Cesta rota

Um dos meus maiores problemas é o facto de me expor em demasia.

Falo demasiado de mim. Conto tudo sobre mim e isso nem sempre é bom. Muita gente tem aquela máxima de que "o que é do passado, pertence ao passado" e não falam do seu passado com as novas pessoas que vão surgindo... Novos parceiros, incluídos. Concordo com isso mas custa-me ficar calada. É mais forte do que eu. Quando alguém me transmite confiança, dou por mim a contar a vidinha toda e a revelar todos os meus defeitos.

Tenho-me apercebido, nos últimos tempos, que excesso de sinceridade pode não ser uma coisa positiva. Tenho medo disso mas não consigo evitá-lo.

Comentários

  1. vai mal o mundo onde o excesso de sinceridade é visto como não sendo positivo...

    ResponderEliminar
  2. Depende sempre muito de com quem te abres!

    Aliás, isso serve para qualquer contexto que lhe queiras dar.
    O teu critério de escolha é importante, sempre...

    Mas teres em quem poder confiar é muito bom... Por isso há essa tendência... O mal é que poucas pessoas conseguem guardar essas coisas!

    *

    ResponderEliminar
  3. A transparência por outro lado é uma virtude em extinção!

    ResponderEliminar
  4. Tenta ter cuidado com isso, especialmente se são pessoas que acabaste de conhecer, e q por mais que te transmitam confiança, ainda não existe qq tipo de laço, e muitas vezes isso é de alguma ingenuidade..

    ResponderEliminar
  5. Olha eu sou tal e qual e começo a pensar que não é nada mas nada bom. beijinho

    ResponderEliminar
  6. Martini, ingenuidade, totalmente...

    ResponderEliminar
  7. Sofro do mesmo mal, sem tirar nem pôr. E a única coisa que isso me tem dado a oportunidade de perceber, é que já não há cá espaço para este tipo de sinceridade! Das duas uma, ou falamos sobre coisas que deviam ficar arquivadas, ou as pessoas acabam por mostrar-nos, mais tarde ou mais cedo, que estávamos completamente enganadas a seu respeito e que, afinal, não transmitiam confiança nenhuma. O problema é que aí já é tarde e já nós nos 'chibamos'. Ai, ai! Temos que ganhar juízo!

    *

    ResponderEliminar
  8. Finalmente conheço alguém a mim, a minha vida é um autêntico livro aberto e como tenho passado cada uma depois da minha viuvez precoce, os meus problemas são dignos de serem contados, eu dava uma bela história para os programas da Sic e da TVI.

    Mas isso é mau sim S*, vai aprendendo a evitar, pelo a menos a falar das coisas más, é que estás sempre a activar essa energia e crias a tua realidade.
    Eu também vou começar a treinar e ficar calada.

    Deixa o passado onde ele está, se tens guardadas no passado coisas menos boas deixa-as lá e apenas vais as buscar para não cometer os mesmos erros, sim?

    Beijokas

    ResponderEliminar
  9. Pensa assim, quanto menos contares aos outros, mais misteriosa e enigmática pareces... :p

    Quem é ela?

    Huuuuu, ninguém sabe muito bem...

    Que tipo de pessoa é?

    Huuuuu, ela fala pouco. Ninguém sabe ao certo ainda...



    he he


    Huuuuuuu

    ResponderEliminar
  10. Eu gosto de pessoas genuinas e tu és uma delas. Detesto hipocrisia. Mas com a idade aprendemos a guardarmo-nos mais...

    ResponderEliminar
  11. Estou a ver que somos muito parecidas, em muitas coisas...

    ResponderEliminar
  12. Eu sou exactamente o contrário. Talvez seja uma consequência de muita "pancada" que já levei, mas a verdade é que, de há uns bons anos para cá, há muito pouca coisa que as pessoas à minha volta ficam a saber sobre a minha vida, seja presente ou passado. E sou muito mais feliz assim.

    :-)

    ResponderEliminar
  13. Rss, lembrei da minha vó que costumava dizer que franqueza demais é grossura!
    Passado...passou amiga. Tem que aproveitar o presente,com todos os momentos bons que a vida oferece.

    Bom domingo,
    bjo.

    ResponderEliminar
  14. Acho muito bem que te exponhas . . . desde que não o faças como a Professora de Mirandela, não há problema! Alias, mesmo que o faças como a prof, tambem não há problema nenhum ahahahah

    ResponderEliminar
  15. Gosto da sinceridade, mas talvez por vezes acho que é ser ingénuo ao ponto de falar de coisas que só dizem respeito a ti...
    As pessoas depois abusam dessa tua sinceridade e depois levas pancada atrás de pancada, já para não falar que toda a gente fica a saber mais que o padre...

    ehehhehe

    Kiss**

    ResponderEliminar
  16. ora lá está uma característica que partilhamos. também sou muito assim. e depois sentimo-nos vulneráveis porque já contámos demais de nós :x

    ResponderEliminar
  17. junta-te ao clube.. em todos os aspectos!

    ResponderEliminar
  18. Eu sou exactamente como tu e não raras vezes penso que o facto de ser transparente muitas vezes me prejudica... Foi inclusive, uma das razões porque fiz um interregno no meu blog. Como será que devemos ser? Transparentes, ou opacos?!

    ResponderEliminar
  19. Quem me dera que fosse com o diz a Dora! Eu, com a idade, não melhorei nadinha...

    ResponderEliminar
  20. revejo-me em 100% neste teu post. um dos meus piores defeitos é dar demasiada confiança e expôr-me muito. mas olha, cada um é como é...

    ResponderEliminar
  21. Tomaria eu mais pessoas assim, mesmo parceiras. Claro que não é agradável quando falam incessantemente de algumas partes do passado, mas falar sobre eles sem rodeios é bom sinal.

    ResponderEliminar
  22. Eu sou como tu e arrependo-me bem... Mais vale é aprendermos a tar caladas... =(

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares