sexta-feira, 24 de agosto de 2012

Gostei

Não sei porque carga de água, mas dois anos depois do artigo ter sido publicado, a blogosfera voltou a falar do polémico (e muito idiota) artigo que a Margarida Rebelo Pinto escreveu sobre as gordinhas, para o "Sol". Estive a ler aquilo de novo, só para me relembrar do parvo que era, e nem vou comentar novamente. Vou deixar-vos com um comentário de um homem. Ou melhor, de um Senhor. Ele merece o título.

"ruicraveiro, 24.08.2012 - 11:25

Ele ficou com a "gordinha", não foi?

Não foi por ela ser gordinha. Talvez tivesse ajudado por ter formas. Ao contrário de o que possa pensar, nós homens não gostamos de sacos de ossos. Gostamos de curvas.

Mas, se calhar foi sobretudo porque não gostamos de mulheres mal humoradas, com a mania que são boas e giras e que todo o mundo as quer papar.

Gostamos de mulheres divertidas, intelectualmente honestas, sem preconceitos bacocos (do estilo giras vs gordinhas) e capazes de verem os vários tons de cinzento em vez de só conseguirem ver o mundo a preto e branco. Gostamos de mulheres que falam de sexo sem inibições seja à mesa, no café ou onde fôr. Falar não implica deboche nem fazer em qualquer lado.

Tanto gostamos dessas mulheres gordinhas como magrinhas quando o são de forma natural, mas temos imensa pena das mulheres que passam a vida a sofrer com malnutrição na procura de um ideal de beleza para o qual simplesmente nos estamos a borrifar e que depois com tanto sofrimento vêm descarregar disparates para o Sol".

59 comentários:

  1. Eu devo viver numa dimensão paralela porque o ESTÚPIDO artigo da pseudo escritora MRP passou-me ao lado, pelo que te agradeço o link.

    Que a 'senhora' (ler num tom irónico) nunca tenha um problema que a faça engordar, já que desejar que ela tem bom senso é missão impossível.

    Nunca li um livro da 'senhora', e agora percebo o meu instinto felino!

    ResponderEliminar
  2. :) houvessem mais homens assim, talvez houvessem menos mulheres como a MRP.

    ResponderEliminar
  3. Acho que esse Senhor disse mesmo tudo.
    Só li esse artigo hoje, porque vi publicado num blog, e fiquei mesmo sem palavras.
    Há pessoas que até julgamos serem intelectualmente sãs, mas essa senhora perdeu completamente a noção do bom senso. E pensar ainda dessa forma com a idade que já tem é no mínimo ridículo.

    ResponderEliminar
  4. Ele reflecte precisamente a minha opinião :) Apoiado, e vivam as curvas :)

    ResponderEliminar
  5. Acho que só a primeira frase diz tudo!

    ResponderEliminar
  6. Muito bom comentário. Ainda bem que nunca gastei um cêntimo com os livros dessa pessoa.

    ResponderEliminar
  7. Grande senhor!!! E estou com a Gata, obrigada pelo link, porque também não conhecia a estupidez do artigo!!! Bom fim de semana!!

    ResponderEliminar
  8. Li agora o artigo , que desconhecia.
    Sou magra e bonita. E sim, os homens param quando passo por eles. Se isso me incomoda? Não. Possivelmente incomoda a quem não lhe fazem o mesmo.
    A aparência ainda é e será sempre importante, quer se queira quer não.
    Há algum problema em ser gorda? Não. Cada um é como é.
    Mas eu gosto ser magra.

    ResponderEliminar
  9. Só soube hoje desse artigo.
    Mas a mulher é uma idiota.

    Não sabe ser nem estar... sem falar que é reles!

    De qualquer maneira... todo o avião tem pneu!...

    E prefiro uma gordinha com personalidade que uma cadavérica sem pingo de caracter!

    ResponderEliminar
  10. Meu Deus o que foste tu buscaaaarrrr já me tinha esquecido desse maravilhoso artigo....(mamma mia!!!) Este senhor respondeu mt bem!

    ResponderEliminar
  11. O meu marido sempre me disse: "olha que os homens não gostam de chupar ossos".

    ResponderEliminar
  12. Eish eu tive que comentar. Nunca tinha lido isso! :P ficou-lhe mal, lá isso ficou!

    ResponderEliminar
  13. Não conhecia o texto, mas lê-lo só me faz lembar que não gosto nem dela nem da escrita dela.
    E isto para mim tem um nome muito simples: discriminação social.A escritora e as suas amigas não devem gostar de ver no seu grupo de amigas as ditas gordinhas, porque é feio, não fica bem, é inestético.
    E o cometário que transcreveste diz tudo.E eu sou magra.

