domingo, 20 de janeiro de 2013

O pior encontro

Em conversa com a L., recordei aquele que classifico como o meu pior encontro. 

Há uns 4 anos andava a sair com um homem. Ele era mais velho, estava a tirar um doutoramento e tinha uma bolsa de 3000 euros por mês só para investigar, vocês vejam lá (pelo menos era o que ele dizia...). Já eu, pobre e tesa como sempre, estudava e tinha uma mesada pequena, porque a minha mãe não é rica e tinha mais dois filhos no ensino superior.

O fulano andava a fazer se me seduzia mas aquilo era chover no molhado, porque apesar de ele ser inteligente e bem falante, não me dizia nada. Não mexia comigo. Eu dizia-lhe isso abertamente, mas ele continuava a insistir.

Houve uma noite em que estava eu descansadinha da vida e recebo uma sms. Convidava-me para ir ao cinema. Para ir ver "He's Just Not That Into You" - que até se adaptava ao nosso caso. Marcou a hora e o lugar. Ou seja, ele convidou-me para ir ver o filme que ele escolheu, no sítio que ele escolheu, à hora que ele escolheu. Lá fomos.

Chegados ao cinema, pedimos dois bilhetes e a senhora disse "são 8 euros e tal". Sim, estava à espera que ele pagasse. Sim, eu era uma pobre estudante com 40 ou 50 euros no cartão e ele tinha uma bolsa de estudo de 3000 euros, sendo que vivia em casa dos pais e gabava-se constantemente do dinheiro que ganhava. Mas, depois de me convidar, o gajo teve a lata de pegar numa nota de 5 euros e colocar no balcão, dando-me a dica que eu tinha de pagar a minha parte. Paguei, pois. Paguei a minha parte, ainda comprei uma bebida (que ele bebeu, não eu), e vi o filme com ele.

A partir desse dia, não aceitei mais convites dele.

Não tem nada a ver com dinheiro, tem a ver com educação. Sim, durante a alegada fase da sedução acho que fica bem ao homem pagar as contas. Sim, ele sabia que eu não tinha dinheiro. Sim, foi ele a convidar-me. Sim, ele costumava apresentar-me aos amigos como "a minha futura namorada" mas não foi capaz de pagar 4 euros e tal pelo meu bilhete de cinema. Sim, achei rude ele pôr-me a pagar um bilhete de cinema. Temos pena amigo, nunca mais me viste as fuças.

87 comentários:

  1. Que rica peça. Ele deveria era investigar o cavalheirismo porque não sabe mesmo o que isso significa.

    ResponderEliminar
  2. As bolsas de doutoramento sao fixas e são de 990€, um pos-doc 1500€, não há nenhum doutorando a receber 3000€, nem sequer na holanda.

    ResponderEliminar
  3. Acho no mínimo curioso como as mulheres de hoje em dia reclamam direitos iguais entre os sexos mas quando chegam a estas alturas gostam de ser apaparicadas. Amiga, hoje em dia se queres fazer uma vida a dois é bom que tenhas a iniciativa de ajudares quem de ti gosta. Não digo que pagues tu tudo mas a vida é feita de partilha. Talvez nesse teu caso ir ao cinema tivesse sido uma má escolha. Iam a um bar , ouviam uma músiquinha e não gastavam tanto. E repartiam a despesa. Só isso seria demonstrativo da vontade de estarem um com o outro. Eu não hajo assim mas sei como a vida é.

    ResponderEliminar
  4. Tiveste sorte de ele, não te fazer pagar o bilhete dele também.

    ResponderEliminar
  5. Este é um tema muito delicado, pois mexe com a questão da emancipação feminina e, por outro lado, toca no tabu da prostituição. Mas, atenção, a meu ver há que destrinçar estas questões da da cortesia e do cavalheirismo. Chamem-me antiquada e contraditória, mas eu também não voltaria a sair com um homem que se mostrasse forreta num encontro de pré-namoro :)

    ResponderEliminar
  6. Eu tenho uma tia que diz que "um homem a sério nunca deixa uma mulher pagar nos primeiros encontros".
    Pode ser antiquado, e obviamente que as coisas depois têm de começar a ser dividas (mesmo que um ganhe mais, a vida custa a todos), mas tem um certo encanto nos primeiros 2/3 encontros o homem ser cavalheiro. :)

    E nessa situação, isso é que ele não foi de certeza! :)
    Beijinhos *

    ResponderEliminar
  7. Concordo que, ganhando-se bem mais, se deva pagar a quem ganha bem menos.
    Já pelo facto de ser homem, não fico muito convencido. Mas isso, se calhar, porque sou forreta :)
    Acho que, quando ganham os dois por igual, se pague à vez. Demonstra interesse da parte dos dois.

