Birras


Lá terá de ser... De vez em quando é preciso escrever sobre assuntos sérios. Asha Phillips, psicoterapeuta, escreveu um livro para dizer que os pais têm de saber dizer "Não" aos filhos. Têm de saber impôr limites.

E a propósito deste assunto, ouvi um pai dizer que tem medo de dizer que "não" aos filhos. Disse que tem receio de dizer "não" à sua filha de 17 anos, pois receia que ela decida pirar-se de casa ou coisa do género. Chocou-me. Deve ser horrível ter medo que a filha fuja de casa por pura birra ou teimosice.

Eu acho que os limites devem ser impostos desde que os miúdos são pequenos. Têm de perceber que quem manda são os pais. Têm de ser habituados a fazer o que os pais lhes mandam.

Asha Phillips diz que uma criança tem de saber qual o seu lugar. Diz também que a família não é uma democracia pois os filhos não têm os mesmos direitos e deveres que os pais. Que a responsabilidade final é sempre dos adultos e que, por isso, cabe aos pais mandar. Acho bem!

Muitas crianças e jovens são birrentas, manientas e autoritárias. E acho absurdo vê-las de roupas de marca, telemóveis caríssimos e ar de gente importante... quando os pais têm de se sacrificar para poder corresponder aos seus desejos. Deve ser um síndrome "OC- Terra dos Ricos", série que desperta em mim ódios profundos, diga-se de passagem.

Incomoda-me ouvir algumas colegas minhas, totalmente despreocupadas. Enerva-me ouvi-las queixar porque "vou a duas aulas por semana e dá muito trabalho". Ou tenho de estudar "imenso durante um mês". Passam o ano inteiro a passear-se pela faculdade e queixam-se de um mês de trabalho.

Já trabalhei. Devia ter trabalhado mais. Sinto que não ajudei a minha mãe o suficiente. Mas também não lhe peço nada que ela não me possa dar. E se pedisse, ela não me dava. Sou muito amada, mas não sou mimada.

Mal habituados, é o que é.

Comentários

  1. recebi uma excelente educação, até ouvi 'não' a mais da conta. se a minha mãe dizia que não e eu insitia, então era 'não, nunca'. na altura posso não ter gostado, mas sei ver que é o melhor.
    olha, pegando nessa dos direitos e deveres não serem iguais, conheço uma miúda com onze anos - que os pais são divorciados, ela vive com a mãe e por isso o pai tem 'medo' - que disse ao pai "tu tens uns óculos de sol, eu também posso ter". quis graduados e teve-os! custaram mais de trezentos euros..
    sei bem que a educação de hoje está mesmo na m*rd*, tens toda a razão.

    ResponderEliminar
  2. Quanto a ti acho mto bem e respeito a tua opinião, qt a mim, n sei se fui bem educada ou ñ, o q é certo é q tenho um irmão mais novo e supostamente fomos criados e educados da mm forma, pois passavamos smp por gemeos e este é totalmente o oposto de mim, so p veres, ele n pede, ele exige e hoje em dia tem 25aninhos. eu n peço, mto menos exijo.Eu luto, batalho sozinha p ter o q quero.Ñ acho q tenha q ser assim smp, com tds e com td, mas julgo ser uma boa forma de nos manifestarms, de irmos mais além***e n sò

    ResponderEliminar
  3. eu tive uma educação em que o ouvia o não mais vezes do que queria ;), no entanto, acho que foi isso que me vez batalhar por tudo o que quero...dou um exemplo eu comecei a trabalhar aos 17 anos, mas também estudava (queria ter a minha independência), hoje eu trabalho com jovens a partir dos 16 anos e vejo que a maioria deles não sabe o que é querer algo e ter de batalhar para ter. Os pais dão tudo e eles não se esforçam para nada. Pior é que para eles trabalharem onde quer que seja é uma brincadeira. O que mais me aborrece é quando os miúdos querem sair os pais vão lá pedir a demissão dos filhos, ou quando faltam os pais é que vão justificar as faltas dos filhos. Nem sequer os deixam ser esponsáveis.

