Resposta (em texto) a um comentário

No texto onde publiquei uma fotografia dos meus bichos, uma leitora perguntou: "S*, os teus bichos são muito giros, mas agora surgiu-me uma dúvida: o que vais fazer aos bichos quando tiveres um bebé? Espero que não os abandones".

Ora bem... Primeiro, só pretendo ter filhos daqui a meia dúzia de anos. Não estou assim com tanta pressa.

Segundo - e mais importante - os animais sempre foram parte integrante da minha vida. Cresci numa casa onde já tivemos de tudo: peixes, tartarugas, cães e dezenas de gatos. Temos ainda galinhas, outras aves que não sei identificar, coelhos e (quando o rei faz anos) perus. Também já tive, no apartamento onde agora vivo, hamsters. Portanto, fui criada com os bichos. Não me parece que eles perturbem minimamente quem quer que seja - muito pelo contrário.

Acho até que um animal tem um papel muito importante no crescimento de uma criança. Uma criança com um animal de estimação aprende valores tão importantes como o amor aos outros seres (que não humanos), aprende a ser responsável por outra vida, a cuidar, a mimar, a tratar, a respeitar. Uma criança com um animal doméstico aprende a respeitar os animais. Aprende a não os recear.

Claro que todos sabemos que os animais, quando são bem tratados, são afáveis e carinhosos, desprovidos de maldade. No entanto, também sabemos que os gatos têm unhas e que os cães sabem morder. Nos primeiros tempos da vida de um bebé, obviamente que é preciso ter alguns cuidados em não deixar a criança sozinha com o animal. O animal pode magoá-la sem se aperceber disso. Mas isso é só até se habituar... depois aprendem a lidar com aquele ser pequenito e a gostar dele como gostam dos donos. Pelo menos comigo, sempre foi assim. Sempre fiz o que quis dos meus animais (às vezes, até abusava com os gatos, em brincadeiras de criança) e eles nunca me magoaram.

Essa desculpa do "agora que tive um filho, tenho de despachar o cão e o gato" é feia, muito feia. O pêlo dos bichos não faz mal nenhum à generalidade das pessoas (salvo raras excepções).

Portanto, para responder à pergunta: Quando um dia tiver um Mini-mais-que-tudo, os meus animais vão continuar comigo. Lado a lado, como sempre foi. E mais: tenho a certeza de que os meus animais vão aprender a amar o meu filhote. Porque os animais são assim: dão aquilo que recebem. E os meus, felizmente, estão cheios de Amor.

Comentários

  1. Sou visita assídua deste blog e acho que nunca comentei, mas hoje tinha mesmo de o fazer.
    Mas quem raio faz uma pergunta dessas?
    Sou mãe de dois pimpolhos pequenos e tal como tu sempre vivi com animais (gatos). Desde que casei e moro na minha casa que temos duas gatas connosco. Nunca tivemos problemas com elas e com os miúdos. NUNCA!!! Nunca me passou pela cabeça desfazer-me delas só porque vinha aí um filho. Tudo se conjuga quando há vontade para isso.

    ResponderEliminar
  2. Já o fiz... Mas enfim, dispensava ter que falar sobre aquilo novamente e com aquela pessoa x)

    ResponderEliminar
  3. Maria, não era - de todo - uma crítica. Era uma análise. Até porque acho que é um tema interessante para debater.

    Quanto aos médicos que desaconselham animais... ou são burros ou más pessoas.

    ResponderEliminar
  4. Concordo com a Cat. Que pergunta idiota! Toda a gente que lê o teu blog sabe perfeitamente o quanto amas os teus bichinhos e que não és nenhuma insensível para abandona-los, independentemente de vires ou não a ser mãe.

    ResponderEliminar
  5. Tens toda a razão! Desde que se tenham os devidos cuidados, não há problema! :)

    ResponderEliminar
  6. Pois.... cresci com animais tal e qual os que referiste pois vivi numa aldeia desde que me entendo por gente até aos 21 anos.... e concordo em absoluto... crescer com animais é mais saudável e... ensina valores importantes... Para além de que é muito divertido!

    ResponderEliminar
  7. Tenho uma amiga que teve um bebé à dois meses e a Dra. disse para manter o cão como tinha... Que até ajudava o bebé a ganhar anti-corpos contra alergias...
    É cada pergunta... Bah -.-

    ResponderEliminar
  8. Penso que a seguidora se referia a toxoplasmose que é uma doença que pode ser transmitida por gatos e que pode afectar gravemente o desenvolvimento uterino da criança...

    ResponderEliminar
  9. Eu nunca tive animais quando era criança, mas digo-te fizeram-me uma falta imensa! É importante! Mas eu não não percebi muito bem o que é uma coisa tem a ver com a outra, é que para mim não faz sentido nenhum...

    Beijooo****

    ResponderEliminar
  10. a questão original é a toxoplasmose, mas há tantas maneiras de contornar a situação.
    é triste fazer esse tipo de opções.

