domingo, 11 de novembro de 2012

A reportagem

Os blogues que adoram odiar
 
Espaços mais populares da internet sofrem acusações, ofensas, perseguições e ameaças anónimas

Por: Marta Martins Silva

«'Crónicas das horas perdidas’ nasceu em 2005 na blogosfera e servia essencialmente para Ana Luísa Silva, ou Luna – como assina no blogue –, "passar o tempo, numa altura em que estava desempregada".

Aquilo que era para ser um escape tornou-se pouco depois num suplício para o qual não estava preparada. "Criei o blogue numa altura em que a minha mãe estava em fase terminal, tendo morrido meses depois. Os comentários que mais me chocaram gozavam com a morte da minha mãe. Foi aí que percebi que as pessoas são capazes de dizer as maiores barbaridades ao abrigo do anonimato", comenta a estudante de doutoramento, de 32 anos.

Ana, ou Luna, não é caso único, nem únicas foram as ‘investidas’ anónimas que sofreu. "Já perdi a conta aos ‘hate blogs’ (blogues de ódio) onde fui atacada. Chegaram a fazer afirmações difamatórias, inclusive acusação de crimes públicos, relativamente aos meus pais, com o objectivo (cruel e concreto) de me magoar".

O fenómeno da blogosfera (espaços na internet onde todos e cada um podem escrever livremente) foi lançado em Portugal em 2003, através de servidores nacionais, seis anos depois da invenção do conceito. Em 2005, fenómeno na internet lusa estava no auge – quase 100 blogues eram criados todos os dias por internautas portugueses. Tornaram-se um hábito de leitura diária para muitos e – o reverso da medalha – catalizadores de ataques pessoais aos seus autores.

"A partir do momento em que um blogue passa a ter maior visibilidade, torna-se automaticamente alvo preferencial dos ‘hate blogs’, o que revela oportunismo de quem os alimenta. No fundo, é conseguir protagonismo à custa de falar mal dos outros", comenta o autor que assina o ‘Macho Sensível’ na blogosfera. "Já me aconteceu receber comentários de pessoas que diziam conhecer-me e com base nisso inventaram mentiras sobre mim, coisas que não correspondem minimamente à verdade."

Um dos casos "sucedeu com uma pessoa que conheci através da blogosfera e que, por vingança, resolveu revelar pormenores da minha vida privada que lhe tinha confiado mas de forma enviesada e fazendo crer que eu era o mau da fita. Estou em crer" – continua – "que um dos motivos de ser um dos visados nos ‘hate blogs’ poderá estar relacionado com o género de temas que abordo, concretamente o amor e as relações, dos quais muitas pessoas guardam mágoas. Eu, apesar de ter passado por uma desilusão amorosa, continuo a afirmar no blogue que não deixei de acreditar no amor. Parecendo que não, isso incomoda muita gente...", diz o autor, profissional na área da economia e na casa dos 30 anos.

JULGAMENTOS DE VALOR

O fenómeno não é um exclusivo nacional. Cá dentro e lá fora, uma mesma característica: os blogues de ódio aparecem e desaparecem à velocidade da luz, poucos resistem mais do que meses. Uma blogger americana compara mesmo os ‘hate blogs’ ao bullying. ‘Acusaram-me de ter cometido crimes federais, de ter abusado de menores, de ser até uma raptora’, comenta Cassandra C. no seu espaço na internet.

À portuguesa Raquel M., autora do ‘Perturbações de Amor’, o que mais a marcou foram "os julgamentos ferozes acerca da minha vida amorosa e financeira. Acusaram-me de estar com uma pessoa por interesse. Houve uma altura em que todos os dias acordava e pensava: ‘O que irão inventar hoje?’". Mas o blogue foi criado para ser um espaço de partilha – sobre moda, viagens, animais, vida amorosa e profissional –, e é isso que a faz continuar a mantê-lo on-line.

