Avançar para o conteúdo principal

A propósito daquele italiano que matou uma enfermeira no metro de Itália...

Por causa de um bilhete.

É impressão minha ou as pessoas estão cada vez mais insensíveis, desumanas e egoístas?

Insulta-se, ofende-se, bate-se... mata-se alguém por dá cá aquela palha.

Medo.

Comentários

  1. Mas parecia mais um soco por um mal-entendido! :S

    ResponderEliminar
  2. Não sei se reparaste no tempo que ela levou a ser socorrida... ela leva o murro e fica estendida. E depois veem-se pessoas durante cerca de 2m a passar AO LADO, impávidas e serenas.

    MEDO mesmo.

    ResponderEliminar
  3. E foi só um soco por um mal entendido. Mas deu no que deu. Porque num instante se pode magoar alguém fatalmente.

    Choca-me, logicamente, o sucedido. Mas choca-me também a indiferença das pessoas. Se virem o vídeo, há pessoas que passam como se nada fosse.

    É o mundo que temos, é esta gente que faz este mundo.

    ResponderEliminar
  4. O que me chocou ainda mais é a indiferença das pessoas que a seguir passavam por ali.. È triste o mundo que temos !!!

    ResponderEliminar
  5. Exacto, a miim também me choca mais a indiferença do que propriamente o soco. Se repararem a enfermeira vai atrás dele, provoca-o continuadamente, dá-lhe com a mala até que ele, finalmente reage. Independentemente de ter exagerado ou não na reacção, um soco normalmente não mata. Foi duplo azar pelo facto dela se ter metido com um gajo com antecedentes de violência e pelas conseguências causadas por um simples soco, q apesar de td, n deixeou de ser uma resposta às constantes provocações dela q foi procurar satisfações.

    ResponderEliminar
  6. Que vídeo mais horrorosa. Que vergonha, enfim..

    ResponderEliminar
  7. Infelizmente não é impressão... :(

    ResponderEliminar
  8. A vida humana cada vez tem menos valor, e parece que não custa nada eliminá-la.

    Beijoca!

    ResponderEliminar
  9. Credo...que horror...nao fazia ideia dessa noticia. O mundo está a ficar mesmo muito mau. *

    ResponderEliminar
  10. Como já comentei em outro blog e sem querer ter um comentário populista eu farto-me de dizer no meu espaço que a culpa de atitudes destas tem haver com o que obrigam as pessoas a ser hoje em dia - máquinas - a trabalhar em todas as horas, a andar nos mesmos lugares à mesma hora, em filas, em trânsitos, etc, e tudo isso vai degradando a sanidade mental das pessoas nestas selvas urbanas, mudando assim as atitudes e os valores e assim acaba-se o respeito e a dignidade pelo próximo.

    Tenho a certeza que ele não teve intenção de matá-la e o acto irreflectido dele foi antecedido por dois actos também irreflectidos da parte dela. E deu nisto. O mais chocante ainda foi ver a indiferença de quem passava ali. Imagina que ela tinha a mão cheia de notas? Seriam abutres à volta dela. A magnífica sociedade que temos hoje. Como dizes e com muita razão "porque na verdade simplesmente não sabemos que género de pessoa está do outro lado".

    É por estas e por outras que defendo a educação cívica nas escolas e especialmente nas universidades, por que pelo que vejo hoje em dia os adultos estão pior que as crianças.

    ResponderEliminar
  11. Não, não é impressão, é mesmo a realidade.

    infelizmente este país está pior, e cada vez ameaça mais piorar (ainda mais)

    ResponderEliminar
  12. E as pessoas que depois passaram e que não socorriam a senhora? Desumano. Uma vergonha.

    ResponderEliminar
  13. Enfim...estamos a chegar ao Apocalipse...eu não duvido...

    ResponderEliminar
  14. Não é impressão tua. E reparaste na quantidade de pessoas que passava e ignorava ela estar caída no chão? Claro que em Portugal seria impossível porque pra cada desgraça há um assomar de uma pequena multidão.

    ResponderEliminar
  15. Há coisas ultimamente que acontecem que não têm explicação, isso fez-me lembrar o caso do rapaz que matou o colega de quarto pk ressonava de noite.

