Avançar para o conteúdo principal

If love is a game... let's play.

Adoro quando me interesso por alguém.

A partilha inicial, a cumplicidade que vai surgindo de forma natural. O apalpar terreno lentamente, ainda a medo, tentando perceber se a outra pessoa está tão interessada como nós. O frio na barriga e o calor no coração.

Gosto dos encontros iniciais, em que nos avaliamos mutuamente de forma discreta. Aqueles encontros repletos de nervosismo, em que analisamos minuciosamente todos os gestos e nos deliciamos com todas as palavras.

Adoro a sedução inicial que, se tudo correr bem, há-de prolongar-se ao longo do tempo.

Comentários

  1. acho que é uma das partes mais engraçadas de uma "relação", mesmo que acabe por o não ser. descobrir todas aquelas pequenas coisas que nos fazem querer conhecer mais e mais e mais. ou então não, depende dos casos =)

    ResponderEliminar
  2. =D
    Contrasta com a calma de uma relação duradoura :)

    ResponderEliminar
  3. o inicio de uma relação é sempre algo mágico...

    ResponderEliminar
  4. Concordo com a Lia. depois com o tempo deixa de existir essa paixao, esse fogo inicial. Mas o amor esse continua vivo. :)

    ResponderEliminar
  5. A fase da descoberta é fantástica...:)

    ResponderEliminar
  6. O quê, não me digas que mudaste de ramo. Dedicaste-te ao negócio imobiliário e passaste a "apalpar terreno".
    Gabo-te o gosto. Mudaste de cavalo para burro.
    Uma gaja do teu nível, é mal empregada a "apalpar" terreno.
    Com tanto para apalpar e andas-me a meter as mãos na terra...
    Balhatedeus! :P

    ResponderEliminar
  7. Como te entendo!! É algo mágico (como diz a "Lia".. O sentimento do entrar no desconhecido sem saber o que vai dar e a esperança associada a que a dita pessoa também sinta o mesmo que nós é algo único.. Sentamo-mos perto do lugar onde ela (ele) habitualmente se senta (por exemplo na biblioteca a estudar), lançando uns olhares discretos para ver se também a(o) apanhamos também a olhar para nós, a tentar saber o que está a estudar não vá ser matéria que saibamos e aproveitamos para dar uma explicaçãozinha de borla (maroto(a)), e também por exemplo a pergunta: "olha, desculpa, tenho de ir ali fora um pouco (mesmo que não seja preciso, lol), será que não podias deitar um olhinho aqui no portátil de vez em quando?" (com o objectivo de ver a reacção inicial e a reacção final de quando pedimos desculpa e dizemos obrigado..).
    E se o "feedback" for favorável para o nosso lado, por minimo que seja, UI, ainda mais coragem arranjamos para a próxima vez.. Eheheh..

    Haaa, e boa sorte!!

    ResponderEliminar
  8. é do melhor que há mesmo, eu costumo dizer q é a altura em q usamos lentes de contacto cor-de-rosa, tá-se bem sempre! Adoro!

    ResponderEliminar
  9. Uma verdadeira lufada de ar fresco :)

    ResponderEliminar
  10. É assim que começa muitas relações de amizade! É uma boa fase ;)
    Descreveste-a muito bem!!

    ResponderEliminar
  11. Eu acho importante que a sedução continue. Combina perfeitamente com amor. =)

    ResponderEliminar
  12. Aproveita ao máximo, é mesmo mágico, deixa-te levar pelo coração ;-)

    ResponderEliminar
  13. Acho que é a melhor fase das relações, o nervosismo, o coração acelerado, as borboletas no estômago, a descoberta...
    Aproveita, porque realmente é lindo ;)
    Beijo*

    ResponderEliminar
  14. Os preliminares são sempre uma coisa boa :)

    ResponderEliminar
  15. Estou de acordo com a Vanessa LOLOL

    Os preliminares são TOOOOOPPPPPP :P

    ResponderEliminar
  16. O dificil é mesmo manter essa chama da novidade acesa por mt tempo ;)

    Kiss kiss

    ResponderEliminar
  17. umhmmmm o que é que esta moça anda a descobrir? hahahhahah

    ResponderEliminar
  18. O Patife está capaz de jurar que até ouviu o Playground Love dos Air como música de fundo enquanto lia o post.

    ResponderEliminar
  19. Vou ter um desses, esta semana! Medoooo!!!!

    ResponderEliminar
  20. É sempre a melhor parte, o inicio. Eu quero mt mt mt acreditar que é possível prolongar indefinidamente esta sensação de inicio... mas não tem sido fáciL :|

    ResponderEliminar

Publicar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Para dormir - solução, procura-se!

É uma pessoa desesperada que vos escreve, esta manhã.

Conhecem soluções naturais para dormir bem de noite? Algo que me faça ferrar o galho e só acordar no dia seguinte?

Estou farta de noites mal dormidas. Estou farta de ficar até às 5 ou 6 da manhã sem conseguir dormir. Chego ao desespero, com vontade de chorar. De dia, sinto-me cansada, porque o descanso é uma porcaria.

Não sou grande adepta de medicamentos mas, se tem de ser, é. Alguém conhece um remédio, uma erva, o que seja?

O que é nacional é bom

Anda Portugal a usar cestas desde sempre e esta vossa S* a usá-las há sete ou oito anos... e vem agora a Carolina Herrera descobrir a pólvora (imagens acima).
Por favor, acho isto verdadeiramente errado. A desfaçatez que é pegar em algo tradicional de um país e de o apresentar como uma "criação"... Ainda por cima chamar-lhe "Aveiro"... E em nenhum sítio dizer que tem inspiração portuguesa.
E a pechincha que está? Quase 500 euros por uma cesta. Não tinha nada contra o preço... se efectivamente fosse um produto de original.
É só googlar "cesta portuguesa" e encontram-se imensos exemplares realmente nossos... E sem custarem quase um salário mínimo.
Querem cestas de classe? Então comprem das nossas. Das verdadeiras. Cópias descaradas? Não, obrigada.
Sugiro a Victoria Handmade. Não são caras, são dispendiosas e têm o preço do que é realmente bom. São feitas à mão, são portuguesas e assentam na nossa tradição. 

Voltar ao início

Depois de quase 9 anos e meio de relação, não vamos fingir que são tudo rosas. Ultimamente, temos até de admitir que têm sido mais os dias maus do que os dias bons. As chatices do dia-a-dia, os remorsos, os ressentimentos, os problemas a que somos alheios mas que nos afectam... Não é fácil de gerir e mentiria se não admitisse que já pensamos "será que vale a pena?".
Da minha parte, apesar dos momentos menos bons, continuo com a nítida percepção de que é um bom homem, com bons princípios, e que dificilmente encontraria companheiro que encaixasse tão bem em mim (que eu sou osso duro de roer, no que toca ao convívio caseiro).
Vale sempre a pena, porque não perdemos esta capacidade de nos reencontrar e voltar ao início. Enquanto soubermos olhar um para o outro e reconhecer o valor um do outro, vale mesmo muito a pena.