quarta-feira, 6 de junho de 2012

Um em cada cinco portugueses tem menos de 300 euros para as férias

"A maioria dos portugueses (62%) não vai fazer férias este ano, de acordo com a sondagem realizada pela Universidade Católica Portuguesa para o "Jornal de Notícias". Entre os restantes, 24% planeiam fazer férias em Portugal, 6% vai viajar para o estrangeiro e 3% fará férias cá dentro e no estrangeiro também".


Eu nunca fiz férias, no real sentido da palavra.

Para quem realmente não tem dinheiro, o subsídio de férias serve para fazer poupança. O subsídio de férias serve para comprar os livros dos filhos, no início do ano lectivo. Serve para pagar a revisão, a inspecção, o imposto do carro. Serve para pagar o Imposto Municipal sobre Imóveis. Serve para arranjar aquela coisa lá em casa, que já está a precisar de ser arranjada desde o tempo do arroz de quinze. Serve para esterilizar a gata. Para férias? Não, para férias não serve.

O subsídio de Natal também não serve para passagens de ano fora do país. Serve para comprar as prendas, para rechear a mesa, para o bacalhau, as batatas, as couves e os doces.

Lamento, mas muitas vezes parece-me que as notícias não têm uma real noção do que significa ser pobre. O que interessa se não têm dinheiro para passar férias fora do país? Para quem é pobre, o dinheiro das alegadas férias serve para comer, para comprar bens essenciais, para cuidar dos filhos. Nunca serve para férias, no real sentido da palavra.

39 comentários:

  1. fui de férias a primeira vez o ano passado. Os meus pais nunca tiveram férias

    ResponderEliminar
  2. Bem, eu também nunca fiz férias. Nem fora, nem cá dentro.
    As férias sempre foram passadas no meu local de residência.
    Quanto muito faz-se uns piqueniques ao fim-de-semana, e uns acampamentos...enfim.
    Partilho da tua opinião, a ideia de "classe média" e do que é ser pobre e ser rico em Portugal está a ficar desactualizada...e os jornalistas que muitas vezes fazem este tipo de crónicas não se informam o suficiente antes de o fazer.

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  3. Same here. O ano passado, foi a primeira vez que "fui de férias". Fomos para o Algarve, mas só porque um casal amigo teve de ir para lá trabalhar e viver e logo temos sitio para ficar. Caso contrario seria totalmente impossível. O salário é praticamente ao certo para o dia a dia, os subsídios são para os extras necessários. E há muita gente que não vê essa realidade. Já não há´classe media. Há os ricos, os pobres e os muito pobres, que considero os que não tem trabalho nem rendimentos.
    Arrepia-me só de pensar... lá querem saber de ferias, quando o dinheiro não chega para comer :/

    ResponderEliminar
  4. Também nunca tive férias...
    As minhas férias era ir à praia um dia ao fim-de-semana quando dava!
    *

    ResponderEliminar
  5. Pois, infelizmente é essa a realidade do nosso país, à qual tanta gente prefere, simplesmente, fechar os olhos...

    ResponderEliminar
  6. Eu já tive mtas férias, felizmente. Sou uma sortuda bem sei. E enquanto continuar a poder irei fazê-las. No dia em q n puder, temos pena. Vou para a costa fazer praia e passear pela cidade de Lisboa...

    Agora, n me levem a mal, mas lá q há mta gente a fazer férias no nosso país n tenham dúvidas disso (e mtos até a recorrerem a crédito p o fazerem, o q p mim é completamente absurdo) Posso-vos assegurar q a grande maioria das coisas estão lotadissimas (e não, não é só de camones).
    Aliás, experimentem ir à feira da Abreu e percebem o q eu quero dizer (e quem lá vai, vai p comprar...)

    ResponderEliminar
  7. Sem duvida, adorei os ultimos paragrafos, sao muito verdade!!


    http://placequotehere.blogspot.pt/2012/06/last-song.html

    ResponderEliminar
  8. Tens toda a razão no que dizes!
    revejo-me em cada palavra tua.
    Lembro-me que quando foi anunciado o corte havia, na sala de professores, quem, como eu, estivesse caladinho a pensar na vida e outros a dizerem a alta voz "Lá se foram as minhas férias!".
    É exatamente por esta razão que já somos chamados (a classe média que precisava dos subsídios para a casa) a nova pobreza.
    Não fica be dizê-lo porque a nossa vida é incomparavelmente melhor do que aquele que alguns vivem...até quando?

