domingo, 6 de janeiro de 2013

Depardieu agora é russo

"O governo da república russa da Mordóvia ofereceu hoje uma casa e o cargo de ministro da cultura ao ator francês Gérard Depardieu, que recebeu há poucos dias um passaporte russo autorizado pelo presidente Vladimir Putin".


Acho tudo isto uma fantochada. Até posso entender o argumento dos impostos serem demasiado pesados... mas não se muda de país, de nacionalidade, de raízes, como se se mudasse de cuecas. 

43 comentários:

  1. Concordo que uma casa e um cargo de ministro da cultura me parece exagerado, mas percebo o porquê da mudança do actor. Em 2012 pagou 85% de impostos (porque ele pagou, não fugiu aos impostos). Por muito dinheiro que ele tenha ganho e ainda tenha ficado, qualquer um de nós ficaria chateado por dar 85% do que recebe a um Estado. E se após afirmar que quer mudar de país, o primeiro-ministro vem publicamente ofendê-lo, entendo bem que tenha deixado de ver a França como o seu país e queira novo nacionalidade.

    ResponderEliminar
  2. Quando vi essa notícia nem acreditei muito bem no que estava a ver, limitei-me a passar-lhe por cima... Isto há com cada um!

    ResponderEliminar
  3. Eles não querem pagar como os desgraçados que trabalham todos os dias... enfim, esse tipo não é exemplo para ninguém.


    boa semana, beijo!

    ResponderEliminar
  4. Mas parece que até é muito fácil, e se a moda pega... A Brigite Bardot vai fazer o mesmo.

    ResponderEliminar
  5. Olha, é só queimar tempo e informação. Para que é que o gajo fez isso, honestamente...

    ResponderEliminar
  6. Tete, por isso entendo os motivos dele. É um exagero. É um roubo. Mas também mudar de nacionalidade em meia dúzia de dias... eh...

    ResponderEliminar
  7. Tete, por isso entendo os motivos dele. É um exagero. É um roubo. Mas também mudar de nacionalidade em meia dúzia de dias... eh...

    ResponderEliminar
  8. Já para não falar que chega lá e dão-lhe logo uma casa e um cargo desses. Acho completamente descabido.

    ResponderEliminar
  9. Eu acho que nós (pobres)valorizamos algumas coisas, pátria, nação, que eles ricos não valorizam, são outras mentes, sei lá...

    ResponderEliminar
  10. marina, pois... acho que não diria melhor.

    Quel, o cargo é o mais pateta!

    ResponderEliminar
  11. Concordo contigo!
    Por aí se vê o amor à pátria. Não me digam que o homem ía ficar pobre com o aumento de impostos, coitadinho... :P

    ResponderEliminar
  12. É tudo uma enorme manobra de publicidade para o Depardieu!

    ResponderEliminar
  13. pátria? As pessoas acomodam-se por fantochadas como pátria, nasce-se num bocado de terra e por razões emocionais prende-se a vida a um local pouco favorável. Somos cidadãos do mundo, a pátria não vale nada. O chão que piso nada me dá.

    ResponderEliminar
  14. Sim, é verdade que lhe trataram das coisas bem depressinha. :)
    Quanto ao dar valor às coisas não sei será coisas de pobre ou de ricos. Eu não conheço o senhor de lado nenhum por isso não sei o que lhe passa verdadeiramente pela cabeça, mas se eu fiquei zangada por o meu país não me permitir arranjar um emprego e viver nele, então nem imagino como ficaria se andasse a dar 85% do meu salário ao Estado para depois esse mesmo Estado vir dizer que eu sou rasca. Eu, na minha situação, não mudei de nacionalidade (apenas emigrei zangada....), mas numa situação como a do autor não sei se não deixaria de ver Portugal como a minha pátria. Quem quer uma pátria que nos rouba e nos ofende? Enfim, é o meu ponto de vista. :)

    ResponderEliminar
  15. É preciso ter muita cara de pau. E nós todos a aturar estas palhaçadas.
    Enfim

    ResponderEliminar
  16. A fuga aos impostos em frança é lixado... que coisa estranha!

    ResponderEliminar
  17. Tete, claro que é revoltante. Os impostos têm de ter um limite... mesmo para os ricos. De que vale receber 100 mil euros, se 85% vai para o Estado? :/

    Anónimo das 22:16, são opiniões. Eu adoro o meu país.

    ResponderEliminar
  18. Espero que os pobres portugueses, ou melhor, os portugueses pobres, não sigam essa moda...

