quinta-feira, 10 de janeiro de 2013

25 mil assinaram petição contra abate do cão que atacou bebé em Beja

E eu sou um destes 17 mil.

Não vou estar a explicar, porque sei que este é um assunto demasiado polémico. Não acredito neste pseudo ataque. Não ouvimos falar de ferradelas. Para mim, foi um estúpido acidente. A pobre criança caiu em cima do cão, o cão assustou-se, levantou-se, fez a criança cair... daí o tal traumatismo que levou à morte. Porque não acredito em cães que ficam monstros em segundos, assinei a petição que pede para que o Zico não seja abatido. Já há gente a oferecer-se para ficar com o cão. A própria veterinária disse que ele não mostrou sinais de agressividade. Acho esta história muito mal contada...

Agora venham daí essas pedras. 

90 comentários:

  1. Querida S* não te envio pedras mas sim APLAUSOS, sou uma das que tenho a voz no activo na petição e noutras paginas do FB e ja falei muito sobre esta historia.

    Se acho que esta mal contada sim esta!
    Se acho que existe responsáveis ... sim há os ADULTOS daquela casa.

    Existem sim dois inocentes um Bebe que infelizmente Faleceu e um outro o Patudo Zico.

    Sinais de agressividade, e de maus tratos estão sobre o Zico que apresenta estes sinais mal entrou no Canil e foi avaliado e pelo que sabemos é um animal docil e meigo , se existe pessoas que querem ficar com ele há graças a deus, estão todos a fazer esforços para por este animal nas mãos de pessoas acertadas e que irão de certeza dar amor e carinho a este patudo

    Beijocas

    ResponderEliminar
  2. Pedras para os meus lados também!!! Concordo em absoluto contigo!

    ResponderEliminar
  3. Concordo! Também achei a coisa mal contada. Se fosse um caniche já era tudo diferente.

    ResponderEliminar
  4. Eu também assinei.
    Acho a história muito estranha e sem ter havido um ataque directo do cão à criança, não me parece justo matarem o cão.
    Mas infelizmente vivemos num país em que os direitos dos animais são uma história de encantar.

    Beijinhos *

    ResponderEliminar
  5. Pois, eu sou a favor do abate do cão! E agora apedrejem-me a mim... Desculpem-me, mas só falta dizer que a culpa é da criança que caiu para cima do cão. Eu gosto muito de animais, tenho animais e trato-os bem, mas não posso garantir que o meu cão um dia não morda alguém (por provocação, por acidente, pelo que for) e se isso acontecer a responsável por isso sou eu e, como tal, está nas minhas mãos evitar que volte a acontecer. Se para isso a eutanásia for necessária, assim o farei.
    Esta é a minha opinião. Sei que difere da tua S*, mas eu não consigo ser tão "cega" em relação aos animais. Para mim a vida de uma pessoa será sempre mais importante e prioritária. Não tenho nada contra ti e contra a tua opinião, apenas tenho uma diferente.

    ResponderEliminar
  6. também assinei a petição. concordo em absoluto contigo

    ResponderEliminar
  7. Eu não atiro pedras, não!
    Mesmo que o cão fosse mau foi porque o educaram assim (não há raças perigosas, há é humanos perigosos!), e se assim era, o que estava a criança a fazer ao pé de um cão assim?! Enfim.

    Bjokas.

    ResponderEliminar
  8. Como já disse no facebook, acho muito estranho o dono do Zico referir que já pretendia abatê-lo há algum tempo, mas dizer também que o cão é dócil. Também acho que a história do ataque está muito mal contada.
    Também já assinei a petição.

    ResponderEliminar
  9. Anónimo das 23.20, e eu respeito totalmente a tua opinião. Sei muito bem que as pessoas têm diferentes sensibilidades. :)

    Sempre, sempre tive animais. Nunca nenhum cão/gato me atacou. Todos os testemunhos da família diziam que o cão era um amor, super meiguinho... agora, com a criança infelizmente morta, surge esta ideia de que o cão já ferrara o dono duas vezes. Até a autópsia mostrar que o cão FERROU a criança, não acredito neste ataque. Os cães atacam com dentes, não com empurrões... portanto, este traumatismo craniano é muito suspeito.

    ResponderEliminar
  10. Aqui em casa foi assinado por três!
    Esta história está muuuuuuuuuito mal contada, mas é mais facil abater o cão; o cão não fala, logo não se pode defender, nem contar a verdadeira história...

    ResponderEliminar
  11. Também acho a história muito mal contada e acho que esta "polémica" deve-se ao facto da raça do cão, pois se fosse outra que não fosse "perigosa", acredito que não teria o mesmo encaminhamento...

    ResponderEliminar
  12. Concordo contigo e já assinei a petição.