    ResponderEliminar
  11. Pois...
    não sabia que animais (neste caso gatos) e crianças eram incompatíveis...

    ResponderEliminar
  12. Tenho amigos que assim que engravidaram despacharam os gatos... também fiquei um bocado :O
    Mas pronto cada um é como é... a minha gata há-de sair lá de casa quando falecer, unica e somente.

    ResponderEliminar
  13. Sabes o que eu te digo? Mais do que a pergunta, adorei a tua resposta. Acredita, nao te conheço para alem do que escreves e vejo em ti akguem super doce, querida e com a cabeça muito no sitio.
    Tambem cresci com os meus bichinhos e tanto eu com a minha irmã somos felizes e sem quaiquer "sequelas". Um animal de estimação nao é o "substituto" ate chegar um filho, como algumas pessoas pensam ... Os animais fazem parte da familia e muitas vezes sao um dos elementos que mais sanidade nos trás.

    P.s: Eu tinha acentos no teclado tive foi preguiça de os usar ajajaja

    ResponderEliminar
  14. És uma fofa! Eu também fui criada num ambiente cheia de animais e nunca tive doenças nenhumas. Pelo contrário, a minha mãe é apologista da ideia de que o contacto precoce com bichinhos tornou-me menos flor de estufa e mais resistente. Pretendo fazer o mesmo com os meus futuros filhos.

    ResponderEliminar
  15. Acho que só uma pessoa desprovida de sentimentos é que abandona o seu animal quando nasce um filho, mas essa é a minha modesta opinião!

    Infelizmente, pelo número enorme de animais abandonados no nosso país, acredito que muita gente o faça... É lamentável, mas é a verdade!

    Foi a primeira vez que vim a este blog e só tenho a dar os meus Parabéns!

    ResponderEliminar
  16. concordo com TUDO! a minha vida nesse aspecto sempre foi igual à tua ;)

    ResponderEliminar
  17. "..os animais são assim: dão aquilo que recebem. E os meus, felizmente, estão cheios de Amor." oooooh <3 <3 crescer com animais é do melhor : ) eu até percebo a pergunta, no sentido de muita gente se desfazer dos animais por tudo e por nada..... mas obviamente que se topa que JAMAIS serias uma pessoa dessas. Jamais! *

    ResponderEliminar
  18. Abandonar??? K estupidez. Sou totalmente contra o abandono. Tenho 3 gatos e nunca me irei desfazer deles até porque eles não saem de casa, logo, tendo cuidado não apanho toxoplasmose. Bem ainda estou incrédula com a pergunta, e tu respondeste à altura. Sou completamente de acordo que as crianças tenham animais, faz-lhes bem, são incutidos valores necessários a todos os humanos.

    ResponderEliminar
  19. Provavelmente o comentário estaria a referir-se à toxoplasmose. Eu estou grávida, tenho uma gata, e não estou imune a esta doença. Claro que não penso "despachar" a minha menina, mas caso tivesse toxoplasmose, (se não apanhei até agora, já não devo apanhar) teria sim, que durante a gravidez pedir a alguém que trate os animais como familia, o que no meu caso ia ser simples, para me tomar conta da Margarida até ao final da gravidez.
    Mas também é sabido que a toxoplasmose é mais facilmente transmitida por gatos vadios e ou por legumes ou carnes cruas ou mal passadas.
    São situações que só passando por elas é que podemos falar.

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  20. Sem dúvida alguma, os animais são muito importantes no crescimento de uma criança: ensinam valores tais como a responsabilidade, a compaixão, o carinho...
    eu tenho muita pena de não ter crescido com mais animais: sempre tive peixes e pássaros e até gerbos e iguanas, mas só desde o ano passado, desde que adoptei a minha cadela, entendo o que perdi.
    faço tenções, daqui a algum tempo de mudar de país. se chegar a fazê-lo, claro que levo a minha cadela comigo. porque quando a adoptei, quando a tomei sobre a minha responsabilidade, como se de um filho se tratasse, sabia que era um compromisso vitalício. ;)

    ResponderEliminar
  21. crianças adoram animais, por que não podem ficar juntos ?!

    ResponderEliminar
  22. Concordo plenamente!! Excepto em casos de alergias ou, no caso de uma grávida não imune à toxoplasmose que não pode ter gatos em casa, acho fabuloso manter os animaizinhos! Eles fazem parte da família, oras :) Para além de, como disseste, serem óptimos para as crianças.
    Não tive assim muitos animais: 2 gatos, 4 tartarugas e uns quantos peixes, mas foram e continuam a ser uma das melhores companhias!

    ResponderEliminar
  23. Pergunta idiota??!! Querem ver que algumas frequentadoras do blog são cegas e não vêem as dezenas de animais abandonados e mortos nas estradas, agora no Verão então... Ah e também não conhecem ninguém que tenha abandonado animais e elas nunca o fariam. De onde vieram então os montes de animais abandonados??
    E escusavam de vir logo em socorro da S*, que ela não levou a mal a pergunta e sabe defender-se muito bem.
    Chiça, nunca pensei que uma pergunta inocente desencadeasse este ataque, há gentinha que precisa de arranjar uma vida com urgência... (olha, se calhar adoptar um animal abandonado que o mantenha ocupado e o impeça de vir descarregar a raiva na net)

    S*, desculpa o desabafo, gosto muito do teu blog.

