quinta-feira, 9 de agosto de 2012

Dos radicalismos

Não há quem aguente esta nova moda de mulheres criticarem outras mulheres só porque as segundas não são tão radicais e - ultraje! - não se importam de fazer um gosto ao companheiro de vez em quando.

Ninguém tem de ser submisso. Ninguém é empregado de ninguém (ou melhor, até sou, mas só de quem me paga para tal). Mas arre, há gente que não se importa de ser simplesmente... querida para o namorado?

Fogueira comigo. Gosto de apaparicar o senhor meu namorado. Resmungo imenso com ele, irrito-me vezes sem conta, mas quando estou de bom humor gosto de fazer o prato que ele gosta e, na loucura, até faço um bolo de brinde. Se eu pedir muito, muito, muito, ele às vezes deixa-me comer meia fatia - pois claro, que eu faço as coisas só para ele, eu não as como. Uh huh.

Eu bem sei que está na moda ser uma mulher independente, forte, e que manda no homem... mas menos, muito menos.

33 comentários:

  1. Eu tento sempre dar muitos miminhos ao meu menino. Ele merece ;)

    ResponderEliminar
  2. Não ligues :) é daquelas coisas que não vale mesmo a pena incomodares-te com isso porque haverá sempre alguém que acha que é mais superior, olha pra mim por exemplo :) ehehehe (vá esta foi só para desanuviar).

    ResponderEliminar
  3. Eu por acaso acho que até dava uma boa mãe de família!:p Mas hoje em dia há muito a ideia que tem de ser tudo partilhado. Eu concordo, claro, mas se a mulher se sente bem a ser a maior responsável pelas coisas da casa por que não há-de continuar a fazê-lo? Enfim...

    ResponderEliminar
  4. Se todas gostassem de amarelo, este mundo era uma chatice.
    Cada qual tem os seus hábitos e pronto...mas os cães ladram e a caravana passa.
    Deixa andar...

    ResponderEliminar
  5. Minha querida, já levo onze anos e dois meses com o meu marido e ainda hoje lhe pergunto invasriavelmente o que ele quer comer, ainda hoje faço os possíveis e os impossíveis para que ele tenha pão fresco, ainda hoje lhe compro docinhos mesmo quando sei que nem lhes vou tocar...ele também me mima tanto com tantas coisas...gaja que é gaja apaparica os seus meninos...

    ResponderEliminar
  6. Olha se há mulheres que o fazem eu digo-te já que não faço parte desse leque, admiro muito que sejas assim. Ser atenciosa não é ser submissa :)

    ResponderEliminar
  7. Não podia concordar mais...Há que ter bom senso

    Beijinho*

    ResponderEliminar
  8. São assim mandonas e autoritárias e depois dão-se mal. Continua assim que vais muito bem :)
    Já somos duas hihihi

    ResponderEliminar
  9. Sou da tua opinião. Gosto de fazer os miminhos, gosto de o ver feliz e gosto do sentimento que fica em mim por assim o ser. Sempre fui de mimar, isto porque me sinto bem comigo mesma fazendo-o. Há casais muito frios...e fico parva quando vejo isso, quando não há o "dar".

    ResponderEliminar
  10. nem tanto ao mar nem tanto à terra. e tenho a certeza que essas senhoras que falam são as mais submissas ;p é tão bom acarinhar o homem (e ser acarinhada, claro está).

    ResponderEliminar
  11. Cada um tem a sua vida. A mulher trabalha e ganha o seu; o homem trabalha e também ganha o seu mas se ambos não se juntarem com todo o amor que os une, ho Deus, mais vale estar cada um na sua casa e encontrarem-se quando tiverem vontades...
    A vida a dois, seja como tu S* que vivem juntos ou não é para haver carinho entre ambos e não por ele existir que vai cair alguma coisa a alguém.

    ResponderEliminar
  12. Não tem nada a ver ser-se atenciosa com ser-se submissa ou até a "empregada" do homem. Não tem mesmo nada a ver.

    ResponderEliminar
  13. Não vejo mal nenhum em mimar os namorados ou maridos! Eu sou totalmente a favor da divisão de tarefas, mas isso nã impede de, quando me apetecer, fazer o jantar para surpreender a cara metade. Agora também te digo, espero dela o mesmo tratamento! Não sou escrava de ninguém e cá para mim homens e mulheres têm exactamente as mesmas capacidades. Eu também não sabia cozinhar... antes de aprender!