    Romântico à Forca

    ResponderEliminar
  8. Eu sou homem e concordo contigo...nem é tanto o que cada um pode ou não, mas é a vontade de o fazer simplesmente. Ele até podia ser pobre, mesmo sem dinheiro e estou certo que se te explicasse que até queria pagar algo, mas não pudesse mesmo, tu compreenderias. Para não falar do convite em si, feito por ele e pelos motivos que partilhaste...o romance não termina nos convites. *

    ResponderEliminar
  9. Realmente um pouco rude. E a escolha de filme dele? beeemm, mesmo certeiro... :) ("She's not that into you"!!!)

    ResponderEliminar
  10. Realmente...que falta de cavalheirismo !!

    ResponderEliminar
  11. Conheço bem o genero! Oh se conheço...gabam-se de tudo e mais alguma coisa mas depois sacar da nota está quieto. Que vergonha!

    ResponderEliminar
  12. Haja lata... mas há muitos desses por aí (infelizmente). Se isso foi seduzir não sei em que escola ele andou...

    Beijos doces xxxx

    ResponderEliminar
  13. jura??? que mau...ele não sabe as regras de sedução em Portugal? Vai-se a ver e tinha origem Sueca, não?

    ResponderEliminar
  14. ahahahaha brilhante!!! se ele convida tinha pago ora essa

    ResponderEliminar
  15. Nessa situação específica, se foi ele a convidar e a decidir tudo (e não uma combinação a dois) penso que deveria ter pago, sim. Mas é uma situação específica. Eu sou pela divisão das contas, no geral.

    ResponderEliminar
  16. Eu já tive um "encontro" com alguém que se esqueceu de tirar a aliança.....
    Insistiu, insistiu em marcarmos um encontro e depois apareceu de aliança no dedo... Na altura ri da situação,porque só alguém muito "...." consegue fazer isto, mas no fundo fiquei com pena da namorada dele...

    Beijinhos,
    Carminho

    ResponderEliminar
  17. Pois eu acharia humilhante que o meu namorado me andasse a pagar as coisas. Mesmo agora que ele é médico e eu ainda sou só estudante. Saímos juntos e cada um paga o seu e acabou. Independência e igualdade de direitos também é isso.

    ResponderEliminar
  18. Luna, isso eu já não sei, sei o que ele me dizia. Quanto ao resto, importa dizer que ele era alemão, apesar de filho de portugueses, e estava a estudar cá através de uma universidade alemã. Mas ei, eu não lhe vi o extracto bancário.

    ResponderEliminar
  19. Quanto à alegada emancipação financeira, poupem-me. O cavalheirismo nada nos rouba no que toca a direitos. :)

    ResponderEliminar
  20. a mulher certa, é capaz. Mas olha, o gajo tinha trauma com isso, disse-me meia dúzia de vezes que estava farto de mulheres interesseiras que só queriam o dinheiro dele. E depois nem 4,5 euros me pagou no cinema. ahahah

    ResponderEliminar
  21. Igualdade é tratar igual o que é igual e diferente o que é diferente. Se tu não tinhas o mesmo nível de rendimento que ele, ele tinha mais era que pagar o teu bilhete. Aliás por uma questão de educação. Fizeste muito bem em não lhe mostrares mais os dentes! Não se trata de igualdade entre os sexos, trata-se de igualdade, neste caso desigualdade, de situações. Eu teria feito o mesmo!

