terça-feira, 27 de dezembro de 2011

Guardar ou não guardar, eis a questão...

A propósito de um comentário que recebi...

Eu não deitei nada fora. Não gostei de ver algumas coisas que pertenceram a outra pessoa, que não eu, em caixotes na minha casa, mas não lhes fiz nada. Não é que tenha queimado e deitado fora. eheheh No entanto, também sei, porque sei, que ele guardou aquilo sem intenção e que vai acabar ele por deitar fora.

Diziam-me nos comentários que as pessoas têm bagagens... é normal, eu também tenho um passado, tive outras relações, outros sentimentos. Dizia a Ana, a quem agradeço o comentário, que sabia que o marido tinha cartas e fotos de anteriores relações e que não vê mal nisso.

Ai nisso eu vejo mal. Não me parece normal que o meu namorado, que está comigo há mais de um ano e dois meses, queira guardar numa caixinha fotografias e cartinhas de anteriores amores. É ofensivo. Se quer guardar essas coisas, que as guarde na casa dos pais. Na minha/nossa casa, no meio das minhas/nossas coisas, não as guarda certamente. Que guarde na garagem, no sótão, na casa dos pais. Se quiser guardar... eu nunca guardei nada, não me faz falta.

38 comentários:

  1. concordo contigo, se querem ter essas recordações que as deixem noutro local, mas que contem à pessoa com quem esta. é uma questão de respeito, na minha opinião!

    ResponderEliminar
  2. Obviamente que não faz sentido estarem expostas, qual biblot, porém não me faz confusão alguma saber que estão guardadas numa qualquer caixa. São recordações, são passados que nos levaram ao que somo hoje. São a certeza de que ele fez a opção certa porque teve a oportunidade de não estar comigo mas escolheu estar.
    Mas eu também não sou ciumenta e, se calhar, por isso para mim é mais fácil encarar esse tipo de coisas de ânimo leve. A rotina a dois já tem tanto por onde desenvolver problemas que essa questão seria certamente algo que nunca beliscaria o meu ego ou sentimento de posse.

    ResponderEliminar
  3. Querida S* de uma forma geral (tendo em conta os teus posts) posso afirmar que concordo contigo. É claro que as pessoas adultas têm o seu passado, e também compreendo que queiram guardar certas recordações. Mas Acho que o mais sensato é ficarem num "local neutro" tal como referiste, nomeadamente em casa dos pais ou numa arrecadação de garagem. Afinal de contas, são coisas que nos fazem lembrar outras pessoas e, se estamos a partilhar a vida e a casa com a pessoa que amamos, não faz sentido te-las à vista ou à mão...

    beijinho grande

    ResponderEliminar
  4. Cara S*, as coisas estão guardadas em caixotes na garagem, não tenho as fotos em molduras na sala nem as cartas e postais nas gavetas dos móveis dentro de casa. Mas reforço a minha opinião que no passado de cada um não se deve tocar NUNCA. E posso dizer-lhe que há mais de 12 anos que ninguém toca naquelas caixas (devem estar lindas por dentro), ainda tem as cordas que eu lhe coloquei à volta para não se abrirem.
    Todos nós tivemos passado, todos temos presente e todos teremos futuro. este conjunto temporal é no fundo a nossa vida, as nossas experiências, as nossas vivências, a nossa aprendizagem para que não voltemos a repetir os mesmos erros ou para que possamos fazer da nossa vida e da vida daqueles que nos rodeiam uma vida feliz. Desculpe o testamento mas penso ter mais 20 e tal anos que a S* e digo-lhe com toda a amizade que há coisas nas quais não tevemos tocar (nem em gestos nem em palavras), se a incomoda, de forma calma e natural ponha de lado e pergunte ao seu namorado onde quer guardar. Verá que a resposta dele será como um chazinho de camomila para si.
    beijinho e seja feliz.

    ResponderEliminar
  5. Ana, sendo assim, de facto não tem problema. Eu escrevi o que escrevi porque encontrei algo dentro na minha casa, em frente dos meus olhos. Se ele tiver algo guardado na casa dos pais, olha, que faça bom proveito. Mas em locais aos quais eu posso aceder, dispenso. :) Acho que faz muito bem em confiar assim. E se ainda têm as cordas que colocou nas caixas, é bom sinal.

    ResponderEliminar
  6. Concordo em parte contigo. =) Também eu tenho cartas de antigas relações, sei que ele não as aprecia e por isso estão guardadinhas num caixote em casa dos meus pais. Não há qualquer necessidade de andar a exibi-las à frente dos olhos dele (tal como ele tem guardado em casa dos pais recordações de antigas namoradas, e por mim tudo bem).