    ResponderEliminar
  24. acho que faz tanta falta a muitas crianças esse contacto com animais de estimação, o amor e as brincadeiras são do melhor :) :)

    ResponderEliminar
  25. Maria, não vale a pena chatearem-se. Teve direito a fazer a sua pergunta, claro. No entanto, para mim, é daquelas perguntas que não fazem sentido, amando eu os animais. Mas entendi perfeitamente o seu ponto de vista... De facto, os animais abandonados vêm de algum lado... e nunca ninguém assume que os deita fora. Mas fico, na mesma, contente, por ver que os meus leitores parecem ser amigos dos animais. :)

    ResponderEliminar
  26. Também cresci com animais e penso da mesma forma que tu.O post está mesmo muito bom. :) Mua

    ResponderEliminar
  27. Tens um coração bonito. Está ai a radiografia.

    ResponderEliminar
  28. Espera, vou levantar-me e aplaudir de pé!!

    Com 3 gatos e uma cadela dentro de casa oiço esse tipo de perguntas sempre que lá vai alguém novo a casa, e muitas vezes oiço-a vezes sem conta das mesmas pessoas... E respondo sempre da mesma maneira: Os meus animais são membros da família tal e qual como um filho o será, e se não despacho um membro da família, também não despacho nenhum dos meus animais!!

    ResponderEliminar
  29. Não pretendendo ofender ninguém, essa pergunta parece-me algo descabida... até a minha irmã com leucemia que ´
    é "só" a doença que afecta o sistema imunitário, teve autorização para ter uma cachorrinha.

    Bisouxxx

    ResponderEliminar
  30. Em pleno século 21 ainda há quem pense assim??? Se tivesse um bebé, eu tinha medo era de um familiar pedófilo, não era de um gato! Eu bem digo que a humanidade entrou em regressão... não tarda estamos na idade da pedra outra vez!

    ResponderEliminar
  31. Com o devido respeito e estando por certo por fora do contexto, mas que raio de pergunta é essa?
    Como diz um amigo meu, uma coisa é uma coisa, outra coisa é outra coisa.

    ResponderEliminar
  32. Que pergunta! o meu filho desde os 4 dias que convive com gatos e ele é feliz e os bicho também, adoram-se e nunca, nunca teve problemas e eu não era imune à toxoplasmose e nunca deixei de lhes dar mimo.

    ResponderEliminar
  33. Como eu concordo com as tuas palavras!! detesto essas desculpas esfarrapadas..aliás, detesto é ver aqueles olhinhos, seja cão ou gato, com lágrimas, entristecidos, sem saberem o que fazer,na rua, abandonados. Eu já tenho muitos cães e gatos, que o meu pai trouxe da rua, já não posso fazer mais nada.. senão divulgar! E fico contente pelos teus animais, cheios de amor :) Tenho a certeza que as tuas futuras crianças sentirão o mesmo por eles, amor. :)

    ResponderEliminar
  34. Mas é preciso fazer alguma coisa aos bichos quando se tem bebés?? Não entendo sequer a pergunta. Tal como tu, cresci sempre rodeada de animais e sei que isso só traz vantagens e a companhia de um animal é das melhores terapias que possamos imaginar. As crianças só benefeciam disso!

    ResponderEliminar
  35. Costumo ler o teu blog mas é raro comentar... sou médica e há aqui muitas leitoras equivocadas. Mesmo que uma grávida não seja imune à toxoplasmose não há problema nenhum em ter um gato! A única coisa que tem de evitar é tocar nas fezes do gato e por isso convém ser outra pessoa a limpar o caixote (ou se tiver de ser a grávida, fazê-lo de luvas e lavar depois muito bem as mãos). Fazer festas ao gato e estar em contacto com ele não faz mal nenhum e não transmite toxoplasmose. Para além disso a grande maioria dos gatos domésticos que não saem de casa não estão infectados com toxoplasmose. Mas como nunca temos a certeza, basta ter aquele cuidado que referi e ninguém se precisa de desfazer do animal de estimação...

    ResponderEliminar
  36. Helena, muito obrigada pelo comentário, muito esclarecedor. Espero que tenha ajudado algumas mentes mais confusas. :D

    ResponderEliminar
  37. Mas que patetice! Desde quando é que se abandonam animais de estimação por se ter um bebé?!
    Beijinhos!

    ResponderEliminar
  38. Uma coisa não tem nada a ver com a outra ... filhos são filhos e animais são animais....

    ResponderEliminar
  39. Concordo totalmente contigo! O pêlo dos bichos? Aspira-se. Assunto resolvido! ;) Bjitos

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares