Avançar para o conteúdo principal

Facto

Odeio esta mania de chamarem "reveillon" à festa de passagem de ano.

E estimar a nossa língua, não?

Comentários

  1. É uma parvoíce, mania de usarem estrangeirismos.

    Mas já agora, bom "reveillon" (fin ge que está em itálico, ahah)

    :D

    ResponderEliminar
  2. Por acaso também é expressão que não utilizo!!

    ResponderEliminar
  3. É mais pratico dizer:
    "Vou para o reveillon" do que
    "vou para a festa da passagem de ano", não te parece?

    O palavra Reveillon significa "véspera" do novo ano.

    ResponderEliminar
  4. Para mim é Passagem de Ano e ponto! xD

    Feliz 2013 :D

    ResponderEliminar
  5. Só para ser mais chique. Haja paciência!

    ResponderEliminar
  6. Gosto do Francês. Aqui se usa muito Reveillon. Acho que o uso de palavras em inglês me incomoda mais. Afinal o francês, o italiano, o espanhol e o português vieram do lácio, do Latin. São, portanto, línguas irmãs.

    ResponderEliminar
  7. Então bom 2013, muita saúde e trabalhinho, beijinhos ;)

    ResponderEliminar
  8. É a boa e velha mania de que o que é estrangeiro é que é bom. Pois que te desejo uma boa Passagem de Ano, bem portuguesa! :)

    ResponderEliminar
  9. É por isso que frequentemente utilizo a versão portuguesa dessa palavra cunhada pelo Herman José num final de ano qualquer: "revelhão" :)

    ResponderEliminar
  10. Também só falta perdermos a nossa lingua. É uma tristeza!

    ResponderEliminar
  11. Melhor, só quando dizem revelhão no alto da finesse ;)

    ResponderEliminar
  12. 'festa de passagem novo'?????????????????????????

    ResponderEliminar
  13. E eu que ainda ontem vi o programa para um (passo a citar) réveillon de fim de ano? ;-)

    ResponderEliminar
  14. Apesar de não ser termo que utilize, não se pode dizer que seja termo que "odeie", na medida em que mais não é do que mais um dentre os milhentos estrangeirismo que "usamos" no dia-a-dia.

    Ontem, um conhecido dizia-me que achava que certa notícia era fake. Podia dizer que era falsa, arranjada, entre outros, mas não! Era fake!

    É uma chatice termos a nossa própria língua e comunicarmos por via de outras! ;)

    ResponderEliminar
  15. A minha avó diz "revelhão", diz lá que não é muito mais à frente :p

    bjs

    ResponderEliminar
  16. Acá no Brasil também o povo acha trés chic! ai, ai...

    ResponderEliminar
  17. E os bifinhos com natas e champignons?
    Mania parva que temos...

    ResponderEliminar
  18. nunca usei tal coisa. passagem de ano é q tá a dar!

    ResponderEliminar
  19. Realmente não faz sentido, mas também é daquelas expressões que não uso, é passagem de ano, simples!!*

    ResponderEliminar
  20. Quando o digo é sempre na brincadeira. Não sou dada a estrangeirismos ;-)

    ResponderEliminar
  21. Blogger S* disse...

    Noa, Parfois! :D

    28 de Deze


    Aqui está a prova como tu es coerente.
    Pufffffff....

    ResponderEliminar
  22. Anónimo das 11:12, ah? Qual a incoerência de dizer que comprei uns brincos na parfois?

    ResponderEliminar
  23. também não gosto! é uma mania de usar palavras estrangeiras, em tudo!

    ResponderEliminar
  24. (Eu nem costumo fazer este género de comentários, mas o anónimo de 29 de Dezembro de 2012 11:12 matou-me.)