    ResponderEliminar
  22. Não acho assim tão grave, mas se realmente não lhe achavas assim tanta piada, então não valia realmente a pena. Claro que fica bem de vez em quando um homem abrir os cordões à bolsa, mas lá está, era mais um indicador que não era o ideal para ti :)

    ResponderEliminar
  23. Então era um aldrabao, pq as bolsas estão tabeladas, são iguais para todos, e em portugal um phd nem sequer tem estatuto de trabalhador - um salário de 3000 euros nao é comum em portugal, e irreal para um estudante. (a nao ser que traficasse droga nuns biscates por trás)

    ResponderEliminar
  24. (mesmo as bolsas alemãs sao mais baixas que as holandesas e se nao me engano menos de 1500 euros)

    ResponderEliminar
  25. Que grande biscate esse fulano!!!!Fizeste bem não voltar a vê-lo eu tambem não o quereria ver.

    ResponderEliminar
  26. Se calhar foi mm um teste q ele quis fazer p ver se eras mais uma interesseira ou nao...e realmente n entendo, n querias nada c ele, mas se fosse ele a pagar-te as cenas, ja ias! Isso tem um nome, sabes?

    ResponderEliminar
  27. acho que devia pagar porque foi ele que convidou, apenas e só. Já não concordo que tenha que ser o homem a chegar-se á frene quando se está na fase da caçã da raposa, principalmente se as 'contas' estão equilibradas. Agora convidar e não pagar é reles.

    ResponderEliminar
  28. Luna, ahahah. É capaz, é. Era uma bolsa científica, na área das engenharias químicas, mas também achei meio irreal. Como não tive motivos para desconfiar, não desconfiei.

    ResponderEliminar
  29. Anónimo das 20:54, sim, sei: chama-se conhecer pessoas.

    ResponderEliminar
  30. Querida ele devia ser um teso quilhado (adoro dizer está palavra que é tão da minha terra) na volta não tinha bolsa nenhuma. Tinha era uma carteira vazia. Além de um teso livrastes-te de um mentiroso! Bj

    ResponderEliminar
  31. ahah fizeste muito bem! Isso era um pequeno indício do tipo de namorado em que se iria transformar.

    ResponderEliminar
  32. Quando já se está na fase de namoro, sou da opinião que as coisas são para dividir, não precisa de ser exageradamente divididas.
    Agora, na fase de conhecer, sempre ouvi dizer que quem convida, paga.

    Com o meu namorado, na fase dos encontros pré-namoro tínhamos discussões porque ambos queríamos pagar. Tenho uma situação giríssima num bar em que acusei o empregado de descriminação às mulheres por estar a aceitar a nota dele e não a minha. Olhou-me com ar aflito e largou imediatamente a nota e pegou na minha.

    ResponderEliminar
  33. Sob o pretexto da "igualdade", encontraram (alguns homens) uma justificação para "deixar cair" o cavalheirismo e, acima de tudo, a boa educação. Fizeste muito bem!

    ResponderEliminar
  34. Sou totalmente contra mulheres aproveitadoras. Mas há limites - cavalheirismo é essencial e um homem sovina costuma ser mau e estúpido em quase tudo. É defeito que não suporto.

    ResponderEliminar
  35. Gente, antes de viver com o namorado dividíamos tudo. Ou seja, íamos jantar e cada um pagava o seu, ou pagávamos 50/50. Agora, arre, um café, a maioria das vezes pagava ele, outras pagava eu. Agora que vivemos juntos não se justifica, porque usamos o nosso dinheiro - que é dos dois. Com isto quero dizer que sou TOTALMENTE a favor da divisão de despesas, mas também sou TOTALMENTE a favor do cavalheirismo, e na alegada fase da sedução acho bonito que o homem se chegue à frente. Especialmente tendo em conta que, alegadamente, ele recebia muito mais dinheiro que eu.

    ResponderEliminar
  36. Lendo tudo isto, acho que para a S* foi bem melhor assim, porque homem que tenta conquistar uma mulher com a tipica tanga de que ganha muito, acaba sempre mal. Sim, não há bolsas em Portugal com esses e valores e é uma falta de educação convidar e não pagar.

    ResponderEliminar
  37. haja falta de cavalheirismo nesse homem --'

    ResponderEliminar
  38. Acho que fizeste muito, quando um homem é assim só gosta de se gabar e nada de tratar as mulheres como deve ser!

