terça-feira, 7 de agosto de 2012

Das opções médicas

Antes de mais anda importa referir que não tenho absolutamente nada contra os médicos. Sempre fui muito bem tratada. Em pequena passei uns bons meses no hospital e toda a gente me tratou maravilhosamente bem. No entanto, como em tudo na vida, há profissionais responsáveis e outros menos responsáveis.

Infelizmente todos sabemos que os médicos são pressionados a evitar os exames médicos mais caros. Isso não é culpa dos médicos, é culpa de quem trata os doentes como lixo.

Exemplificando, a minha avó andou durante um ano a ir todos os meses à sua médica... queixava-se de uma ferida que tinha no nariz, que não passava. Provavelmente por estar a lidar com uma velhota frágil, a senhora doutora (grrrr) nunca a mandou fazer exames. Mandava-a meter betadine, nivea, algo para ajudar a cicatrizar. Mês após mês, durante um ano.

Um dia, a minha mãe passou-se e acompanhou a minha avó à consulta. A doutora, sentindo-se importunada, deixou a minha mãe 4 horas à espera. Quando chegou, a minha mãe disse-lhe "Para si, é apenas mais uma doente. Para mim, é minha mãe, só tenho uma".

Mandou finalmente fazer exames. Células cancerígenas, claro. Felizmente correu tudo bem.

No meu caso, com a minha asma, espero bem que a minha médica me família me mande fazer os exames, ou infelizmente vou ter de fazer o que nunca fiz - recorrer a um privado.

40 comentários:

  1. Tens razão foi por ter medo dessas situações que fui obrigada a fazer um seguro de saude. Num futuro breve vamos ficar sem o serviço nacional da saude.

    ResponderEliminar
  2. é lamentável, no entanto, nos privados também já começa a haver casos do género :|

    ResponderEliminar
  3. De facto é pena que o Serviço Nacional de Saúde em Portugal empurre as pessoas para o privado. E isto é ainda mais preocupante quando pensamos que uma grande parte das pessoas não tem capacidade financeira para ser acompanhada no privado. Sob o pretexto da austeridade descura-se aquilo que é efectivamente fundamental.

    ResponderEliminar
  4. Pois...
    Há muito bons profissionais no SNS, mas como em tudo, também há aqueles que não querem saber.
    No meu caso tenho imensa sorte, a minha médica de família quando há um qualkquer sinalzinho de alerta manda logo fazer tudo o que é exame de despiste.
    Já excelso esposo ainha há cerca de 1 ano teve que gastar mais de €350 no privado em exames porque o médico achava que, e passo a citar, ' ele era demasiado novo para ter esse tipo de problemas'. Conclusão? Depois de uma bateria de exames pagos a peso de ouro descobriu-se que o homem em repouso chegava a ter tenções de 18/14 e que corrio um sério risco de ter uma trombose a qualquer momento. Para o médico de família ainda hoje isso 'é um exagero'.

    Mas já agora, também os há muito fracos no privado. Um caso recente é o do meu oftalmologista, que já o era de toda a minha família há mais de 20 anos mas que de há uns tempos para cá (e ele até nem é velho) parece ter ficado chéché e faz consultas sem pés nem cabeça mesmo estando a ser pago a peso do ouro...

    ResponderEliminar
  5. eu não tenho nada contra o sistema público de saúde, pelo contrário. acho que, funcionando mal ou bem, somos um país privilegiado por o ter. se há coisas que podiam funcionar melhor? pois claro, como em tudo. antigamente como tinha seguro de saúde do meu pai por ser estudante ia a imeeensos médicos privados, e sinceramente a diferença é pouca. não tem a ver com sistemas, tem a ver com pessoas. há médicos (pessoas) sem um pingo de consideração pelos outros, enquanto há outros super atenciosos... felizmente é o caso da minha nova médica de família :) espero que isso não seja nada de grave S*

    ResponderEliminar
  6. No público ou no privado, bons e maus profissionais há em ambos. Como em tudo na vida, é preciso sorte. Um bom médico, seja no público ou no privado, faz TODA a diferença.

    Nada contra a classe médica, eu sei que são pessoas como nós, mas: um erro de um médico pode matar; um erro meu, é apenas 'chato' - essa é a grande diferença! E a outra diferença é a 'protecção': eu se fizer asneira, sou despedida; um médico se fizer asneiras (entenda-se, matar um paciente ou provocar danos graves) é protegido pelos seus pares e pela Ordem...