DESEJAR A MORTE

‘Me’, autora do blogue ‘Eu, tu e os meus sapatos’, gestora de profissão na vida real, tem sido outro dos grandes alvos dos comentários ofensivos e difamatórios. "Criei o blogue em 2009 e, apesar de muitas vezes tratar de temas mais fúteis, o espaço nasceu com o objectivo de desabafar sobre a situação da minha irmã, que estava doente. Nunca foi ameaçada a minha integridade física, mas magoou-me muito utilizarem a morte da minha irmã para me atingirem. Compararem a morte dela à morte de Saddam Hussein e Hitler foi das coisas mais terríveis que li." ‘Me’ ponderou várias vezes fechar o blogue, mas as amizades que lhe trouxe e a partilha inerente fizeram-na recuar no propósito.

Quando o blogue ‘As minhas pequenas coisas’ atingiu as 3000 visitas por dia, em 2011, "começou o achincalhamento público. Na altura, fiquei afectada, mas depois percebi que não tinha feito nada de errado, que aquilo é coisa de pessoas que estão doentes da cabeça", conta a autora, ‘S’. "Quem me perseguia não implicava só com a blogger. Passou a implicar comigo enquanto pessoa real, a cuscar toda a minha vida, a procurar encontrar aquilo que julgava serem segredos meus. Chocou-me quando divulgaram o meu nome real e o meu local de trabalho. Orgulho-me do que escrevo, mas parece-me lógico que os leitores não misturem o Eu na blogosfera com o Eu real. Não admito servir de saco de pancada para ninguém", partilha a autora, de 24 anos, ligada à área da comunicação.

"Também publicaram fotografias minhas (coisa que nunca publiquei no blogue), informações sobre o meu namorado, metendo até ao barulho a minha família. Sinto pena por saber que há gente tão frustrada com a sua vida ao ponto de tentar viver a minha. Tanto quanto sei, já houve quatro ‘hate blogs’ a escreverem sobre mim. Já me disseram que queriam que eu fosse despedida, mas o mais macabro foi escreverem que desejavam que eu morresse." »

Ora aqui está, para todos os que queriam ler.

56 comentários:

  1. ainda bem que disponibilizaste a entrevista, é que eu não gasto dinheiro com revistas :) isso dos hate blogs é um assunto que dá pano para mangas, revolta-me este tipo de situações que tu e os outros entrevistados contaram!

    ResponderEliminar
  2. Sério, não percebo porque não conseguem adoptar simplesmente o velho lema do "live and let live" porra!! *

    ResponderEliminar
  3. Ao que as pessoas chegam. Penso que seja tudo uma questão de inveja!

    ResponderEliminar
  4. Estou parva, que horror :O
    Beijinhos ;)

    ResponderEliminar
  5. Uau, por momento pensei que fosse um guiäo de um filme macabro, o que estava a ler.
    Fiquei chocada com algumas coisas que li.

    ResponderEliminar
  6. Nunca pensei que isso excedesse os limites do razoável. Que vergonha. Essa gente é doente.

    ResponderEliminar
  7. Que já acontecia isto pelo mundo virtual, eu já sabia... mas atingir esta dimensão é sem dúvida actos de alguém sem vida... é repugnante saber da existência destes actos. É nojento chamarmos a estas pessoas seres humanos. Enfim.

    ResponderEliminar
  8. A fama, neste caso a tua popularidade, tem um preço muito elevado. Pessoas como tu não merecem ser insultadas, tenho a certeza que já ultrapassas essas situações com o devido desprezo. Nunca o meu cantinho será como "as minhas pequenas coisas" mesmo assim desejo que esses comentários não manchem o meu blog, porque não sei se agiria de acordo com aquilo que penso agora, só quem passa pelas situações é que sabe dar valor.
    Gosto muito de te ler e já não passo sem alguns blogs, é o caso do teu.
    Beijinhos.