    ResponderEliminar
  39. Blog muito bom!
    Passa pelo meu e se gostares segue :)
    http://franciscohere.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  40. ai meu deus que lata. se eles são assim logo no início, no meio da relação já lhe estavas a pagar as contas.

    ResponderEliminar
  41. Existem relacionamentos que começam mal, pois o investimento é diferente ou inexistente de ambas as partes. Tu não tinhas interesse e ele não tinha disposição de investir. Deu no que deu.

    ResponderEliminar
  42. se ele tinha tanto receio das interesseiras que não espalhasse aos sete ventos quanto pretensamente ganhava. Fizeste bem S*. Isto nada tem a ver com emancipação, quando convido alguém, também pago e sou rapariga.

    ResponderEliminar
  43. ahahah Carolina Tavares, resumidamente, foi isso!

    Anónimo das 22:43, podes crer. Por acaso pensei que ele o tivesse feito exactamente para ver se eu era interesseira. Oh meu amigo, interesseira não sou, mas totó também não. :P

    ResponderEliminar
  44. E fez muito bem! Caso contrário talvez nesta altura estivesse a pagar dívidas contraídas por ele!

    ResponderEliminar
  45. S que cara de pau este!

    Não creio que te convidou e fez uma coisa destas!

    Não gosto também não
    xx
    Tali
    http://nuasecruasblog.wordpress.com/2013/01/20/sunday-rocks/

    ResponderEliminar
  46. Em resposta:

    *Um beijo numa perspectiva diferente!*

    ResponderEliminar
  47. AHAHAHHA, ri-me a imaginar a situação!

    ResponderEliminar
  48. Realmente... olha, no fim de contas até não foi mau... o pretexto perfeito para cortar logo o mal pela raíz! ;)

    ResponderEliminar
  49. Compreendo o teu lado, se era assim no "inicio" nem quero imaginar como seria mais para a frente...

    ResponderEliminar
  50. Que lata! Olha tiveste tu muita sorte de ir ter com ele, porque se ele te vai buscar a casa ainda tinhas de pagar a gasolina.

    ResponderEliminar
  51. Pois eu acho isso uma estupidez, como mulher não faço questão que um homem me pague as coisas, alias, nem gosto.
    Para ser sincera até gosto eu de pagar do que me paguem a mim.
    Mete me confusão mulheres que acham que os namorados devam pagar tudo.

    ResponderEliminar
  52. Para mim as despesas devem ser pagas por ambas as partes. E não é por um ganhar mais do que o outro...
    Mas esta é a minha opinião, claro.

    ResponderEliminar
  53. Para mim as despesas devem ser pagas por ambas as partes. E não é por um ganhar mais do que o outro...
    Mas esta é a minha opinião, claro.

    ResponderEliminar
  54. E foi o melhor nao? Agora estás bem e feliz :)

    ResponderEliminar
  55. Ca porco! Eu também gosto de dividir as despesas, mas a verdade é que também sabe bem quando nos pagam as coisas. E acho que quem convida, paga. É o normal =) Fizeste tu muito bem, sobretudo se ele não te dizia nada :P

    ResponderEliminar
  56. Este assunto é um bocado delicado. Claro que fica sempre bem o homem pelo menos oferecer-se pra pagar, mas eu também não gosto de nunca pagar. No meu caso, e como somos os dois uns pobres estudantes, quando saímos pagamos tudo a meias. Mesmo que seja um ou outro a convidar. Também não acho lá muito justo isso "ah convidaste agora pagas" porque também não é muito certo, a pessoa convida, dá a ideia, mas não tem que pagar só porque teve a iniciativa. Acho que no teu caso passou mais pela série de coisas que se tinham passado antes e pelo teu desinteresse. Acredito que se gostasses mesmo dele (que disseste que não gostavas, tudo ótimo) não ias pegar por isto ;)

    ResponderEliminar
  57. Pessoalmente sou apologista de se pagar a 50%-50%, o que vejo ser mais justo para ambos. Mas também é compreensível ser o homem a pagar (ou a mulher a pagar) caso este(a) não tenha possibilidades para tal.

    Beijinhos S* e boa semana!

    ResponderEliminar
  58. Nossa, que grand lata a dele!
    Foi mesmo de muito mau gosto!
    A mim também não voltaria a ver com certeza.

