domingo, 3 de junho de 2012

Mete-te onde és chamado!

Se há coisa que me irrita é aquele género de homens que controla o número de coisas que a mulher compra. Conheço um exemplar masculino que fazia comentários sempre que a mulher comprava uma mala nova (mesmo que de 15 ou 20 euros).

Aqui em casa eu fui nomeada Gestora do Lar. Eu gosto de tratar das finanças do lar, ele prefere não ter de se preocupar com isso (ele stressa com dinheiro, foi um favor que me fez). Vai daí, ele tem mais é que confiar em mim. Se eu vejo que posso comprar uma mala nova, umas sandálias, uns quadros para a casa, o que for... ele nem pia. Sabe que eu sou responsável e que não gasto o que não posso gastar. Se ele quiser comprar coisas para ele (nunca quer, mas isso é outra história...), também não me meto no assunto.

Homens sovinas e que andam a controlar se a mulher compra uns sapatos ou uma mala nova é coisa que me faz muita impressão. Obviamente que também não me parece bem que uma mulher gaste todo o dinheiro a comprar pequenos luxos, até porque considero que se deve sempre tentar poupar uns euros, nem que sejam 20 ou 30. Haja bom senso.


38 comentários:

  1. Gestora das "massas" é bom também sou eu que oriento o papal cá em casa, mas pode ser um pau de dois bicos, há meses difíceis se eles estão de fora vêm com a conversa: "O quê? Já andas a rapar??"
    Irrita-me solenemente!
    Tenho logo vontade de passar a "pasta" :(

    ResponderEliminar
  2. E dizes muito bem. Foge dos controladores, S*. Geralmente só o são para as mulheres, nunca para eles :)

    ResponderEliminar
  3. o meu ex era assim. tinha de esconder tudo o que comprava.

    ResponderEliminar
  4. amiga da onça, sim, pode ser... felizmente, até agora ainda não passei por uma situação dessas. Mas quando nos mudamos e eu passei a ser a Gestora das Massas, avisei-o logo de que, se um mês estivéssemos mais apertados, tinha apenas de dizer "este mês é para poupar" e ele evitava sugerir ir ao cinema, jantar fora ou assim. Nessas coisas somos ambos muito relaxados. Durante a faculdade tinha uma mesada bastante reduzida, aprendi a safar-me com pouco... deu-me estaleca. :)

    ResponderEliminar
  5. Vic, e não é que é verdade? O exemplar que se incomodava com as malas que a mulher comprava, era um vaidoso de primeira, que não abdicava de comprar roupa na Salsa - marca baratucha baratucha. :P

    ResponderEliminar
  6. a mulher certa, não te invejo a sorte... :/

    ResponderEliminar
  7. Desde que cada um contribua para as despesas da casa todos os meses o resto é da consciencia de cada um. Eu trato das minhas poupanças e ele das dele.

    ResponderEliminar
  8. Cor do sol, evidentemente que eu compro coisas para mim com o meu dinheiro... mas as coisas da casa é da conta comum. Mas isso nem interessa... há mesmo homens que reparam no que a mulher compra mesmo que não sejam eles a pagar. lol

    ResponderEliminar
  9. Cá em casa também sou a gestora (tenho de adicionar esse cargo ao meu CV!) Mas cada um põem X para as despesas da casa. Assim nunca teremos essa questão... cada um gasta o seu dinheiro como bem entende :)

    ResponderEliminar
  10. é isso mesmo! uma vez tive um namorado, e atenção que nem viviamos juntos nem nada! e eu comprei um iPod, bem tranquila, e chegou o dia de mostrar-lhe. Nem imaginas a cara que ele fez! "Como assim, compraste uma coisa cara dessas sem me avisar, sem me perguntar antes?". E eu fiquei tipo OIII? Desde quando é que eu tenho que te pedir autorizaçao para comprar alguma coisa com o meu dinheiro? E eu vi logo ai que a coisa nunca ia funcionar! Dito e feito :)

    ResponderEliminar
  11. Ai essa questão já deu pano para mangas na minha casa, ambos eramos consumistas (cada um à sua maneira) mas quando decidimos "juntar os trapinhos" foi complicado inicialmente. Não pelo facto dele me controlar, mas porque queriamos comprar tudo para a casa porque é giro e gastamos logo montes de dinheiro assim do nada... puff.
    Mas já conseguimos ser organizados e ambos gerimos a conta (com um excel mais ou menos controlado) lolol :P

    Mas consigo comprar as minhas malinhas e sapatos sem ele me buzinar aos ouvidos, tal como a ti S* ele sabe que se não puder não gasto :)