    (desculpa o desabafo, mas vendo o título no cantinho da Turista, vim ler)
    bji

    ResponderEliminar
  9. As férias podem ser passadas em um sítio melhor ou pior, mas nunca deixei de ir de férias, gosto de viajar e não dispenso uns dias de descanso porque é o melhor que levamos desta vida mas também a minha prioridade eram as férias, mas sei e conheço casos de pessoas que mal têm para o dia a dia quanto mais ir de férias, é triste e por mim todos tinham direito e possibilidades de uns dias de descanso.

    ResponderEliminar
  10. Me, my shit and I: isso é ridículo mas muito verdade. Os portugueses contraem dívidas para passar férias, para comprar roupa, para passar o ano novo fora. :/

    ResponderEliminar
  11. Eu desde há algum tempo faço férias fora do País.Por uma simples razão.É mais barato ir para fora do que ir para o Algarve.Isto quem pretende ir para um hotel.Mas até alugando casa,o Algarve é carríssimo,o que é ridículo.Eu gosto de praia,gosto de água quentinha.Aproveito sempre as promoções de última hora e não me tenho dado mal.Antigamente,quando não havia filhota,era quase sempre de "mochila às costas" e não se gastava muito dinheiro.Agora é diferente.Mas de facto,há muitos que nem para um lado nem para o outro podem ir.Tem outras prioridades.Pior aqueles que fazem créditos para viajar.Isso é que não me entra na cabeça mesmo.

    ResponderEliminar
  12. felizmente é das melhores recordações que tenho ... infelizmente nem todos podemos fazê-lo ...

    beijocas**

    ResponderEliminar
  13. As férias são muito importantes. Uns dias passados fora do nosso poiso habitual, faz milagres. O problema é que esta corja que nos governa não percebe isso, porque tem dinheiro para as fazer mas não tem pejo em cortar os parcos subsídios que quem trabalha, ganha.
    Toda a gente devia ter o suficiente para acudir aos mínimos suficientes para viver com dignidade e ter umas férias em condições.

    ResponderEliminar
  14. Bem, eu sou filha de operários. Quando tinha 11 anos a minha mae ficou gravemente doente e nunca mais trabalhou. Menos um salário de operário em casa. Sempre tive férias, nem que fosse na cidade vizinha. Os meus pais são os campeões da poupanças. Sempre pagaram tudo, tiveram as coisas deles compradas a crédito e nunca falharam uma prestação. Eu vou tirar sempre férias e vou fazer questão que os meus pais as tirem também. É um descanso merecido. Não se precisa de férias luxuosas, eu acampei durante anos com os meus pais e foram das melhores férias da minha vida. Não me parece que tirar ou não férias seja motivo de orgulho seja para que lado fôr. Não concordo com juízos de valor feitos para cada um dos lados.

    ResponderEliminar
  15. Eu sempre pude fazer férias, por isto: a família comprou, há muitos - MUITOS - anos, uma casa de férias junto ao mar. É um privilégio ter aquele cantinho tão perto da praia, num sítio com algum movimento e onde as férias sabem sempre bem.

    Fora do país? Nunca fiz "férias". E mesmo dentro do país também não fiz "férias". Fiz umas viagenzinhas, uns fins-de-semana fora e pronto. Felizmente, na maioria das escapadelas que fiz, pude aproveitar a casa de férias da família.

    Este ano é que vai ser diferente. Este ano, fiz uma poupança e vou conseguir ir uma semana para fora - mesmo para fora! Para um sítio com piscina, praia e tudo o mais a que tenho direito - com a namorada. Não me vou meter em crédito. Não vou deixar de comer para o fazer. Consegui poupar e fui, mais uma vez, um privilegiado, por ter conseguido amealhar o dinheiro necessário.

    ResponderEliminar
  16. Idem aspas!
    Em 12 anos que estou com o marido (7 de namoro e 5 de casamento) e tirando a lua-de-mel, fui uma vez para o Algarve (e fomos para parque de campismo) e outra vez há 3 anos para a Croácia. Muitos verões o marido aproveitava as férias para ir trabalhar para ganhar um dinheiro extra que sempre foi guardado. É a única altura que conseguimos poupar algum dinheiro.

