Perdoar

A maioria das pessoas que conheço diz, alto e bom som, que nunca perdoaria uma traição. Jura a pés juntos que era incapaz de voltar a estar com quem lhe fizesse tal coisa.

Ora bem, eu também era uma dessas pessoas. Também me considerava demasiado orgulhosa para sequer pensar em perdoar (Perdoar. Esquecer é outra coisa... nunca se esquece).

E perdoei. E não me sinto minimamente arrependida de o ter feito. Porque mostrei, a mim mesma, um outro lado de mim que julgava não ter. Mais calmo, mais tolerante. Não considero que devesse ter perdoado, mas também não me arrependo de o ter feito. Saber dar uma segunda oportunidade não deve ser motivo de vergonha. Por isso não me arrependo, apesar da relação não ter resultado.

Não, não incentivo ninguém a perdoar... até porque quem te faz uma geralmente faz-te duas. Mas erros todos os humanos cometem. E não devemos nunca ter vergonha de perdoar.

No entanto, por incrível que pareça, sempre que ouvi dizer "talvez perdoasse" as palavras vieram da boca de homens. E não homens encalhados, desesperados por arranjar parceira. Homens seguros de si e, acima de tudo, muito apaixonados. Obviamente que nem todas as pessoas apaixonadas conseguem/querem perdoar. É difícil, doloroso e um processo que precisa de ser cuidado ao longo do tempo. Mas acho que só alguém realmente apaixonado tenta sequer perdoar.


Ninguém gosta de admitir que perdoaria ser pisado. Ninguém gosta de admitir que tentaria esquecer uma traição. Ninguém gosta. Porque uma traição não é um deslize ou um impulso incontrolável - é uma falta de respeito pelo parceiro. E um sinal demasiado evidente de falta de amor... Pelo menos dentro da minha concepção do que é o verdadeiro Amor.

Porquê perdoar mesmo assim? Porque as pessoas podem mudar. Pelo menos sempre me disseram isso. Geralmente não mudam, mas podem mudar. Eu sei lá...

Comentários

  1. Eu já fui capaz de perdoar mas não esqueci... E isso levou ao final da relação... Porque qualquer situação era motivo para desconfiança ***

    ResponderEliminar
  2. Eu já perdoei e não me arrependi, dei oportunidade para que as coisas se resolvessem. Foi como tirar um peso de cima. Não deu certo, mas ao menos fui capaz de dar oportunidade de ouvir o outro lado.
    Perdoar é diferente de se deixar levar.
    Saber perdoar para mim, é saber ouvir e tirar daí conclusões sem criar qualquer sentimento negativo para com o outro.
    Quando a razão está do nosso lado, a acção de perdoar o outro surge como recompensa da termos mantido a postura.

    ResponderEliminar
  3. eu tb já perdoei...mas não esqueci.e não vou esquecer nunca.é uma mágoa demasiado profunda...mas o altruismo e o amor levam a outros caminhos mais felizes!

    ResponderEliminar
  4. A única vez que passei por uma situação desses estava no alto dos meus 19 anos... Não perdoei!! Mas não sei como o faria agota!! Até porque hoje em dia tenho uma relação muito bom com a pessoa que um dia não perdoei... 8)
    Bjinho*

    ResponderEliminar
  5. Olá!
    É um tema interessante! Não posso dizer que dessa água não beberei! Acho que não conseguiria perdoar, porque perdoar para mim significaria esquecer, porque como dizes e bem, quem escorrega uma vez, pode muito bem escorregar uma segunda! Fica sempre aquela nódoa, aquela incerteza, será que não me andas a enganar outra vez!
    claro que só passando pela situção é que poderei dizer se perdoava ou não!
    Kisses

    ResponderEliminar
  6. Na minha leitura deste post parece que o último parágrafo contradiz ou responde ao que está para cima (à traição em si). Tu própria dizes que o acto de trair constitui um sinal evidente de falta de amor, que é o que eu acho plenamente, então... Porquê perdoar? Eu na minha relação gosto de ter certezas, gosto que não haja dúvidas quanto aos sentimentos que eu tenho pelo meu namorado e ele por mim. O trair significa que algo não estava bem, quando eu pensava que estava. Como posso eu colmatar essa falha? (sim, porque a responsabilidade vai ser sempre minha depois). Não posso colmatar. Não consigo perdoar. O amor na relação nunca mais será o mesmo, porque já fraquejou quando supostamente eu pensava que era forte... É assim que eu vejo as coisas e é por isto que eu não conseguiria perdoar uma traição, ainda que esteja mesmo muito apaixonada e passe os dias num estado lastimável por não o querer de volta. Mas sei que o que me vai estar sempre na cabeça é "já me traíste, as coisas não podem mais voltar a ser as mesmas, ainda que eu queira" não saberia mais estar na relação assim, sem saber se estava a fazer as coisas bem ou não...

