacção dos produtos em humanos é diferente de nos animais, porquê é que continuam nesses testes????!!!!!!!!!!

    ResponderEliminar
  10. Agora até fiquei agoniada! Que nojo que tenho às vezes dos seres supostamente humanos :S

    ResponderEliminar
  11. Ai que mal disposta me deixaste!
    Obrigada por divulgares!
    Filhos de uma pata (sem desprimor para a pata) que os pôs!
    E nós (nem, todos, vá) energúmenos, continuamos a comprar!

    ResponderEliminar
  12. Felizmente que não uso nenhuma dessas marcas..

    ResponderEliminar
  13. Não sei o que dizer. Apetece-me chorar, chorar muito.

    ResponderEliminar
  14. Eu gosto de comprar produtos da Body Shop porque eles garantem que não são testados em animais. Das marcas que foram aqui citadas nunca comprei nada e certamente não vou comprar.

    ResponderEliminar
  15. Que horror! Não percebo porque é ainda se considera que os animais não sofrem, que não valem nada em termos sociais. Não consigo entender como há pessoas que ainda conseguem ter coragem de maltratar um animal, porque é isso que os laboratórios de teste fazem. E trocar princípios morais por dinheiro é do mais baixo que pode haver. No entanto, que garantias temos que outras marcas da concorrência também não o fazem? Se for só um país, a China neste caso, que proíbe a venda de cosméticos que não foram testados em animais, idealmente, os outros todos deveriam insurgir-se e proíbirem a venda de cosméticos que foram testados em animais - valeria o risco de testar em animais para vender na China e deixar de vender no resto do mundo?. A China pode ser um ou o país com mais população mas não tem mais população que os restantes países juntos. Bem sei que isto não é realista, mas ter conhecimento disto revolta-me e revolta-me ainda mais saber que os governos das ditas sociedades civilizadas (avançadas) pactuam com este tipo de atrocidades. Enfim.

    Boa Páscoa!

    ResponderEliminar
  16. Sem palavras! A verdade é que não penso nisso! Mas sentir a realidade tão explicita deixa-me agoniada! Nunca seria capaz de ter uma roupa ou acessório feito de pele de animal. A única coisa que tenho é um chapéu que tém um tufo de raposa (oferta que veio da Rússia), prenda da sogra impossível de negar.
    Mas com a maquilhagem, a verdade é que nunca havia pensado nisso!

    ResponderEliminar
  17. Só tenho a dizer isto: essas marcas já não entram na minha casa. Não tinha noção que era isso que faziam aos pobres dos animais! Não com esse detalhe! Ignorância da minha parte, mas que vai ser corrigida. A China é louca da cabeça. Só pode.
    Beijinhos


    http://garotaembonecada.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  18. Fico mesmo indignada com os seres humanos que insistem em ser burros!!!! Quando é que vão perceber o mal que fazem??? Porque será que acham que têm o direito de tratar mal os animais? Não percebo que consciência pode fazer mal a um animal que sente a mesma dor que um ser humano e que merece ser tratado com a mesma dignidade e que tem os mesmo direitos à vida. O ser humano não é dono desse planeta, não é rei, não lhe foi dado o direito de decidir e interferir nas outras formas de vida!

    ResponderEliminar
  19. esses chineses são uns deficientes de todo o tamanho

    ResponderEliminar
  20. É por isto que só uso produtos da Body Shop: não são testados em animais e não usam trabalho infantil.

    Além disso, tem preços em conta e com o cartão de cliente, tenho descontos imensas vezes.

    ResponderEliminar
  21. eu gostava era de saber quantos destes indignados, incluindo tu, nunca usaram alguma das marcas mencionadas. gostava ainda mais saber quantas vezes, num linear de supermercado, soubeste reconhecer as marcas que testam e a que não testam em animais. gostava mesmo que os indignados fossem, de facto, praticantes do lado certo daquilo com que se revoltam. que, por exemplo, também só comprassem produtos de origem animal de produção biológica. poque a crueldade animal também existe nos matadouros, nos aviários, nas vacarias, etc. gostava ainda mais que estivessem mais a par dissom mais informados, já que esta notícia tem meses!