    ResponderEliminar
  13. Nada de pedras S*, opiniões são opiniões e devemos respeitá-las. Eu respeito a tua, mas sou da opinião do anónimo. Não assinei, nem assinaria. Uma criança perdeu a vida e não se pode dizer que foi um acidente porque houve um culpado, um cão. Um cão que poderia estar apenas a defender-se ou a proteger o seu território mas que tirou a vida de um bebé. Penso que sobretudo há que garantir que não fará mal a mais ninguém. Sou desta opinião acerca do cão, como seria acerca de uma pessoa que tirasse a vida à outra...

    ResponderEliminar
  14. Eu não conheço a história, só ouvi falar por alto.. Mas se é como aqui se diz também defenderia que o cão fosse salvo! Uma coisa é um cão que foi educado para ser agressivo e que é mau! Outra coisa é um acidente. Independentemente de ser um animal não deve ser considerado culpado por um acidente! Não digo que a vida de um animal tem mais valor que a de uma pessoa, mas para mim têm ambas um grande valor e, obviamente, existem pessoas que são muito mais "animais" (se é que me faço entender) do que este e outros cães!

    ResponderEliminar
  15. Concordo contigo plenamente!!Eu também vou assinar!! Mas será que vale de alguma coisa essa petição?
    Bj S

    ResponderEliminar
  16. mary, se a autópsia provasse que realmente o cão ferrou no bebé, tudo bem. Abatam-no. Mas, que eu saiba, ninguém disse que o bebé foi ferrado. Ninguém falou em ferradelas. Falam de um traumatismo craniano que pode ter sido causado por uma queda... e a queda pode ter sido causada pelo susto do cão. Isso não é violência, é um infeliz acidente. :)

    ResponderEliminar
  17. Também assinei a petição. Mas se houve coisa que me deu náuseas foi ouvir uma veterinária do canil de Beja dizer "que todos os cães são perigosos." Que merda de veterinários são estes.

    A sério, alguém olhando para o cão acha que ele faz mal a alguém? Uma vergonha tal falta de humanidade.

    ResponderEliminar
  18. Não conheço bem os contornos deste caso. Tinha ideia de que o cão realmente havia mordido o bebé mas pelo que percebi não é bem assim. Posto isto prefiro não me pronunciar sobre este caso em particular. No entanto, e generalizando, acho que é preciso não se cair em exageros... nem nos ataques aos animais - dizendo que todos os animais de determinadas raça~s são perigosos e etc - nem na sua defesa - afirmando que a culpa é seeeeempre do dono. Há muitas pessoas que nunca deveriam ter cães - ou outro animal - na vida! Concordo. E concordo que em muitos casos os donos deveriam ser considerados igualmente culpados. E haveria que averiguar se essa pessoa está em condições de ter um animal a seu cargo. Mas para isto teríamos que ter outra legislação, outra mentalidade, enfim, outro contexto diferente do que temos. Mas também há situações em que os donos não são culpados. Em que os cães se viram a alguém, à partida sem nada o fazer prever. Enfim S*, foi apenas um desabafo. Como te digo não conheço suficientemente bem os contornos deste caso para o comentar particularmente.

    ResponderEliminar
  19. Esta petição deveria não ser só pelo zico, mas por uma legislação em condições que defendesse o interesse dos animais e responsabilizasse os donos de uma vez por todas...
    Li num comentário mais acima que se fosse um caniche, não se falaria em abater o cão. Ora, as dentadas de cada um não podem ser de todo comparáveis.
    Nunca digo nunca, não sei que voltas a vida pode dar, mas não me parece que gostasse de ter um cão capaz de me arrancar um braço :P
    Mas fico a torcer pelo zico e por todos os bichos em condições miseráveis e desumanas!

    ResponderEliminar
  20. também já assinei. uma história muito mal contada e a meu ver, estão a usar o triste acidente para se livrarem de vez do cão... e o zico é que é um animal.

    ResponderEliminar
  21. Peço imensa desculpa por discordar mas o Público diz que a autópsia determinou que a causa da morte foi a mordedura. E depois há a lei, nomeadamente o DL 312/2003 que é perentório: qualquer animal perigoso, isto é, que tenha mordido, atacado ou ofendido o corpo ou a saúde de outra pessoa é abatido. Os animais não têm livre arbítrio, não são seres humanos, não interessa a motivação ou o meio envolvente. Um animal que mata uma pessoa não é, por muito que se queira, um ser humano.

    ResponderEliminar
  22. Eu abatia era o familiar da criança, o dito dono, o que em entrevista televisiva disse com todas as letras que há um ano que queria matar o animal. Se não gostava do animal, porque o tinha??? Depois ainda há gente que se admira quando eu digo que cada vez mais gosto menos de pessoas... Enfim, uma sociedade define-se pela maneira como trata os animais e os idosos, e nesse aspecto Portugal é - e se não muda, será sempre! - um país atrasado!