    ResponderEliminar
  14. Eu acho que tem de haver um equilíbrio parte a parte. Tanto nós temos de os mimar como eles a nós.Não vejo mal nenhum em abdicar da nossa posição e fazer o que eles gostam de vez em quando =)

    ResponderEliminar
  15. Nunca me importei com o que os outros diziam (a nao ser que os outros sejam pessoas importantes pra mim).
    Eu adoro mima-lo, a minha irma diz que as vezes sou submissa pq ajusto o q quero as vontades dele, eu encaro isso como um dia cede um outro dia cede o outro, mas gosto imenso de agrada-lo.
    Quando tenho algo a dizer tambem o digo e ele ouve.
    Quanto as pseudo-independentes, e mesmo isso, pseudo!!! Se forem frias nao hao de ir mto longe a nivel de relacionamentos

    ResponderEliminar
  16. WHAT??? moda, qual moda??? Eu considero-me uma mulher independente, forte, MAS não mando em ninguém, nem admito que mandem em mim. Ah, e não vou em modas, sobretudo as que impliquem faltas de respeito!

    ResponderEliminar
  17. Não ligues a essas coisas. As pessoas têm que fazer conversa nos blogs e muitas vezes dedicam-se a falar dos outros. Quando vimos para este meio já sabemos que aquilo que dizemos pode ser usado contra nós por isso, das duas uma, ou preservamos a nossa intimidade ou não o fazemos e aprendemos a lidar com as críticas, senão vais bater mal.

    ResponderEliminar
  18. As pessoas não conseguem ver o meio-termo, então por se fazer um miminho ao namorado já não somos mulheres independentes e até dividir as tarefas na mesma...

    Se eu não o mimar de vez em quando e ele não me mimar tb é porque qq coisa está mal na nossa relação!

    ResponderEliminar
  19. Lá em casa assiste-se a uma preocupação mútua como bem-estar do outro. E somos assim em qualquer momento, esteja quem estiver!

    ResponderEliminar
  20. Eu adoro dar miminhos ao meu namorado. A minha mãe diz que eu sou boa demais para ele, mas a mim isso não me interessa nada ;)

    Beijinhos e tem uma boa Sexta-feira :D

    ResponderEliminar
  21. Acho que nós mulheres hoje em dia vivemos numa ditadura de julgamento por parte das outras. Faças o que fizeres nunca é bom, se és cheinha é porque és uma gorda e uma falhada, se ganhas mal é porque não tens ambição e és uma falhada, se não tens 2 palmos de cara é porque és uma feia falhada, não tens ninguém? és tão falhada que ninguém te pega, divides tarefas? falhada que não te soubeste emancipar e és criada. O que anda aí é muita gente azeda que tem sempre que julgar os outros.

    ResponderEliminar
  22. Os mimos fazem parte da relação, e é tão bom quando damos e recebemos, não é por isso que deixamos de ser independentes, claro que tb quando é preciso ralhar....nós somos peritas nisso! Lol
    :-P

    http://viradadoavesso-katie.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  23. É mesmo assim, vocês têm que saber mimar-nos. E sempre ouvi dizer que um homem se conquista pela barriga. :P

    ResponderEliminar
  24. Já desisti de mimar, só se leva pontapé.

    ResponderEliminar
  25. Apoio o meio termo! Mas cada um sabe de si.

    ResponderEliminar
  26. E qual é o drama? Também nunca percebi. Gosto de o mimar, da mesma maneira em que também gosto que ele por vezes me faça as vontades. :) Ainda hoje lhe pergunto o que ele quer para o jantar, lhe faço o prato preferido e quando vou às compras tenho a atenção de lhe trazer umas coisas que ele gosta! E? Não sou mais ou menos mulher por isso!

    Beijooo******

    ResponderEliminar
  27. As pessoas adoram confundir ser atenciosa com ser empregada... ou então gostam de ver mal em tudo, Sissy. :)

    ResponderEliminar
  28. Dar mimo é tão bom como receber! :))

    ResponderEliminar
  29. Acho que o problema de muitas relações é que as pessoas não são amigos antes de serem companheiros.
    Depois têm tendência de parecem cubos de gelo em vez de namorados.

    ResponderEliminar
  30. Ai credo. Nem eu mandar ele, nem ele em mim!! Cada um por si, mas sempre em formato de partilha e cheios de amor. Este é o meu conceito :)

    ResponderEliminar
  31. Não me parece que essas pessoas consigam uma relação duradoura. Como em tudo na vida, nem 8 nem 80.

    ResponderEliminar
  32. Toda a gente diz "oohhhhhh" quando vê um casal de idosos a acarinhar-se. Mas ninguém se esforça para chegar lá. Eu dou e exijo em troca. E assim nasce a cumplicidade, o cuidado e o amor.

    ResponderEliminar