    ResponderEliminar
  22. Há uns meses atrás publiquei exactamente a lista de marcas que não testavam em animais. Sou atenta a essas coisas e até era fiel a umas quantas. Para mim, estas marcas que se venderam para entrarem no mercado chinês são ainda piores do que as que sempre assuniram que o faziam. Nunca mais comrparei nenhuma delas. Quanto à regra da China, lamento dizer que não me surpreende, apenas me entristece muito.

    ResponderEliminar
  23. Mesmo as que dizem "no animal testing" usam... Isto é incrível! Então como é que vamos saber?! Tenho que espreitar a lista !

    ResponderEliminar
  24. Anónimo, por acaso nunca usei nenhuma das marcas. Sempre optei por The Body Shop, exactamente por saber que não testa em animais. Quanto ao resto, não misture coisas que não podem ser comparadas. Se há abusos nos matadouros? Provavelmente há, mas eu não sei onde. Mas há uma grande diferença entre usar os animais para comer e usá-los para vaidade. O que não invalida, obviamente, que os pobres bichos não devam sofrer.

    Quanto à alegada falta de actualidade do tema, o artigo é do dia 27.

    ResponderEliminar
  25. Vou levar S*. É bom partilhar estes episódios. Fiquei enjoada...

    ResponderEliminar
  26. Gostava de dizer q estou chocada...mas não...o dinheiro e o poder fala SEmpre mais alto...
    Eu sou pelos animais...
    Bjos

    ResponderEliminar
  27. São estes "pequenos" pormenores que fazem com que (apesar de seguir e respeitar muitos ensinamentos que vieram da China, entre os quais a acupunctura) nunca seria capaz de lá viver.

    ResponderEliminar
  28. Fiquei ... sem palavras ...
    E muito surpreendida. Uso Estee e sempre pensei que não o fariam! (o custo dos produtos em si daria para fazer testes de outra forma, presumo...) :( Caramba...nem parece que avançamos no tempo! há atitudes do ser humano completamente incompreensíveis... :(

    ResponderEliminar
  29. S*, este artigo é de dia 27 mas a notícia da china só aceitar no mercado artigos testados em animais tem muito tempo já. Quanto ao resto, custa-me acreditar que TODOS os produtos que uses sejam da body shop (incluindo sabonetes, champôs e etc) mas não me compete duvidar. Quanto ao que dizes relativamente aos animais que são mortos para consumo, sobre ser um mal necessário, muitos morrem, são desmanchados e nunca chegam a ser consumidos, já pensaste nisso? Já te ocorreu que não se vende toda a carne que é produzida, já te aconteceu deitar carne fora, leite, ovos, etc porque saíram da validade, porque cozinhaste a mais, porque whatever? Também é desperdício animal. Não sabes em que matadouros se cometem atrocidades? Em todos os que concernem a produção intensiva e não biológica de animais para consumo humano. Porque mesmo que a violência não seja praticada no abate (e é, acredita que é, porque os animais entram ainda conscientes em cenário de abate onde antes deles outros animais foram mortos e eles sentem isso, sentem medo, sentem stresse, etc), mas estava a dizer que mesmo que não seja no abate, são alimentados para engorda, são mantidos em espaços menores do que os necessários ao seu bem-estar (aquele com que tanto te preocupas, de forma que não estou a confundir temas, o tema é que é mais abrangente do que alcanças. As vacas são ordenhadas intensivamente, as galinhas são engordadas para, por exemplo terem mais carne no peito e têm problemas em andar com o peso que ganham, enfim... nem me interessa discorrer mais sobre o tema. Acho, sinceramente, que as pessoas se podem indignar à vontade, mas olhando sempre muito bem para dentro. E parece-me sempre muito bonito ver uma notícia e "ai valha-me deus que maldade tão grande" quando no fundo, se olhássemos bem para nós, não teríamos a arrogância de achar que não estamos em falta de alguma forma. E, na minha opinião, não, não é por não saber em que matadouros se cometem atrocidades que é certo comer carne que provavelmente veio de um. Estamos numa era de escolha. Muita escolha. Há como saber o que se consome, sempre. Dá é muito trabalhinho e é capaz de ser mais caro. Pois.