    ResponderEliminar
  23. Também falaram na hipótese de inserirem o bichito num campo de treino, mas parece-me que foi como tu dizes: nada mais que um acidente. Acho que é natural a família não querer ficar com ele, mas daí a ter de ser abatido...

    E, pelas notícias, estes nem são daqueles donos que incitavam a violência no cão, era só um cão e mais nada, não o tinham para se armar em bons para os amigos, era um animal de estimação que já estava com eles há uns 9 anos, e sem qualquer mostras de violência.

    Ainda esta semana, nos Estados Unidos, um pitbull ouviu a dona a gritar e o bebé a chorar, e salvou a família de um assalto na casa deles. Foi "violento", pois foi, mordeu o braço e a perna ao agressor, mas teve treino de protecção, e protegeu a sua família.

    Se em vez de ser o bebé a cair em cima do Zico às escuras, tivesse sido um ladrão, hoje o Zico era um herói.

    ResponderEliminar
  24. Lamento pelo destino do cão, mas acredito que é o melhor.
    Acredito que o cão seja meigo e que em situações normais não atacaria, mas pelos relatos o cão estaria no "seu local" (estes animais são muito agarrados ao que é seu - local, objectos, donos...) às escuras e poderá não se ter apercebido que quem chegava.
    O maior problema destas raças não será a agressividade em si, essa creio ser incentivada por muitos maus donos, mas sim a força mandibular e o facto de não largarem facilmente a vítima. Imaginam a força de um cão assim? Se um cão de outra raça já é forte imaginem um destes. E a fragilidade de uma criança de 18 meses?
    Lamento mas, na minha opinião, não se deve abrir um precedente.

    ResponderEliminar
  25. Concordo contigo.
    Achei de inicio que abater o cão não era solução. Estes cães não são perigosos, são "potencialmente perigosos", ou seja, se os ensinarem a ser maus são com facilidade, senão não fazem mal a uma mosca. O cão, como qualquer ser, reage quando se sente ameaçado, foi o que aconteceu.
    Só tenho pena que se tenha perdido uma vida.

    ResponderEliminar
  26. Não sei, sinceramente, se o abate do cão é a melhor solução, mas o dono devia ser, definitivamente, responsabilizado. Está tudo mt mal contado, mas isso de o cão nunca ter atacado parece q não é bem verdade. Existe uma série de contradições numa notícia q li. Dizia q havia mordedura do cão, sim e q a criança tinha massa cerebral arrancada, conclusões da autópsia. Uma queda no chão não arranca massa cerebral, penso eu. Dizia tb q o cão em 8 anos não atacou ng, mas dizia tb q o dono já tinha ido 2 vezes ao hospital por ter sido mordido por ele. Mas em q ficamos? Nem todas as notícias dizem o mesmo, por isso quem está de fora nunca saberá o q realmente se passou. A única coisa q se pode dizer é q os responsáveis pelo cão e pela criança foram negligentes.

    ResponderEliminar
  27. Há tantas possibilidades para o que aconteceu... o miúdo pode ter caído e batido com a cabeça no chão com o susto do cão... mas tb pode ter caído noutro sitio, sem culpa de ng, e por acaso o cão serviu de desculpa... apenas se especula sobre o que aconteceu! e por uns pagam os outros...

    ResponderEliminar
  28. Eu ainda não li em lado nenhum que o cão ferrou na criança... por isso continuo na minha.

    ResponderEliminar
  29. Concordo contigo a 100%, se há alguém que devia ser culpabilizado eram os pais da criança e não o cão, afinal o bebé tinha 18 meses, o cão estava a fazer de babysitter?... Até que ponto o bebé morreu mesmo por causa do cão e até que ponto o cão não foi uma desculpa para o que realmente aconteceu? Podemos também pensar deste modo não podemos?

    ResponderEliminar
  30. Eu não assinei mas acho que o cão não ia fazer mal à criança propositadamente. Ainda mais quando se fala que a criança caiu em cima dele numa divisão da casa escura. O que eu pergunto é onde estavam os pais nesse preciso momento? Acho que o que o cão fez foi um mecanismo de defesa e um instinto animal e pelo que se diz também não há marcas de mordidelas. a criança caiu em cima dele e ele reagiu como qualquer outro animal reagiria. é uma situação delicada porque os pais querem a sua justiça mas deviam ter pensado nisso antes. Afinal o cão não se jogou à criança num instinto assassino, foi na sua defesa. Imagino um humano a dormir na sua cama e de repente cai lhe qualquer coisa em cima o que ele faz. Estamos a falar de um cão de grande porte que lhe cai uma criança em cima e ele reage empurrando-a. Coisas acontecem, infelizmente.