    ResponderEliminar
  7. vanessa,


    Porquê perdoar mesmo assim? Porque as pessoas podem mudar. Pelo menos sempre me disseram isso. Geralmente não mudam, mas podem mudar.

    ResponderEliminar
  8. Acho que quem gosta de verdade perdoa...Mas esquecer ninguem esquece, e isso as vezes destroe a relação por conta da falta de confiança... Mas isso tambem depende muito do tempo das pessoas envolvidas...Afinal as pessoas mudam, e com isso mudam a maneira de pensar e de ver as coisas...
    E acho que quem fala que não perdoaria é porque não viveu ainda a situação

    ResponderEliminar
  9. Mas se antes de a pessoa trair nós pensávamos que ela estava bem com a relação, em que sentido é que ela pode mudar? Achas que a confiança iria voltar a ser a mesma? Eu não acho... haveria ali sempre um qualquer constragimento ou um pé atrás. Não consigo conceber uma relação assim (porque conheço bem o meu feitio). O amor que une duas pessoas, quando realmente verdadeiro, jamais pode vacilar, seja em que situação for. Eu penso assim...

    ResponderEliminar
  10. cada caso é um caso... dizer nunca é demasiadamente arriscado porque só qd estamos na situação é que sabemos o que fazer! Falar é fácil!

    (qt ao comentário no meu blogue, é aquele botão debaixo de onde escreves a pesquisa, estas a ver? I'm feeling lucky /sinto-me com sorte)

    ResponderEliminar
  11. isso vai muito do que se sente no momento!
    até podemos cuspir para o ar e tal...
    mas depois é que se vê qual a atitud e a tomar.

    ResponderEliminar
  12. Eu sempre fui daquelas pessoas que não sabia, só passando (e espero não passar) por uma situação dessas. Só aí saberia se era capaz de perdoar ou não, só sentindo a dor é percebia a minha capacidade de perdoar. Toda a gente erra e toda a gente tem o do direito de errar. Eu costumo dizer que só se perdoa na proporção em que se ama.

    ResponderEliminar
  13. Pois eu não acredito em segundas hipóteses, porque geralmente resultam numa segunda traição. E mesmo que isso não se verifique, fica sempre a desconfiança, e uma relação assente na desconfiança não vai longe.
    E penso que a traição só acontece quando a relação já não está bem, e existe "espaço" para entrar outra pessoa na relação, e quando isso acontece, mais do que ser infiel, a pessoa não está a ser leal com a pessoa com quem está, logo não merece nenhuma oportunidade.
    Mas não digo "nunca", até porque quando gostamos de alguém ficamos cegas e burras :P

    Beijo*

    ResponderEliminar
  14. É daqueles assuntos em que nem gosto de pensar. Acho que, por princípio, não perdoava. Mas os princípios são todos muitos bonitos até a vida nos bater de frente com força e termos que tomar uma decisão. Sinceramente, não consigo imaginar o que faria.

    Mas admiro, e muito, a coragem que tiveste para perdoar. Para mim, seria algo muito complicado.

    ResponderEliminar
  15. sabes o que é que isso significa? que estás mais crescida, mais madura. Perdoar é sinónimo de compreensão.

    ResponderEliminar
  16. Eu era uma dessas pessoas que dizia que nunca iria perdoar... afinal acabei por perdoar, quando se gosta muito custa muito... o pior é que não se consegue esquecer... por muito tempo que passe, não se esquece!

    Beijoka

    ResponderEliminar
  17. Conheço algumas pessoas que perdoaram e não se arrependeram. Já houve tempos em que "tinha a certeza" que traição significava fim. Agora não tenho essa certeza. Acho que pode haver mesmo uma tentação momentânea que leve a uma escapadela e que isso não passe de uma "coisa" meramente física.
    Amar alguém não significa que não possas sentir uma atracção física por outra pessoa. Ok, deves fugir a sete pés se sentires isso, mas pode haver circunstâncias que facilitem a "queda"! Eu já tive que fugir e não quero nunca cair, mas ninguém está a salvo, por mais que o afirme.
    Bjnhs

    ResponderEliminar
  18. é como tu dizes...perdoa-se mas nunca se esquece...