    Anónima das 09:59.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónima, está a misturar coisas em demasia. Por acaso já comprei Yves Rocher e já tive um sabonete de outra das marcas. Actualmente não tenho nada e agora muito menos pretendo ter.

      Quanto ao resto, o que não sabemos não nos afecta. Se souber, obviamente tento penalizar o responsável deixando de lhe comprar.

      Eliminar
  30. Esta CHINA! Está a conquistar tudo com requintes de inteligência gananciosa e nada complacente.

    Colocaram essa (estúpida) lei de ideia PENSADA. Assim atraem as principais marcas para o seu mercado. Estas passam a «produzir» no país onde o teste de cosméticos em animais é lei! E podem continuar a se "mascarar" de complacentes para o mundo ocidental desenvolvido. Agradar a gregos e a troianos..

    E ainda tem essa desculpa de não poderem ficar "de fora" do maior mercado populacional...

    Esta CHINA! Sinceramente. Vejam só:

    Com o SÓCRATES, compraram PARTE da dívida portuguesa. (já nos têm pelos dito-cujos).

    Com a mudança da lei (terá sido durante o governo sócrates?) do comércio e a abertura, IRRADICARAM os pequenos comerciantes locais e a ECONOMIA PORTUGUESA, instalando cá mais do que suficientes lojas de artigos chineses, que estão, segundo ouvi dizer, livre de impostos e recebem ajuda do governo chinês.

    É ver, com tristeza, os estabelecimentos todos a fechar e uma chinoca a abrir no lugar...

    A conquista mundial e o poder absoluto sempre foi uma ambição constante ao longo da história. Hitler teve-a, antes dele Napoleão também...
    Mas enquanto esses o faziam pela força armada das tropas, agora as «lutas» são outras. São dissimuladas. São económicas e políticas.

    Merda! Tristeza...

    ResponderEliminar
  31. O Almocreve ironizou, mas tocou num ponto de grande sensibilidade. A China não prima pelo respeito aos direitos humanos. Quanto do seu próprio povo não é escravizado? Para produzir? Com o objectivo de terem chegado onde agora estão? Donos e senhores com poder económico?
    Esquecem-se, pobres coitados que ambicional o vil metal, que todos acabamos 7 palmos debaixo da terra e as minhocas não fazem distinções entre ricos e pobres...

    A justiça celestial, essa, já faz.

    ResponderEliminar
  32. S*, "o que não sabemos não nos afecta" é a afirmação que mais lhe poderia fazer justiça, confesso. é, igualmente, uma afirmação do mais triste que há! Só se indigna quando a notícia vira moda, como a maioria. De resto, não procura saber, logo, só posso concluir que a indignação, que a revolta, não é assim tanta. Dá forte e passa depressa, como se diz. Sabe porquê? Porque o que não sabemos, podemos sempre procurar saber. É preciso é querer. Enfim, não pretendo continuar mais qualquer troca de ideias porque nem é a primeira vez que a vejo ser tão superficial a "debater" um tema. O que mostra a falta de conhecimento. Só me dei ao trabalho de comentar porque me interessa, de facto, o assunto. E, reitero uma última vez, não confundi assuntos. O abuso animal é que é mais abrangente do que a cabecinha da maioria consegue alcançar. Depende do que dá mais jeito abdicar ou não :)

    A anónima do contra.

    ResponderEliminar
  33. Tudo o que vem dos chineses, infelizmente é uma atrocidade... basta ver TUDO o que eles comem...
    Cruzes credo!

    ResponderEliminar
  34. Se soubessem aquilo que comemos...e tudo aquilo que usamos, não se faziam de tão esquisitos. Já agora deviam-se informar melhor junto das marcas e não tirar conclusões precipitadas só por lerem um texto.

    Isabel

    ResponderEliminar
  35. Quanto mais notícias leio sobre a China menos gosto daquele país. E ainda bem que não uso cosméticos dessas marcas. ;)

    ResponderEliminar
  36. Quanto mais notícias leio sobre a China menos gosto desse país. E ainda bem que não uso cosméticos dessas marcas. ;)

    ResponderEliminar