    Só não concordo com o "não guardar nada". =) Eu guardo qualquer coisa, nem que seja só pela recordação. E depois há sempre aquelas histórias giras, como no meu caso, em que namorámos quando éramos crianças e quando nos reencontrámos em adultos reparámos que ambos tínhamos as prendas que tínhamos oferecido um ao outro em crianças. :)

    ResponderEliminar
  7. Tete, eu não sou contra o guardar de recordações... eu é que, efectivamente, não guardei nada. Da primeira relação tinha uma caixinha, mas o ex namorado roubou-ma. :/ Da segunda relação, não me interessava guardar, não foi nada de muito importante.

    ResponderEliminar
  8. REcordação sim, mas invasão ao espaço do outro não.
    Sem contar q sobre bagagem concordo q todos tem, amiga, mas já ouvi dizer q sobre antigos amores, o bom é nos desfazermos do que passou. É melhor. Leva embora as energias velhas e o q foi bacana, guarda no coração, com amor e c arinho!

    Adoro seu blog, suas opiniões!

    um lindo 2012!

    ResponderEliminar
  9. S* :)

    Compreendo que não te sintas bem ao encontrares essas coisas dentro das caixas ou misturado nas vossas coisas.
    Mas, deixa-me dizer-te que não é o tempo que apaga o sentimento, assim como não são os objectos que o trazem! Objectos são isso mesmo, objectos!

    Pelo que me apercebi não são objectos, fotografias ou postais que tenha na carteira, ou debaixo da almofada. São objectos que estão acondicionados. Que foram acondicionados pelo tempo e que surgiram com a mudança.

    Tudo o resto que ele possa mostrar em relação ao que sente por ti, é o que importa!! É nisso que te deves centrar.

    No fundo o que te incomoda não são os objectos, mas sim, o facto de estares incomodada... e é essa a parte que tu tens que resolver!! Ele se sabe que isso te incomoda então cabe-lhe perder um pouco de tempo e arrumar as coisas em local longe, fresco e livre de traças!! :D


    :)
    beijo
    Sutra

    ResponderEliminar
  10. Eu acho que toda a gente devia guardar as suas recordações. Porque fazem parte do nosso passado, se as pessoas estiveram na nossa vida é porque fizeram algum sentido nessa altura, e não se deve cuspir no passado. Eu e o meu marido guardamos as nossas recordações na nossa casa. Até porque fomos casados algum tempo com os nossos ex e não se podem apagar 15 e 8 anos da nossa vida. Além disso tenho um enteado fantástico que adoro. Mas cada um deve escolher aquilo com que sente melhor, claro! E se sentes bem assim, é assim que deves fazer ;)

    ResponderEliminar
  11. olha que para mim já seria complicado os óculos e a coisinha de blush.. porque sou de facto ciumenta, mas como dizes sabes que não foi algo intencional.
    Agora fotos.. é como se ainda estivesse agarrado ao passado, aquela pessoa. por isso é que não me agrada tanto.. ou melhor, não me agrada nadinha!

    ResponderEliminar
  12. Eu atirava tudo pela varanda ... heheheheh, parece gozo, mas acho que atirava mesmo, as fotos rasgadas aos bocadinhos muito miudinhos que nem desse para colar.
    Na minha opinão casar com um divorciado ou com alguem com filhos requer muita compreensão e maturidade não é para qualquer um ou uma, para mim não era... bjs*

    ResponderEliminar
  13. Não é que se deva dar razão ás mulheres, mas ás vezes lá acontece!! :P

    Neste aspecto concordo contigo. Ou desfazia-se das coisas, ou deixava-as noutro lado, longe da tua vista, logo do teu coração. Quando se gosta sacrifica-se, nem que isso nos custe. Já tive uma relação com uma mulher divorciada e houve imensas coisas que só de as escutar me fizeram impressão, imagino ter contacto tridimensional com as mesmas.