    ResponderEliminar
  31. "O menino de 18 meses foi atacado no domingo ao final da tarde pelo cão da família, um cruzado de pitbull, raça considerada potencialmente perigosa. Foi transportado para o Hospital de Santa Maria, em Lisboa, onde deu entrada com um traumatismo crânio-encefálico grave, com o crânio esmagado e com massa encefálica arrancada, segundo fonte hospitalar. O menino não resistiu aos ferimentos e morreu por volta das 0h de terça-feira.

    A autópsia, realizada na quarta-feira, concluiu que a morte se ficou a dever aos ferimentos provocados pela mordedura do cão, segundo disse ao PÚBLICO fonte do Instituto de Medicina Legal. O funeral ficou marcado para esta quinta-feira, em Setúbal, de onde é natural a mãe da criança."

    Público, 11 Janeiro 2013

    ResponderEliminar
  32. Hm... 25 mil ou 17 mil? :D

    ResponderEliminar
  33. Concordo contigo... Há coisas muito mal explicadas... E o facto de o miudo ter morrido com um traumatismo craniano ainda é mais estranho!

    ResponderEliminar
  34. Concordo plenamente! Por cá também se fala muito na agressividade dos cães especialmente de raça, e o que eu vejo é que esses cães chamados de agressivos são no fundo mais meigos do que muito ser humano que conheço.

    ResponderEliminar
  35. E no meio disto tudo, concordo plenamente contigo!
    Um Golden Retriever, que é um autentico burro (paz de alma, um ursinho fofo... whatever!) se for mal tratado também morde, certo?
    A minha cunhada tinha uma cadela Pitt Bull e a minha sobrinha, que tinha uns 4/5 anos, brincava com ela, puxava-lhe as orelhas e a cadela nunca, mas nunca lhe mostrou um dente que fosse.
    Pelo amor de Deus! Não existem raças perigosas. Existem sim, dono perigosos.

    ResponderEliminar
  36. Concordo em absoluto contigo.
    Pelo que li o animal era maltratado, fechado sozinho às escuras sem lá onde, a criança (mal vigiada!) entrou no "espaço" do animal às escuras e é o que se sabe.

    Os animais são abatidos mas aos donos nada acontece, e por que razão???

    Há cães agressivos porque muitos donos a isso incitam, principalmente com cães fortes e grandes.

    Isto é uma estupidez pegada.

    ResponderEliminar
  37. Só quem viu é que sabe realmente o que aconteceu, mas realmente ninguém falou em ferradelas! Eu abstenho-me...

    ResponderEliminar
  38. Também assinei a petição... Exactamente pelas mesmas razões que tu. Não sei porque, mas quando ouvi o senhor dizer que já tinha tentado mandar abater o cão porque, simplesmente, não o queria, fiquei com a pulga atrás da orelha.

    Acho a história mal contada também... Um cão até se pode assustar, a minha também já se assusta, mas nunca me atacou por causa disso. Ela conhece-me, conhece o meu cheiro a metros de distância... E afinal que fazia uma criança de 18 meses sozinha, a meio da noite, numa cozinha?

    Enfim... Lamento a morte da criança, obviamente, mas também lamento o destino do pobre animal.

    ResponderEliminar
  39. Acho curioso haver pessoas que continuam a dizer que não há cães perigosos... Pois eu acho que há, basta pensarmos na força que um pitbull tem e compará-la com a de um caniche (exemplo). Os dois podem morder certo? Mas os estragos são incomparaveis. Portanto acho que não são precisas muitas outras justificações.
    O que me revolta é que depois de tantas noticias similares, hajam pessoas que continuem a pôr dentro de casa cães (considerados perigosos) com crianças... Aviso já que até gosto bastante de animais. Este não é um comentário de opinião sobre se o cão deverá ser abatido ou não, mas não consigo ficar indiferente quando dizem não há cães perigosos...

    ResponderEliminar
  40. Acho curioso haver pessoas que continuam a dizer que não há cães perigosos... Pois eu acho que há, basta pensarmos na força que um pitbull tem e compará-la com a de um caniche (exemplo). Os dois podem morder certo? Mas os estragos são incomparaveis. Portanto acho que não são precisas muitas outras justificações.
    O que me revolta é que depois de tantas noticias similares, hajam pessoas que continuem a pôr dentro de casa cães (considerados perigosos) com crianças... Aviso já que até gosto bastante de animais. Este não é um comentário de opinião sobre se o cão deverá ser abatido ou não, mas não consigo ficar indiferente quando dizem não há cães perigosos...

    ResponderEliminar
  41. volto a dizer, esta história é ultra manhosa, se a criança caiu para cima do cão às escuras, a culpa é de quem tinha a criança a seu cargo e foi negligente em deixar que tal coisa acontecesse, mas como se trata de ciganada, mata-se o desgraçado do cão e fica tudo resolvido...

    Que legitimidade tem o canil para abater um cão que não atacou ninguém e não é agressivo???

    Quem pensa de forma diferente pode-se ir encher de "moscas"!