    ResponderEliminar
  14. Idiota é pouco para esse artigo...isso é lixo!

    ResponderEliminar
  15. Já tinha feito um comentário no blog da Pin e, escusado será dizer, que tudo isso me parece um enorme disparate. Mas, apesar de a crónica ser uma merda, não vejo porque andamos todos tão surpreendidos! Essa senhora sofre de incontinência verbal desde que me lembro gente! É um pavor, uma parvalhona.

    ResponderEliminar
  16. Nunca tinha lido o artigo, mas fique COMPLETAMENTE parva!

    ResponderEliminar
  17. Não tinha lido, não conhecia e até dispensava tê-lo feito agora; graças a Deus tinhas o antídoto para o veneno que foi esta leitura, no comentário deste Senhor. Ufa!
    Quão parvas conseguem algumas tipas ser!
    E olha que eu até sou bem magra!

    ResponderEliminar
  18. (risos) Não li o artigo mas foi muito respondido. Diz que sim, que gostam de carninha (ufa) e de miúdas bem-dispostas (quem não gosta?).
    W.

    ResponderEliminar
  19. Quando li esse artigo, na altura que foi publicado, a primeira coisa que me veio à cabeça foi: Esta está frustrada por ter sido trocada por uma gorda. E afinal não fui a única a pensar assim. Eu não sou gorda, nem sou magra. Tenho alguns (poucos) centímetros a mais mas gosto muito das minhas curvas e tenho perfeita noção que dou nas vistas por onde quer que passe, mesmo que vá de fato de treino. O problema desta senhora, é que nem com o mais bonitos dos vestidos ela deve chamar tanto a atenção como algumas gordas de pijama.

    ResponderEliminar
  20. Muito bom!

    Eu acho uma parvoíce haver estas chatices das gordinhas com as magrinhas. Cada um é como é, e quem não estiver bem consigo mesma, ou come menos ou come mais.
    Acho que as pessoas se deviam criticar por outros motivos que não o físico, até porque há muita coisa no físico que nem é controlável, a pessoa não tem culpa.

    ResponderEliminar
  21. Realmente também não percebo como é que publicam textos dela assim...mas esta resposta está demais, é um senhor com S muito grande mesmo.

    ResponderEliminar
  22. Já conhecia o artigo ridículo e até vi depois uma blogger a comentar que percebia e concordava (se quiseres depois mostro-te o post, uma vergonha).

    Esse senhor foi grande. Disse tudo!

    ResponderEliminar
  23. Este comentário está muitíssimo bom mesmo, acho que lhe responde à letra na perfeição. Querem saber fiquei com pena da fulana eu já não lhe achava grande piada agora fiquei com a certeza que ela dentro daquela cabecinha só tem ar.

    ResponderEliminar
  24. Não conhecia este texto dela e estou chocada! Meu deus!

    ResponderEliminar
  25. Já repararam que quando se diz coisas do género "não gostamos de sacos de ossos" também se estar a ser ofensivo para as mulheres e (miudas na adolescencia) magras que também existem e que não fazem dietas apenas são magras naturalmente, genéticamente ou por algum de saúde ou intolerancía alimentar etc.
    Não percebo esta dualidade! só se é mauzinho se for para as gordas, para as magras não faz mal é isso!?
    Bj S

    ResponderEliminar
  26. S, ah? Bom, isso parece-me um detalhezito no comentário do senhor. E co o "saco de ossos" acho que se referia à MRP em concreto. De qualquer forma, qualquer preconceito desse género é feio. Toda a gente os tem, devemos é evitar gritá-los aos sete ventos.

    ResponderEliminar
  27. E eu que acabei de escrever sobre esta coisa!!!

    ResponderEliminar
  28. Texto completamente ridículo, é o que tenho a dizer.

    ResponderEliminar
  29. ahah boa resposta!por acaso vi num blogue outra vez o texto dela. Tão medíocre e com tão pouca modéstia! enfim, boa resposta.