    ResponderEliminar
  19. Há quem nunca se integre no seu próprio país! eu se pudesse mudava. Nunca me senti totalmente completa cá.
    Beijinhos*

    ResponderEliminar
  20. à parte: adoro a nova imagem do teu blog :)

    ResponderEliminar
  21. por acaso concordo ali com o anónimo dear S*. Isso da pátria é muito bonito mas sinceramente, e falando da nossa, o que é que nos tem dado? Gosto muito do Portugal - terreno, cultura, pessoas - mas sim, neste momento o que "conta" são as finanças. Basta ver, se dos nossos 400- 600 - 700 euros, nos tirassem 85% também ficávamos bem f******! Iamos ficar cá a penar por causa da pátria? Não me parece. Se me oferecessem isso eu não recusava. Vocês recusavam? hmmmmmm.....

    ALIÁS, se todos eles fizessem isso, os ricos que dão os tais 85% de ivas, impostos, seg. social, eles tinham de mudar essa política. Vocês também gostariam (e gostam) de pagar os 11% (?) de segurança social que sustenta ciganos, desempregados que não querem trabalhar, pessoas que têm filhos por ter, etc etc? Eu não...
    mas adoro o meu país à mesma.
    é tudo uma questão de escalas.

    ResponderEliminar
  22. Maria, uma coisa é emigrar para procurar uma boa vida... outra coisa é renegar a minha nacionalidade. Mas eu nem critico o facto de ele ter pedido outra nacionalidade, critico é a fantochada em torno de tudo isto. Para que foi ter com o Putin, para que fez aquele show? Oh.

    ResponderEliminar
  23. Algum interessa a Russia e o Putin hão-de ter em tê-lo por lá e em fazer esta oferta tão generosa....

    ResponderEliminar
  24. gerard depardieu é um burgesso, basta olhar para ele...

    ResponderEliminar
  25. A mim o que me choca é ter escolhido nacionalidade Russa. Onde os direitos humanos são uma treta, onde uma girlsband qualquer vai parar à prisão, onde a miséria é muita... É por aí que se vê o carácter das pessoas. Antes rico que num pais de pobres do que contribuir (talvez de forma exagerada, é um facto) para a igualdade social noutro país.

    ResponderEliminar
  26. Se alguém quizesse ficar com 85% do que eu ganhasse também me tornaria Russa. Preso muito a minha nacionalidade mas o que estão a fazer é um roubo, um saque. O dinheiro é dele tem o direito de o pôr onde quizer!
    vidademulheraos40.blogspot.com

    ResponderEliminar
  27. Interessante. Que interesses há nesta ação?

    ResponderEliminar
  28. Ministro da Cultura?!? Ele?? Depois de ter falado do povo russo de forma totalmente ignorante, como se não fosse um povo explorado há decadas?!? Meu Deus...

    ResponderEliminar
  29. A Marina tem razão; por isso é que só morrem os soldados, nunca os generais!

    ResponderEliminar
  30. Pois tb fico um bocado chocada. eu sei que 85% de impostos mesmo para quem ganhe muito (e sim ele podia ter fugido como tantos outros fazem) custa. mas dai a renegar a sua propria nacionalidade? quer dizer na europa podemos ter dupla nacionalidade, era tao simples como ele mudar de pais e ja esta. enfim nao percebo.
    e na franca tal como em todo o lado, se nos explicassem onde os nossos impostos estao a ser aplicados, com clareza, se calhar existia menos revolta.

    ResponderEliminar
  31. Mais um, menos um...Russo. Que diferença faz?! ;)

    ResponderEliminar
  32. Acho bem que os ricos pagem mais que os pobres! Não sei se são os 85%como ele diz,mas se ele tem milhões e é conhecido mundialmente pela sua nacionalidade! A PÁTRIA NUNCA SE RENEGA!Mas atendendo ás Boçalidades que tem cometido,não é de estranhar!O CARÁTER DEFINE UMA PESSOA!

    ResponderEliminar
  33. A Brigit Bardot é a próxima!
    Quanto lhe terá pago o Puttin???

    ResponderEliminar
  34. Teresa, eu acho que 85% é um abuso, um roubo. Mas concordo, acho que a pátria nunca se renega. Podia simplesmente obter dupla nacionalidade e escusava de fazer este circo todo.

    ResponderEliminar
  35. Concordo plenamente com o anónimo das 22:16.

    ResponderEliminar
  36. S*...conhecendo a reputação do Gérard e sendo ele de origem francesa....quase de certeza que troca de nacionalidade mais vezes do que de cuecas.

    ResponderEliminar
  37. Esse gordo nojento, pá. Não tinha dinheiro para pagar impostos?! Tadito. Trabalha mais do que um comum mortal?! Não. Tem mais do que precisa?! Tem! Ora, se distribuir um pouco a sua riqueza, não lhe cai os tomates na lama. Olha que esta.

    ResponderEliminar
  38. Isso nem devia ser permitido.

    Big Kisses

    ResponderEliminar