sexta-feira, 7 de setembro de 2012

Sobre a declaração do Passos Coelho

O Governo decidiu aumentar a contribuição para a Segurança Social exigida aos trabalhadores do sector privado para 18%. Já as empresas passam a contribuir também 18%. Ou seja, os trabalhadores passam a contribuir mais 7% todos os meses, enquanto os patrões passam a contribuir menos.

Já não bastava os trabalhadores do público a serem prejudicados, agora também os do privado.


37 comentários:

  1. É uma vergonha. Onde metem tanto dinheiro dos contribuientes?! É impossível estarmos tão falidos, pagando tantos impostos. Andamos a encher o cu a muito ladrão. Era armar uma guerrilha contra esses gajos. Gente de fibra e muita vontade de mudar isto, precisa-se. Mas claro, o português não vai muito para além dos copos e do futebol. Então, dramas destes esquecem-se em minutos.
    Que nojo.

    ResponderEliminar
  2. O que se está a passar com Portugal é mesmo uma vergonha. Políticos de merd@! Só sabem afundar o país.

    ResponderEliminar
  3. Até agora todas as medidas de austeridade são apenas para quem trabalha.
    Quem anda a laurear a pevide, continua impavido e sereno...
    Enfim... :S

    ResponderEliminar
  4. Até tenho medo de olhar para a conta bancária...

    ResponderEliminar
  5. Não ouvi nada... estou cego, surdo e mudo em relação a esta gente.
    Levam-me o dinheiro, mas não me hão de levar a paciência.

    ResponderEliminar
  6. Não se esqueça que os patrões pagam menos para ver se conseguem pagar ordenados e não fazer subir ainda mais o desemprego.

    ResponderEliminar
  7. e para aumentar o nr de desempregados, fechos nas empresas e emigrantes. enfim

    ResponderEliminar
  8. Sempre a roubar o mais pobre, sempre a lixarmos a vida:(

    ResponderEliminar
  9. Ladrões mesmo! Para o ano vai haver ainda mais fome e mais desemprego!

    ResponderEliminar
  10. Estou com a Ella! Esses parasitas, que têm uma vidinha de reis [all expenses paid] é que a sabem toda! Estes país está para eles, espertos, que gozam a vida e ainda são pagos para isso. Fosse hoje, e tirava uma licenciatura em chulice estatal. Na certa, estaria mais rejuvenescida. E menos cansada.

    ResponderEliminar
  11. Palhaço! E a frieza com que ele diz as coisas ainda me enerva mais.

    ResponderEliminar
  12. Isto só lá vai quando alguém meter uma bomba no parlamento.

    ResponderEliminar
  13. Maria, não acredito nesse tipo de pseudo-soluções.

    ResponderEliminar
  14. Ainda por cima pervertem o texto do Acórdão do Tribunal Constitucional para fundamentar tais medidas.

    Mas alguém, de bom senso, acredita que o desemprego vai diminuir com tais medidas?

    A maioria das pequenas e médias empresas vivem pelo consumo interno. Se as famílias têm menos dinheiro compram menos. Se compram menos as empresas não vendem. Se as empresas não vendem, fecham. E o desemprego aumenta.

    ResponderEliminar
  15. Resumindo S. O que vão tirar todos os meses de 7% sobre a TSU equivale a um ordenado, não só para os Privados como para os Funcionarios Publicos

    É DEMAIS

    Aqui em casa é outra rombo no orçamento, alem do Corte Salarial de 4.5% no marido, e sem Sub Ferias e Natal vai mais 7% sobre a TSU e eu a mesma coisa.

    Não sei onde o Povo vai parar, acho que esta afronta é um BASTA.

    ResponderEliminar
  16. Porque nunca passou noites em claro a pensar em como pagar ordenados, o seu chega-lhe à conta. Desculpe-me, mas só evidencia que é novinha e trabalhadora por conta de outrém.

    ResponderEliminar
  17. Até doeu ouvir... mas mais vai doer na nossa conta bancária... oh se vai!

    Começo a ter medo... :S

    ResponderEliminar
  18. Não é que me agrade, mas quando tenho uma dívida, nem que me tenha de "refrear e só comer pão com atum", pago-a. Nem que seja para evitar mais juros.

    ResponderEliminar
  19. Olhe Maria, isso nem é comentário que se faça. Você está a pensar pelo lado dos patrões, eu estou a pensar pelo lado dos funcionários, que são a maioria das pessoas. Não me parece que isso tenha nada a ver com o facto de ser novinha e isso até é uma falta de respeito da sua parte. Já ganho mal e porcamente, não me parece que deva descontar mais 7% para a segurança social. Não considero que devam prejudicar mais os patrões, claro, mas neste caso foram beneficiados e parece-me que o número de empregos que esta medida vá criar será residual. Nenhum patrão vai contratar alguém só por conseguir poupar 5% para a segurança social.

    ResponderEliminar
  20. Anónimo, pois, isso é tudo muito bonito, mas o Estado e os seus boys estão bem gordinhos e cada vez comem mais, não precisam de comer só pão e atum. Quem se trama é sempre o mexilhão. Melhor cortassem no Governo e nas suas mordomias.

    ResponderEliminar
  21. O estado não percebe que a melhor maneira de diminuir as despesas com a Segurança Social começa por criar emprego e apoiar as empresas e pequenos comerciantes para que estes não vão à falência?
    Não é a "roubar" aqueles que ainda têm emprego que vão conseguir solucionar o problema. A solução é sim criar emprego.

    ResponderEliminar
  22. Sendo residual o aumento de postos de trabalho, vão ser significativos aqueles que não se vão perder. Se me percebe..