    ResponderEliminar
  19. Alguém verdadeiramente apaixonado, NUNCA daria motivos para que precisasse de um perdão!

    É tão simples, que até dói.

    ResponderEliminar
  20. Eu sempre prefiro perdoar e libertar-me da dor do que não perdoar e ficar com o rancor (até rima!).
    Mas algo que não posso fazer é esquecer.
    Ainda não inventaram um apagador de memórias e sendo assim não posso continuar com uma relação assombrada com esta lembrança. Isso dói...e eu não sou muito de gostar de sofrer.

    ResponderEliminar
  21. mais logo, novo capítulo da história de Alice, lá no
    ... continuando assim...

    Aceito , e agradeço as vossas sugestões ... talvez a letra esteja pequena... talvez o blogue possa estar confuso...
    Talvez nem gostem da história...

    Enfim...qualquer coisa, digam.
    até logo
    e obrigada por seguirem

    Bj
    teresa

    ResponderEliminar
  22. Acho que depende muito do caso,apesar de traição ser traição...

    Acredito,ainda assim,que há quem consiga mudar...quem não cometa o mesmo erro duas vezes...

    como dizes,

    eu sei lá...

    ResponderEliminar
  23. Não concordo. :)

    É que eu entendo que problema é exactamente o contrário. Isto é, o problema não é perdoar. Perdoar, até penso que todos nós podemos perdoar. O problema é esquecer. É que, das duas umas: ou temos capacidade para esquecer e andar para a frente, ou não temos. É que o pior que pode acontecer numa relação é dizermos que esquecemos e à primeira oportunidade atirarmos à cara do outro o deslize feito anteriormente.

    Como referiste, e bem, perdoar, perdoaste apesar de considerares uma falta de respeito para com o parceiro. Mas não esqueceste. Não tenho qualquer dúvida que, mais cedo ou mais tarde, irias "atirar" com aquela traição que até perdoaste mas não perdoaste.

    Ou talvez seja apenas a visão de alguém com 45 anos.

    :)

    Beijo

    ResponderEliminar
  24. Perdoar uma traição? Depende...irá depender sempre do momento e da segurança...da segurança que existe em mim. A vida dá tantas voltas e o que hoje para mim é impossivel de fazer amanhã pode não o ser.

    Beijos

    ResponderEliminar
  25. Sabes, por vezes acontecem coisas na vida que nós diziamos "Nunca eu tolerava isso..."

    Eu já traí e fui perdoada e mais tarde voltei e trair... Infelizmente é quase sempre assim! Quem faz uma vez...

    Mas francamente eu não amava portanto acho que quem ama de verdade não traí.

    Nunca fui traida (pelo menos que soubesse), mas mantive-me como amante durante um bom tempo. Uma das coisas que sempre condenei. Ter um caso com alguém comprometido! Custava-me imenso tolerar aquela situação, sabendo que partilhava a pessoa que amava com outra pessoa mas fui aguentanto...

    É estupido, mas o amor deixamo-nos cegas e burras =/

    ResponderEliminar
  26. Acho que, em qualquer relação, há sempre qualquer coisa a perdoar por muito que as pessoas se amem. Ninguém é perfeito.
    Há muitas formas de traição. Traição em si é uma palavra forte demais mas, por exemplo, mesmo que não haja traição, julgo que o facto de desejar outra pessoa, ainda que por muito efémero ou comum na nossa sociedade que vive sobretudo de aparências e do culto do belo, também é outra forma de trair a pessoa que amamos.
    E quem nunca fechou os olhos traições destas? mesmo que não tenha realmente acontecido nada e a outra pessoa se tenha ficado pelo desejo?
    Na maioria das vezes, nem nos damos conta de que fomos traídos e a falta de sinceridade é, na minha opinião, a mais cruel das mentiras.
    Não sei se perdoaria. Depende das circunstâncias. Mas, de uma coisa estou certa, não conseguiria voltar a amar com a mesma intensidade alguém que me tivesse mentido propositadamente ou ocultado algo grave. Poderia amar mas ficava magoada, ferida..e isso certamente não me iria tornar uma pessoa melhor.