    ResponderEliminar
  42. Com alguma sorte, descobre-se que a criança morreu porque o paizinho ou a mãezinha lhe deu um chapadão, a criança caiu no chão, fez um traumatismo craniano, e quem paga é o cão!... Portugal no seu melhor!

    ResponderEliminar
  43. eu assinava era uma petição para o abate dos proprietários / donos de cães e gatos que os tem sem as condições mínimas necessárias para as suas necessidades, mas isso será algo que nunca verei assim como a A.R. e a corja de Filhos da P... que por la param que só fazem merda e enchem os bolsos a nossa custa.
    tenho pena do pequeno que com 18 meses perdeu a vida o que ira suceder ao cão é ser abatido sem do nem piedade.
    há uns 30 anos atrás aqui na cidade onde eu moro os cães abandonados eram recolhidos por equipas da câmara municipal durante a noite, ficavam de quarentena durante 8 dias á espera de serem reclamados ou adotados, aqueles que não o eram eram abatidos através da electrocução, um espetaculo muito triste.
    atualmente são depositados em canis municipais grande parte deles sem condições e com sobrelotação um problema criado pela sociedade em que vivemos.

    ResponderEliminar
  44. Marisa Reis,

    O cão a fazer de babysytter!?
    1º O cão vivia há vários anos em família.
    2º Nenhum pai ou mãe está de olhos postos todos os minutos num filho.
    3º As crianças correm, brincam, escondem-se, vivem...
    4º O cão estava em SUA casa, a criança estava em SUA casa.
    5º Podemos pensar de diferentes modos, mas uns são mais sensatos que outros.

    ResponderEliminar
  45. Esta historia está muito mal contada. Há qualquer coisa que não bate certo. As pessoas tem que ter noção do tipo de animal de estimação que tem, trata-lo, educa-lo e conviver como dever ser com cada raça.
    Beijinhos grandes.

    ResponderEliminar
  46. S., li algures (o que não significa que seja verdade) que o cão já teria mordido a um avó do bebé.

    ResponderEliminar
  47. 'Segundo fonte do Instituto de Medicina Legal ao jornal "Público", "a autópsia, realizada quarta-feira, concluiu que a morte se deveu a ferimentos provocados pela mordedura do cão".'

    ResponderEliminar
  48. O menino de 18 meses foi atacado no domingo ao final da tarde pelo cão da família, um cruzado de pitbull, raça considerada potencialmente perigosa. Foi transportado para o Hospital de Santa Maria, em Lisboa, onde deu entrada com um traumatismo crânio-encefálico grave, com o crânio esmagado e com massa encefálica arrancada, segundo fonte hospitalar. O menino não resistiu aos ferimentos e morreu por volta das 0h de terça-feira.

    "massa encefálica arrancada" achas que foi com um empurrão?!

    ResponderEliminar
  49. Estava a ler a reportagem do Ruy de Carvalho no sapo fama e pensei cá pra comigo, tenho de ir ao blog da S* ver o que ela lá diz, porque ela comenta sempre estes assuntos.
    Sabes concordo com tudo o que disseste, e sinceramente tenho pena pela morte a criança mas a historia está mesmo muito mal contada.
    E como tu própria referiste agora "venham de lá essas pedras".
    Vou agora mesmo assinar a petição contra o abate do Zico.
    Kitty

    ResponderEliminar
  50. Também eu já assinei, ao que parece já vai em 30mil assinaturas.
    As histórias acontecem quando mais convém às pessoas,infelizmente.

    ResponderEliminar
  51. http://www.publico.pt/sociedade/noticia/mais-de-11-mil-pessoas-contra-abate-do-cao-que-matou-crianca-em-beja-1580190
    "O menino de 18 meses foi atacado no domingo ao final da tarde pelo cão da família, um cruzado de pitbull, raça considerada potencialmente perigosa. Foi transportado para o Hospital de Santa Maria, em Lisboa, onde deu entrada com um traumatismo crânio-encefálico grave, com o crânio esmagado e com massa encefálica arrancada, segundo fonte hospitalar. O menino não resistiu aos ferimentos e morreu por volta das 0h de terça-feira.

    A autópsia, realizada na quarta-feira, concluiu que a morte se ficou a dever aos ferimentos provocados pela mordedura do cão, segundo disse ao PÚBLICO fonte do Instituto de Medicina Legal. "

    Atentar na parte em que se fala de "crânio esmagado", "massa encefálica arrancada" e "A autópsia(...)concluiu que a morte se ficou a dever aos ferimentos provocados pela mordedura do cão". Seguundo li, o cão estava a dormir na cozinha, o miudo de 18 meses tropeçou no cão porque a cozinha estava às escuras, o cão assustou-se e atacou-o. Nenhum bebé cai na cozinha e fica "milagrosamente" com massa encefálica arrancada. Podia acontecer com pais em casa, não teria acontecido era se esses pais não tivessem um bebé de 18 meses a viver com um cão de raça perigosa.
    Eu ja tive um cão (cocker) num apartamento e muitas vezes no escuro tropecei nele e não foi por isso que ele me atacou. Há cães e cães e enquanto as pessoas não perceberem isso e continuarem a dizer que "ah e tal, ele é meigo, não faz mal a ninguém" estas coisas vão continuar a acontecer.

