sábado, 21 de fevereiro de 2009


Eu sou uma pessoa orgulhosa. Sou mesmo muito orgulhosa.

Não peço desculpas, não gosto, incomoda-me mesmo. Acho sempre que tenho uma pontinha de razão e é esse resquício de razão que não me permite ceder. Mesmo quando não tenho razão, não gosto de pedir desculpa. Se eu pedir desculpa é porque fiz porcaria (e das grandes). Casos raros, é muito raro eu achar que não tenho razão (estúpido, bem sei).

E sempre fui o género de rapariga de nariz empinado que dizia "eu não permito isto", "eu não admito aquilo" e eu "nunca perdoarei tal coisa".

Dizia. A vida dá muitas voltas e somos obrigados a engolir muitos sapos. E tenho aprendido muito nos últimos tempos. Nem sempre as coisas correm como queremos e esperamos.

Nem sempre as pessoas se comportam como nós esperamos. E, mesmo assim, as coisas são possíveis. Mais difíceis, bastante mais difíceis, mas mesmo assim possíveis.

Pelo menos quero acreditar que sim.

Bom fim-de-semana *

16 comentários:

  1. as xs é necesario dar obraco a torceer *****

    ResponderEliminar
  2. ... e a engolir sapos!

    as vezes é preciso mesmo q nao quisermos

    ResponderEliminar
  3. Pois eu também sou um bocadinho assim, embora ultimamente me controle mais e até peço desculpa quando erro...

    bjinho***

    ResponderEliminar
  4. Epah sou tão igual:)mas também tive que aprender a engolir sapos...depois de algum tempo torna-se uma arte ah ah ah...eu penso sempre que cada coisa tem o seu timing e se aquele é o de engolir o sapo de certo há-de vir o de dar o troco :)

    ResponderEliminar
  5. És portanto do tipo Garfield, eheheheh

    ResponderEliminar
  6. Pedir desculpa é um gesto muito importante e bonito!
    Jinhos
    Su

    ResponderEliminar
  7. Eu sei que é um gesto importante e é bonito sabermos reconhecer que errarmos. Mas é complicado eu ceder. Gosto de ficar por cima, de ter razão. Bah

    ResponderEliminar
  8. eu tou na pré-fase de engolir sapos...porque percebi que a causa é perdida e vai ter mesmo de ser...mas custa, bolas se custa.
    Beijinho * (encontrei o blog p acaso e gostei :), voltarei)

    ResponderEliminar
  9. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  10. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  11. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  12. Que ninguém diga "nunca". Há q reconhcer quando erramos, quando falhamos. Se o conseguirmos fazer, acreditem, será muito mais fácil seguir caminho de cabeça erguida. ;)

    ResponderEliminar
  13. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  14. Acho que ser orgulhoso é um péssimo defeito e eu tenho disso aos potes. O orgulho, entre outras caracteristicas do meu chamado mau feitio, sempre foram coisas que considerei como feitio e não defeito. Estava errada. Quando se está numa relação, o orgulho ocupa demasiado espaço, cria brigas sem motivo, amuos sem motivo, que só nos magoam e magoam o outro. Por isso, muito lentamente tive de o ir deixando de fora. Na vida profissional a mesma coisa. Não há pachorra para os que nunca acatam ordens nem ouvem uma crítica. Tornam-se pessoas impossiveis de trabalhar e que não produzem assim tanto. E tenho vindo a descobrir que os melhores em qualquer área, são maioritariamente pessoas muito humildes. Por isso, agora guardo o mau feitio só para situações em que realmente tenho que fazer finca pé, e não em qualquer situação que não tenha razão.

    ResponderEliminar
  15. Atirar a toalha a chao é sempre complicado. mas um sorriso dos teus faz qualquer pessoa perdoar-te.

    ResponderEliminar