    ResponderEliminar
  17. Cor do sol, eu também sou filha de uma mãe que sabe poupar. Quando os meus pais se separaram ela tinha três filhos na universidade (duas a entrarem esse ano). O meu pai sempre trabalhou fora do país e ganhava bem, mas nunca cá estava para que pudéssemos fazer férias. Depois do divórcio, esqueceu-se dos filhos. Três filhos para uma mãe que ganha 700 euros. Não, nunca tive férias. E entendi a tua ideia, mas de forma alguma quis criticar quem investe em férias - acho que é um investimento fantástico, quem pode deve fazê-lo. A minha crítica vai para as notícias que vêm o facto de não puderem viajar como sendo um drama - não o é.

    ResponderEliminar
  18. Cá em casa também é assim que se gastam (gastavam, que agora já não os há) os subsídios. O meu pai recebeu agora 800€ de reembolso de irs e nem por isso vamos gastá-lo em coisas futeis. O dinheiro vai ficar parado até ser realmente preciso para alguma coisa. Mas há muito boa gente que se recebesse esse dinheiro de reembolso iam logo de férias ou comprar isto e aquilo.
    Acho os media tão ridículos por fazerem noticias destas, como se o facto de só meia dúzia de pessoas fazerem ferias no estrangeiro tivesse algum interesse.

    ResponderEliminar
  19. Os meus pais nunca foram de férias (excluindo ir ao Luxemburgo visitar familiares, onde acabamos por não gastar um cêntimo) e não se ralam muito com isso.

    ResponderEliminar
  20. Quel* quem me dera a mim poder viajar... mas prefiro ter as minhas contas todas pagas a tempo e horas. :)

    ResponderEliminar
  21. Concordo com o que dizes; eu posso fazer férias fora de Portugal e faço-as (até porque para fazer o que faço lá fora, cá em Portugal pagava mais do dobro....) e não tenho vergonha nenhuma de o dizer. E pago-as a pronto, nunca ficaria endividada para viajar.

    Não devo nada a ninguém, tenho as contas todas em dia, não ando a pagar nada em prestações para não ter dividas.

    Cresci pobre mesmo (do tipo quase passar fome) por isso ja estive do lado de lá e sei que ser pobre não é não passar férias.

    E sabes que mais, adorava que todos pudessem ter esta possibilidade...tantas vezes estamos em qualquer lugar do mundo e digo ao meu Mike:ai pah, adorava que fulana estivesse aqui, fulano ía adorar ver isto...

    E claro que estou sempre a levar com bocas por viajar tanto...mas pronto, faz parte da mentalidade portuguesa :(

    ResponderEliminar
  22. Ah, e este ano não recebo subsidio de ferias nem de Natal...

    ResponderEliminar
  23. Boa reflexão! Devia ser enviada ao Sr Coelho e ao Sr Gaspar e ao Sr Borges e ao SR Relvas e a esses sacanas todos que dizem que temos de empobrecer.

    Beijo. Outra Amante do Verão.

    ResponderEliminar
  24. Ao ler este post senti-me uma sortuda, toda a gente devia conseguir tirar férias...mas na realidade actual que vivemos claro que há coisas mais importantes. bjs*

    ResponderEliminar
  25. Tempos de crise são assim mesmo, mas vai melhorar. Lutem para isso. Vocês irão vencer a crise.

    ResponderEliminar
  26. Férias pagas a crédito é algo que me arrepia. Como é possível que haja gente a fazê-lo? Claro que depois, em meados de Setembro, se queixam que não há dinheiro para os livros escolares, despesas de saúde, etc. Enfim, uma tristeza.