    ResponderEliminar
  52. não te vou atirar nenhuma pedra, quando eu própria penso o mesmo.
    Não acredito num cão violento do dia para a noite.
    A uma história mt mal contada por trás disto.
    quem como eu convive com cães sabe que se muitos deles são violentos são por incentivo dos próprios donos. E este ao que se sabe sempre foi meigo, nada agressivo.
    para além de uma criança inocente que morreu, mais um animal por certo vai ser abatido (digo eu) sem culpa.

    Vou tb assinar a petição e agora, que me atirem tb pedras.
    Bjs*

    ResponderEliminar
  53. Desde o inicio que esta lá a minha assinaturav

    ResponderEliminar
  54. Concordo! Animais são animais, agem perante impulso, têm medos como nós. Se a criança lhe caiu em cima, é normal que se tenha assustado e tenha reagido. Acho absurdo colocarem-se as culpas num animal indefeso.

    ResponderEliminar
  55. A toda a gente que veio citar o Público e a autópsia que falava em mordidelas - não li isso em mais nenhum lado. Se o Público assim o diz, eu acredito... mas continuo na minha: nenhum cão fica mau em segundos. Basta olhar para as fotografias do animal para perceber que agressividade ali não existe.

    Mas respeito, claro, quem pense diferente.

    ResponderEliminar
  56. Quanto à alegada teoria de cães perigosos, como bem disseram, todos os cães ferram. Caniches, pit bulls, todos. Uns fazem mais danos que outros - claramente, o que não significa que uns sejam mais maldosos que os outros.

    ResponderEliminar
  57. Anónimo que perguntou pelo número de assinaturas, da última vez que vi, já ia nas 33 mil.

    ResponderEliminar
  58. Desculpa lá, mas a questão aqui não é se o cão fica mau em segundos. O cão não é necessariamente bom ou mau por natureza. É um cão! Está bem que podia ser dócil e meigo e habituado ao contacto com crianças, mas por instinto reagiu da forma que reagiu (e que é normal tendo em conta a raça e que se de facto estava a dormir e acordou assustado tentou defender-se!). Não é maldade, é instinto. O facto de um cão ser dócil, meigo, etc. não quer dizer q tenha passado a ser um robô formatado para ser só isso! A questão é que o cão assustou-se e se fosse de outra raça podia ter mordido a mesma mas dificilmente matava a criança. Indo ao tema do post: Será que o cão merece ser abatido? Não sei, não me parece. A haver alguém a responsabilizar neste caso seriam os pais. E aí volto a dizer, parece-me que enquanto as pessoas quiserem ter estes cães em casa estão sujeitas a problemas deste tipo.

    ResponderEliminar
  59. Catarina, ao menos numa coisa estamos de acordo: não me parece que o cão deva ser abatido. É um cão, pode ter reagido mal com o susto.

    ResponderEliminar
  60. estou de acordo achei a historia muito mal contada desde o prencipio,o dono disse que o queria abater ha muito tempo,a bebe morreu nao por culpa do cao mas de quem tinha a obrigacao de tomar conta dela,quando o cao ataca alguem e morto e quando o dono trata mal o cao?mata-mos o dono!

    ResponderEliminar
  61. Alguem disse que a veterinária era uma "merda" por dizer que todos o cães são perigosos. Pois são. Quando atacados, treinados, mal tratados, deixados a fome, todos os cães são perigosos. Quando uma mãe, ainda que pequena e frágil, vê o seu filho ameaçado não pode ser muito perigosa também? Não precisa de ser uma psicopata.

    ResponderEliminar
  62. Mel, eu também virava assassina para proteger a minha família. :)

    ResponderEliminar
  63. Não sabia desses pormenores de que falas, mas fizeram-me pensar.

    ResponderEliminar
  64. Finalmente, parece haver o resultado da autopsia que concluiu pela morte causada pelas mordeduras e onde se fala, inclusivamente, de massa encefálica arrancada. Ora, se até aqui não poderia estar mais de acordo com o não abate, neste momento e tendo em conta a legislação vigente, não posso fazer ouvidos moucos. Infelizmente, aquele pobre bichinho deverá ser abatido, à luz da lei. Ele não é intrinsecamente mau. até aqui poderei concordar. Mas a verdade é que por variadíssimas razões os animais podem "eminentemente" perigosos.

