Avançar para o conteúdo principal
Agora eu trabalho. É certo que é só aos fins-de-semana, mas é um trabalho. Numa loja de roupa toda finesse.

Sem ser para rir, tem piada ver a reacção das pessoas quando vêem o preço de uma simples camisola preta. Credo. Porra. Que exagero.

A camisola?

Alegadamente malha. Verdadeiramente caxemira e seda.

Comentários

  1. Deve ser bom! Só que eu acabo de escrever (reclamando!) que tenho de trabalhar no fim de semana... para mim é um saco ;)

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  2. LOL

    Eu já devo ter entrado numa loja toda finesse e ter dito "Credo. Porra." pelo preço de uma simples camisola.

    (:

    Mas eu tenho desculpa, sou estudante :P Right?

    Beijinho*

    ResponderEliminar
  3. Trabalhinho assim nem é mau. Mas acho que estaria o dia todo a rir da reacção das pessoas! O mais engraçado e que muita gente é capaz de ir a loja 50 vezes na esperança dos preços baixarem :P

    ResponderEliminar
  4. é por essas e por outras que não entro em lojas finesses...para não sair de lá de boca aberta e com um problema nos maxilares!

    ResponderEliminar
  5. se calhar até tens menos trabalho do que as meninas q trabalham em Bershkas e afins, em que as pessoas vao la e desarrumam tudo. assim nessas lojas vêm o preço e fogem LOL digo eu...

    ResponderEliminar
  6. Onde? Cá em Viana? Vou andar atenta às meninas das lojas finesses, não deve ser difícil reconhecer-te:)E depois vou lá dar-te um olazinho...

    ResponderEliminar
  7. Nós é que estamos mal habituadas com a Zara. Basta ir a uma loja de bairro e os preços sobem logo, mesmo que não seja finesse nem a malha seja grande coisa.

    ResponderEliminar
  8. Passei um tempo longe dos blogs e quando retorno hoje aqui, vejo que vc está trabalhando. Boa sorte! :-)

    ResponderEliminar
  9. E a grande chatice é que, depois de as usarmos 3 ou 4 vezes, fazem borboto como as outras... :(

    *beijito

    ResponderEliminar
  10. Com tanto onde gastar dinheiro... é mesmo de gaja.
    Já reparaste que quanto mais bem vestida anda a gaja, mais possibilidades tem de vir a ser despida.
    Quando virá o dia em que a roupita de gaja vai ser um simples cachecol? Afinal aquela roupa toda acaba espalhada pelo chão, ou "arregaçada" até ao pescoço... um cachecol era meio caminho andado para a felicidade eheheh.

    Beijinho

    ResponderEliminar
  11. eu também sou como essa camisola preta lol

    ResponderEliminar
  12. Os casacos e camisolas de caxemira sempre foram caríssimas... mas têm um "toque" diferente.
    Bjis

    ResponderEliminar
  13. trabalhar de fds ngm merece.. x(
    tb trabalho..

    bem. qto a minha amizade.. hmm, eu diria q passou de bonita para colorida.. porém não sei o momento que acabará ou se já acabou td..

    ResponderEliminar
  14. Eu cá sou desse tipo de pessoas "porra! Vaiam roubar o raio que vos parta" lol

    ResponderEliminar
  15. Imagino que te arranque uns sorrisos de soslaio! ;)

    ResponderEliminar
  16. Olá!
    Hoje em dia trabalhar é...bom :=))
    E se ainda te divertes....
    Boa sorte.

    Beijocas
    Boa semana

    ResponderEliminar
  17. ahah! eu pertenço a esse grupo de pessoas xD mas normalmente, percebo o porquê dos preços..

    ResponderEliminar
  18. Caxemira é mt bom...mas é impossível não dizer porra ou outra coisa pior ao ver o preço!
    Espero é que aguentes sempre o sorriso com a clientela porque às vezes é dose!
    Bjnhs

    ResponderEliminar
  19. Há coisas pelas quais compensa pagar mais caro, mas depende sempre das prioridades que nos colocamos.
    "Credo, porra", por acaso e contrariamente ao meu triste hábito de dizer palavrões, não é a expressão que me sai numa situação dessas... Normalmente sai mais depressa "ai... não lhe chego..."

    ResponderEliminar
  20. sweet.... or should I say: Soft...
    poix o problema é que aliado ao material vem também o corte e a marca... e pronto... só a marca...

    ResponderEliminar
  21. No meu trabalho produz-se um artigo de luxo... são meias que não custam menos de 10 euros... e posso te dizer que existem collants q custam 120 euros... :s Deve haver quem compre...

    Kiss kiss

    ResponderEliminar
  22. lol imagino, provavelmente seria a mesma cara que eu faria :P

    ResponderEliminar
  23. pois essa é sempre a parte chata se trabalhas numa loja...eu sei o que é isso, bom trabalheco ;)

    ResponderEliminar

Publicar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Para dormir - solução, procura-se!

É uma pessoa desesperada que vos escreve, esta manhã.

Conhecem soluções naturais para dormir bem de noite? Algo que me faça ferrar o galho e só acordar no dia seguinte?

Estou farta de noites mal dormidas. Estou farta de ficar até às 5 ou 6 da manhã sem conseguir dormir. Chego ao desespero, com vontade de chorar. De dia, sinto-me cansada, porque o descanso é uma porcaria.

Não sou grande adepta de medicamentos mas, se tem de ser, é. Alguém conhece um remédio, uma erva, o que seja?

O que é nacional é bom

Anda Portugal a usar cestas desde sempre e esta vossa S* a usá-las há sete ou oito anos... e vem agora a Carolina Herrera descobrir a pólvora (imagens acima).
Por favor, acho isto verdadeiramente errado. A desfaçatez que é pegar em algo tradicional de um país e de o apresentar como uma "criação"... Ainda por cima chamar-lhe "Aveiro"... E em nenhum sítio dizer que tem inspiração portuguesa.
E a pechincha que está? Quase 500 euros por uma cesta. Não tinha nada contra o preço... se efectivamente fosse um produto de original.
É só googlar "cesta portuguesa" e encontram-se imensos exemplares realmente nossos... E sem custarem quase um salário mínimo.
Querem cestas de classe? Então comprem das nossas. Das verdadeiras. Cópias descaradas? Não, obrigada.
Sugiro a Victoria Handmade. Não são caras, são dispendiosas e têm o preço do que é realmente bom. São feitas à mão, são portuguesas e assentam na nossa tradição. 

Voltar ao início

Depois de quase 9 anos e meio de relação, não vamos fingir que são tudo rosas. Ultimamente, temos até de admitir que têm sido mais os dias maus do que os dias bons. As chatices do dia-a-dia, os remorsos, os ressentimentos, os problemas a que somos alheios mas que nos afectam... Não é fácil de gerir e mentiria se não admitisse que já pensamos "será que vale a pena?".
Da minha parte, apesar dos momentos menos bons, continuo com a nítida percepção de que é um bom homem, com bons princípios, e que dificilmente encontraria companheiro que encaixasse tão bem em mim (que eu sou osso duro de roer, no que toca ao convívio caseiro).
Vale sempre a pena, porque não perdemos esta capacidade de nos reencontrar e voltar ao início. Enquanto soubermos olhar um para o outro e reconhecer o valor um do outro, vale mesmo muito a pena.