    AAAAAHAHAHAHHAHAHHAHAAAAAAAAAAAHHAHAAAAHAAAAAAAHAHAHHAAAAAAAAAHAHAH xD




    (Até me dei ao trabalho de ir ao google tradutor. Anónimo, a menina S* quis dizer que comprou os brincos na "Às vezes")

    ResponderEliminar
  25. devias ter dito"POR Vezes" :)

    Gostei mesmo de REvelhão!! Essa é q é! A idade dá-lhes esta descontração maravilhosa! :-))

    ResponderEliminar
  26. Mel, jura? Eu admito que não tinha percebido que o anónimo não tinha percebido que eu estava a dizer o nome de uma loja.


    ahahah

    ResponderEliminar
  27. efectivamente eu vinha comentar que tambem detesto a palavra reveillon, mas adorei ler o comentario do anónimo, o que eu me ri...parfois há cada um...

    ResponderEliminar
  28. Eu sempre que emprego essa palavra é com um tom de voz bem diferente, do género "menina fina" (seja lá o que isso for)

    ResponderEliminar
  29. Confesso que a mim também me faz alguma espécie... ;)

    ResponderEliminar
  30. offtopic: a Parfois é uma loja portuguesa! A Natura também! Acho chato mandarem fazer as coisas no bangladesh mas, seja como for, prefiro comprar nas marcas portuguesas do que nas outras! São dois exemplos de lojas que eu nunca diria serem nossas mas são :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A Parfois n sabia, mas a Natura, tanto qto sei é espanhola.

      Eliminar
  31. Vida, ADORO a Parfois, apesar de sabermos que os produtos não são feitos cá. Tem uma excelente relação qualidade-preço e o design está cada dia mais bonito. Ainda há uns dias comprei uma mala e dois pares de brincos lá. :)

    ResponderEliminar

Publicar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Para dormir - solução, procura-se!

É uma pessoa desesperada que vos escreve, esta manhã.

Conhecem soluções naturais para dormir bem de noite? Algo que me faça ferrar o galho e só acordar no dia seguinte?

Estou farta de noites mal dormidas. Estou farta de ficar até às 5 ou 6 da manhã sem conseguir dormir. Chego ao desespero, com vontade de chorar. De dia, sinto-me cansada, porque o descanso é uma porcaria.

Não sou grande adepta de medicamentos mas, se tem de ser, é. Alguém conhece um remédio, uma erva, o que seja?

O que é nacional é bom

Anda Portugal a usar cestas desde sempre e esta vossa S* a usá-las há sete ou oito anos... e vem agora a Carolina Herrera descobrir a pólvora (imagens acima).
Por favor, acho isto verdadeiramente errado. A desfaçatez que é pegar em algo tradicional de um país e de o apresentar como uma "criação"... Ainda por cima chamar-lhe "Aveiro"... E em nenhum sítio dizer que tem inspiração portuguesa.
E a pechincha que está? Quase 500 euros por uma cesta. Não tinha nada contra o preço... se efectivamente fosse um produto de original.
É só googlar "cesta portuguesa" e encontram-se imensos exemplares realmente nossos... E sem custarem quase um salário mínimo.
Querem cestas de classe? Então comprem das nossas. Das verdadeiras. Cópias descaradas? Não, obrigada.
Sugiro a Victoria Handmade. Não são caras, são dispendiosas e têm o preço do que é realmente bom. São feitas à mão, são portuguesas e assentam na nossa tradição. 

Voltar ao início

Depois de quase 9 anos e meio de relação, não vamos fingir que são tudo rosas. Ultimamente, temos até de admitir que têm sido mais os dias maus do que os dias bons. As chatices do dia-a-dia, os remorsos, os ressentimentos, os problemas a que somos alheios mas que nos afectam... Não é fácil de gerir e mentiria se não admitisse que já pensamos "será que vale a pena?".
Da minha parte, apesar dos momentos menos bons, continuo com a nítida percepção de que é um bom homem, com bons princípios, e que dificilmente encontraria companheiro que encaixasse tão bem em mim (que eu sou osso duro de roer, no que toca ao convívio caseiro).
Vale sempre a pena, porque não perdemos esta capacidade de nos reencontrar e voltar ao início. Enquanto soubermos olhar um para o outro e reconhecer o valor um do outro, vale mesmo muito a pena.