    ResponderEliminar
  59. É muito simples.
    Há uma regra de educação : quem convida paga.
    Simples

    ResponderEliminar
  60. Mesmo deixando cortesias e cavalheirismo de lado (coisa que sinceramente aprecio muito) se fosse eu a convidar eu oferecia, simples.

    ResponderEliminar
  61. Eu estou como a Luna, nunca vi bolsas de doutoramento de 3000€. Parece-me que te enganou quanto a isso.=)
    Mas achei o comentário "só para investigar" um pouco infeliz. Ser investigador dá trabalho, ocupa tempo, fins-de-semana, muita pesquisa...

    ResponderEliminar
  62. Comigo também só me "enganava" uma vez, depois disso, bem podia arranjar outra.

    ResponderEliminar
  63. Geralmente é assim quem muito se gaba é porque não tem nada, conheço muitas pessoas assim, mas a atitude dele foi triste e depressiva

    ResponderEliminar
  64. Eu acho que as pessoas confundem a fase da sedução com a relação. Na minha relação nós SEMPRE dividimos as contas. Na fase da sedução, ele pagava o cinema, o café... e acho que é bonito assim, quero lá saber do que dizem. :P

    ResponderEliminar
  65. Era uma questão de educação. Se ele convidou e insistiu ficava-lhe bem ter pago o bilhete. Vai para além de uma questão de cavalheirismo ou de igualdade.
    Beijinhos grandes.

    ResponderEliminar
  66. É que se fossem os dois estudantes...vá ainda escapava...agora gabar-se do dinheiro que ganhava e depois ainda te por a pagar os 4€...foi de mau gosto!

    ResponderEliminar
  67. Acho que muita gente não percebeu que vocês ainda não eram namorados e que estavam na fase inicial de conquista. E desculpem-me lá mas não se conquista ninguém a convidar a pessoa para um cinema e nem sequer lhe pagar o bilhete... Eu teria feito a mesmíssima coisa!

    ResponderEliminar
  68. Luna, existem bolsas de doutoramento de 3000€ sim.
    Pelo menos onde eu estudo há.Pedem é para escolheres entre: 1500€ + dares aulas (e recebes salario de prof) ou os 3000€.
    Só se mudou recentemente, porque há um ano um colega meu iniciou uma bolsa dessas.

    ResponderEliminar
  69. Rs, já passei por coisa semelhante!!
    E ainda no meu caso ele não atendia piadas, era obrigada explicar cada sarcasmo que fazia...*/

    Uma tristeza!!

    ResponderEliminar
  70. Concordo que fica bonito e elegante quem convidar pagar a não ser que na hora fique combinado que se page a meias.
    Estamos a falar de um valor pequeno e não se uma conta enorme, por isso delicadeza e cavalheirismo fica sempre bem.
    Mas já não há cavalheiros como antigamente,até parece que sou muito velha,rs...rs...rs...
    Uma boa semana
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  71. Uiiiiiiiiii tenho receio de ser apedrejada mas não estava à espera da opinião dominante nos comentários! Eu discordo TOTALMENTE de ti. Mas TOTALMENTE. Acho que cavalheirismo e dinheiro podem estar completamente dissociados. Nunca me passaria pela cabeça que alguém me pagasse o que quer que fosse num primeiro encontro. Se se oferecesse, eu agradecia e recusava educadamente. Mas daí a ficar chateada se o contrário não ocorresse? Então mas vocês não eram só amigos ainda por cima? Desculpa lá, mas se estivesses realmente interessada nele cagavas no assunto e nunca mais te lembravas. Isso foi só uma desculpa para teres a possibilidade de o mandar ir dar uma volta. :)

    ResponderEliminar
  72. Anónimo das 20:16, peço desculpa mas não mandei o rapaz dar uma volta por causa disto. Como escrevi no texto, eu não estava interessada - isto foi só a gota de água,

    ResponderEliminar
  73. Katsuki, eu não quis dizer nada porque posso ter sido enganada e pouco percebo disso, mas conheço uma pessoa que recebia uma bolsa de quase 3000 euros... e essa pessoa recebia, mesmo. eheheh

    ResponderEliminar
  74. Pois então eu gostava mesmo era que me dissessem em que instituições trabalham esses estudantes que têm bolsas de 3000euros, porque cá em Portugal não conheço.