    Os pais não conseguem, efectivamente, estar presentes em 100% dos momentos da vida dos filhos. É humanamente impossível, enquanto provam o jantar para ver se está bem de sal, desviam o olhar 20 segundos. Contudo, uma coisa completamente diferente é deixarem os filhos de 17 meses sozinhos numa divisão da casa que lhe dê tempo de cair em cima de um cão ou provocá-lo, ser atacado, perder parte do cérebro, até um adulto ter tempo de ouvir os gritos da criança e acudir. E se nada tivesse acontecido... Mas aconteceu. Se calhar estou a exagerar e foi tudo tão rápido que não dava tempo de vir do quarto ao lado e 2 segundos. Mas acho que se deve apurar até que ponto não estarão em causa pais negligentes. A mim assustam-me mais pais negligentes que largam os seus bebés à sua sorte, do que cãozinhos que às vezes têm muito má sorte nas casas onde vão parar.

    E sim tanto o cão como o bebé estão em suas casas, mas só por ser a casa deles não há perigos? Escadas? Tomadas? Electrodomésticos? Varandas? Facas? Fogão? etc. Muitos perigos.

    Também há legislação para punir pais e donos negligentes.

    ResponderEliminar
  65. Mel, se assim o é, o caso pode mudar de figura. Mas para mim o facto da criança ter caído em cima do cão muda tudo. O meu coração não consegue "pensar" de outra forma. Se a criança estivesse quieta e o cão lhe ferrasse, caramba, tinha mesmo de achar que merecia o abate. Se o cão se assustou, o primeiro instinto pode ser ferrar, atacar. Não consigo aceitar o abate... há quem queira o cão, até já li treinadores de cães a oferecerem-se para ficar com ele e reabilitá-lo.

    Talvez seja irracional, mas não consigo pensar de outra forma.

    ResponderEliminar
  66. Estou completamente de acordo,acho muito estranho o que aconteceu,é com profundo pesar e nem consigo imaginar a dor de perder um filho,sinto profundamente pela bébé que teve uma curta vida,espero que tragédias iguais a esta nao voltem acontecer, mas quem tem de tomar conta da bébé e do cão são os adultos foram eles que falharam,se um cão ataca alguém o animal é morto porque é um perigo,mas se o dono o trata mal ou o abandona o que se faz ao dono?

    ResponderEliminar
  67. Concordo tanto com o que tu escreveste! E eu também já assinei a petição...

    ResponderEliminar
  68. Eu também assinei, se bem que duvido que possa fazer diferença. Mas espero que sim. No mínimo poderia-se tentar reabilitar o cão.
    A meu ver há maus cães e maus donos.

    Os meus pais sempre tiveram cães no exterior. Um dia arranjaram uma cadelinha rafeira e decidiram que ela ficaria em casa. Eu e as minhas irmãs éramos pequenas. Para nós a cadela era um brinquedo! Não percebíamos nada do assunto e basicamente cuidávamos dela, o melhor que sabíamos, e dávamos todos os mimos possíveis!! A cadela tornou-se possessiva em relação a nós. Um dia, numa crise de ciúmes por termos lá uma outra familiar a quem estavamos a dar mais atenção, ela mordeu uma das minhas irmãs. Deixou-lhe uma marca no rosto que mesmo com cirurgia plástica nunca desapareceu. A família decidiu que ela iria viver, mas todos nós iriamos ser mais firmes e cuidadosos na educação da cadela.
    A cadela viveu até aos 12/13 anos, morreu de velhice.
    Fomos maus donos, mas admitimo-lo a tempo de evitar que algo igual ou pior voltasse a acontecer.

    A meu ver nunca se devia deixar de tentar reabilitar, seja um cão ou uma pessoa.
    Uma criança morreu, e é lamentável, mas um cão não se torna instantaneamente agressivo. Há sinais; e há maus donos que não os entendem.

    ResponderEliminar
  69. "se a criança estivesse quieta" bem me parecia que a culpa era da criança! Isto é ridiculo. Uma criança morreu!!!

    ResponderEliminar
  70. Também assinei. Assinei porque sei que o cão é o fruto do ambiente onde se insere, especialmente da sociabilização que é feita durante a idade de cachorro. Fiz precisamente um post no meu blog sobre isso, onde explico como prevenir as mordidas de cães. Não passa por proibir raças, a raça não dita se o cão é perigoso ou não. E enquanto andarmos focados na questão da raça, não vamos a lado nenhum!

    ResponderEliminar
  71. Raven disse...
    Concordo! Animais são animais, agem perante impulso, têm medos como nós. Se a criança lhe caiu em cima, é normal que se tenha assustado e tenha reagido. Acho absurdo colocarem-se as culpas num animal indefeso.


    Isto é de doidos!! DE DOIDOS!!!
    Um cão NÃO PODE morder até à morte só porque se assustou!! Isso não é justificação aqui nem em Marte nem em lado nenhum!
    Quantas vezes vão permitir que o cão se assuste?!? Não estamos a falar de um meia leca de um pinscher!!! Estamos a falar de um cão com um poder de mordedura de toneladas. Um cão que desfaz osso como se fosse papel!