    ResponderEliminar
  9. Não tinha noção de que metade do que está aí escrito acontecia...
    Estou neste meio há muito pouco tempo e, na minha ingenuidade, pensava que as pessoas não seriam capazes de dizer e desejar esse tipo de coisas :/

    ResponderEliminar
  10. É mesmo chocante ao ponto que chegam essas pessoas. O que me deixa mais transtornada são os exemplos que deram de comentários a gozar com a morte de familiares dos bloggers :s

    ResponderEliminar
  11. li isto hoje e juro que nao fazia ideia que as pessoas podiam chegar ao ponto de criar um outro blog a maltratar alguém...a mente humana é assustadora....

    www.sapato42.blog.pt

    ResponderEliminar
  12. Caramba... Nao fazia ideia que vos tinha acontecido isso tudo! Mas o que ganham com isso?! Nao percebo! Os blogues são uma forma de expressão e tal como um jornal, revista, ou programa de televisão só lê e vê quem quer!!! O que se ganha com tudo isso?! Nao percebo mesmo!

    ResponderEliminar
  13. Confesso que não tinha a noção do que para aqui anda, a maldade humana, não pára de me surpreender, magoar e ferir os outros de forma gratuita é abominável!!!
    Abraço doce e muito força.
    Sairaf

    ResponderEliminar
  14. Ainda bem que não sou popular, chiça!!!

    ResponderEliminar
  15. Uau! Nunca pensei. Tenho muita pena que o sucesso de alguns seja motivo para tanta inveja.

    http://alguemquemecale.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  16. Há gentinha muita má neste mundo e a internet só potencia essa maldade! Beijinhos*

    ResponderEliminar
  17. O anonimato que a internet permite a estas pessoas tem dessas coisas. Gente com vidas muito desinteressantes, só pode. Vamos ver isto pela positiva, ser incomodada por um hate blog é sinal de que se tem um blogue de muito sucesso ;)

    ResponderEliminar
  18. Eu não fazia ideia de que isto acontecia... mas é preciso ser muito triste e pobre de espírito e sem vida para fazer uma coisa destas. Infelizmente vai existir sempre gente ruim, mas temos que nos concentrar naqueles que nos apoiam e nos querem bem :)
    bjs*

    ResponderEliminar
  19. Eu não fazia ideia de que isto acontecia... mas é preciso ser muito triste e pobre de espírito e sem vida para fazer uma coisa destas. Infelizmente vai existir sempre gente ruim, mas temos que nos concentrar naqueles que nos apoiam e nos querem bem :)
    bjs*

    ResponderEliminar
  20. As pessoas atrás de um monitor de um computador podem ser tudo -.-' Que estupidez!

    ResponderEliminar
  21. Gostei muito de ler a reportagem e, sobretudo, de ver que estás nela, pois és para mim uma leitura diária - sempre perspicaz, sempre atenta, sempre divertida! Esta combinação está a anos-luz daqueles blogues agressivos, cujos autores só sabem dizer mal de tudo. Por isso me é tão difícil perceber como pode haver quem te persiga... A única reacção possível é mesmo não descer ao nível deles!
    Um beijinho para ti, S*

    ResponderEliminar
  22. Não se pode ligar nem dar tempo de antena a gente dessa!
    Bj S

    ResponderEliminar
  23. Também eu já passei por isso... enfim, gentinha nojenta, ordinária, com uma frustração do tamanho de um camião....

    ResponderEliminar
  24. amiga da onça, obrigada. Acho que não mereço, mesmo.

    Miú, obrigada fofa. Sempre tentei ter uma postura simpática na blogosfera, mas não me livro desta escumalha.

    ResponderEliminar
  25. Estava hoje no café a ler o artigo e, quando chegou a parte do teu blog, soltei um, muito audível, "Olha, Olha! É o blog da S.!". Escusado será dizer que ficou tudo a olhar para mim como se sofresse de um problema mental. O que te aconteceu é horrível, mas há que pensar que gente mesquinha e reles que chega ao ponto de fazer coisas dessas não merece sequer que a sua estupidez e maldade te abale.