    ResponderEliminar
  4. Tens toda a razão! Os pais que dizem NÃO aos filhos são pais que ois amam de verdade... por se preocuparem com eles e acharem que NÃO o devem fazer! Mas também não pode haver pais que digam sempre não a tudo...
    Nem 8 nem 80... um 45 talvez sirva! :)

    bj*

    ResponderEliminar
  5. Infelizmente, muitos dos jovens de hoje, que têm a infeliz sorte de ter uma educação anárquica, serão os homens e mulheres de amanhã! Isto sim, PREOCUPA-ME!

    ResponderEliminar
  6. concordo contigo!
    Infelismente cada vez mais se ve exemplos desses! è lamentavel mesmoo!
    Beijo!

    ResponderEliminar
  7. realmente esse tipo de pessoas "mimadas" irrita-me seriamente, mas acredito k a culpa é da educação k lhes é dada.
    hj posso dixer k sou a pessoa k sou derivada á minha educação!
    bjxxx

    ResponderEliminar
  8. Mal vão as coisas quando um pai sente necessidade de dar uma surra num filho. Alguma coisa "correu mal" ou ficou por fazer lá para trás.
    Acho que um dos problemas desta sociedade - a par dos "sobornos" com que os pais compram a falta de tempo para os filhos - é a própria noção errada de democracia que vai na cabeça de muita gente.
    Chegarmos ao ponto de ouvir declarações de pais, onde se nota até uma pontinha de orgulho "pimba", cujos filhos adolescentes gastam mais de 50€ por mês, em telemóvel, é de ter medo do futuro que aí vem, pois os jovens são os homens e mulheres de amanhã.

    ResponderEliminar
  9. Nada que umas boas palmadas não resolvam!! Só tentei fazer uma birra... Repito: tentei. E acho muito bem!! Eu faria o mesmo!

    Lembro.me que quando estava à caixa das coisas que mais me irritava eram as criancinhas berrando e rebolando pela alcatifa, fazendo birras de meia noite porque se iam embora e o papá não lhes tinha comprado nem uma caneta "porque não precisavam" mas a seguir ia lá a mamã comprar o raio da caneta! Infelizmente acredito por já conhecer casos reais que este não é um problema pontual. É bastante geral até. Um diz sim o outro diz não e eles já vêm com ela estudada!

    ResponderEliminar
  10. Eu ouvi tanto "nao" em toda a minha vida.. insistia e insistia e a resposta nao mudava! Sim, fazia birras, mas acabava sempre por ficar no quarto a chorar sozinha, e nem isso fazia o meu pai mudar de ideias. Fui crescendo e comecei a compreender que nem tudo poderia ser como eu queria. Hoje, quase tudo é "sim" menos aquilo que é mesmo impossivel. :p

    Mas conheço miudas de 16 anos que sao assim.. fazem birras e birras! Pensam que o mundo gira à volta delas.. e os pais nao fazem nada a nao ser as vontadinhas! Isso enerva-me profundamente! -.-

    Não podia concordar mais com este teu post!


    Beijinho :P

    ResponderEliminar
  11. Conheço um caso muito próximo de mim em que o puto tem TUDO, e ainda exige. O pai dá porque raramente está com ele, os avós vão por trás e dão o dobro. E o menino faz trinta por uma linha em certas e determinadas situações, este ano por acaso reprovou na escola, etc, etc... tem 13 anos, e muita chapada e muitos 'Nãos' em dívida.

    No meu caso, nunca me faltou nada, mas haviam certas coisas que queria e não me davam. Irritava-me um bocadinho, mas hoje agradeço terem-me educado para ser o que sou. Tenho amigas minhas que nunca trabalharam. Eu... já tive mais trabalhos que férias! -> um dia faço uma lista das minhas actividades profissionais até agora!

    ResponderEliminar
  12. Compreendo essa tua irritação e concordo perfeitamente! Haja paciência para aturar essa gente com essas atitudes!Como sempre tiveram tudo na vida de mão beijada nunca vão saber dar valor a nada!
    beijo

    ResponderEliminar
  13. Sinceramente a culpa é totalmente dos pais, os jovens hoje em dia fazem chantajem emocional descarada com os pais e eles cedem.
    Eu fui educado de maneira a saber a importância das coisas, e o quanto custa a telas o meu pai desde cedo me disse “queres comprar coisas caras, ganha o teu dinheiro” e achei certo comecei a trabalhar com 14anos em alguns trabalhos e fui ganhando o meu próprio dinheiro hoje em dia dou muito valor ao dinheiro.
    Voltando á educação eu quando fazia birras parvas de querer uma coisa só porque sim nada como um tabefe para começar a ver as coisas logo de outro prisma e não me fez mal nenhum se hoje sou a pessoa integra e educada que sou á educação dos meus pais o devo.