    Morreu uma bebé, foda-se.

    Que nojeira isto tudo!

    Fui.

    ResponderEliminar
  72. E porque é que não mandam abater a "mãe" que deixou os dois filhos pequenos trancados em casa e a incendiou, provocando-lhes a morte, há alguns dias atrás? Eu assinei a petição e assinaria mil vezes, se pudesse! O cão reagiu por instinto! Estou como alguém escreveu, algures, nos comentários: se fosse um ladrão, o Zico seria um herói! Mas foi um bebé, um pobre bebé que teve a infelicidade de andar, DURANTE A NOITE, SOZINHO, por casa!!! Responsabilizem os pais, proíbam-nos de ter mais animais!! Ou alguém duvida que, daqui por algum tempo, têm outro cão da mesma raça (ou equivalente)? A minha mãe já foi mordida (tendo que levar 4 pontos no braço) por uma meia leca de uma cadelita nossa, de 4 kg, quando a tentou separar de uma briga com outra cadela, por causa da comida! Não lhe batemos, nem a mandámos abater!!! O Zico vai pagar por ser um cão. Apenas isso.

    ResponderEliminar
  73. S*, percebo bem o que diz e sente. Sinto o mesmo, mas o abate de cães não serve para punir o seu comportamento, porque eles são irracionais, não agem com dolo. O abate é para prevenir que numa outra situação de stress ou provocação ele não volte a magoar e/ou matar. Daí a minha posição a favor do abate, apesar do aperto no coração. tenho muita pena do cão, mas o desfecho da história está escrito num decreto-lei.

    Que a história sirva para outros instrumentos legislativos preverem a situação jurídica dos animais, que no nosso ordenamento são equiparáveis a coisas.

    ResponderEliminar
  74. Também acho que a história esta mal cintada.. Atirem me pedras..nao abatam o cão ..eduquem as pessoas e responsabilizem nas.

    ResponderEliminar
  75. Eu sou de opinião diferente, mas nem me atrevo a escrever no blog, ia perder anos de vida. No fundo, no fundo, cada um tem a sua perspectiva e também quando as circunstâncias ainda são tão pouco claras é difícil ter a certeza absoluta que se está a tomar a posição correcta.

    ResponderEliminar
  76. Eu tb. já assinei e tb acho que foi um acidente. Bjs.

    ResponderEliminar
  77. Ao ler a dureza do resultado da autópsia ainda escrevem floreados?
    Eu como mãe de uma criança pequena que zelo pelo seu melhor (nunca teria a conviver com ele um cão com uma força mandibular daquelas), mas que não consigo estar todos os segundos a olhar na sua direcção (eu devia ser abatida) fico indignada.

    (A culpa foi certamente da mãe que estava a colocar a roupa nas gavetas e não prendeu a perna da criança à perna da cama - sim é ficção com ironia).

    Concordo que gostem dos animais e os defendam mas escrever certas imbecilidades é demais.

    ResponderEliminar
  78. Boa tarde
    há tecnicos que insistem que um animal que prova sangue humano pode ficar viciado.

    Os donos acham sempre que os cães são optimos, o mesmo acontece com os pais que educam mal os filhos mas acham que são maravilhosos.

    Devo dizer que gosto mais de cães do que de muitas pessoas. Mas depois destes ataque o cão deve ser morto sim. E os donos deviam ser exemplarmente castigados, não presos, mas retirar-lhes todos os apoios sociais que tem.Isto porque a maioria dos donos deste cães é pessoal sem educaçao ou instruçao que usam os cães justamente para intimidar.

    ResponderEliminar
  79. "S* disse...
    mary, se a autópsia provasse que realmente o cão ferrou no bebé, tudo bem. Abatam-no. Mas, que eu saiba, ninguém disse que o bebé foi ferrado."

    Eu até sou tendencialmente contra o abate do Zico (embora tenha ficado de pé atrás com a notícia dos resultados da autópsia), mas está a ser incoerente, S*. Se era contra o abate do Zico por uma questão de princípio, e não devido ao desconhecimento das cirscunstâncias do incidente, devia tê-lo dito logo de início.

    ResponderEliminar
  80. e eu tambem assino, nao e solução, o animal nao tem a culpa... um animal so faz alguma coisa se tiver motivo para isso.... e ele de certeza que o tinha....para mim vai da maneira que o tratam... sou contra!

    ResponderEliminar
  81. nem o bebe, nem o cao tem a culpa...mas sim os donos! as pessoas tem a mania de dizer ai aquele e de raça perigosa, ( sao maus) mas engana-se porque vai da educação, e do que as pessoas sao para eles... ate um simples caozito pode ser perigoso... Nao abatem o zico...

    ResponderEliminar