Segui o conselho que me deram na noite passada...

Não pensei. Escrevi.

Escrevi sobre tudo aquilo que me passou pela cabeça durante as seis horas que passei na redacção.

Escrevi muito. Sorri com as minhas divagações. Escrevi mais um pouco. Enervei-me. Bufei. Barafustei baixinho.

Choraminguei (dia em que eu não choramingue, não é dia). Sentei-me na sala de entrada, tirei um café. Respirei fundo. Peguei em mim, sentei-me ao computador e voltei a escrever.

Obrigada a quem me deu o conselho. Fez-me bem. Alivia e faz-nos ficar mais lúcidos. Acabei de ler tudo (enrubesci, confesso).

Chego à conclusão que sou mesmo parva.

E não jogo com o baralho todo.

Comentários

  1. Gostas mesmo de escrever não gostas~?

    ResponderEliminar
  2. Escrever é bom :-p Ainda me lembro de escrever num diário coisas que me aconteciam ou pensamentos que me passavam na cabeça... Era bom para desabafar e desanuviar!!!
    Quanto a não jogar com o baralho todo... Não és a única... Eu desconfio é de quem joga com ele todo!!! :-)

    Bjx

    ResponderEliminar
  3. Guarda o que escrevestes bem guardadinho! Um dia vais reler e vais sorrir! E pensa assim, tudo o que pensavas agora já não está em ti, mas sim no papel!

    ResponderEliminar
  4. A nossa auto censura, escrever é materealizar de forma ordenada o que tamos a sentir, concordo plenamente que a escrita nos oferece lucidez!

    ResponderEliminar
  5. eu tb gosto de desenhar
    descomprimir a rabiscar na folha branca... primeiro o pânico... tanto branco... depois o deixar levar e ui... que bem que sabe!

    ResponderEliminar
  6. Ainda bem que não jogas com o baralho todo. Os Jorker's facilitam a vida. São para pobres de espírito, e há que lutar com os nossos trunfos!

    Plim! SMILE!

    ResponderEliminar
  7. escrever o que nos vai na alma tira o peso que lá tinhamos... ajuda, pelo menos! jocas gordas

    ResponderEliminar
  8. bem, eu sempre escrevi... tenho montes de bloquitos cheios, prontos para queimar, ou para editar post mortem...
    Depois fiz um blog onde descarrego [quase] tudo.
    Deixei de escrever tanto só para mim, e passei a escrever e partilhar.
    Passei a sentir-me melhor.

    ResponderEliminar
  9. AAHAHAHAHAHAHAHAHHA E quem joga?

    Beijocas!

    ResponderEliminar
  10. Daqui a uns tempos ao releres isso é que vai ser.... mas é bom lermos o que escrevemos numa dada altura... beijocas

    ResponderEliminar
  11. Pegar num caderno e começar a escrever é também a minha técnica em dias em que é preciso deitar tudo cá para fora.
    Também chego à mesma conclusão que tu: que não bato muito bem. Mas nos dias que correm, não bater bem da cabeça é extremamente saudável! =P
    Big Kisses

    ResponderEliminar
  12. Não jogas...mas achas que há alguém que jogue...???

    ResponderEliminar
  13. ainda bem!!

    baralho todo??? pff nao tem piada nenhuma:P

    ResponderEliminar
  14. Conheces alguém que "jogue com o baralho todo?". Eu nao! E acho muito bem que seja assim! lolol

    ResponderEliminar
  15. Também gostava de ter 6 horas para escrever :(

    ResponderEliminar
  16. Olha, para mim, escrever é como chorar, alivia a alma ;)

    ResponderEliminar
  17. Olha, para mim, escrever é como chorar, alivia a alma ;)

    ResponderEliminar
  18. Guarda o que escreves num sitio muito bem guardado ;)
    Beijo

    ResponderEliminar
  19. Eu adoro trabalhar de noite! Parece-me que tb não jogo com o baralho todo:(
    Beijo

    PS: Se nada tiveres para fazer, podes encher-me a caixa de mail...é uma forma divertida de ambas passarmos uma noite:)

    ResponderEliminar
  20. Escrever é como olharmo-nos ao espelho.

    ResponderEliminar
  21. Já pensaste ter um diário secreto teu em que escrevas tudo que te apetece? beijinhos

    ResponderEliminar
  22. Acho que ninguém joga com o baralho todo:p

    ResponderEliminar
  23. Isso de jogar com o baralho todo, tem que se lhe diga. Por vezes, nem mesmo os verdadeiros baralhos vêm completos.. rs É sempre bom escrever. Deitar cá para fora o que nos vai na alma. Já o faziam os grandes poetas e filósofos, e sempre ha-se haver quem siga as suas pegadas. Mesmo que depois se chegue a 'brilhantes' conclusões.. ou não. Rs.

    Um abraço (e obrigado pelo comentario)

    P.S.: Já agora, vale a pena continuar a escrever ;)

    ResponderEliminar
  24. EU adoro escrever, principalmente à noite, não sei porquê, mas parece que é diferente...

    Choramingar? Não chores... Please... :)

    Beijinho

    ResponderEliminar
  25. olá!

    eu sempre escrevi diário SECRETO, como se quer num diário, só aí consigo escrever à vontade, e mesmo o que me vai na alma. um blog é diferente de um diário, não é secreto, não é nosso, é de todos os que nos quiserem ler!
    escrever faz muito bem à alma!

    xoxo

    ResponderEliminar
  26. Conheces alguém que jogue com o baralho todo?!

    ResponderEliminar
  27. Olha só, que brilhante conclusão :D

    Que jogo é esse que queres jogar? Normalmente o baralho é dividido por todos os jogadores, em partes iguais.

    ResponderEliminar
  28. ainda bem que pensas que não jogas com o bralho todo....ehehehe


    isso é mt bom, porque se jogasses é k era preocupante...;P


    bjokas com animação!!

    ResponderEliminar
  29. L.Malloy... pensar menos e escrever mais.

    ResponderEliminar
  30. Eu só jogo com as cartas do burro (se é que alguém sabe o que raio é isso).

    ResponderEliminar
  31. Ultimamente tento fazer o mesmo.
    Escrever..

    Penso que é a melhor ocupação, é um desabafo para nós mesmos, é um libertar de raiva de angústia, de sentiimentos.

    É um escrever para não fazer asneira, para não falar com quem não se deve.

    Escreve se isso te faz sentir melhor, e confesso.. tambem sou uma choramingas e isso não é ser parva, é sermos nós mesmas.

    Mas sim, sinto-me bastante parva por sentir demasiado. Por vezes apetecia-me viver mais superficialmente mas é assim..

    beijinho e força..

    P.S. Ninguém joga com o baralho todo, e isso é bom ;)

    ResponderEliminar
  32. Pois eu cá escrevo para me lembrar que ainda consigo pensar. Neste país de tábuas rasas, é preciso haver alguém que não esqueça. Senão ninguém critica. E isso não pode ser. É claro que também há quem não pense mas, ironicamente, "pensa" que sabe criticar. Enfim. Qual era mesmo o assunto? Ah! Cerejas!

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares