quarta-feira, 1 de agosto de 2012

Da incoerência

Telejornal. Ai a crise, ai a desgraça, ai a pobreza...

Reportagem seguinte: Algarve está cheio de turistas, hotéis com ocupação superior a 90%. Entrevistam um senhor que pagou 1200 euros para ter uma casa no Algarve, durante uma semana. 1200 euros dava para eu pagar a renda do meu T1 durante uns meses... mas adiante! Pergunta a jornalista: "mas ao menos com a casa consegue poupar dinheiro ao fazer as refeições em casa, certo?" Errado. "Hoje por acaso vamos jantar fora, mas às vezes fazemos refeições em casa", responde ele.

Das duas uma: ou admitem que, apesar da crise, ainda há gente com dinheiro... ou deixem de tentar manipular as reportagens. Se querem mostrar a crise, mostrem gente em crise. Mostrar gente que se pode dar ao luxo de gastar 1200 numa semana só para ter um apartamento de férias é de uma incoerência imensa.

Atenção que eu não tenho nada contra quem vive bem. Se pudesse, também gastava 1200 euros num apartamento. Se pudesse, também comprava malas de centenas de euros e fazia um closet gigante só para mim. Mas não posso. E muita gente também não pode. Se querem falar de crise, falem da crise real, não desta pseudo-crise que chega a ser insultuosa.

44 comentários:

  1. @S
    Esse é um argumento que vejo ser bastante utilizado por muitas pessoas, e que me dá vontade de sorrir, pois ingenuamente tendem a esquecer-se de um pormenor:
    O dinheiro não desapareceu.... Simplesmente mudou de mãos...

    ResponderEliminar
  2. Nem mais. Falam de crise mas as lojas estão cheias e as pessoas nos centros comerciasi passeiam-se cheias de sacos na mão.
    Crise existe, mas não é para todos...
    :D

    ResponderEliminar
  3. Um grande lol!
    €1200 nesta altura do campeonato dava meeesmo jeito.
    MAs quem pode, ainda bem!

    ResponderEliminar
  4. também vi. a crise apenas não afecta todos da mesma maneira.

    ResponderEliminar
  5. Concordo plenamente contigo S*!

    Também não suporto reportagens dessas!! Então quando se poem a mostrar familias numerosas mas da média alta sociedade e ponhem-se a falar de crise!!
    "Tivemos de tirar o Gonçalinho das aulas de ténnis e da natação!"

    PLEASE!!!

    ResponderEliminar
  6. Uma coisa que eu reparei é que, apesar de muitas pessoas não terem dinheiro assim, continuam a gastar imenso! Mas claro, há sempre pessoas que têm bastante e o aproveitam e outras que não têm tanto assim e o gerem bastante bem.. Há casos e casos, mas os telejornais por vezes não são tão realistas assim ...

    ResponderEliminar
  7. E aqui há dias vi que há quem pague 500€ por um toldo na praia!!!!! Não viste essa reportagem??? Eu fiquei boquiaberta com tal crise... de bom senso... Ah e tal diz que dá muito trabalho andar com as cadeiras e os brinquedos das crianças atrás e então deixa-se lá tudo amarrado ao toldo, de um dia para o outro... 500€... ma'nada!! Quem pode pode, quem não pode, arregaça!...

    ResponderEliminar
  8. Eu não pagava 1200 euros por uma casa no Algarve durante uma semana, mas, p.e., pagava para ir 5 dias a Nova Iorque - mas as escolhas são de cada um. Mas também só pagava se o dinheiro não me fizesse falta para o essencial, claro.

    Ainda que adorasse ter um closet gigante só para mim, na realidade acho que não teria... Há uns tempos limpei o meu guarda-roupa e recitei o dicionário vernáculo! :-) Bem, mas se tivesse dinheiro para ter um closet gigante só para mim, também teria dinheiro para pagar a uma senhora da limpeza... LOL

    ResponderEliminar
  9. Mas há mesmo crise!!! Eu penso é que há uma série de pessoas que não se querem convencer disso e gastam o que têm e o que não têm cada vez se enterrando mais!

    ResponderEliminar
  10. Eu acho que esse tipo de coisas só demonstra a grande crise mental de algumas pessoas... E essa não me parece que passe nem em 2040...

    ResponderEliminar
  11. E a informação altamente enviesada que tens, noticiários demasiado longos que têm de ser preenchidos com tudo o que não interessa. é por isto que aparecem estas pseudo reportagens que quase insultam, se a informação na televisão se cingisse única e somente ao que é de facto notícia tinhas cerca de 30 min de telejornal e reportagem a sério.