    ResponderEliminar
  27. Sem dúvida que é algo irrealista.. mas depois olho em volta e sei bem que existe gente que vive num apartamento minúsculo, que pede adiantamento do salário, mendiga biscates etc etc e não prescinde das férias no Algarve. Tenho cá para mim que se instalou uma grande moda. Qualquer pessoa que se preze tem que chegar a Setembro e falar das férias no Algarve. Infelizmente passa-se fome neste país só para manter um certo "status" social.
    Eu nunca passei férias. Quando era miúda ia com os meus pais visitar várias cidades, sempre em Portugal e uma ou outra vez Espanha mas era raro.. Ia de carro, de manhãzinha, num fim de semana de Agosto p ex... fazíamos uma espécie de piquenique ao almoço. Foram as únicas "férias" que tive. Não o lamento muito. n gosto da correria toda, do fazer as malas... mas acima de tudo sei que tenho outras prioridades

    ResponderEliminar
  28. Como não tenho pais ricos, nem sou rica, nem cliente do banco dos ricos, este verão ou fazia férias ou remodelava a cozinha - optei pela segunda, já que não vou para o Brasil e afins, que tenha uma cozinha gira!

    ResponderEliminar
  29. É perfeitamente possível fazer uma ou duas semanas de férias em sitios paradisíacos em portugal como a costa alentejana ou gerês/estrela se não formos exigentes com o alojamento. Eu costumo acampar e o que pago por semana no camping é o que muita gente paga por uma noite num hotel.. e uma semana já dá para descansar bastante.

    Acabo por ter dificuldades em perceber porque se queixam tanto as pessoas.. é que se baixarem os standards um bocado até podiam sair de casa por uns dias e desanuviarem a cabeça..

    ResponderEliminar
  30. Sinceramente e é estúpido o que vou dizer mas...eu até acho muito bem que esta crise faça com que as pessoas não tenham muito dinheiro para irem de férias para fora do país. Assim passam a conhecer e a descobrir melhor o riquíssimo país que tem. Cada vez mais acho que temos um excelente pequeno paraíso! =)

    ResponderEliminar
  31. Eu recebo subsidio de férias e mesmo assim há 3 anos que não tiro férias, por opção própria porque o dinheirito das férias trabalhadas dá sempre jeito.

    ResponderEliminar
  32. Aii... tenho mesmo que dizer uma coisa: eu não tenho subsídio de férias! Perdi-o não sei aonde, mas há-de alguém saber dele... Enfim (suspirando). No entanto, tive a sorte de conseguir trabalhar mais umas horas para pagar as despesas, porque o subsídio era para isso, nunca para férias, que NUNCA fui de férias. Só conheço o país a trabalho... que sou ao contrário dos outros. Só que, além de me fazerem descontos para IRS e SS ... essas coisas, agora descontam não só no novo contrato das novas horas que faço por fora, como também no vencimento base. Eu fico verde, entendes?! Verde! Porque, afinal, estou a dar o litro para despois virem mexer-me no que já tinha garantido inicialmente se não mexesse uma palha! C******!

    Não, não escrevi uma asneira, mas chamei-lhes nomes!

    ResponderEliminar
  33. não sei porque mas o teu post emocionou.me... às vezes penso em ti como tento 23 anos (é não é?) e penso na maturidade q tens e não acredito...

    obrigada, gostei!

    ResponderEliminar
  34. eu mesma, eu é que agradeço as simpáticas palavras. :) Fui criada a saber o valor do dinheiro, sempre tive a minha semanada/mesada (embora pequenita) e tive de gerir o meu dinheiro. Sendo filha de pais divorciados, dá para imaginar que o dinheiro não abundava... a vida encarregou-se de me amadurecer mais cedo do que seria suposto. :)

    ResponderEliminar
  35. Sabes que ainda ontem me apercebi de algo parecido? Eu sempre fui muito sortuda e não o sabia. Sempre tive casa no Algarve, sempre viajei pelo mundo à pala dos meus pais, sempre tive oportunidade de passar muitos dias ao sol de papo para o ar. Sou uma sortuda e só ontem, deitada numa cadeira à beira da piscina num hotel com o meu marido e filhas ao lado, é que me apercebi que sempre tive dinheiro para férias. Mas férias mesmo. E só posso dizer obrigada.

    ResponderEliminar
  36. Sabes Juanna, és sortuda sim. E eu posso dizer que és sortuda porque eu NUNCA tive direito a férias assim. Nunca. No máximo, dois ou três dias a passear por Portugal, com os pais... sendo que o último ano que o fiz foi em 1998, à Expo. :) Já me habituei a não ter férias, mas sei a falta que me fazem.

    ResponderEliminar
  37. É por estas coisas que é fixe crescer, entra-nos na cabeça a maturidade para saber apreciar o que temos :)

    ResponderEliminar