terça-feira, 31 de Janeiro de 2012

Aleatório

Este é o primeiro vez em que tenho contas para pagar, a ver se não me esqueço de nada. A luz já está, a água ainda não chegou, com o gás não tenho de me preocupar. A renda vou pagar amanhã.

Ah, chegou o aviso de recepção carimbado pela Zon. Significa que amanhã já posso ir devolver o material. Se não me contactaram até agora e o aviso de recepção com o anúncio de rescisão unilateral já foi carimbado... Amanhã vou à loja entregar o material.

Depois, com jeitinho e cuidado redobrado, procuro nova operadora.

Boa noite pessoal!

Obrigada!

3 anos de blogue e 54270 comentários depois (Jesus Cristo, até me assustei com o número), tenho a certeza que tenho alguns dos melhores seguidores desta blogosfera imensa. Alguns são fiéis, outros nem por isso, mas quase todos (99%, vá) transmitem carinho e amizade.

Hoje um email enoooorme de uma leitora fez-me sorrir imenso. Aliás, ainda faz. Daí ter escrito este post.

A todos os que estão desse lado... Obrigada. :)

Conversas entre o casal

Quando cheguei ao trabalho reparei que me esquecera de abrir as janelas. Gosto de deixar as janelas um pouco abertas para a casa arejar durante o dia. Enviei-lhe uma sms a pedir para o fazer. Daí a um pedaço recebo uma orgulhosa mensagem:

- "Além das janelas, fiz a cama, lavei a louça do pequeno-almoço e varri a sala, corredor e cozinha. E este, hein?"

- "Estás a ficar uma verdadeira dona de casa. Obrigada amor... Mas não fizeste mais do que a tua obrigação".

Toma, embrulha e mete um laço, que é para oferta. :P

O comércio tradicional

No caminho até ao trabalho vinha a pensar nos dias de amargura que vive o comércio tradicional. É triste ver casas tão antigas, com dezenas de anos (algumas centenárias) a fechar a porta. É triste perder as drogarias de rua, as retrosarias, as floristas, as ourivesarias antigas e com aquele jeito mesmo tradicional.

Tenho pena de ver fechar as lojas que me acompanharam ao longo da vida. Tenho pena que tenha fechado uma das mais jeitosas retrosarias da cidade. É triste ver tanta rua quase vazia de comércio. Numa cidade de tamanho médio, onde as lojas se localizam em apenas duas ruas comerciais, é preocupante ver tanto espaço vazio.

Sempre tentei fazer compras no comércio tradicional por saber que é o comércio que mais precisa de ser apoiado. Há algo diferente nas lojas de rua. Uma simpatia mais sincera, uma maior vontade de ajudar, uma procura incessante pela satisfação do cliente. E há sempre uma "atenção", por mínima que seja, mesmo sem o cliente pedir (que nunca peço, exactamente por saber as dificuldades). Nem que sejam 10 ou 20 cêntimos, seguidos da típica frase "é para ajudar a pagar o café".

segunda-feira, 30 de Janeiro de 2012

Queres uma bolacha?

Nos últimos dias temos optado por uma sessão de cinema caseira. Jantamos, arrumamos a cozinha e aninhamos no sofá, enroscados na manta peluda. Andamos a tentar "dar cabo" da vasta colecção de dvd's do mais-que-tudo.

Mais ou menos uma hora depois de aninharmos pergunta ele (e pergunta quase sempre...):

Ele - Queres uma bolacha?
Eu - Não. Tu é que queres uma bolacha.
Ele - (risos)
Eu - Está bem. Mas traz só uma para cada.
Ele - Duas.
Ele - Para mim traz uma, para ti podes trazer duas.

Qualquer dia estamos duas bolas. Eu ainda me esforço para evitar as bolachas, ele nem por isso.

Mas que bela forma de começar a noite...

Cheguei a casa, ia acender a luz da cozinha e nada, nicles. Vou ao quadro da luz, verifico se está tudo nos conformes (está) e ligo para a EDP. Meia-hora depois aparecem-me os senhores cá em casa.

O senhor meu namorado, ao deitar água na máquina de café, deitou alguma água fora... foi parar à tomada tripla e deitou a luz abaixo, queimando a tripla. Por sorte, não avariou nada, nem o microondas, nem o jarro eléctrico ou a máquina de café.

Por azar, no próximo mês vão-me cobrar 92 euros pelo serviço.

Nice.

ADENDA: Ufa, afinal não são nada 92. São só 9 euros. :D

ADENDA 2: Escusam de me falar do perigo. Não foi culpa minha. E também não foi propriamente culpa dele, já que foi sem querer. Não se volta a repetir.

Entre a blogosfera e a realidade

Muitas vezes recebo comentários a dizer "ah e tal... tu como jornalista, devias falar disto, daquilo, dizes isto e aquilo...".

Bom, tenho o blogue há mais de três anos e poucas vezes referi a minha profissão. Não interessa para nada o que eu faço fora da blogosfera. Quando comecei o blogue era uma estudante a finalizar a licenciatura. Depois entrei no mestrado, fui tendo um ou outro trabalhito para ajudar aos gastos e só há um ano e tal abracei a profissão para a qual estudei. Portanto, este não era o blogue de uma jornalista. Não era e continua a não ser. Nem nunca será.

Este é um blogue de uma menina-mulher, irmã, filha, amiga, namorada, dona-de-casa (que também o sou, visto não tenho empregada), colega de trabalho. O que eu faço fora da blogosfera torna-se pouco relevante, até porque o que me define não é a minha profissão.

O meu trabalho já é demasiado sério para ainda ter de encarar a blogosfera com seriedade. Sempre foi um escape, uma diversão, um diário do meu dia-a-dia. É o local onde leio o que se passa com diversos amigos meus. É o local que me permite rir, rir muito, conversar, debater, trocar impressões.

Alguns blogues têm a pretensão de ser sérios. O meu blogue tem a pretensão de ser leve, alegre, simples. Aceitem isso e deixem de dizer "tu, como jornalista". Sim, sou jornalista. Mas aqui sou a S*. A S* não tem profissão. Capisce?

Propostas para o dia dos namorados

O cliente diz o que quer e a loja prepara a cesta. Bombons, gomas, peluches, peças decorativas, porta-chaves, sabonetes, sais de banho, entre muito mais.
Gomas.
Sabonetes, sais de banho, esfoliantes para homem... tudo da Ach Brito.
Porta-chaves amorosos.
Joaninhas apaixonadas.
Bonecos apaixonados, as cestas que podem ser personalizadas e os produtos da Ach Brito (que têm sido O verdadeiro sucesso).

Tudo produtos da loja da mana, a Conto de Fadas.

Acabei de comprar o sabonete de Leite de Burra, da Ach Brito... mais tarde digo se é bom. Pelo que leio, parece ser óptimo. :)

Futilidades (ou vaidades, tanto faz)

A minha peça favorita dos últimos tempos. Da H&M. Tenho-a vestida hoje e sinto-me bonita e confortável com ela. Além disso, é versátil... tanto dá para usar com uma camisola quentinha de gola alta por baixo, como dá para usar com um top preto mais txaraaan.


A manteiga de papaia da The Body Shop. Cheira tão bem, é tão cremosa e resiste tão bem na pele...


Creme de cacau da Vasenol, é o que uso no dia-a-dia.


Creme de corpo Thierry Mugler "Womanity". O creme é mesmo bom mas tem um perfume mais forte, pelo que só o uso naqueles dias loooongos.