    ResponderEliminar
  12. Toda a razão S.
    Falta de incoerência para os tempos que correm, se há algo que me maça é muito vangloriar se do que tem e outros a necessitar de dinheiro para comer.
    Por isso escolho sempre férias acessiveis a familia, sempre em conta, e apesar de não termos Sub Natal nem Férias conseguimos sempre Juntar uns trocos para as férias.
    Podem não ser de luxo, mas é o que pudemos ter e desfrutar.

    Bjstos

    ResponderEliminar
  13. E gosto do pormenor "às vezes fazemos refeições em casa" :D

    ResponderEliminar
  14. A mim faz-me muita confusão ver telejornais. Começo logo a a ficar nervosa porque a minha geração está feita num oito...

    houve um dia qualquer que fizeram a "notícia da crise" e logo aseguir reportagem (daquelas de uma hora) de umas senhoras que eram viciadas em compras e mostravam os roupeiros e os vestidos e os preços e... não faz sentido.

    ResponderEliminar
  15. Chamo a isto mau jornalismo ou o quanto querem atirar areia para os olhos dos po(bres)rtugueses.

    ResponderEliminar
  16. Há quem viva mal, mas há muita gente a apregoar que não tem dinheiro e ainda vai de férias. E depois há aqueles que vão de férias gastar o que não têm e depois passam fome uma quantidade de tempo.

    ResponderEliminar
  17. Vais ver que vai na volta, foi tudo para o campismo como eu, só que em frente às câmaras, armam-se em bigalhões.
    E os toldos da praia no Algarve a 500€ o mês, que esgotaram em Maio?

    ResponderEliminar
  18. Ai o que eu fico revoltada com isso. :(

    ResponderEliminar
  19. Não só há gente com dinheiro, como há gente que poupou para uns diazitos de férias e ainda aqueles que vão todos os anos de férias para o mesmo lado para verem e serem vistos.
    S. Martinho do Porto é o local onde vejo tudo o que escrevi acima, e já cenas que não lembram a ninguém...

    ResponderEliminar
  20. Não vi, mas isso é mau jornalismo!
    É não mostrar o real das coisas...

    ResponderEliminar
  21. O problema da crise não é a falta de dinheiro. O problema é que o dinheiro está muito mal repartido: uns com muito e outros com muito pouco...

    Bjs*

    ResponderEliminar
  22. A chuva de prata do blog « http://chuviscos-de-prata.blogspot.pt/ » considerou que tinhas um bom blog e decidiu "inscrever" te no concurso do meu blog e a partir de amanhã o teu blog, em conjunto com outros, será levado a uma sondagem. Haverão prémios.
    Beijinhos e boa sorte (:

    ResponderEliminar
  23. o problema é mesmo esse, o de gente que não pode mas ignora esse facto e 'depois logo se vê'.

    E sim, é um facto, as tv's mostram sempre uma crise que me faz sorrir ironicamente. Mostram o casal que já não vai poder ir para o estrangeiro de férias, que tem que tirar o filho do colégio privado, que tem que abdicar das marcas. Se isto é crise? Até pode ser, não é é a verdadeira crise. Aquela que magoa a alma quando se pensa que não há dinheiro para comida apesar de todos os esforços e de trabalho a dobrar num emprego com o ordenado mínimo.

    ResponderEliminar
  24. E há também quem se meta até ao pescoço é créditos doidos só pra dizer que foi pro Allgarve tá...... loool

    ResponderEliminar
  25. DE facto a reportagem não foi feliz pois se queriam dar conta da tão famosa crise, então escolheram muito mal o entrevistado. Eu cá acho que muitas vezes já virou moda dizer que se está em crise. Há casos de pessoas que vivem com muita dificuldade mas ainda há pessoas que podem usufruir de muitos luxos.

    ResponderEliminar
  26. A crise é só para alguns!
    Beijinho
    Novo giveaway (geleia real de cereja) a decorrer no blog, participa =)

    ResponderEliminar
  27. Isto é gozar com o pobre e esfregar vida na cara de quem sobrevive!

    ResponderEliminar
  28. Das duas uma, ou estes realmente não sofrem de crise (sim porque anda por aí muito boa gente que não sofreu nada, nem vai sofrer) ou então pegou de certeza calote a alguém e foi gozar o dinheiro de outros.
    É que não me parece muito normal nos dias de hoje férias e jantares fora. Mas esperemos que eles possam :D
    Bjs

    ResponderEliminar
  29. Assim estão a mostrar os responsáveis pela crise.
    Sim, porque se o dinheiro falta na tua casa e não está na minha, alguém se anda a "abotoar".
    É a velha questão das estatísticas. Se cada tuga como, em média, dois frangos por semana, quem é o sacana que me anda a comer um frango?. eheheh

    ResponderEliminar
  30. É óbvio que, independentemente da comunicação social, há gente com muito dinheiro. Mesmo que agora possam ter um bocadinho menos de dinheiro, continua a ser muuuito dinheiro, dinheiro suficiente para comprar iates, para dar 1200 euros por uma casa. Se têm dinheiro para isso e o querem gastar dessa forma, absolutamente nada contra. Quanto muito, um bocadinho de inveja ;)

    ResponderEliminar
  31. O que eu infelizmente apanho muito são essas tais pessoas que podem gastar 1200 euros numa semana mais as refeições mas depois passam a vida a lamentar e a chorar o dinheiro. Que paciência sinceramente.

    ResponderEliminar
  32. Por 1200 euros passava uma semana à grande no México, ou na Jordânia, ou na Tailândia, ou, ou, ou ;)

    Agora ter 1200 euros e gastá-los num apartamento do Algarve? É mesmo coisa de pobres de espírito :P

    Beijinhos :D

    ResponderEliminar
  33. Eu acho é que esse tipo de situações tende a acontecer com pessoas que já têm uma certa idade e muitos anos de trabalho em cima, e que como tal já têm uma vida mais ou menos organizada e uma gestão do dinheiro em casa também mais ou menos organizada. É o caso da maior parte das pessoas na casa dos 50/60. Apesar de sentirem a crise, apesar de terem que seleccionar o que fazer e o que comprar quando antes não o faziam tanto ou não o faziam de todo, continuam a conseguir ter uma economia mais ou menos organizada. Reparo que isso não acontece com pessoas jovens que estão agora a começar as suas vidas profissionais, como penso que é o teu caso. Vocês (e em breve eu) começaram a trabalhar e a ser independentes na pior altura possível, numa altura em que ganham mal quando têm sequer emprego e em que o custo de vida é enorme para os vossos salários, e como tal mal vos chega para pagar as contas quanto mais para gozar a vida. Isto é pelo menos o que eu percebo do que vejo à minha volta, de uma forma geral.

    ResponderEliminar
  34. Moro no Algarve e acredita que há crise. As praias estão cheias, os supermercados também,há trânsito por todo o lado, mas depois as esplanadas e restaurantes estão vazios. Conheço pessoas que trabalhavam na área de Hotelaria e Restauração e este ano os patrões não os contratam porque não se justifica, visto que não há clientes. Em relação à estadia, eu trabalho em alugueres de apartamentos há vários anos e realmente há apartamentos a 1200€ mas as pessoas vêm em grupo e dividem o aluguer por todos. Por outro lado temos apartamentos a 300€ (T1)em cima da praia e não se aluga. É óbvio que há pessoas com dinheiro mas essas são uma minoria (temos casas a 4mil euros/semana e estão reservados a meses). Só para esclarecer,os toldos não custam 500€ por mês, mas sim para os meses de Junho, Julho, Agosto e Setembro.

    Bjs

    ResponderEliminar
  35. irrita-me tanto ver essas notícias! Pessoas que dizem ter sido afectadas pela crise a conduzir altos carros, com casas todas pipis, roupinhas de marca, férias em destinos tropicais...Enfim, fala-se muito da crise mas só alguns é que a sentem na realidade. Basta vermos por esta blogosfera fora quantas pessoas se queixam disto e daquilo, ai a crise, e depois só postam fotos das férias maravilhosas e das novas aquisições pro seu fantástico closet. é triste.

    ResponderEliminar
  36. Eu só vim aqui informar que um toldo não custa 500€, custa 300€ e já vem com um lugar de parque incluído. E que percebo perfeitamente quem não está para andar com chapéus e cadeiras às costas e prefere pagar um toldo que ainda por cima vem com brinde.
    E queria também dizer à Joana que por 1200€ ela até pode ir ao México ou à Tailãndia mas que nunca passará uma semana em grande (e agora que penso nisso, pode ser que o meu conceito de grande seja maior que o dela).

    ResponderEliminar
  37. Estamos a ficar como no Brasil: muito rico e/ou muito pobres!
    Mas há dinheiro...

    Beijinho doce xxxx

    ResponderEliminar
  38. sim a crise e so pra alguns,e para aumentar o fosso de quem tem muito e continua a ter mais e quem tinha algum deixa de ter. a maioria das pessoas nao tem dinheiro para isso :|

    ResponderEliminar
  39. E mai nada!! Concordo contigo! No outro dia, estavam a falar de crise e de pessoas que pedem roupas e comida e foram entrevistar uma mulher sentada num sofá de pele, com uma grande arca congeladora, televisão e uma casa em óptimas condições.
    Incoerências...

    ResponderEliminar
  40. Miss S, desculpe mas incoerência é o que está a dizer. Sabe que há quem tenha perdido o emprego? Por vezes marido e mulher? Sugere que vão a correr vender o sofá de pele e a televisão? Muita gente tem de recorrer ao banco alimentar apesar de ter boas casas, as quais agora também não se vendem.

    ResponderEliminar