Avançar para o conteúdo principal

O amor explica-se

Há gente que diz que o amor não se explica, apenas se sente. Bom, posso concordar que a paixão fugaz não se explique, sente-se só porque sim. Mas o amor explica-se. Eu sei muito bem o que amo no mais-que-tudo.

Sei destacar a inteligência, aquela mania adorável de saber tudo, de ter opinião formada sobre tudo. Gosto de o ouvir, de conversar com ele, gosto que ele me ensine coisas que eu não sei. Gosto de o admirar, de o ver a tratar bem os meus animais e a minha família. Gosto da forma como, apesar de se queixar do excesso de zelo dos pais, se importa com a sua família. Gosto da honestidade, do facto de ser impulsivo e de falar antes de pensar. Gosto do facto de ser divertido, da maneira como me faz rir e me deixa bem disposta. Gosto da atitude protectora, gosto que ele goste de cuidar de mim. Gosto que seja boa pessoa, que tenha bom coração. Gosto de muita coisa. Sei bem quais são os motivos pelos quais o amo.

Comentários

  1. Eu diria que nem se sente, nem se explica...

    ... simplesmente acontece! :)

    ResponderEliminar
  2. Eu concordo plenamente contigo. Para mim o amor sempre se explicou e sempre se explicará, porque os detalhes fazem toda a diferença e isso é extremamente importante... Feliz aquele que identifica esses detalhes, esses pormenores :)

    Felicidades querida*

    ResponderEliminar
  3. Querida S*, e acabaste por lhe fazer uma bela declaração de amor. :)

    ResponderEliminar
  4. É fácil de se explicar, pode é ser difícil para os outros de compreender :)

    ResponderEliminar
  5. Sim, é uma observação inteligente, porque é isso mesmo a paixão é irracional, relacionamentos em cima só de paixão e desejo uma pessoa anda nas nuvens, pensa que pode com tudo e depois de um momento para o outro acaba. Agora um amor, só o facto de construir um amor, dá logo para uma pessoa saber o que sente e o que o outro também sente, já passaram por bons e maus momentos e mesmo assim quiseram seguir em frente e isso tem explicação.

    ResponderEliminar
  6. Penso que se diga que o amor não se explica pelo fato de não se explicar o que uma pessoa que ama é capaz de fazer, bem como alguém que em um dia não está a amar e no dia seguinte ama, ou seja o processo do amor e as atitudes de quem ama, isto não se explica.

    ResponderEliminar
  7. E é assim, o namoro é (ou deveria ser...) um processo de aprendizagem, de conhecimento, para que mais tarde não apareçam as surpresas capazes de fazer desmoronar uma relação.

    Até estou espantado com a seriedade deste comentário :P

    ResponderEliminar
  8. como diria o Facebook: Gosto... o que neste caso quer dizer: Concordo!

    ResponderEliminar
  9. O amor explica-se sim senhor, mas diz-se que não se explica porque cada um vê o amor de maneiras diferentes e entende-o de maneiras diferentes. Se explicasse o meu amor a muito boa gente, ia receber olhares de lado. Por outro lado, há aqueles casais para os quais olho, vejo que há amor ali no meio, mas não consigo entender como.

    ResponderEliminar
  10. Eu por acaso até concordo com o bloguótico =)

    ResponderEliminar
  11. eu também consigo sempre enumerar mil e uma coisas pelas quais amo o meu namorado, mas as palavras soam sempre a pouco. fica sempre alguma coisa por dizer. nada como irmos vivendo um bonito amor para percebermos o que realmente é e, todos os dias, descobrirmos coisas novas, mesmo depois de alguns anos de namoro :)

    ResponderEliminar

Publicar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Para dormir - solução, procura-se!

É uma pessoa desesperada que vos escreve, esta manhã.

Conhecem soluções naturais para dormir bem de noite? Algo que me faça ferrar o galho e só acordar no dia seguinte?

Estou farta de noites mal dormidas. Estou farta de ficar até às 5 ou 6 da manhã sem conseguir dormir. Chego ao desespero, com vontade de chorar. De dia, sinto-me cansada, porque o descanso é uma porcaria.

Não sou grande adepta de medicamentos mas, se tem de ser, é. Alguém conhece um remédio, uma erva, o que seja?

O que é nacional é bom

Anda Portugal a usar cestas desde sempre e esta vossa S* a usá-las há sete ou oito anos... e vem agora a Carolina Herrera descobrir a pólvora (imagens acima).
Por favor, acho isto verdadeiramente errado. A desfaçatez que é pegar em algo tradicional de um país e de o apresentar como uma "criação"... Ainda por cima chamar-lhe "Aveiro"... E em nenhum sítio dizer que tem inspiração portuguesa.
E a pechincha que está? Quase 500 euros por uma cesta. Não tinha nada contra o preço... se efectivamente fosse um produto de original.
É só googlar "cesta portuguesa" e encontram-se imensos exemplares realmente nossos... E sem custarem quase um salário mínimo.
Querem cestas de classe? Então comprem das nossas. Das verdadeiras. Cópias descaradas? Não, obrigada.
Sugiro a Victoria Handmade. Não são caras, são dispendiosas e têm o preço do que é realmente bom. São feitas à mão, são portuguesas e assentam na nossa tradição. 

Voltar ao início

Depois de quase 9 anos e meio de relação, não vamos fingir que são tudo rosas. Ultimamente, temos até de admitir que têm sido mais os dias maus do que os dias bons. As chatices do dia-a-dia, os remorsos, os ressentimentos, os problemas a que somos alheios mas que nos afectam... Não é fácil de gerir e mentiria se não admitisse que já pensamos "será que vale a pena?".
Da minha parte, apesar dos momentos menos bons, continuo com a nítida percepção de que é um bom homem, com bons princípios, e que dificilmente encontraria companheiro que encaixasse tão bem em mim (que eu sou osso duro de roer, no que toca ao convívio caseiro).
Vale sempre a pena, porque não perdemos esta capacidade de nos reencontrar e voltar ao início. Enquanto soubermos olhar um para o outro e reconhecer o valor um do outro, vale mesmo muito a pena.