    ResponderEliminar
  30. Muito bom srº Craveiro ;)

    o meu marido é mesmo assim

    :)***

    ResponderEliminar
  31. Mas porque voltou à baila, este texto?! Já tinha sido debatido, rebatido e super analisado...
    Alguém que não tinha dado por ele na época? Será?
    A MRP é que agradece a publicidade!
    Beijinhos e bom fim de semana, querida S*. :)

    ResponderEliminar
  32. Fazem-se muito esse tipo de comentários ofensivos a mulheres magras e são muito mais bem aceites pela sociedade do que comentares uma gorda isso é que não percebo!
    Bj S

    ResponderEliminar
  33. S, eu acho que é fácil... a moda cultiva a "moda" da magreza. Nunca se é demasiado magra, já dizia a outra. Vai daí, até podem fazer umas piadinhas, mas chamar alguém de gordo continua a ser considerado mais ofensivo.

    ResponderEliminar
  34. Concordo com a S.Tenho muitas vezes a sensação de que por ser magra não tenho sequer que me sentir aborrecida quando me dizem que sou magra ou que estou mais magra.
    Nem todas as magras o são por fazerem dietas ou terem um distúrbio alimentar.Existem as que são e que gostavam de ser um bocadito mais gordas.

    ResponderEliminar
  35. Mas é igual, chamar sacos de ossos a uma magra ou monte de banha a uma gorda por exemplo é precisamente igual quer a sociedade cultive a magreza ou não. Acho que se devia começar a perceber que é exactamente o mesmo.
    Bj S

    ResponderEliminar
  36. S e Inês, eu sei que é a mesma coisa, que é igualmente bom. Mas também temos de admitir que será mau para quem ouve... mas socialmente falando, ser gorda é bem pior do que ser magra. Basta olhar para os nossos modelos... magrinhos, magrinhos. E uma menina que tenha 5 ou 6 quilos a mais é logo chamada de roliça.

    ResponderEliminar
  37. (No outro cometário esqueci-me da pontuação...).
    Mas é a sociedade que fez esse culto da magreza, e de magreza levada ao extremo. Mas isso aos poucos está a mudar.Existem estilistas e agências que já não querem esqueletos andantes,porque é feio é conotado com doenças.

    ResponderEliminar
  38. ahahah, um senhor mesmo :) Eu só conheci desta vez o "artigo", não sabia que era antigo. Mas realmente não sei o que aquela criança tem na cabeça, ai desculpa aquela senhora. Cof cof ^^

    ResponderEliminar
  39. Eu percebo-te mas não te esqueças que uma menina com 5 ou 6 kilos abaixo do peso (pelas mais diversas razões que não sejam dietas e desejo de ser magra) também é logo chamada saco de ossos e coisas piores igualmente graves para a sua auto estima independentemente dos modelos serem todos magros é disso que as pessoas se esquecem e não deviam.
    Bj S

    ResponderEliminar
  40. Só tive conhecimento deste artigo esta semana (até fiz um post sobre ele).
    Pois bem, adorei o comentário desse senhor. Muito bom! Isso é um homem com "H" grande (coisa que falta à MRP). A confiança, a inteligência e a maneira de ser é que seduz. E não apenas as medidas do busto, da cintura e da anca ;)

    ResponderEliminar
  41. eu não li o artigo e pelo que ouvi dizer nem quero ler. Mas sei do que se trata. E este senhor não podia ter estado melhor. Ó mulherzinha mais patética.

    ResponderEliminar
  42. A minha resposta da altura (e acho que à altura):

    http://quadripolaridades2.blogspot.pt/2010/09/as-acefalas-e-as-outras.html

    ResponderEliminar
  43. Pólo Norte, muito à altura... lembro-me que foi por causa desse texto que virei tua fã. :P

    ResponderEliminar
  44. gordinhas, magrinhas, o que interessa é que cada uma se sinta bem consigo própria, seja feliz e faça os outros felizes também.

    ResponderEliminar
  45. Chamar anoréxica a uma rapariga abaixo do peso ideal parece-me pior do que chamar gorda a uma mais cheia. À magra conota-se como doença, à gorda como característica física.

    Digo isto por experiência própria.

    ResponderEliminar
  46. Essa Margarída é um traste.... mas o problema não é só dela, é de quem a venera e publica as diarreias mentais que ela caga e vomita.
    Por uma gaja mal fodida e mal resolvida a falar dos outros, é levar com merda.

    ResponderEliminar
  47. Eu por acaso acho toda esta história um exagero, n me venham com pseudo moralismos.somo bem capazes de diz<er cobras e lagartos umas das outras, mas depois qd se diz numa rubrica arma-se tudo aos cucus...minha vida!

    ResponderEliminar
  48. Anónimo, é verdade, toda a gente faz um pouco de corte-e-costura. Mas nem toda a gente escreve crónica num jornal que é lido por milhares de pessoas. Ofensas gratuitas devem ser evitadas.

    ResponderEliminar