    ResponderEliminar
  23. Novinha???mas olhe Maria eu tenho 43 anos, trabalho numa empresa que desde 2009 não me paga subsidios, tenho vencimentos em atraso e ainda não saí de lá. Estou a suportar tudo para tentar manter o meu posto de trabalho, e de certa forma ajudar os donos da empresa mas custa-me muito aceitar estas medidas, sepassamuito para pagar vencimentos é porque algo não vai bem na sua empresa, está a ser bem gerida????
    Ou a culpa é dos funcionários?
    Quem paga sempre a gaita da crise são os mesmos, os trabalhadores, aqueles que vivem do seu trabalho e não do trabalho dos outros.
    AH! e tenho 43 anos, serei novinha????????

    ResponderEliminar
  24. Não se baixa um défice só com politicas de aumento de impostos.

    É óbvio que baixa o poder de compra da população em geral, e consequentemente há menor consumo e a bela da recessão. E depois dá a surpresa que houve: menos consumo, menos receita de IVA que o esperado e novo buraco orçamental. Agora é retido na fonte, a ver se não foge. E ao fim e ao cabo é um ordenado por ano, logo o belo do subsidio de natal cortado às postas. E sem pensar ainda no reajuste dos escalões do IRS e na subida de escalão de IVA para alguns produtos que já se especula e fala por aí.

    Tem se cortar na despesa. E eles não cortam o suficiente. Até renovam a frota de automóveis do sr. primeiro ministro.

    ResponderEliminar
  25. Mas isso é um passo que não consegue anular este. Os "boys", infelizmente, não conseguem pagar a crise toda (o que não quer dizer que não devam contribuir, e bastante, para a solução desta). Sendo assim, mais vale pagar a minha porção agora do que depois multiplicada por 2, e esperar que tomem medidas relativamente a essas pessoas.

    ResponderEliminar
  26. Maria, oh, empregos são perdidos todos os dias às centenas. Eu defendo o patronato, acredite que sim, mas prejudicar os trabalhadores não pode ser nunca a solução. Para sermos justos, o patronato tinha sido menos "beneficiado" com esta descida de contribuição para a segurança social (passavam para os 20%, por exemplo, em vez de 18%) e talvez os trabalhadores não tivessem de ser prejudicados em 7%.

    Quando o presidente da Câmara da minha cidade, uma cidade média/pequena, ganha 4 mil euros por mês+senhas de presença, está tudo dito. É aí que se tem de cortar.

    ResponderEliminar
  27. Anónimo das 22:23, com a quantidade de boys e lobbies que existem neste país, olhe que acredite que cortar nisso era uma poupança bastante jeitosa.

    ResponderEliminar
  28. Remete as tuas queixas para aqui: http://www.ps.pt/

    Quem chamou a Troika foram eles, os mesmos que afundaram o país e agora ainda sao os herois da patria pela merda que fizeram.

    Ja em 2003, a Manuela Ferreira Leite, ministra das finanças, disse que o país tava de tanga. Serviu de risota de Norte a Sul de Portugal. Ainda chamaram de antiquada etc etc.

    Mas Portugal so tem aquilo que merece, colocou o Socrates 2x no poleiro, é porque gosta mesmo de ser encavado bem fundo.

    :)

    Festim.

    ResponderEliminar
  29. marina, atenção que apenas me referi ao facto da tsu ter baixado para as empresas. não disse, em local algum, que concordo ou não com com o aumento da tsu para todos nós.

    Assim como nunca disse que tinha uma empresa, nem bem nem mal gerida ;)

    ResponderEliminar
  30. Maria, eu concordo que as empresas sejam "aliviadas" desse peso, mas não numa altura em que os trabalhadores - que são a maioria - são carregados com mais peso. Não faz sentido. Mas percebo o teu ponto de vista.

    ResponderEliminar
  31. Festim, lavo daí as minhas mãos, o meu voto ele nunca teve.

    ResponderEliminar
  32. Claro, eu concordo com o alivio das empresas, aliás hoje o Administrador de Insolvência da "minha" empresa, não estava a deixar pagar 200 euros do més de julho, pois a empresa ainda deve meatde da segurança social de Julho.
    Como vê, Maria, mais uma vez nós trabalhadores ficámos prejudicados só recebemos 200€ e hoje mais 200€ de julho, e quase que não os recebiamos, pois as ordens dos Administradores de Insolvências é não atrasar impostos, mas salários pode...Isto está tudo uma porcaria.
    Eu trabalho nesta empresa há 21 Anos. Não é justo.
    Portanto devo preocupar-me com quem? com a empresa ou comigo?

    ´

    ResponderEliminar
  33. O meu erro é não ter o cartão de uma belo partido na mão! Se os meus santos paizinhos tivessem sido visionários tinham-me inscrito num logo à nascença. Podia ser que agora estivesse bem melhor.
    E se acreditam que estas medidas é para fomentar o emprego, desculpem mas acreditam no Pai Natal ou são do PSD/CDS...
    Maneira parva e cruel de fazer o que lhes mandaram: empobrecer as pessoas, baixando salários. Mais NADA!
    E não me falem em Peanuts que eu não sou o Snoopy...

    ResponderEliminar
  34. Esse anónimo é PSD! Ui, é escumalha! Vi logo! Ó anónimo, tenho aqui umas batatas para apanhares. Queres? Pago-te 25 euros ao dia. Queres, burguês?! Se esfolasses o cabedal, saberias do que esta gente está a falar.

    ResponderEliminar
  35. É mesmo uma vergonha, não sei o que o futuro nos reserva, mas com este (e outros) governo, estamos entregues à bicharada, isto não endireita tão cedo e em vez de tirarem aos que mais ganham, nãoooo, fica tudo igual, assim chateamo-nos todos, e colocam-nos com salários abaixo do ordenado mínimo!
    Ai que revolta!

    ResponderEliminar