    ResponderEliminar
  26. gosto bastante do teu blog, penso que não escreves-te nada que possa ofender assim tanto as pessoas, mas acho que aquando se chega aquele patamar, os hater's não te irão largar, frustados, e tu conheces uns, pois visitas e "postas" lá, mas é como dizes à uns que dizem umas piadas outros que é a devassidão total, mas não estou a julgar-te, abraços e continuação.

    ResponderEliminar
  27. Obrigado por publicares S. É triste existir gente capaz de serem tão cruéis e desumanos, mas infelizmente andas muitos para aí perdidos.

    ResponderEliminar
  28. Há coisas que não dá para entender. Gosto do seu blog e não veja nada que leve a essas situações. Enfim...
    Beijinhos grandes.

    ResponderEliminar
  29. Gostei muito, é triste saber que existem pessoas dessas. onde a frustração consegue chegar...
    beijinho*

    ResponderEliminar
  30. Bom, eu não te conheço de lado nenhum e duvido que algum dia te venha a conhecer. Concordo com coisas que dizes, não concordo com outras. Não sei se és boa ou má pessoa, se és feia ou bonita, gorda ou magra. E sabes quê? Não me interessa para nada porque só venho ao teu blog porque quero e quando quero. Ninguém me obriga a ler o que escreves e quando não concordo com o que dizes, da duas uma: ou comento dando o meu ponto de vista (e peço desculpa se alguma vez pareci mais bruta) ou fico calada porque se não tenho nada simpático para dizer, melhor não dizer nada. S*, achas assim tão difícil esta postura? É complicado ler um blog, pensar, rir, chorar ou irritar-se e saber que a pessoa que escreve num teclado não é a pessoa que sorri aos amigos e mima o namorado. Em suma, continuo a acreditar que há gente com muito tempo livre e muita falta de carinho.

    ResponderEliminar
  31. Muito boa reportagem!
    Ainda ebm que a colocaste aqui porque agora onde estou não conseguiria lê-la de outra forma.
    Obrigada!

    ResponderEliminar
  32. São testemunhos que elucidam bem o que se passa :/ é uma realidade triste.

    ResponderEliminar
  33. Não consegui ficar espantada. Vão sempre existir os que se corróiem com o sucesso alheio, os parasitas da sociedade, os que não consegue produzir nada de positivo, mas que acabam a morrer no seu próprio veneno. Deixai-os falar tadinhos, são dignos de pena!! Muito sucesso e olhe, pelo menos fiquei a saber do seu blogue por esta reportagem.

    ResponderEliminar
  34. É triste, cada vez mais percebemos que neste mundo existem muitas pessoas más e invejosas!

    ResponderEliminar
  35. Felizmente nunca me aconteceu nada disso, mas é assustador como as pessoas usam o anonimato para descarregarem as suas frustrações. Foi uma coisa em que pensei antes de criar o blog...foi exactamente essa questão. Mas felizmente nunca tive nenhum problema, acho que se tivesse encerrava o blogue pois não estava para aturar tolos!

    ResponderEliminar
  36. o ideal é que o próprio bloguer saiba distinguir o seu Eu real do Eu da blogosfera. A partir daí, torna-se imune a contos e ditos! Tu tens sabido fazê-lo na perfeição, assim como outros que, como tu, são alvos de maledicência! Continua o bom trabalho! Bjs

    ResponderEliminar
  37. Boa reportagem. Mas triste. É preciso ter estômago para estas coisas e estarmos preparados para o pior quando nos expomos. Mas é execrável.

    ResponderEliminar
  38. OMG!
    E serão esses malfeitores sempre os mesmos? Sabem quem são esses "supostos" anónimos ou blogers sob pseudónimo'
    Gente triste.
    Obrigada pela partilha do texto

    ResponderEliminar

  39. É triste e de lamentar…ainda bem que disponibilizaste a entrevista.
    Já li e estou atónita!