    ResponderEliminar
  12. Eu vejo assim a coisa.
    Num casal, casado ou amigado, não interessa nem é relevante, mas que pensem realmente numa vida futura, não deve haver duas carteiras nem eu guardo o meu e tu guardas o teu.
    Deve haver uma única conta para onde vai o dinheiro de ambos, na totalidade e embora a conta esteja no nome dos dois a mulher deve assumir a gestão.
    Para que precisa um homem casado andar com dinheiro próprio? Claro que deve andar sempre com dinheiro para prevenir qualquer eventualidade, mas pouco e só mesmo para isso. Isto porque, qualquer mulher que pense no futuro sabe sempre muito melhor gerir as despesas.
    Além disso, se entregam o coração entregam o dinheiro.
    Não só isso é amor como é confiança.
    Todo o homem que guarde o seu dinheiro e toda a mulher que faça o mesmo, não estão a pensar em termos futuros, e se o estiverem estão enganados e nunca progredirão na vida.
    Os vencimentos de ambos vão para uma conta em nome do casal em que a mulher é a gestora.
    Assim é que é bonito e conveniente para a realização de vidas paralelas, e só assim sobreviverão.
    Conselho de homem vivido e que sabe.
    Agora; também há mulheres que não sabem gerir, mas isso é caso raro e nessas o que sugiro não se aplica, como é evidente.
    Continua assim, vai ensinando o que ele não sabe que vais ser sempre feliz.

    ResponderEliminar
  13. Sue: se eu fosse mulher, não sou mas não é muito difícil pôr-me no papel dela: se fosse, como dizia, sobretudo se fosse casada ou mesmo só namorada, ia-me preocupar seriamente se ele gastasse o dinheiro dele como bem entende.
    Como homem, que efectivamente sou, surpreende-me sobremaneira que a senhora concorde em que ele gaste o dinheiro dele como bem entende.
    Mas isto sou eu, claro, que nunca encontrei na minha vida uma mulher tão desprendida sobre as minhas acções.

    ResponderEliminar
  14. Hummm! Gosto muito desse estatuto de gestora! Mesmo! Mas acho que vou deixar a pasta para ele, que é mais sensato! Eu sou mais fútil, most confess...

    ResponderEliminar
  15. Eu sou da opinião, que cada um, deve gerir igualmente as despesas comuns
    e as despesas e gastos de cada um, deve ser de responsabilidade independente.

    Mas isso sou eu.

    ResponderEliminar
  16. mary mas que horror... ora, os homens só podem meter-se no dinheiro quando este é de AMBOS. Ora essa... meter-se no que é só teu chega a ser ridículo.

    ResponderEliminar
  17. B* e cá em casa funciona assim. Tiramos X para cada um e o resto metemos tudo na conta comum. Obviamente que lhe digo se comprar coisas comuns... quadros, coisas para a casa. Mas com o meu dinheiro, aquele que me toca só a mim, faço o que quero e nem lhe digo nada.

    ResponderEliminar
  18. Olá :)

    Que giro, aqui em casa também sou eu que trato das finanças :P Eu gosto, diverte-me e o P. confia em mim (a não ser quando vou sozinha ao IKEA!) :)

    Beijinhos e tem uma óptima semana :)

    ResponderEliminar
  19. Condedamentetriste, estou a ver que temos uma visão muito semelhante da coisa. Sou do norte. No norte é tradição a mulher tratar do dinheiro, gerir as contas. Aqui em casa definimos que cada um ficava com X dinheiro na sua conta - ganhamos os dois mais ou menos o mesmo, por isso definimos que ficamos os dois com o mesmo dinheiro. Ele fica, na sua conta, com o dinheiro para a prestação do carro e para a gasolina do mês (eu ando a pé, não preciso) e o resto do salário de ambos vai TODO para a conta comum. É gasto na casa, nas contas, na comida, nas coisitas que vou comprando para a casa e para a nossa poupança. Com o X que me toca eu vou comprando pequenas coisas para mim. O X dele, que é igual ao meu, ele usa sobretudo para tabaco e cafés, já que não é de comprar coisas. Mas concordo contigo, acho que só devemos ficar com o dinheiro necessário no bolso... o resto vai para a conta comum. Somos um casal, vivemos juntos, partilhamos tudo... dinheiro incluído.

    ResponderEliminar
  20. Já sabes qual é a minha opinião sobre isto. Contas da casa divididas pelos dois, o resto... cada um sabe do seu dinheiro. Quando vivi junta foi assim que funcionou e não me consigo imaginar a admitir nenhum homem a controlar-me a carteira, o que gasto ou deixo de gastar. Desde que cumpra a minha parte no que é comum, o resto só me diz respeito a mim.

    ResponderEliminar
  21. E depois existem mulheres que pertencem a uma geração que depende financeiramente dos maridos. Compram as suas coisas e se algo custa €30, dizem que custou €15. Não entendo estes maridos. Enfim!

    ResponderEliminar
  22. O meu é um querido;) É quase tudo para mim! Apesar de ainda não estar com ele, ele pensa sempre em mim e quando eu quero comprar algo, até incentiva;)

    ResponderEliminar
  23. Acho que um homem que partilhe as contas com uma mulher é chamado para aquilo que ela gasta (e vice-versa). Não vejo mal nenhum em terem as várias compras controladas, para terem noção do que podem ou não gastar e acho até saudável.

    ResponderEliminar
  24. Gosto das coisas partilhadas, acho que duas cabeças pensam melhor que duas.

    ResponderEliminar
  25. Ahahah Podia ter sido eu a escrever este post. O que eu me ri! Cá em casa é igual, quem controla as coisas sou eu, e quem faz o gestão do dinheiro também sou eu, e adoro, e ele agradece :p
    Sei de pessoas completamente diferentes, e até condenam, mas cada um sabe de si e Deus sabe de todos, e cada casa é uma casa. E se assim funciona na nossa caga, Siga para bingoooooo!

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  26. cá em casa há ministérios.os meus são o das finanças,da economia,o da cultura e turismo,o da aquisiçao de bens.ele ficou com o das obras publicas,o da manutencão, o do ambiente, da agricultura, da sustentabilidade, da burocracia,e uma sub-secretaria das financas,porque afinal o dinheiro também é dele.tem corrido bem até agora.:)

    ResponderEliminar
  27. e para além de tudo o que foi dito, também revela que o macho deve ter muito tempo livre à disposição e pouco com que se ocupar ;)

    ResponderEliminar
  28. Homem que decidisse chagar-me a cabeça por eu gastar o meu dinheiro quer fosse num baton de 5 euros ou num par de sapatos de 200 euros havia de estar bem tramado comigo!

    ResponderEliminar
  29. Um homem controlador é mau, mas também é mau um mulher deixar-se ser controlada.
    Pior, pior é o marido/namorado controlar o que se veste e os penteados...
    Assisti há uns anos num cabeleireiro uma cena linda. Um rapariga com cerca de 20 anos foi ao cabeleireiro com o namorado (erro nº1). Depois de ter pintado e cortado o cabelo o namorado disse que não gostava e então ela sem dizer absolutamente nada pediu para alterarem a cor do cabelo.
    Ora esta moça está à espera do quê deste homem??? Nada mais do que controlo absoluto!!!

    ResponderEliminar
  30. Há aqui uma coisa que tem de ficar bem esclarecida... numa vida a DOIS, é normal que ambos estejam atentos às contas. É normal que devam satisfações um ao outro, até porque o dinheiro passa a ser comum - pelo menos aqui em casa entendemos o dinheiro como comum. O que me chateia mesmo é aquela espécie de homens que, mesmo que não ande na penúria, se sente incomodado por ver a companheira a mimar-se. Isso é um tremendo exagero. Se o namorado gastasse 150 euros numas calças ou 200 numas sapatilhas - usando o dinheiro comum - também era capaz de me incomodar... se ele não me perguntasse "temos dinheiro para eu o poder fazer?".

    ResponderEliminar
  31. A confiança tem mesmo de ser a base... ou deixa de fazer sentido.

    FSM

    ResponderEliminar
  32. O meu também é um bocado assim...e eu acho que sou boa gestora! A coisa vai!!!

    ResponderEliminar
  33. O meu não reclama de nada que eu compre, e eu também respeito as compras dele, já somos bem crescidinhos! Era o que me faltava ter um homem sovina, sempre a controlar as compras, para mim não dava, mas conheci e conheço homens assim... enfim, uns chatos!
    Beijinhos!

    ResponderEliminar
  34. Concordo!!
    Mas p esses problemas tb há uma solução óptima...conta conjunta da casa e depois conta de cada qual...assim ninguém têm de pedir contas a ninguém. :)

    ResponderEliminar
  35. É uma pressão constante esse tipo de coisa. Eu penso que as coisas devem ficar definidas à partida e, quando há pessoas "descontroladas", há que ter regras nesse tipo de coisas, pois no pessoal não rico, há que ter limites.

    :)

    ResponderEliminar