    Beijinho,
    Susana

    ResponderEliminar
  27. Eu acho que não se deve confundir perdoar com aceitar... porque tu podes perdoar uma traição mas será que consegues aceitar e viver com essa traição... como já disse noutros blogues a respeito deste assunto, traição é sinonimo a meu ver de falta de amor pelo parceiro. A partir do momento em que se trai é sinal que deixamos de amar o nosso parceiro e não me venham com tretas de que ah e tal eu amom muito o meu marido / mukher mas não resisti à tentação... balelas... se amamos e se estamos felizes não temos vontade de trair e ponto final. As vezes acontece trair e como já disse, a 1ª traiçao, perdoa-se... perdoa-se mas eu não aceito de volta. Para mim acabou. E se fosse eu a trair, acredita que acabava tudo com o meu parceiro, porque não acredito em vidas duplas. Perdoar e aceitar de volta são duas coisas bem diferentes.

    Beijos

    Rita

    ResponderEliminar
  28. Opa! aê!
    vamos parar de ir contra os sentimentos!
    Perdoar sim! se for de coração' se vc achar que está sendo de coração tanto pra quem perdoa quando pra quem é perdoado!
    O perdão é uma virtude dos fortes!
    e também penso que vc pode confiar sim! que a confiança não perdida! ela só se afasta por medo'
    beijos e mimos''

    ResponderEliminar
  29. Isto é um assunto tão complexo e tem tanto que se lhe diga.. que nem vou dizer nada porque teria uma testamento de coisas para contar.

    Digo só que compreendo muito bem o que queres dizer.

    ResponderEliminar
  30. Não sou capaz de perdoar, nunca o serei. A situação pela qual passei, foi demasiado absurda para ser verdade, não se limitou apenas a uma traição 'de namorados' mas igualmente a uma traição de uma longa amizade. Curiosamente faz hoje um ano que tudo aconteceu, já passei por fases distintas, mas a verdade é que continuo sem a perdoar, nem sinto essa necessidade.

    ResponderEliminar
  31. Pois... eu também sinto que nunca serei capaz de perdoar assim... mas nunca podemos dizer nunca não é....

    ResponderEliminar
  32. Minha alma gémea mais fofinha: tu perdoas porque és boa.
    Boa pessoa e boa comó milho.
    Se és uma boa cristã, já deves ter ouvido que devemos dar de beber a quem tem sede. Não te arrependas de se boa e de perdoar porque quando morreres vais pró céu e quem não "perdoou" em vida, quando chegar lá acima leva tantas com a moca de Santo Hilário, que fica uma semana sem se poder sentar direito :)

    Kiss

    ResponderEliminar
  33. O que raio te deu para meteres um padrão tigresa no fundo do blog ? xD
    Quanto ao tema,eu tb ja perdooei mas também não levou a nada mas também não me arrependo..
    Beijinho :)

    ResponderEliminar
  34. eu nunca me vi obrigada a ter de perdoar uma traição, mas sempre disse que seria capaz de perdoar, sim, definitivamente.

    ResponderEliminar
  35. Cada caso é um caso, e não se deve dizer que nunca se perdoaria uma traição porque às vezes a vida prega algumas partidas!

    A decisão é da pessoa, e se depois de analisar bem a situação, achar que deve perdoar, é perdoar e seguir em frente.
    Até porque há vários tipos de traição, e várias motivações, mas isso já dava conversa a mais para um comentário ;)

    ResponderEliminar
  36. Perdoar é um verbo delicado, pelo menos para mim. E penso que o 'Perdoas-me?' pode ser utilizado por muitas coisas, nas quais eu posso perdoar e outras não, talvez porque naquele momento nos magoa imenso e nem sequer tenhamos coragem para perdoar [ter vergonha de perdoar é diferente]
    Gostei deste post! E cada um perdoa quem quer, ninguém tem de refilar com isso! Temos de ter consciência nas nossas atitudes e têm de ser bem pensadas [neste caso a tua] antes que nos arrependamos.

    ResponderEliminar
  37. Fizeste muito bem.Perdoar é isso mesmo, é ter mais confiança em nós do que na outra pessoa.Confiamos que somos fortes o suficiente para ultrapassar e continuar a nossa vida,aconteça o que acontecer,e não há melhor segurança que essa:) **

    ResponderEliminar
  38. Cada caso é um caso, e depois por vezes as pessoas fazem isso não por desejo interior, mas sim por pressão exterior!