    Fazia ideia que existia situações similares a outros blogues, tinham sido alvo de humilhações. Mesquinhez e a inveja de determinadas pessoas.
    Cada um é livre de escrever o deseja… só lê quem quer… se não gostam simplesmente…não critiquem!!

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  40. Um anónimo que não é anónimo12 de novembro de 2012 às 15:43

    Infelizmente, o que acontece no mundo dos blog´s não difere assim tanto da vida real.

    Quando as pessoas se expõem em demasia, há sempre uma ovelha ranhosa pelo meio, que gosta de criar confusões, que deseja mal e é invejosa.

    Como tal, não há diferença neste espaço virtual, simplesmente porque por detrás de um blog está uma pessoa; tão simples como isto.

    Parece-me então que certos blogger´s terão de guardar para si certos aspectos da sua vida, certas situações do dia-a-dia, certos acontecimentos.
    As pessoas esquecem-se de que um blog é visto por imensos leitores, logo aquilo que partilham sobre a vossa vida (almocei com a X, o namorado foi despedido, estou a morar na zona Y...) permite a certos e determinados anónimos, malucos e afins a possibilidade de vos julgarem em hasta pública.

    Cabe a quem escreve a função de se proteger, sem se admirarem com as consequências...

    ResponderEliminar
  41. Que gente, Senhor. Aparte uma blogger louca que me disse meia dúzia de coisas desagradáveis e de alguns anónimos parvos, nunca se passou nada de grave comigo - Deus me conserve assim. Mas algo devia ser feito. É reles demais, até fiquei chocada...

    ResponderEliminar
  42. É muito triste a inveja das pessoas,entendo perfeitamente tudo o que foi dito, no meu caso o meu blog é recente, nunca ofendi ninguém e por causa de uma foto de uma botas, num determinado blog os anónimos que lá escrevem disseram que eu por gostar das botas devia ser uma prostituta.
    Acho que tentarem ser notadas à custa das ofensas é do mais baixo nivel!!!

    ResponderEliminar
  43. Um anónimo que não é anónimo, é um facto, neste mundo de loucos temos de nos proteger. No entanto, volto a afirmar, ninguém tem o direito de faltar ao respeito a ninguém. E, caso não tenhas entendido pela reportagem, isto ultrapassa em muito o virtual. Acaso disse alguma vez o meu nome? Não. O meu local de trabalho? Não. O do meu namorado? Não.

    Então não, não me pus a jeito. As pessoas é que são más como cobras. Se dizem que eu revelo muito, adoram descobrir ainda mais. Sarnentos.

    ResponderEliminar
  44. A culpa é do Anónimo, onde existe um blog de sucesso ele está la a dizer mal. Estou ansioso para ele aparecer no meu, nesse dia esboço um sorriso e penso "fiquei famoso" :D

    ResponderEliminar
  45. Juanna, ora nem mais. É isso tudo. Não quero que digam Amén, podem rebater, criticar, contrapor... mas nunca, nunca faltar-me ao respeito. :)

    ResponderEliminar
  46. Já li a reportagem. Realmente há por aí muitas pessoas sem vida própria.... E acima de tudo muito mazinhas...Desconhecia de todo esta realidade.

    ResponderEliminar
  47. A entrevista está muito boa.
    Fico contente por ter um estaminé modesto.
    Ver a vida defraudada na net não é bonito de se ver.

    ResponderEliminar
  48. Não imaginava que existia gente tão má, como tu dizes e muito bem, é gente doente da cabeça.

    Continua sempre com o fantástico blog que tens ;)

    Bjinhos

    ResponderEliminar
  49. Quem faz estas coisas são pessoas doentes e que não têm mais nada para fazer.

    ResponderEliminar