    No entanto, sê a ajuizada na forma como lhe vais pedir que te leve essas coisas embora, não queiras competir com meras lembranças velhas, dessa forma acabas por lhes dar um valor que não têm! ;)

    Beijinho*

    ResponderEliminar
  14. Querida S*, todos nós transportamos sempre connosco pequenos nadas, das relações anteriores. Somos nós que devemos ter a sensatez e a sensibilidade, se vale ou não a pena, guardar, deitar fora ou expor essa "bagagem".
    Beijinhos. :)

    ResponderEliminar
  15. Eu guardo algumas coisas de relações anteriores.
    Podem não ter valor sentimental mas fizeram parte da minha vida, sendo boa ou má fizerammas cada um tem a sua maneira de pensar e ver ...
    Bom ano de 2012.
    Pinta

    ResponderEliminar
  16. Eu por acaso guardo tudo numa caixinha...:p Sei lá, mal ou bem aquelas pessoas fizeram parte da minha vida e da minha história, e durante algum tempo foram muito importantes...

    ResponderEliminar
  17. A questão é tão simples quanto isto: longe da vista, longe do coração. Se a pessoa têm as coisas guardadas mas longe da nossa vista, ok! Mas sou obrigada a concordar com a S* eu também não gostaria. Aliás, eu namorei com um divorciado e só de saber que ele ainda guardava as fotos do casamento irritava-me. É certo que as tinha em casa dele e é um direito sei, mas que não gostava, lá isso não. Até porque estava sempre com medo de encontrar uma foto dele a beijar a ex-mulher :P
    Força amiga, estou contigo!

    ResponderEliminar
  18. Eu tenho por ai algumas cartas e até umas fotos, mas sinceramente eu vou acabando por mandar as coisas fora porque deixam de fazer sentido para mim guardá-las, de qualquer forma se a outra pessoa quisesse guardá-las, talvez me deixasse um pouco sentida, mas penso que não diria para não guardar!

    ResponderEliminar
  19. S*, acho que depois do meu comentário ao anterior texto, não posso acrescentar nada mais mas olha uma coisa, guardar recordações não significa que façam falta. Claro que as coisinhas que o meu ex me deu não me fazem falta. Nem me lembro que tenho as coisas até as encontrar de vez em quando. Mas gosto de as guardar. Porque são pedaços de situações que em algum momento fizeram sentido. E merecem respeito por serem pedaços de história que já me marcaram.

    ResponderEliminar
  20. Não acho que essas coisas sejam ofensivas. As pessoas têm passado, a não ser que nunca tenham estado apaixonadas por mais ninguém sem ser o primeiro e único amor. Eu sou pessoa de guardar tudo e mais alguma coisa, e tenho a certeza que se a minha relação acabasse agora iria guardar as coisas que foram tão importantes nesta altura da minha vida. O facto de ter algo que nos faça lembrar o nosso passado, amoroso ou não, apenas significa que foi importante, não quer dizer que ainda se ame a pessoa ou se queira voltar para ela. Só considero exagerado se estiver exposto ou se a pessoa em questão passar o tempo todo a ver e rever as coisinhas. Ter por ter, não é problema. Mas entendo que seja estranho para o outro e que não seja agradável.

    ResponderEliminar
  21. Também não ia gostar linda! Tenho as minhas cartas, bem guardadas em casa da minha mãe, num baú das boas lembranças :) só... mas não o traria para minha (nossa) casa. E o meu amor sabe dele claro.

    ResponderEliminar
  22. mas já reparaste que se tivesse existido uma intenção de querer guardar essas coisas em casa dos pais (para não te ferir) era porque ainda podiam ter algum significado ... mas se foram no meio das coisas é porque já não têm qualquer importância, certo?!? ... acho eu ;)

    ResponderEliminar
  23. Dear :) falei um pouquinho disto no meu sítio sim? um beijinho*

    ResponderEliminar
  24. Eu deitei tudo fora e não me arrependo...Ele fez o mesmo (acho eu,ahaha)*

    ResponderEliminar
  25. Concordo plenamente com tudo o que disseste. Guardar essas coisas em vossa casa não!

    ResponderEliminar
  26. gosto muito do teu blog *_* vou seguir, segue o meu ;D beijinho (;

    ResponderEliminar
  27. Hum, nunca tinha pensado neste assunto porque também não tenho uma casa a que possa chamar "nossa". Tenho uma caixinha com coisas guardadas que não tenciono mandar fora. Não sou nada apologista do "ah, já passou por isso vamos dar cabo de tudo, rasgar as cartas, mandar os presentes pro lixo". Claro que não. São coisas que já passaram mas que, no momento em que aconteceram, fizeram todo o sentido e que guardo com imenso carinho, apesar de essas pessoas terem significado zero no presente. Detestava que o meu namorado mexesse nessas coisas. Isso sim, ia achar muito mas mesmo MUITO ofensivo. Se vier a ter uma casa com ele, provavelmente essas coisas vão ficar em casa dos meus pais. Mas não acho que possa chamar ofensivo, caso as levasse. Eu ou ele. De todo.