    S*, admitiste que não percebes muito disso. Parece-me que também não percebes muito acerca do que é a investigação científica. O que é para ti investigar? Achas é andar por lá pelos laboratórios a conversarem uns com os outros, a debitar teorias inconsequentemente? Fazer investigação científica exige muito esforço mental e por vezes físico, leva muito tempo, exige muitas horas de trabalho e estudo e é um trabalho que nunca está completo porque é necessário estar em constante actualização. Um bom investigador nunca pára de estudar durante a vida. E por estudar não se entenda decorar meia dúzia de tretas. Há muitas fases em que não há fins-de-semana nem feriados nem férias. Achei muito infeliz esse "só para investigar, vejam lá", como se fosse uma brincadeira de meninos. Claro que há por aí muitos preguiçosos e o tipo que conheceste podia ser um deles, mas realmente peço desculpa pela franqueza mas esse comentário só demonstrou a tua ignorância.

    Joana

    ResponderEliminar
  75. Oh Joana, acalme-se lá que ainda lhe dá uma coisinha má.

    Ninguém aqui menosprezou a investigação, ainda por cima na área científica. Se não conhece o meu jeito brincalhão de escrever, também não lhe vou explicar. Em vez de vir logo com 7 pedras na mal, devia perguntar o que quer saber.

    Sim, eu admiti que não percebo de bolsas de investigação, porque nunca tive uma e nem sequer fiz doutoramento. No entanto, tenho conhecidos que avançaram para o doutoramento e já ouvi falar de bolsas de investigação MUITO altas. Aliás, eu acho que há uma coisa que não expliquei, e pode ser isso. É que existem bolsas de doutoramento e existem bolsas de cientista convidado. Seria isso? É que se for isso, existem bolsas muito altas.

    É só fazer uma pesquisa rápida no google:

    http://www.fct.mctes.pt/pt/apoios/formacao/valores/

    Agora eu não mando na carteira do homem, não queira que eu saiba se ele mentiu ou disse a verdade.

    ResponderEliminar
  76. Eu perguntei o que queria saber. Foi logo a primeira coisa que fiz.

    Depois fiz um comentário acerca da afirmação sobre a investigação. Se não percebeste a minha maneira de escrever, também não te vou explicar.

    Se o tal rapaz estava a tirar um doutoramento, então não era cientista convidado. São posições muito diferentes, mas esta é outra coisa que também não vou maçar-te a explicar.

    De qualquer forma, se ele era mentiroso ou não, não me interessa muito. Não gostei do "só para investigar" e foi sobretudo isso que me levou a comentar. Mas não, não fiquei assim tão enervada que me vá dar uma coisinha má, garanto :)

    Joana

    ResponderEliminar
  77. Tencionava comentar para alertá-la que o seu amigo era um aldrabão porque seria impossível um estudante de doutoramento e ganhar 3000 por mês mas julgo que outros comentadores já a esclareceram sobre isso. Já deu para perceber como o valor é desligado da realidade e não irei acrescentar mais nada (ainda que fique curiosa sobre as bolsas de investigação muito elevadas de que os seus conhecidos lhe falaram).

    Mas li num comentário que referiu que ele era alemão, ainda que filho de portugueses: não sei se cresceu na Alemanha ou em Portugal mas, pelo menos em algumas partes da Alemanha entre as pessoas das gerações mais novas, é considerado bastante rude e até ofensivo um homem pagar as despesas da mulher que está a cortejar.

    Provavelmente fez bem em afastar-se dele porque era um grande aldrabão mas, no caso de não lhe pagar a despeja, talvez tenha pensado que a ofenderia e fazê-la-ia sentir que ficava em dívida para com ele e teria que lhe dar algo em troca. Ou talvez não e fosse apenas forreta ou não tivesse mesmo percebido que era o tipo de mulher que apreciava o gesto nessa fase de sedução.

    (Pessoalmente, não aprecio e ficaria quase tão ofendida como uma alemã...)

    ResponderEliminar
  78. Margarida, não sabia dessa forma de pensar alemã... mas eu adoro esses pequenos mimos na fase da sedução. ..)

    ResponderEliminar