segunda-feira, 10 de dezembro de 2012

Do prazer em dizer mal

As pessoas julgam que podem dizer mal dos negócios por dá cá aquela palha. Não podem. As pessoas, com esta febre das redes sociais, acham legítimo e normal achincalhar os negócios na praça pública. Ah, achei a comida uma bela porcaria, então vou escrever isso no Facebook. Vou estimular os outros a também dizerem mal do negócio, mesmo que não o conheçam.

O que as pessoas se esquecem é que um negócio não é apenas um negócio abstracto. Tem pessoas. Tem funcionários. Tem gente que precisa que aquele negócio dê certo para comer. 

Portanto, pensem lá duas vezes quando vos apetecer dizer no Facebook ou num blogue que a discoteca X é  uma merda, que o restaurante Y tem comida má, que o atendimento é péssimo. 

Não, não devemos comer e calar. Se não gostamos, temos o direito de reclamar, pois claro. Mas nos restaurantes, é bastante simples falar com o chef, com o gerente, com quem for. Numa loja, é falar com o gerente ou pedir o livro de reclamações. Escusam de achincalhar publicamente as empresas. Elas já têm problemas que cheguem.

Tudo isto porque hoje li um artigo sobre estas questões. Uma senhora resolveu deitar abaixo, de forma bem pública, um negócio que agora abriu as portas. Não teve a decência de reclamar na loja, preferiu perpetuar as críticas no Facebook. Para azar da dita senhora, teve resposta à altura de um dos sócios. 

"Na última semana, a abertura de uma nova loja da Empanadaria do Chefe mereceu um comentário mais crítico. Na sexta-feira, o sócio do H3 e da Empanadaria respondeu no Facebook. Leia a resposta e o comentário original".

27 comentários:

  1. A resposta de um dos sócios foi, na minha opinião, muito bem escrita e toda esta situação só me fez ter vontade de vir a conhecer o estabelecimento! Como disse num comentário que deixei na página da Empadaria, recuso-me a fazer parte dessas atitudes que só têm maldade pura e dura no propósito. A mim ensinaram-me que quando não tenho nada de bom para fazer aos outros, então não faço nada. Agora prejudicar gratuitamente ou aliar-me a esse tipo de pessoas que faz isso é que não. Recuso-me. E ainda havia para lá um comentário de alguém a dizer que se chegasse à frente quem nunca falou mal de uma marca ou de um estabelecimento na página oficial do fb... Bom, não quero acreditar que sou a única que nunca fez isso! Porque com certeza não sou. Que gente tão sem noção...

    ResponderEliminar
  2. Costumo fazer críticas no Tripadvisor. Não acho ilegítimo. Nem achei ilegítimo o comentário da senhora. Achei mais despropositada a resposta do dono da empresa, que poderia ter feito as coisas de outro modo, nomeadamente respondendo-lhe diretamente.

    ResponderEliminar
  3. Há demasiada liberdade e infelizmente hoje em dia todos os cocós com olhos acham que podem ter opinião sobre tudo. A maior parte é sempre destrutiva, nojenta, ordinária e ofensiva. Cada vez mais começo a abominar este excesso de liberdade. As pessoas estão más, são más e só tendem a piorar. E não vai melhorar tão cedo.

    ResponderEliminar
  4. Brutal é o que tenho a dizer.
    Foi como dar a outra face, se fosse comigo, acho que ia pessoalmente pedir desculpa pelo que tinha dito.
    Todos temos direito a errar e os erros são para ser corrigidos e não para serem denunciados (como neste caso).

    ResponderEliminar
  5. Concordo plenamente! A liberdade de expressão já não é respeitada, cada um pensa que pode dizer o que quer e não é bem assim! Gostei muito do post! *

    ResponderEliminar
  6. Acho sinceramente que as pessoas têm o direito de expressar a sua opinião, contudo, sem achincalhar. Já expressei opiniões negativas acerca de alguns estabelecimentos e se achar que é relevante, vou continuar a fazê-lo. Mas exprimir opiniões é muito diferente de humilhar.

    ResponderEliminar
  7. Estou com a maioria do pessoal...vive-se numa sociedade que acha que só tem direitos! Eu faço e aconteço porque sou livre!! Enfim, concordo contigo S*, as pessoas nem sonham o que custa endireitar um negócio...enfim :(

    ResponderEliminar
  8. costuma usa os sabonetes da Confiança ? eu só comprei um ainda , não sei se são bons ou não :s

    ResponderEliminar
  9. Esse tipo de "apreciação" é puramente destrutiva.
    Os clientes têm o direito de reclamar mas há que ter o bom senso de o fazer com respeito e directamente à gerencia. É reclamando que as empresas podem melhorar os seus serviços, mas este tipo de reclamação não foi com a intenção de tentar melhorar o serviço. Foi feita para prejudicar o negócio. De julgar em praça publica e de afastar clientela. Infelizmente, começa a ser uma constante. Com estes novos meios de divulgação da informação, qualquer um acha que pode ser critico gastronómico.
    A resposta do gerente foi exemplar. Feita com muita elegância.