    ResponderEliminar
  39. Escrevi recentemente um post exactamente sobre a traição, onde afirmei não perdoar quem trai.
    E digo-o, não por vergonha de assumir que poderia perdoar, não por achar que pudesse ser uma fraqueza minha, não por não acreditar em segundas oportunidades. Digo-o porque sei que por muito menos a minha confiança em alguém desaparece e não volta. E não havendo confiança, não há relacionamento possível, por mais que tente.

    Há quem faça a distinção entre perdoar e esquecer... para mim, pensando bem, vai dar no mesmo. Se eu perdoo e não esqueço, no fundo, o ressentimento, a mágoa, a raiva, continua lá.

    Não critico quem perdoa, quem consegue passar uma borracha no assunto e segue em frente. Nem afirmo que não perdoo apenas por teimosia. Afirmo-o porque me conheço bem.

    ResponderEliminar
  40. Também já perdoei e concordo que é bom, qualquer pessoa pode errar uma vez, e preciso é querer mostrar que foi exactamente um erro :)

    Bejo

    ResponderEliminar
  41. Também já perdoei e concordo que é bom, qualquer pessoa pode errar uma vez, e preciso é querer mostrar que foi exactamente um erro :)

    Bejo

    ResponderEliminar
  42. Todos estamos sujeitos a "meter a pata na poça" e, como tal, penso que o perdão deve contemplar o arrependimento sincero. Perdão sem arrependimento é como um cheque em branco: desde que haja dinheiro na conta, cada um levanta a quantia que quiser.

    ResponderEliminar
  43. Eu insisto na minha teoria de que isso não é perdoar, é desculpar... Não sei bem o que é perdoar... E desculpar, acaba sempre por ser uma factura pendente sobre quem desculpamos. Uma factura, que pode até nunca ser cobrada (provavelmente aqui se vê se a desculpa passou a perdão). Uma factura que, se cobramos, normalmente o fazemos com imensos juros acrescidos...

    ResponderEliminar
  44. A dificuldade está em esquecer e não em perdoar no meu ponto de vista. Eu já tentei perdoar mas nunca esqueci. É um peso demasiado pesado para suportar. É algum que nos estamos frequentemente a lembrar, que nos assusta, que nos prende, que não nos deixa confiar... a relação nunca volta a ser a mesma.

    **Beijinhos**

    ResponderEliminar
  45. A traição é um grande corte no relacionamento. É sinal que o outro não nos preenche. perdoar e dar uma segunda oportunidade é tentar começar do zero e dizer ao outro "começa a gostar de mim outra vez". Normalmente, não resulta porque a confiança perde-se com um acto de traição. Falo eu por experiência própria. Haverá sempre uma segunda vez.

    ResponderEliminar
  46. Eu perdooei. E esquecer, até agora não esqueci. É algo que leva tempo, esforço e trabalho. Por parte de ambos.

    Bjinho*

    ResponderEliminar
  47. Perdoar ou não perdoar?
    Por muito que nos custe e por mais doloroso que seja devemos perdoar. Por vezes é impensável como as coisas aconteceram. É certo que as coisas não voltam a ser como o foram outrora, mas a todos devemos dar uma segunda oportunidade. Não sei o que custará mais, se perdoar ou se pedir perdão. É que quando perdoamos temos a noção de que não fomos nós que errámos, por seu lado quando perdimos perdão temos a consciência de que fomos nós a errar.

    Bjinhos :)

    ResponderEliminar
  48. olá. desculpa a invasão mas não resisti vir dar uma espreitadela.
    nem todas as pessoas tem coragem de perdoar ou de dizer que erraram só para não serem humilhados.
    mas nunca me fizeram nada desse tipo de coisas, mas se algum dia tiver de as enfrentar, não sei como irei reagir, espero que perdoe, que dê essas segunda oportunidade. beijos adorei os textos.

    ResponderEliminar
  49. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  50. Eu estou sem palavras perante este texto! E vou publicá-lo no meu blog. Quero partilhar isto com algumas pessoas. Eu tentei perdoar e nao consegui (no inicio).

    Vou publicar, se nao gostares diz-me!

    ResponderEliminar
  51. Como disseste perdoar, pode-se perdoar. Agora esquecer, nunca se esquece. Mas se amamos devemos sempre tentar, agora na minha opinião deve ser muito difícil viver na sombra de um traição...por isso não sei se conseguiria continuar a relação.

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares