Avançar para o conteúdo principal
Taras e manias

Eu tenho alguns comportamentos obsessivos. Sou uma pessoa calma, bastante normal, digamos assim. No entanto, existem partes de mim que não são tão normais assim.

Sou meio obcecada. No meu quarto, no meu espaço, tudo tem uma ordem. A roupa é colocada sempre pela mesma ordem (ordenada por preferência), as pantufas são colocadas sempre na mesma posição e o pijama dobrado da mesma maneira. Na minha mesa-de-cabeceira tudo tem um sentido: telemóvel à direita, pílula ao meio (para me certificar de que a tomei) e caixa de lentes à esquerda.

Tenho de repetir determinados "rituais" todos os dias, numa dada altura. Se não cumprir com esses hábitos sinto-me nervosa e não consigo relaxar. É parvo? Sim. É irracional? Sim. Mas a verdade é que estou habituada a que assim seja e quem me conhece bem sabe que há coisas que não mudam.

Quando estou a estudar a obsessão torna-se assim maior. Utilizo sempre canetas de cores para sublinhar os apontamentos. Coloco, sempre à minha direita, caneta, lápis, safa, corrector, caneta rosa, caneta roxa e borrona cor-de-rosa. As cores vão mudando, mas a ordem é sempre a mesma.

Este ano tive um professor que fazia a mesma coisa com as suas canetas e ouvia os meus colegas a gozarem com isso. Pois bem, eu sou igual.

Em fases de maior ansiedade e nervosismo torno-me ainda mais metódica e, por isso, já sei que as épocas de exame são sempre assim.

Saio sempre da cama pelo lado direito, incomoda-me sair pelo lado esquerdo. Motivos para tal? Desconheço-os.

Tenho também a mania da organização. Não viajo de Viana para o Porto sem fazer uma lista detalhada, tim-tim por tim-tim, de tudo o que coloco no saco. Desde o perfume às cuecas, tudo é escrito numa folha. Não suporto esquecer o que quer que seja, nem que a "viagem" só dure um dia.

Tarada? Maníaca? Obcecada?

Hum... Prefiro dizer que sou organizada. :)

Comentários

  1. A tara da roupa toda certinha e por ordem e a listinha nates da viagem tenho que admitir que também tenho =)

    ResponderEliminar
  2. Eu também sou metódico. Tenho sempre o método de nunca saber de nada!!!
    Por falar nisso, se vires por aí o meu juízo diz-me onde o deixei ficar.

    bjs com charme

    ResponderEliminar
  3. Tens um desafio que espero que aceites!

    ResponderEliminar
  4. Já eu sou desorganizada, mas consigo encontrar sempre tudo...bem, às vezes quem encontra é a minha mãe.lol.

    ResponderEliminar
  5. o diagnóstico é fácil: OCD. Googla.

    ResponderEliminar
  6. Alexandre, eu sei. Infelizmente tenho noção disso. :P Nunca fui diagnosticada por alguém com habilitações para tal, mas é mais que óbvio.

    ;)

    ResponderEliminar
  7. Isso muda com a idade...
    Para melhor ou..., para pior.
    Depende do que viér a ser a tua vida futura e daquilo que se considerar melhor/pior.
    :-)

    ResponderEliminar
  8. deves dar-te bem com o arrumadinho então?! :p

    ResponderEliminar
  9. Xana, se é o do blog, não o conheço. Provavelmente até sim. eheheh

    ResponderEliminar

Publicar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Para dormir - solução, procura-se!

É uma pessoa desesperada que vos escreve, esta manhã.

Conhecem soluções naturais para dormir bem de noite? Algo que me faça ferrar o galho e só acordar no dia seguinte?

Estou farta de noites mal dormidas. Estou farta de ficar até às 5 ou 6 da manhã sem conseguir dormir. Chego ao desespero, com vontade de chorar. De dia, sinto-me cansada, porque o descanso é uma porcaria.

Não sou grande adepta de medicamentos mas, se tem de ser, é. Alguém conhece um remédio, uma erva, o que seja?

O que é nacional é bom

Anda Portugal a usar cestas desde sempre e esta vossa S* a usá-las há sete ou oito anos... e vem agora a Carolina Herrera descobrir a pólvora (imagens acima).
Por favor, acho isto verdadeiramente errado. A desfaçatez que é pegar em algo tradicional de um país e de o apresentar como uma "criação"... Ainda por cima chamar-lhe "Aveiro"... E em nenhum sítio dizer que tem inspiração portuguesa.
E a pechincha que está? Quase 500 euros por uma cesta. Não tinha nada contra o preço... se efectivamente fosse um produto de original.
É só googlar "cesta portuguesa" e encontram-se imensos exemplares realmente nossos... E sem custarem quase um salário mínimo.
Querem cestas de classe? Então comprem das nossas. Das verdadeiras. Cópias descaradas? Não, obrigada.
Sugiro a Victoria Handmade. Não são caras, são dispendiosas e têm o preço do que é realmente bom. São feitas à mão, são portuguesas e assentam na nossa tradição. 

Voltar ao início

Depois de quase 9 anos e meio de relação, não vamos fingir que são tudo rosas. Ultimamente, temos até de admitir que têm sido mais os dias maus do que os dias bons. As chatices do dia-a-dia, os remorsos, os ressentimentos, os problemas a que somos alheios mas que nos afectam... Não é fácil de gerir e mentiria se não admitisse que já pensamos "será que vale a pena?".
Da minha parte, apesar dos momentos menos bons, continuo com a nítida percepção de que é um bom homem, com bons princípios, e que dificilmente encontraria companheiro que encaixasse tão bem em mim (que eu sou osso duro de roer, no que toca ao convívio caseiro).
Vale sempre a pena, porque não perdemos esta capacidade de nos reencontrar e voltar ao início. Enquanto soubermos olhar um para o outro e reconhecer o valor um do outro, vale mesmo muito a pena.