    ResponderEliminar
  28. Eu não iria gostar de ter coisas da ex no "nosso" espaço. Concordo contigo quando dizes que se as quer guardar, que as coloque noutro sítio!
    Beijinhos e boa resolução do "assunto"

    ResponderEliminar
  29. Tu devias era agradecer o facto de ele confiar tanto em ti que nao se importa que te cruzes com a caixa. Com a minha caixa nao se cruza ninguem, e nao é porque eu queira proteger a pessoa...
    Tal como disseste, tu nao precisas disso, mas se ele precisa, nao deves tentar muda-lo. Lembra-te que te apaixonaste pelo o que ele é, com caixas e bagagens.

    ResponderEliminar
  30. O objetivo de um ano novo não é que nós deveríamos ter um ano novo.
    É que nós deveríamos ter uma alma nova.
    É dentro de você é dentro de mim que devemos deixar renascer amor e Esperança,
    pois a vida é uma dádiva e cada instante é uma benção de Deus!
    Desejo um Feliz e Abençoado Ano Novo.
    Um 2012 de relizações na sua vida .Na nossas vidas.
    De coração te agradeço pela sua linda amizade.
    Beijos de Paz e Luz.
    Com Carinho.
    Evanir.

    Que Em 2012 possamos estar juntos muito mais
    que em 2011.

    ResponderEliminar
  31. Mau, vocês não querem perceber... :P

    Não existe nenhuma caixa com recordações do passado dele. No meio da bagunça das coisas das mudanças, entre comandos da PSP e coisas variadas, ficaram perdidos uns óculos e a coisa do blush. Não era uma caixinha de recuerdos amorosos... foi um acaso!

    Se ele tivesse uma caixa e tivesse a lata de a levar para nossa casa, aí não gostava. Isto foi só um infeliz acaso.

    ResponderEliminar
  32. Tens razão e não tens...Não vejo o que alteraria ele guardar as coisas em outro sítio...

    tens é que lhe perguntar o valor que lhe dá:)

    ResponderEliminar
  33. :D O passado de cada um, numa relação amorosa, não deve ser esquecido ou escondido, mas também não precisa de estar sempre a ser lembrado. E cada casal há-de encontrar o equilíbrio e melhor forma de gerir isto.
    Vejo que tu já estás bem resolvida quanto a este assunto. Boa.

    ResponderEliminar
  34. Eu acho que não tem mal nenhum ele ter coisas de outras ora. Sabes que ele já esteve com outras mulheres e tudo deve ser recordado. Ele pode ter guardado e nem sequer ver essas coisas frequentemente, mas não acho que deva deitar fora, faz parte dele...

    ResponderEliminar
  35. se é passado é passado. o que interessa é confiarem um no outro :)

    ResponderEliminar
  36. Eu tenho em casa coisas do meu ex. Fotos em caixas, pequenas recordações. Normal, foram 8 anos. Alguns móveis foram comprados com ele em viagens assim como outras coisas. Mas compradas para a minha casa... Não me vou livrar delas nem mandar para casa dos meus pais. Afinal de contas ele não deixa de ser um amigo que não quero apagar da minha vida. O meu namorado tem igualmente coisas que não vai deitar fora nem eu quero. Faz parte de quem ele é hoje.


    Quando à questão do divórcio as coisas não são assim tão simples. O meu pai nos últimos 30 anos viveu com 3 mulheres diferentes na nossa casa. A primeira de todas a minha mãe que decorou a casa. Ainda hoje existem peças que ela comprou, aliás quase tudo. Ia ele deitar tudo fora porque uma nova mulher vem viver para casa de família onde ele já estava e os filhos foram criados? E depois mais uma vez? Estava bem tramado... Não existem fotos nem nada intimo. Mas sim, há história em muitos daqueles objectos, agora cada um dá-lhe a importância que quer. O nosso espaço tem de ser ocupado no coração, não nas paredes das casas.

    ResponderEliminar
  37. Eu sou como tu, vai tudo para o lixo. Não restou nada da minha última relação. Para que é que eu vou querer aquelas coisas, se me vão trazer más recordações?...

    Big Kisses

    ResponderEliminar
  38. Eu sou como tu, vai tudo para o lixo. Não restou nada da minha última relação. Para que é que eu vou querer aquelas coisas, se me vão trazer más recordações?...

    Big Kisses

    ResponderEliminar