    ResponderEliminar
  10. verdade, e só quem está nelas é que sabe o que isso é! mas há pessoas que criticam sem por defeito do serviço, mas por feitio,sentem prazer a deitar abaixo! enfim.. triste vida a desta gente

    ResponderEliminar
  11. Ainda antes e para quem não usa as redes sociais, e mesmo que usem, as pessoas achavam-se no direito de reclamar por tudo e por nada. Trabalhando numa loja já assisti a muita coisa. Por isso, ao reclamar que seja na loja e por um motivo válido, não porque "me apeteceu".

    ResponderEliminar
  12. Sou completamente a favor de que possamos expressar as opiniões boas e menos boas onde queremos, mas sim devem ser feitas com conta, peso e medida.

    ResponderEliminar
  13. Acho que tens razão, devemos reclamar no local, e não, andar nas redes sociais e afins a denegrir a imagem do estabalecimento, isso por vezes arruina um negócio!

    ResponderEliminar
  14. Eu não tenho face-coiso, mas tenho blog, e no meu blog já contei a minha má experiência n'A Padaria Portuguesa - não gostei e disse no momento e no local, e depois disse no blog. Não falo mal por falar, mas assim como faço elogios, também faço críticas.

    ResponderEliminar
  15. é verdade, é preciso ter cuidado com as nossas acções. Às vezes podem ter consequências nefastas nas vidas dos outros.

    ResponderEliminar
  16. Tive o prazer de conhecer o Albano aqui há uns anos. É um homem correcto, duro quando necessário e um verdadeiro impulsionador de negócios. Uma resposta à altura dele.

    ResponderEliminar
  17. Hum... A "Empadaria do Chef" é, ao que sei, um restaurante de Centro Comercial. Daqueles em que vamos buscar a refeição e vamos à procura de uma mesa. Isso torna muito mais complicado dirigir a crítica a um gerente. Normalmente o responsável atrás do balcão - além dos demais colaboradores - é um "gerente de turno", alguém que está a dar a cara pela empresa mas que não é verdadeiramente responsável pela mesma. E que certamente não pode ter a veleidade/liberdade de convidar a cliente insatisfeita para um almoço.

    O comentário no FB não me pareceu desproporcional nem maldoso, mas admito que isso pode ficar aberto à interpretação de cada um. No entanto, a resposta que o sócio deu à cliente foi, acima de tudo, muito positiva, e é isso que devemos reter.

    Eu fiquei a simpatizar mais com a "Empadaria do Chefe", que certamente visitarei quando tiver oportunidade. :)

    ResponderEliminar
  18. A senhora excedeu-se e levou uma merecida resposta.

    Big Kisses

    ResponderEliminar
  19. Também 'assisti' a esta situação. Vi a resposta do chef e só depois vi a crítica da senhora na internet. Acho que toda a gente tem o direito a reclamar se não ficar satisfeito, não só pelo 'prazer de reclamar' mas sobretudo porque é uma forma de melhorar os serviços que temos, sermos mais exigente! Mas, tal como dizes, há uma grande facilidade em reclamar no local... seja apenas numa conversa 'informal' com o chef ou outro funcionário ou mesmo pedindo o livro de reclamações.

    ResponderEliminar
  20. Foi uma boa resposta e se estava assim tão mau reclamava no momento não é vir para o facebook dizer o que não deve.

    ResponderEliminar
  21. Então mas a malta faz publicidade nas redes sociais e depois não aceita uma crítica? A mim nem me parece que tenha sido mal educada! Quando se usam as redes sociais para publicitar uma empresa tem que se estar preparado para aceitar criticas, salvo se forem calunias! Mas se é verdade, tinham era que pedir desculpa e não fazer um relambório totalmente a despropósito. Então e se eu for ao face deles dizer que a sopa de cenoura é a melhor do mundo, que as empadas são ultra mega rifixes e que já não vivo sem a empada de alheira, será que o socio tambem escreve um testamento daqueles a agradecer? E já agora sera que me oferece um almocito? Um exagero e muito pouco humilde.

    ResponderEliminar
  22. Obviamente que há comentários bem piores, mas acho que a senhora não agiu correctamente.

    ResponderEliminar
  23. Penso que a senhora podia ter reclamado no balcão, mas nada nos garante que não o fez... Por outro lado, a empresa, se tem página de Facebook, tem de estar preparada para comentários destes. Não podem ter uma página corporativa e ficar só à espera de comentários bonzinhos. A mulher foi bruta, mas não foi mal educada. Na minha opiniã, esta resposta ficou-lhes muito mal.

    ResponderEliminar
  24. Cada um de nós tem direito a elogiar ou criticar um determinado espaço comercial, seja nos nossos blogs ou no facebook, desde que sejam tecidas críticas sensatas, bem como há formas de se criticar sem sermos desagradáveis. Além disso, não pudemos ser injustos, pois pode suceder que naquele dia o serviço não tenha sido o melhor, por qualquer razão, mas que nos outros dias seja óptimo.

    ResponderEliminar
  25. LOL!
    A cobardia e o comodismo das redes...
    Pensam que escrevem para as paredes, mas umas com bastantes ouvidos... um desabafo. Pois, por vezes sim, outras vezes é preciso realmente ter tino

    ResponderEliminar
  26. A reclamação de um cliente tem e deve ser vista como uma oportunidade para melhorar. E o cliente, quando ouvido, volta.Infelizmente neste caso isso não se passou.E o cliente perdeu-se. Se resolveu não reclamar lá, então não devia ter reclamado em público depois...

    ResponderEliminar