    As pessoas não andam bem, agem por impulsos, deixa-se levar pelas emoções, sem medir os actos. Não controlam, são submissos.
    É a Civilização e o progresso, um mundo cada vez mais frio e desumano, são cada vez mais os casos insólitos que surgem no ecrã da tv, uma das coisas que o ano também me impressionou bastante foi os casos de pais que esqueceram os filhos dentro do carro que acabaram por falecer.
    Pais que esquecem os filhos dentro do carro????

    As pessoas caiem na rotina com tanto para fazer que mais parecem maquinas programadas, qualquer coisa fora da rotina já não assimilam.

    Vamos ter fé, eu acredito que se vai abrir uma nova conscientização, vai haver um solução.

    ResponderEliminar
  16. Estamos a chegar a um ponto onde já não se pode sair de casa e andar tranquila na rua...

    ResponderEliminar
  17. Podes crer...aqui há uns tempos vi um vídeo de um gajo que espancou uma gaja no metro só porque ela era de etnia diferente,ficou registado nas câmaras de vigilância. o pior é que ninguém fez nada!!

    ResponderEliminar
  18. AS pessoas estão cada vez mais estranhas, com atitudes impensáveis. Eu quando vi a reportagem quase que nem queria acreditar!

    ResponderEliminar
  19. A propósito das pessoas que continuaram a passar, como se nada fosse.
    Ainda me gozas por eu gostar da minha cadela?
    Tenho a certeza que ela não me deixava ali estendido.

    ResponderEliminar
  20. Subscreveu as palavras de Martini Bianco. Muito bem dito.

    ResponderEliminar

Publicar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Para dormir - solução, procura-se!

É uma pessoa desesperada que vos escreve, esta manhã.

Conhecem soluções naturais para dormir bem de noite? Algo que me faça ferrar o galho e só acordar no dia seguinte?

Estou farta de noites mal dormidas. Estou farta de ficar até às 5 ou 6 da manhã sem conseguir dormir. Chego ao desespero, com vontade de chorar. De dia, sinto-me cansada, porque o descanso é uma porcaria.

Não sou grande adepta de medicamentos mas, se tem de ser, é. Alguém conhece um remédio, uma erva, o que seja?

O que é nacional é bom

Anda Portugal a usar cestas desde sempre e esta vossa S* a usá-las há sete ou oito anos... e vem agora a Carolina Herrera descobrir a pólvora (imagens acima).
Por favor, acho isto verdadeiramente errado. A desfaçatez que é pegar em algo tradicional de um país e de o apresentar como uma "criação"... Ainda por cima chamar-lhe "Aveiro"... E em nenhum sítio dizer que tem inspiração portuguesa.
E a pechincha que está? Quase 500 euros por uma cesta. Não tinha nada contra o preço... se efectivamente fosse um produto de original.
É só googlar "cesta portuguesa" e encontram-se imensos exemplares realmente nossos... E sem custarem quase um salário mínimo.
Querem cestas de classe? Então comprem das nossas. Das verdadeiras. Cópias descaradas? Não, obrigada.
Sugiro a Victoria Handmade. Não são caras, são dispendiosas e têm o preço do que é realmente bom. São feitas à mão, são portuguesas e assentam na nossa tradição. 

Voltar ao início

Depois de quase 9 anos e meio de relação, não vamos fingir que são tudo rosas. Ultimamente, temos até de admitir que têm sido mais os dias maus do que os dias bons. As chatices do dia-a-dia, os remorsos, os ressentimentos, os problemas a que somos alheios mas que nos afectam... Não é fácil de gerir e mentiria se não admitisse que já pensamos "será que vale a pena?".
Da minha parte, apesar dos momentos menos bons, continuo com a nítida percepção de que é um bom homem, com bons princípios, e que dificilmente encontraria companheiro que encaixasse tão bem em mim (que eu sou osso duro de roer, no que toca ao convívio caseiro).
Vale sempre a pena, porque não perdemos esta capacidade de nos reencontrar e voltar ao início. Enquanto soubermos olhar um para o outro e reconhecer o valor um do outro, vale mesmo muito a pena.