    ResponderEliminar
  7. ADENDA: as melhoras da tua avó!!! Turrinhas!

    ResponderEliminar
  8. É uma coisa que me enoja nos médicos: são poucos os que sabem realmente tratar um doente.

    ResponderEliminar
  9. S*, aperta com a médica de família!!

    Felizmente tenho sorte com a minha: super prestável, preocupada, atenta. À mínima queixa manda-me fazer uma data de exames.

    ResponderEliminar
  10. há de tudo em todo o lado... há bons e maus em tudo na vida

    ResponderEliminar
  11. no SNS como em tudo o lado há bons e maus profissionais, o triste é que quem manda, mande cortar tambem nos tratamentos e exames.
    No caso da tua avó teve a "sorte" de correr bem, mas quantas e quantas pessoas já não vão depois a tempo... é triste , muito triste mesmo.
    Desejo as melhoras.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  12. Felizmente sempre tive uma médica de família (que entretanto se reformou há pouco tempo, tenho que ir arranjar outra!!) espectacular e exactamente aquilo que eu acho que um profissional destes deve ser: amiga, disponível, sempre pronta a ajudar!

    ResponderEliminar
  13. A culpa é mesmo desses que se dizem ser profissionais, pouco importa se estão no público ou no privado.
    É verdade que muitos são pressionados a poupar mas isso não justifica o encontrar doutores que mal analisam o paciente.

    ResponderEliminar
  14. Hoje em dia parece que saúde não é mais um direito... Pagamos e bem para manter um bom serviço médico quando precisamos...

    ResponderEliminar
  15. Fogo, como é que é possível? :S Isso é muito triste mesmo. Enfim. É como dizes, há de tudo em todo o lado, bom e mau, mas com a saude não se pode brincar mesmo. Quando são pessoas mais velhas eles não ligam muito, ás vezes verem-nos a nós, família, faz toda a diferença. Isso e com mulheres grávidas, se o marido ali tiver faz toda a diferença, percebi isso no nascimento de um dos meus sobrinhos. Sempre que as pessoas estão frágeis é tudo andar :S Beijinho e as melhoras da asma, tu bate o pé à médica :)

    ResponderEliminar
  16. Somos apenas mais um numero na estatística... mas graças a Deus não são todos assim!

    Estou feliz por tudo ter acabado bem!

    Um beijo doce xxx

    ResponderEliminar
  17. Se queres que te seja sincera, é verdade há muita pressão sobre nós a evitar o máximo de custos a ter com o utente, qualquer que seja a especialidade em que estejas. Seja em médicos, seja em fisioterapeutas, seja em terapeutas da fala, seja nos anatomo-patologistas (os que fazem a análise das células) eles apertam conosco ao máximo. Nós fazemos estágios todos os anos, e eu já vi realidades de consultas que deveriam demorar cerca de 40 minutos pela exigência da terapêutica em questão que demoraram 20. O que eles mais querem é evitar filas de espera. E infelizmente, por muito que me custe dizer, neste momento já não há o minimo beneficio em ir ao público. Para se pagar 5€ como taxa moderadora de uma consulta, ou 20€ por uma consulta num hospital mais os exames caríssimos que depois temos de fazer, mais vale realmente ter um seguro de saúde e ir a um privado. És melhor atendida, mais rapidamente e com mais dignidade.

    ResponderEliminar
  18. Tens muita razão. Por vezes o que se passa é que não mandam fazer exames porque acham que os doentes não têm dinheiro, ou que os vão sobrecarregar... Ou wtv..

    ResponderEliminar
  19. A minha sogra teve/tem o mesmo problema no nariz. A médica de família dela também mandava pôr pomadas e aquilo foi ficando pior.
    Eu sou adepta de se ir directamente ao médico da especialidade.

    ResponderEliminar
  20. Como tu disseste há profissionais responsáveis e outros menos reponsáveis mas todos os médicos deviam ter um sentido de responsabilidade porque a saude de uma pessoa é algo com que não se brinca! Nunca tive problemas com os médicos que frequentei até agora mas quando tenho qualquer coisa vou sempre a um médico da especialidade :)

    ResponderEliminar
  21. eu sou asmática desde pequena - e não posso viver com gatos, pois é uma das muitas alergias que tenho...se vou a alguma casa onde tem gatos e se tiver na altura deles deitarem muito pelo - e eu la permanecer umas horas - o mai certo é vir de lá com uma crise.
    as melhoras.

    ResponderEliminar
  22. Penso que a questão de não ter pedido para fazer exames esteja mais ligada a negligência médica (por não dar importância aos sintomas e duração dos mesmos da paciente) que aos custos... Os médicos não se preocupam muito com os gastos, por norma!

    Lux

    ResponderEliminar
  23. Abdicar não me parece solução! Pedir e até mesmo exigir pode ser importante porque às vezes temos que fazer valer os nossos direitos.

    ResponderEliminar
  24. Eu ando decepcionada com meu médico e ele é particular (privado), é provável que eu mude. Para você ver como anda a coisa...

    ResponderEliminar
  25. Pois era aquilo que eu dizia sobre o post da tua asma no outro dia, eu vou muito ao privado porque tenho um seguro de saúde, mas também utilizo o serviço público porque tenho uma médica de família fantástica no centro de saúde que é perto da minha casa (apesar de ser uma confusão ir ás consultas, é senhas, filas, esperas intermináveis, cartões, papeis,requisições, carimbos, caras feias a olhar para nós etc. etc. nem sei como é que os velhotes conseguem) mas esta médica é uma excepção, preocupa-se, passa os exames que forem necessários por precaução e não só em último caso enfim uma médica a sério. Como esta infelizmente há poucas mas claro que há muito bons médicos em portugal! e valem por mais de mil dos outros que andam por aí a fingir que exercem medicina, não são é a regra, são a excepção!

    ResponderEliminar
  26. Fogo, estou chocada :(
    Realmente não é fácil, espero que a tua avó esteja bem agora.

    ResponderEliminar
  27. Espero que fique tudo bem!
    Aqui no Brasil tenho que pagar plano de saúde para tê-la quando preciso com urgência... enfim...
    abraços.
    boa semana
    boa sorte

    ResponderEliminar
  28. É triste. Tenho visto que no público as coisas não andam nada famosas. Eu raramente vou ao público. Desde pequena que tinha o seguro dos CTT, e hoje, pago 300€ anuais por um seguro de saúde que a meu ver me compensa.
    Nunca pensei deixar o seguro, contudo tenho pena de custar tanto, não sou rica, nem tenho um salário assim tão grande. Contudo, sou nova, não tenho ainda casa para pagar, e enquanto puder, vou manter.
    Em relação ao público, o meu namorado vai a bastantes consultas, derivado a uma doença crónica que tem.
    Ultimamente só o vêm, ouvem e nada de exames. É completamente ridículo, e ele só ainda não foi ao privado por causa dos gastos que acarreta.

    ResponderEliminar
  29. Isso, depende muito dos médicos, S*

    ResponderEliminar
  30. É lamentável o que aconteceu com a tua avó, sim. Assim como também são lamentáveis, redutores e injustos muitos comentários que se lêem aqui. Mas pronto, não me está a apetecer deixar um testamento. Até porque isto é uma luta da qual quase já desisti de me pronunciar.

    ResponderEliminar
  31. À custa de uma situação semelhante, a minha avó acabou por falecer de cancro no estômago ='(
    Desejo as mais rápidas melhoras para a senhora tua avó =) o argumento da tua mãe foi genial!

    Mariana

    ResponderEliminar
  32. Cat, melhor do que ninguém, tu saberás que os preconceitos existem em todo o lado... eu não tenho qualquer problema com médicos, mas que há situações más, lá isso há. Como em tudo na vida. :/

    ResponderEliminar
  33. Essa dos exames não é desculpa...uma ferida que não cicatriza e ainda mais com uma localização dessas é logo sinal de alerta! Isso foi mais imcompetência que mais nada...

    ResponderEliminar
  34. Eu sou mais uma que subscreve a Cat. :)

    ResponderEliminar
  35. imcompetencia para com os velhos ,a minha tia-velha tb era tratada como mais uma até que comecei a ir ao lado dela ao medico de familia
    kis :=(

    ResponderEliminar
  36. Exactamente como eu passei a fazer como a minha mãe!
    É indecente, vergonhoso, terceiro-mundista o tratamento que alguns médicos dão às pessoas!
    Infelizmente para se ser médico só são precisas notas altas, esquecem-se de testar a vocação; ser médico tem de ser mais do que um prescritor de receitas tem de se ser humano, sensível, empático, tem de se verdadeiramente querer honrar o juramento de Hipócrates!

    ResponderEliminar