    Beijo

    ResponderEliminar
  14. Posso dizer que ouvi muitos nãos, uns com explicação e outros sem explicação. Hoje em dia agradeço-os por me terem educado da maneira que educaram :)
    Beijinhos*

    ResponderEliminar
  15. Ai tantos telhados de vidro... Upa, upa!

    Só posso dizer que só criando um filho é que se compreende certas atitudes. Garanto-vos.

    S*, beijo!

    ResponderEliminar
  16. Concordo que fazem falta alguns "nãos" devidamente explicados.

    Alguns pais não têm noção do mal que fazem aos seus "tesourinhos" ao darem tudo e até demais... percebo que queiram dar o que não tiveram, alguns querem compensar a atenção que não conseguem dar... por variadissimas razões que poderiam ser tema de um novo post...
    Fazem falta valores e dar valor às coisas... aprender a lutar para alcançar objectivos.

    Preocupa-me a educação dada a algumas crianças, adultos de amanhã!!!

    ResponderEliminar
  17. Sabes assim aprendemos a dar valor ás coisas, quando não as temos de mão beijada. Também fui criada assim e sinceramente ainda bem que assim foi. dou muito mais valor ás coisas que conquisto... sentimo-nos mais satisfeitos conosco e com a vida.. beijos

    ResponderEliminar
  18. Sou mãe e sou filha. E digo Não, quase tanto como ouvi. Mas tenho um filho teimosíssimo e digo-te que não é nada fácil, mas no entanto faço-o sempre que acho que o limite dele acaba ali.
    O mal da sociedade actual, na minha optica, é que confundem o dizer não com falta de amor e carinho. Acham que negar a uma criança uma pastilha, se for caso disso, é uma estupidez, pq é tão barato. Mas não conseguem perceber que é uma questão de educação e de sistema que se cria.

    ResponderEliminar
  19. poix... o problema é esse.. é que primeiro "tem muita piada" e depois "aiii já não sei o que fazer dele!!!"

    É uma questão de equilibrio...

    ResponderEliminar
  20. Amada mas não mimada..gostei.
    ..e olha que o O.C ainda é uma das minhas series preferidas(sempre tive uma especial tendencia para o drama)

    ResponderEliminar
  21. Eu, quando era puto, era birrento, maniento e autoritário. Ahhh, como é bom saber que algumas coisas não mudam nunca... :)

    ResponderEliminar
  22. O "Não" tem tanta importância como o "Sim"...tudo em conta e medida, claro!!! Beijo

    ResponderEliminar
  23. Aiiii...o meu dia a dia. Digo sempre aos pais que eles têm que ser contrariados e que comigo não têm sorte. Ainda ontem uma delas fez-me queixa que o pai lhe deu uma palmada de manhã? Porquê? Porque ela tem feito birra para ficar em casa todos os dias. Isto por ciume do bebe que está na barriga da mae. Os pais já conversaram, já a deixaram ficar em casa e ela na mesma. Eu, ontem disse-lhe que se levou por esse motivo tinha que ter paciência e que já estava a passar das marcas e não tinha motivo. Ela é que pediu incessantemente um irmao. Ora, hoje...nada de birra. Yep.

    ResponderEliminar
  24. É incrivel a inversão de papeis que se deu. Dantes, os pais mandavam nos filhos. Agora os pais andam ao mando dos filhinhos. Incrivel mesmo. Quando vejo aqueles putos no supermercado, maleducadões, aos gritos com os pais à frente de toda a gente porque querem uma coisa qualquer só tenho vontade de lhes espetar eu um par de estalos.

    ResponderEliminar
  25. é a geração morangos com açúcar...

    ResponderEliminar
  26. Não podia concordar mais contigo. Acho que os valores hoje em dia estão todos trocados. Estamos numa era futil e descartável, em nunca niguém está satisfeito e se quer mais do que se pode e se precisa. Eu agradeço todos os dias pela educação que tive e pelos valores que fui apredendo a adoptar como meus.

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares